s
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 628 – Crimes de Honra
Cafezinho 628 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

Café Brasil 900 – How Deep Is Your Love

Café Brasil 900 – How Deep Is Your Love

Luciano Pires -


Cara, tem coisa mais desagradável do que ficar sem bateria do celular? Pois é, a Santa Carga criou um negócio inovador para acabar com essa dor, e se transformou na microfranquia de crescimento mais rápido no Brasil: já são quase 600 totens recarregadores de celulares espalhados pelo país.

E olhe o que ela preparou para sua Black November: torne-se um franqueado pagando apenas 19.900 reais em 20 VEZES SEM JUROS! Com o modelo inovador da Santa Carga, o pagamento das mensalidades acaba sendo feito pelo faturamento do próprio equipamento.

Mas tem mais! Ouvintes do Café Brasil e LíderCast têm um bônus especial de 1.000 reais, tornando a Black November Santa Carga ainda mais irresistível!

Você se torna um empreendedor investindo apenas 32 reais por dia.

Siga o caminho de muitos empreendedores de sucesso que já alcançam com suas franquias ganhos de mais de 8 mil reais por mês por totem. Tudo isso sem se preocupar com estoque, contratação de funcionários ou aluguel de espaços.

Aproveite a Black November em santacarga.vip. Não perca a chance de abrir seu próprio negócio com a premiada microfranquia Santa Carga. santacarga.vip

900 semanas atrás foi ao ar o primeiro episódio do Podcast Café Brasil. De lá para cá o resultado foram quase 600 horas de conteúdo, três outros podcasts como filhotes, três livros publicados a partir dos roteiros, milhares de músicas apresentadas, um mundo de haters e dez mundos de pessoas que amam o Café Brasil. Tem sido uma aventura e tanto compartilhar com você estes episódios. E para o 900, fomos buscar gente de talento, que impactou nossas vidas e, certamente, trará lembranças para quem os curtiu no auge e mostrará às gerações mais novas o que é talento de verdade.

Hoje é dia de Bee Gees. Lalá a postos… como está nossa máquina do tempo? Tá nos trinks? Então programe aí: vamos para…1978.

Stayin’ Alive
‎Albhy Galuten
‎Dennis Bryon
‎Alan Kendall

Well, you can tell by the way I use my walk
I’m a woman’s man, no time to talk
Music loud and women warm, I’ve been kicked around
Since I was born
And now it’s alright, it’s okay
And you may look the other way
We can try to understand
The New York Times’ effect on man
Whether you’re a brother or whether you’re a mother
You’re stayin’ alive, stayin’ alive
Feel the city breakin’ and everybody shakin’
And we’re stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ha, ha, ha, stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ha, ha, ha, stayin’ alive
Oh, when you walk
Well now, I get low and I get high
And if I can’t get either, I really try
Got the wings of Heaven on my shoes
I’m a dancin’ man and I just can’t lose
You know it’s alright, it’s okay
I’ll live to see another day
We can try to understand
The New York Times’ effect on man
Whether you’re a brother or whether you’re a mother
You’re stayin’ alive, stayin’ alive
Feel the city breakin’ and everybody shakin’
And we’re stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ha, ha, ha, stayin’ alive, stayin’ alive (oh)
Ah, ha, ha, ha, stayin’ alive (oh)
Life goin’ nowhere, somebody help me
Somebody help me, yeah
Life goin’ nowhere, somebody help me, yeah
I’m stayin’ alive
Well, you can tell by the way I use my walk
I’m a woman’s man, no time to talk
Music loud and women warm
I’ve been kicked around since I was born
And now it’s all right, it’s okay
And you may look the other way
We can try to understand
The New York Times’ effect on man
Whether you’re a brother or whether you’re a mother
You’re stayin’ alive, stayin’ alive
Feel the city breakin’ and everybody shakin’
And we’re stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ha, ha, ha, stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ha, ha, ha, stayin’ alive (hey)
Life goin’ nowhere, somebody help me
Somebody help me, yeah
Life goin’ nowhere, somebody help me, yeah
I’m stayin’ alive
Life goin’ nowhere, somebody help me
Somebody help me, yeah (ah, ah, ah)
Life goin’ nowhere, somebody help me, yeah
I’m stayin’ alive
Life goin’ nowhere, somebody help me
Somebody help me, yeah (ah, ah, ah, ay)
Life goin’ nowhere, somebody help me, yeah
I’m stayin’ alive
Life goin’ nowhere, somebody help me
Somebody help me, yeah (oh)
Life goin’ nowhere, somebody help me, yeah
I’m stayin’ alive

Uia… 1978. Deixa eu falar baixinho aqui… Estamos dentro do cine Marabá, no centrão de São Paulo. Naquele tempo ainda havia cinemas no centro. E o filme já vai começar.

