s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Durante o mais recente encontro do meu Mastermind MLA – ...

Ver mais

Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
A ilusão de transparência é uma armadilha comum em que ...

Ver mais

Café Brasil 932 – Não se renda
Café Brasil 932 – Não se renda
Em "Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith", ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

LíderCast 328 – Criss Paiva
LíderCast 328 – Criss Paiva
A convidada de hoje é a Criss Paiva, professora, ...

Ver mais

LíderCast 327 – Pedro Cucco
LíderCast 327 – Pedro Cucco
327 – O convidado de hoje é Pedro Cucco, Diretor na ...

Ver mais

LíderCast 326 – Yuri Trafane
LíderCast 326 – Yuri Trafane
O convidado de hoje é Yuri Trafane, sócio da Ynner ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Vida longa ao Real!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vida longa ao Real!   “A população percebe que é a obrigação de um governo e é um direito do cidadão a preservação do poder de compra da sua renda. E é um dever e uma obrigação do ...

Ver mais

A Lei de Say e a situação fiscal no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Lei de Say e o preocupante quadro fiscal brasileiro   “Uma das medidas essenciais para tirar o governo da rota do endividamento insustentável é a revisão das vinculações de despesas ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Cafezinho 632 – A quilha moral
Cafezinho 632 – A quilha moral
Sua identidade não vem de suas afiliações, ou de seus ...

Ver mais

Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
O episódio de hoje foi inspirado num comentário que um ...

Ver mais

Cafezinho 630 – Medo da morte
Cafezinho 630 – Medo da morte
Na reunião do meu Mastermind na semana passada, a ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Alberto Paz

Alberto Paz

Luciano Pires -

Compositor. Pandeirista. Foi integrante do grupo vocal Anjos do Inferno.

Em 1938, substituiu Milton Campos como pandeirista do grupo Anjos do Inferno. No ano seguinte, teve o samba “Dura lex sed lex”, com Domício Augusto, gravado pelos Anjos do Inferno. Em 1942, deixou o grupo Anjos do Inferno sendo substituído por Hélio Verri. Em 1957, fez com o maestro Severino Filho a música “Bazar de Ilusões”, gravada na Continental pelo grupo vocal Os Cariocas, e com Carlinhos o samba-canção “Eu sei”, lançada por Marilena Cairo. Nesse ano, o samba-canção “Um milhão de vezes não”, com Carlos Monteiro de Souza, foi gravado por Zezé Gonzaga no LP “Vivo a cantar”, lançado pela Columbia. Em 1958, o samba “Pé de chumbo”, parceria com Carlos Monteiro de Souza, foi gravado na Odeon por Raul de Barros no LP “Ginga de gafieira”, e o samba-canção “Frases de amor”, com Nestor Campos, foi lançado na Odeon por Alaíde Costa. No mesmo ano, no LP “Calendário musical”, lançado por Emilinha Borba pela Continental, teve gravadas as músicas “Férias de julho” e “Em outubro vou pagar”, ambas com Carlos Monteiro de Souza. Teve ainda o samba-canção “Duas notas, nada mais”, gravado por Nora Ney, e o samba “Vamos cochichar” lançado pelos Vocalistas Modernos, ambos parcerias com Carlos Monteiro de Souza.

Seu choro “Pense mais baixo”, com Severino Filho, foi gravado em 1959 por Ademilde Fonseca no LP “Voz+ Ritmo = Ademilde Fonseca”, da gravadora Philips, o samba “Não foi saudade”, com Severino Filho, foi lançado por Silvinha Chiozzo, e a balada “Minha canção de amor”, também com Severino Filho foi registrada por Tito Madi, as duas na Continental.

Em 1960, seu samba “Não”, com Carlos Monteiro de Souza, foi gravado por Aracy de Almeida no LP “Samba”, lançado pela Philips, e a valsa “Desta vez”, com Alberto Lazzolli, foi gravada por Vicente Celestino no LP “Alma e coração”, da RCA Victor. No ano seguinte, teve o samba-canção “Dizem por aí”, com Manoel da Conceição, gravado por Marisa Barroso no LP “Cantigas de enganar o tempo”.

Em 1963, a canção “Lembro-me ainda”, com Dilermando Reis, foi gravada no LP “30 anos de sucesso”, de Vicente Celestino. No mesmo ano, Baden Powell gravou “Manequim 46”, com Carlos Monteiro de Souza, no LP “Baden Powell Swings with Jimmy Pratt”, do selo Elenco. Em 1965, o samba “Ziguezague”, com Edson Menezes, foi gravado no LP “Dois na bossa” por Elis Regina e Jair Rodrigues. No mesmo ano, o samba “Deixa isso pra lá” foi gravado por Walter Wanderlei no LP “O Toque Inconfundível de Walter Wanderley”, lançado na Philips. O samba “Zig-zag” por sinal se tornaria a marca registrada do cantor Jair Rodrigues e seu maior sucesso assim como o do compositor.

Em 1985, teve as músicas “Papagaio do futuro”, “Zig-zag” e “Deixa isso pra lá”, as três com Édson Menezes, gravadas por Alceu Valença no LP “Alceu Valença ao vivo” lançado pela Barclay/Polygram. Em 2002, Jair Rodrigues regravou “Zig-zag” no CD “Intérprete”. Seu principal parceiro foi Carlos Monteiro de Souza. Seu principal sucesso no entanto foi o samba “Zigue zague”, parceria com Edson Menezes. Teve músicas gravadas, entre outros, pelos Anjos do Inferno, Jair Rodrigues, Aracy de Almeida, Alceu Valença, Os Cariocas, Baden Pawell, Vicente Celestino e Marisa Barroso.    

http://www.dicionariompb.com.br/alberto-paz