Vemos cenas aéreas de Nova Iorque. Um jovem caminha pelas ruas do bairro do Bronx, carregando uma lata de tinta. Seu andar é cheio de gingado e pose, fica claro que ele se acha… mas o irresistível mesmo é a trilha sonora.

Uma batida irresistível marca aquele caminhar, que causaria um impacto imenso na cultura pop daquele final de anos 70.

A canção era Staying Alive, de e com os Bee Gees, abrindo o filme Saturday Night Fever – Os Embalos de Sábado à Noite, de John Badham. E o rapaz na tela é Tony Manero, interpretado por John Travolta. Os Embalos de Sábado à Noite foi um grande sucesso de crítica e comercial, que colocou os Bee Gees entre as grandes estrelas da história da música popular mundial. Mas eles eram muito, mas muito mais do que Disco Music.

Tá preparado? Stayng Alive? Então entre conosco de coração e alma nesta viagem inesquecível ao mundo dos Bee Gees.

Bom dia, boa tarde, boa noite. Você está no Café Brasil 900 e eu sou o Luciano Pires. Posso entrar?

Luciano – Lalá, tudo bom? Cara, tive uma ideia aqui. A gente vai fazer agora o Café Brasil 900, novecentos, cara, novecentas semanas! Isso dá dezessete anos e três meses, mais ou menos, cara. Eu fiz uma conta aqui por cima, deu umas quarenta mil horas de Café Brasil.

Se alguém resolver sentar hoje pra ouvir do episódio número 1 até o 900, só vai levantar daqui a 25 dias, cara! É mole?

Mas a ideia que me bateu aqui foi a seguinte: vamos fazer esse aqui que é tão especial, naquele esquema antigo? Você não quer vir aqui no Café Brasil? A gente senta e vamos montar como a gente sempre fez? A pandemia nos afastou, você ficou montando na sua casa, eu fiquei mandando todo o material a partir daqui. Vamos montar este aqui como a gente sempre fez? Acho que merece, né? 900. Vamos nessa?

Lalá – Fala, Luciano. Tudo bem? É verdade, 900 programas. Eu, que estou com você desde o número 43. É uma caminhada de muitos anos, né?

Que bom que você me mandou mensagem agora. Você já está com o roteiro pronto? De repente amanhã à tarde, amanhã na parte da tarde eu posso ir pra aí e a gente fica de tarde até a noite pra fazer. Eu estou amanhã com a tarde toda livre.

Aí a gente já bate um papo, mata a saudade e prepara mais esse programaço. Eu nem sei qual é o tema ainda, mas eu sei que vai ser coisa boa, com certeza. Confirma aí. Se tiver tudo certo, estamos juntos já, já.

Luciano – Tia Ciça, tudo bom? Eu e o Lalá vamos montar amanhã o programa. Vamos sentar em cima do 900 aqui. Então, prepara aí o esquema porque tá grandão o roteiro, vai dar um trabalhinho montar. Assim que eu estiver com o texto montado lá, eu já te passo pra começar o trabalho aí.

900 programas, tia. Loucura, né?

Ciça – Droga, viu? Eu não posso ir amanhã, mas me deu a maior aflição. Caramba cara, 17 anos. É muito tempo.

Como é que a gente se suportou esse tempo todo, hein?

Olha, estarei aí em espírito. Morta de saudade de vocês dois. Olha Lalá, eu já sei o assunto, tá? Vai ser maravilhoso.

Divirtam-se e pensem em mim. Um beijo.

A Ciça sempre reclamando.

Bom, botei essa sequência de áudios que troquei com o Lalá e a Ciça para que a voz deles ficasse eternizada neste episódio. São meus companheiros de jornada e presto a eles dois uma homenagem neste episódio.

E como o comentário do ouvinte é patrocinado pela Livraria Café Brasil, o Lalá e a Ciça vão ganhar um livro cada um! Entrem na livrariacafebrasil.com.br e escolham qual vocês querem. É um presente do Café Brasil para vocês dois. Muito obrigado pela parceria nestes quase 18 anos…

Então vamos lá… se você vê valor no trabalho que a gente faz aqui no Café Brasil, torne-se um assinante. E se gosta de ler, compre nossos livros na livrariacafebrasil! É só acessar mundocafebrasil.com. Vai lá. A gente espera.

You belong to me
Chilton Price
Pee Wee King
Redd Stewart

See the pyramids along the Nile
Watch the sun rise on a tropic isle
Just remember, darling, all the while
You belong to me
See the marketplace in old Algiers
Send me photographs and souvenirs
Just remember when a dream appears
You belong to me
I’ll be so alone without you
Maybe you’ll be lonesome too, and blue
Fly the ocean in a silver plane
See the jungle when it’s wet with rain
Just remember till you’re home again
You belong to me
I’ll be so alone without you
Maybe you’ll be lonesome too, and blue
Fly the ocean in a silver plane
Watch the jungle when it’s wet with rain
But remember darling, till you’re home again
You belong to me

A história dos Bee Gees começa no final dos anos 40, na Ilha de Man, onde os irmãos Barry, Robin e Maurice Gibb nasceram. Aquela ilha fica entre a Inglaterra e a Irlanda, e estamos durante um período de reconstrução da Europa, com todos os traumas de uma guerra que mudou a história da humanidade.

Ah, antes que eu me esqueça… outro grupo inglês num especial aqui do Café Brasil. O que será que acontece na Inglaterra, hein?

Com as crianças ainda pequenas, a família se mudou para Manchester, na Inglaterra. Foi ali que o trio de irmãos descobriu que seu talento musical poderia levá-los muito longe. Formaram um grupo de skiffle, um gênero de música folclórica com influências da música folk americana, blues, country, bluegrass e jazz, que soava assim:

In spite of all the danger
Paul McCartney
George Harrison

In spite of all the danger
In spite of all that may be
I’ll do anything for you, anything you want me to
If you’ll be true to me
In spite of all the heartache that you may cause me
I’ll do anything for you, anything you want me to
If you’ll be true to me
I’ll look after you like I’ve never done before
I’ll keep all the others from knocking at your door
In spite of all the danger
In spite of all that may be
I’ll do anything for you, anything you want me to
If you’ll be true to me
In spite of all the heartache that you may cause me
I’ll do anything for you, anything you want me to
If you’ll be true to me
I’ll do anything for you, anything you want me to
If you’ll be true to me

Essa chama-se In Spite of All Danger, e quem está tocando é um grupo de quase adolescentes chamado The Quarrymen.

Mais tarde esse grupo mudaria de nome. Para The Beatles…

Essa gravação foi feita numa sala de estar em Liverpool, em julho de 1958. George Harrison tinha apenas 15 anos. John, com 18, canta o vocal principal. Essa canção é creditada a Harrison-McCartney, que parece que foi quem fez quase tudo… Fiz questão de colocar essa canção aqui pois os Bee Gees reconheceram durante toda a carreira a enorme influência que receberam dos Beatles.

O grupo formado pelos irmãos Gibb, Barry, Robin e Maurice, junto com dois amigos, se chamava Rattlesnakes. Ou “cascaveis”…

Os irmãos descobriram que tinham um talento para harmonizar suas vozes de uma forma muito particular. E a reação positiva do público foi suficiente para colocá-los na carreira musical.

Apesar de toda a promessa musical dos garotos, seus pais estavam lutando para sobreviver e manter os meninos, que eram da pá virada, longe de problemas numa Manchester dizimada pela guerra. Em busca de uma vida melhor, eles reuniram a família, agora incluindo o bebê Andy, e partiram em agosto de 1958 para a Austrália, se estabelecendo em Redcliffe

Foi lá que o trio começou a se apresentar para valer. Aqui você ouvirá Barry com 14 anos e Maurice e Robin, com 11, cantando Time is Passing By, num programa de TV em 1960.

Time is passing by
Barry Gibbs

It doesn’t seem like time is passing by
And so I feel alone with you inside
My heart begins to cry
As memories bleed through my head at night
Your voice is in my mind
It’s a long way until I kiss your face goodbye
In my dreams a brand new life
But only if I keep my feelings real

I’m feeding my soul
With all the things I can’t control
It makes me sick
And I’m not able to forget

And so time is passing by

Summer is gone by now
As my depression grows inside my mind
Another tear drops on
My white chest since
The tan is no longer there
And the freezing wind keeps my heart cold as snow
It gets harder when I dream of you at night
I take these pills so I
Can pass out so someday the pain is gone

I keep going on
With all these things I can’t resolve
I’m getting more sick
As my body is used to medicines

It keeps me thinking
That all your feelings for me are long gone
And my regret is
Just not enough to be forgiven

Na Austrália eles começaram a tocar no rádio com a ajuda de dois amigos, Bill Goode e Bill Gates, não é aquele não é outro. De repente tínhamos Barry Gibb, Bill Good e Bill Gates, os três com B e G nas iniciais? Pronto. Alguém sugeriu que se chamassem The B.Gs, assim mesmo: The  a letra B e a letra G. O nome depois evoluiu de The BG’s para Bee Gees, que eventualmente passou a significar… Brothers Gibb!

Beatles lembra besouro… Bee é abelha… que coincidência, não?

Todos que conheceram os irmãos ainda muito jovens perceberam que eles tinham algo especial. Suas harmonias pareciam estar entrelaçadas em seu código genético. Em entrevistas, eles afirmaram algumas vezes que aquilo que conseguiam fazer, não só com as vozes, mas compondo, só era possível por serem irmãos. Sim cara, é genética. O timbre das vozes relacionadas entre si tem semelhanças surpreendentes que permitem que elas se misturem de uma maneira única.

Blowin’in the wind
Bob Dylan

How many roads must a man walk down
Before you call him a man?
How many seas must a white dove sail
Before she sleeps in the sand?
Yes, and how many times must the cannonballs fly
Before they’re forever banned?
The answer, my friend, is blowin’ in the wind
The answer is blowin’ in the wind
Yes, and how many years must a mountain exist
Before it is washed to the sea?
And how many years can some people exist
Before they’re allowed to be free?
Yes, and how many times can a man turn his head
And pretend that he just doesn’t see?
The answer, my friend, is blowin’ in the wind
The answer is blowin’ in the wind
Yes, and how many times must a man look up
Before he can see the sky?
And how many ears must one man have
Before he can hear people cry?
Yes, and how many deaths will it take ’til he knows
That too many people have died?
The answer, my friend, is blowin’ in the wind
The answer is blowin’ in the wind

Essa é Blowing in the wind, de Bob Dylan, em 1963…

Mas apesar de seu talento evidente, os primeiros singles do grupo não conseguiram lançá-los à fama.

Barry disse certa vez: “Acho que fizemos cerca de 7 a 11 singles que fracassaram em sequência, então realmente descobrimos o que era o fracasso antes mesmo de começarmos.”

Na Austrália, os irmãos fizeram amizade com Ossie Byrne, um engenheiro e produtor de uma das gravadoras, que franqueou aos rapazes acesso livre e irrestrito aos estúdios. E os garotos então mergulharam em experimentos, refinando enormemente seu talento musical para tocar, compor e, especialmente, harmonizar suas vozes.

Os Bee Gees têm raízes profundas em uma das áreas mais negligenciadas do rock, a popular balada romântica. O que se chama rock and roll surgiu não só do blues, rhythm and blues e country-western, mas também da canção popular americana. Vamos dar uma viajada por aquilo que os garotos ouviam há quase 70 anos.

Por exemplo, The Way You Look Tonight, com os Jaguars em 1956, por exemplo:

The way you look tonight
Jerome Kern
Dorothy Fields

Some day, when I’m awfully low,
When the world is cold,
I will feel a glow just thinking of you…
And the way you look tonight.
Yes you’re lovely, with your smile so warm
And your cheeks so soft,
There is nothing for me but to love you,
And the way you look tonight.
With each word your tenderness grows,
Tearing my fear apart…
And that laugh that wrinkles your nose,
It touches my foolish heart.
Lovely … Never, ever change.
Keep that breathless charm.
Won’t you please arrange it?
‘Cause I love you … Just the way you look tonight.
Mm, Mm, Mm, Mm,
Just the way you look to-night.

E “Where or When”, de Dion e os Belmonts em 1959:

Where or when
Richard Rodger
Hart,lorenz

It seems we stood and talked like this before
We looked at each other in the same way then
But I can’t remember where or when
The clothes you’re wearing are the clothes you wore
The smile you are smiling you were smiling then
But I can’t remember where or when
Some things that happen for the first time
Seem to be happening again
And so it seems that we have met before
And laughed before
And loved before
But who knows where or when

Essa tradição da balada foi até mesmo para o rhythm and blues. Ouça James Brown com de “I Love You, Yes I do” em 1961:

I love you, yes, I do
Edward Eddie Seiler
Guy B. Wood
Henry Glover
Sally Nix
Sol Marcus

I love you, yes, I do
I’m yours my whole life through
Since I first laid eyes on you
You love me, yes, you do
You need me, I need you
I’m yours my whole life through
I guess you knew it from the start
From the day you took my heart
You’re the one girl, I’ll always admire
Darling, you’re my guiding star
I must be forever where you are
You set my world on fire
I love you, yes, I do
I need you, yes, I do
I’m yours my whole life through
Since I first laid eyes on you
I know you know it’s true
I love you, yes, I do
I love you, yes, I do

Em entrevistas, Barry, Robin e Maurice sempre atestaram seu amor pela música negra. Pelos Mills Brothers, aqui com You Always Hurt The One You Love:

You always hurt the one you love
Allan Roberts
Doris Fisher

You always hurt the one you love
The one you shouldn’t hurt at all
You always take the sweetest rose
And crush it till the petals fall
You always break the kindest heart
With a hasty word you can’t recall, so
If I broke your heart last night
It’s because I love you most of all
You always hurt the one you love
The one you shouldn’t hurt at all
You always take the sweetest rose
And crush it till the petals fall
You always break the kindest heart
With a hasty word you can’t recall
So, if I broke your heart last night
It’s because I love you most of all
You always hurt the one you love
The one you shouldn’t hurt at all
You always take the sweetest rose
Crush it, till the petals fall
You always break the kindest heart
With a hasty word you can’t recall, so
If I broke your heart last night
It’s because I love you most of all

Que delícia, né? Antes de ouvir os Beatles, os Bee Gees ouviram de swing a soul…

E aí temos o caldo que forma os Bee Gees. Há quem os considere banais, sem graça e até mesmo melodramáticos. Muito distantes do padrão do ídolo roqueiro, cabeludo e entupido de drogas dos anos 60.
Seja como for, na área que eles escolheram, com o conjunto romântico de baladas românticas, os Bee Gees tornaram-se mestres.

O essencial dos Bee Gees está lá mesmo, no primeiro grande sucesso na Austrália, “Spicks and Specks”.

Spicks and specks
Barry Gibb

Where is the sun
That shone on my head
The sun in my life
It is dead, it is dead

Where is the light
That would play
In my streets
And where are the friends
I could meet
I could meet

Where are the girls
I left all behind
The spicks and the specks
Of the girls on my mind

Where is the sun
That shone on my head
The sun in my life
It is dead, it is dead

Where are the girls
I left all behind
The spicks and the specks
Of the girls on my mind

Where are the girls
I left all behind
The spicks and the specks
Of the girls on my mind

Where is the girl
I loved all along
The girl that I loved
she’s gone, she’s gone

All of my life
I call yesterday
The spicks and the specks
Of my life’ve gone away

All of my life
I call yesterday
The spicks and the specks
Of my life’ve gone away

Everybody!
Spicks and Specks!
Spicks and Specks!

Mas eles não conseguiram desfrutar de seu sucesso nacional, pois os Gibbs já haviam decidido voltar para a Inglaterra antes mesmo de ver “Spicks and Specks” subindo nas paradas de sucesso.

Na Inlaterra, depois de assistir a um show do grupo, o produtor Robert Stigwood, que anos depois produziria os Embalos de Sábado à Noite, decidiu assinar um contrato de cinco anos com a banda. Ele disse numa entrevista: “Eu amei a harmonia deles cantando. O som que eles faziam era único. Acho que era um som que só irmãos podiam fazer.”

O resultado foi o primeiro álbum dos Bee Gees nos Estados Unidos, “New York Mining Disaster 1941”, de 1966.

New York Mining Disaster 1941
Barry Gibb
Robin Hugh Gibb

In the event of something happening to me,
There is something I would like you all to see.
It’s just a photograph of someone that I knew.
Have you seen my wife, Mr. Jones?
Do you know what it’s like on the outside?
Don’t go talking too loud, you’ll cause a landslide, Mr. Jones.
I keep straining my ears to hear a sound.
Maybe someone is digging underground,
Or have they given up and all gone home to bed,
Thinking those who once existed must be dead.
Have you seen my wife, Mr. Jones?
Do you know what it’s like on the outside?
Don’t go talking too loud, you’ll cause a landslide, Mr. Jones.
In the event of something happening to me,
There is something I would like you all to see.
It’s just a photograph of someone that I knew.
Have you seen my wife, Mr. Jones?
Do you know what it’s like on the outside?
Don’t go talking too loud, you’ll cause a landslide, Mr. Jones.

Quando a gravadora enviou “New York Mining Disaster” para as rádios, o fez em um disco sem capa nem marca, nem mesmo com o nome da banda. Eles sabiam que as pessoas acreditariam que fossem os Beatles. O truque funcionou, e as estações tocaram a música acreditando ser o Fab Four.

O sucesso inicial dos Bee Gees definiu seu estilo inicial de baladas exageradas, com Barry e Robin entrelaçando suas vozes. Esta canção serviu de modelo para a fase inicial da carreira de David Bowie – seu clássico “Space Oddity” foi basicamente um tributo aos Bee Gees.

Curiosidade: não houve nenhum desastre de mineração em Nova York em 1941.

Born a man
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb

When I was just a little boy
When I didn’t know
My daddy put me on his knee
And showed me the way to go
He said, “A woman will do her best
To make a fool out of you
So be a man and stand the test
And see what you can do”
I’m glad I am
Born a man
I’m glad I am
Born a man
If you got what it takes, my boy
You can always choose
Work it out before it’s too late, my boy
Make sure you never lose
I’m glad I am
Born a man
I’m glad I am
Born a man
Born a man
I am born a man
I am born a man
You don’t believe what I say?
Every woman wants her man
To live and learn on her land
Where I go, baby you go
Arrangement, man and wife
I’m glad I am
Born a man
I’m glad I am
Born a man
Born a man

Que sensacional, cara! Essa é Born a Man, de 1967. Se você acha que parece que são os Stones com Barry Gibb cantando como Mick Jagger, bem… não é por coincidência não… os garotos experimentavam de tudo. 

Marley Purt Drive
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb

Sunday morning, woke up yawning, filled the pool for a swim,
Pulled down the head and looked in the glass just to see if I was in,
Went up the stairs and kissed my woman to make her come alive
’cause with fifteen kids and a family on the skids,
I got to go for a Sunday drive.
Fifteen kids and a family on the skids,
I got to go for a Sunday drive.
That’s how they are, so I grabbed out the car, convertible fifty-nine,
Headed to the freeway, tried to find the Pasadena sign.
Ten miles and three quarters, I wasn’t feeling any more alive,
’cause with fifteen kids and a family on the skids,
I got to go for a Sunday drive.
Fifteen kids and a family on the skids,
I got to go for a Sunday drive.
I used to be a minstrel free with a whole lot of bread in my bag.
I used to feel that my life was real, but the good Lord threw me a snag.
Now I’m gonna be the same as me, no matter how I try.
‘Cause with fifteen kids and a family on the skids,
I got to go for a Sunday drive.
Fifteen kids and a family on the skids,
I got to go for a Sunday drive.
Turned ’round the car and headed for home; I guess I realized my fate.
Ten miles and three quarters more, I pulled up outside the gate.
Twenty more kids were stood inside and that made thirty-five.
‘Cause with an orphanage full of thirty-five kids,
I got to go for a Sunday drive.
An orphanage full of thirty-five kids,
I got to go for a Sunday drive.
Sunday morning woke up yawning, filled the pool for a swim,
Pulled down the glass and looked in the mirror just to see if I was in,
Went up the stairs and kissed my woman to make her come alive,
’cause with an orphanage full of thirty-five kids,
I got to go for a Sunday drive.
An orphanage full of thirty-five kids,
I got to go for a Sunday drive.

No final dos anos sessenta eles também estavam explorando o pop psicodélico e em 69 lançaram o ambicioso álbum duplo orquestrado Odessa, que incluía o country Marley Purt Drive, que você está ouvindo aí ao fundo. Cara, os garotos eram versáteis. Um sinal das coisas que estavam por vir.

Era finalzinho dos anos 60. Lá em Bauru um garoto chamado Lucianinho, com seus 13 ou 14 anos se deu conta da existência dos Bee Gees. E acho que foi com Words… mas era Bauru. Então era WoRRds

Words
Henry Priestman
Sean O’riada

Smile an everlasting smile
A smile can bring you near to me
Don’t ever let me find you down
‘Cause that would bring a tear to me
This world has lost its glory
Let’s start a brand new story now, my love
Right now, there’ll be no other time
And I can show you how, my love
Talk in everlasting words
And dedicate them all to me
And I will give you all my life
I’m here if you should call to me
You think that I don’t even mean
A single word I say
It’s only words and words are all I have
To take your heart away
You think that I don’t even mean
A single word I say
It’s only words and words are all I have
To take your heart away
It’s only words and words are all I have
To take your heart away
It’s only words and words are all I have
To take your heart away

Hummmmm… pensando bem… talvez tenha sido com Massachussets?

Massachusetts
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb

Feel I’m goin’ back to Massachusetts
Something’s telling me I must go home
And the lights all went out in Massachusetts
The day I left her standing on her own
Tried to hitch a ride to San Francisco
Gotta do the things I wanna do
And the lights all went out in Massachusetts
They brought me back to see my way with you
Talk about the life in Massachusetts
Speak about the people I have seen
And the lights all went out in Massachusetts
And Massachusetts is one place I have seen
I will remember Massachusetts

Sejam quais forem, as canções dos Bee Gees povoaram as brincadeiras dançantes do final da minha adolescência. E era um petardo atrás do outro…

I started a joke
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb

I started a joke
Which started the whole world crying
But I didn’t see
That the joke was on me, oh no
I started to cry
Which started the whole world laughing
Oh, if I’d only seen
That the joke was on me
I looked at the skies
Running my hands over my eyes
And I fell out of bed
Hurting my head from things that I’d said
‘Til I finally died
Which started the whole world living
Oh, if I’d only seen
That the joke was on me
I looked at the skies
Running my hands over my eyes
And I fell out of bed
Hurting my head from things that I’d said
‘Til I finally died
Which started the whole world living
Oh, if I’d only seen, oh yeah
That the joke was on me, oh no
That the joke was on me
Oh, no, no, no

E aí, velhinho? E aí, velhinha? Tá viajando comigo? Nem chegamos nos anos setenta, e o cardápio dos Bee Gees já era isso tudo. Mas segura aí, tem mais…

Chegamos em 1968… o mundo pegava fogo. Guerra do Vietnã, assassinato de Martin Luther King e Robert Kennedy, a explosão do movimento estudantil na França… os Beatles lançando o White Album, os Stones com Berggars Banquet. No ano seguinte aconteceria Woodstock. Os Bee Gees faziam sucesso com suas baladas numa época de Led Zepelin, The Doors, Creedence, The Who… artistas como Janis Joplin e Jimmi Hendrix despontavam… por aqui no Brasil eram os Mutantes… Cara, a concorrência era brava, e os irmãos Gibb mandavam ver:

How can you mend a broken heart?
Barry Gibb
Robin Gibb

I can think of younger days when living for my life
Was everything a man could want to do
I could never see tomorrow
But I was never told about the sorrows
And how can you mend a broken heart?
How can you stop the rain from falling down?
How can you stop the sun from shining?
What makes the world go round?
How can you mend this broken man?
How can a loser ever win?
Please help me mend my broken heart and let me live again
I can still feel the breeze that rustles through the trees
And misty memories of days gone by
I could never see tomorrow
No one said a word about the sorrow
And how can you mend a broken heart?
How can you stop the rain from falling down?
How can you stop the sun from shining?
What makes the world go round?
How can you mend this broken man?
How can a loser ever win?
Please help me mend my broken heart and let me live again

É até sacanagem entrar com o áudio aqui em cima da música, mas olha, todas as canções aqui estão no roteiro deste programa aqui em portalcafebrasil.com.br.

Essa é “How Can You Mend a Broken Heart” de nono álbum de estúdio, Trafalgar em 1971. A masvoz de Robin Gibb carregava todo o sofrimento de alguém que pergunta como é possível remendar um coração partido… Com essa canção os Bee Gees saltaram do sexto para o primeiro lugar na parada Hot 100 da Billboard.

How Can You Mend foi o primeiro hit número 1 do grupo nos Estados Unidos e permaneceu lá por 4 semanas! A canção foi indicada ao Grammy ao lado de nada menos que “My Sweet Lord”, do George Harrison!

Olha, ainda estamos em 1971, mas já havia uma longa lista de clássicos dos Bee Gees. Como esta:

Run to me
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb

If ever you’ve got rain in your heart
Someone has hurt you and torn you apart
Am I unwise to open up your eyes to love me?

And let it be like they said it would be
Me loving you girl, and you loving me
Am I unwise to open up your eyes to love me?

Run to me whenever you’re lonely to love me
Run to me if you need a shoulder
Now and then, you need someone older
So darling, you run to me

And when you’re out in the cold
No one beside you and no one to hold
Am I unwise to open up your eyes to love me?

And when you’ve got nothing to lose
Nothing to pay for and nothing to choose
Am I unwise to open up your eyes to love me?

Run to me whenever you’re lonely to love me
Run to me if you need a shoulder
Now and then you need someone older
So darling, you run to me

Run to me whenever you’re lonely to love me
Run to me if you need a shoulder
Now and then you need someone older
So darling, you run to me

Run to me whenever you’re lonely to love me
Run to me if you need a shoulder
Now and then you need someone older

Cara… Estou sem fôlego aqui. Eu tinha 16 anos quando Run To Me estourou… saindo da adolescência, época da primeira namorada, cara… que viagem…

Mas então, seguindo uma característica que os acompanhou durante toda a carreira, tudo mudou na música dos Bee Gees.

Embora tivessem alcançado fama internacional muito antes de meados da década, a virada para a segunda metade dos anos 70 viu os Bee Gees subirem ainda mais alto com a ajuda de um gênero que despontou: a Disco Music.

A Disco Music se originou nas pistas de dança de clubes noturnos urbanos nos Estados Unidos, especialmente em Nova York, durante o final da década de 1960 e início da década de 1970. A disco combinava elementos de funk, soul, pop e música latina, marcada por suas batidas pulsantes, grooves dançantes e, muitas vezes, pelos característicos arranjos de cordas e metais.

A música disco não era apenas um estilo musical, estava associada a uma cultura de dança vibrante e efervescente. As discotecas, com suas bolas espelhadas, luzes piscantes e DJs que mixavam músicas sem parar e tornaram-se o epicentro dessa cena. Eram os Dancing Days….

O álbum de 1975 “Main Course” marcou um ponto de virada na carreira dos Bee Gees, que deixaram para trás as baladas românticas e mergulharam num som disco exclusivo. O álbum gerou sucessos como “Jive Talkin'”

Jive talkin
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb

It’s just your jive talkin’
You’re telling me lies, yeah
Jive talkin’
You wear a disguise
Jive talkin’
So misunderstood, yeah
Jive talkin’
You really no good
Oh, my child
You’ll never know
Just what you mean to me
Oh, my child
You got so much
You’re gonna take away my energy
With all your jive talkin’
You’re telling me lies, yeah
Good lovin’
Still gets in my eyes
Nobody believes what you say
It’s just your jive talkin’
That gets in the way
Oh my love
You’re so good
Treating me so cruel
There you go
With your fancy lies
Leavin’ me lookin’
Like a dumbstruck fool
With all your
Jive talkin’
You’re telling me lies, yeah
Jive talkin’
You wear a disguise
Jive talkin’
So misunderstood, yeah
Jive talkin’
You just ain’t no good
Love talkin’
Is all very fine, yeah
Jive talkin’
Just isn’t a crime
And if there’s somebody
You’ll love till you die
Then all that jive talkin’
Just gets in your eye
Jive talkin’
You’re telling me lies, yeah
Good lovin’
Still gets in my eyes
Nobody believes what you say
It’s just your jive talkin’
That gets in the way
Love talkin’
Is all very fine, yeah
Jive talkin’, just isn’t a crime
And if there’s somebody
You’ll love till you die
Then all that jive talkin’
Just gets in your eye, yeah yeah
Oh jive talkin’
Jive talkin’
Oh jive talkin’

Barry falou sobre a mudança na música dos Bee Gees uma vez. Ele disse: “O som dos Bee Gees estava basicamente cansado. Precisávamos de algo novo. Não tínhamos um álbum de sucesso há cerca de três anos. Então nós sentimos, Ah, é isso! Este é o nosso momento, como a maioria dos grupos no final dos anos 60. Não sabíamos o que ia acontecer.”

E aconteceu naquele disco de 1975, com a sensacional Nights On Broadway, algo que marcou um momento fundamental na história da banda…

Nights on Broadway
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

Standing in the dark
Where your eyes couldn’t see me
Well, I had to follow you
Though you did not want me to
But that won’t stop my lovin’ you
I can’t stay away
Blamin’ it all on the nights on Broadway
Singin’ them love songs
Singin’ them straight to the heart songs
Blamin’ it all on the nights on Broadway
Singin’ them sweet sounds
To that crazy, crazy town
Now in my place
There are so many others
Standin’ in the line
How long will they stand between us
Well, I had to follow you
Though you did not want me to
But that won’t stop my lovin’ you
I can’t stay away
Blamin’ it all (blamin’ it all)
On the nights on Broadway (blame it on the nights on Broadway)
Singin’ them love songs
Singin’ them straight to the heart songs
Blamin’ it all (I’m blamin’ it all)
On the nights on Broadway (blame it on the nights on Broadway)
Singin’ them sweet sounds
To that crazy, crazy town (oh those nights)
I will wait
Even if it takes forever
I will wait
Even if it takes a lifetime
Somehow I feel inside
You never ever left my side
Make it like it was before
Even if it takes a lifetime, takes a lifetime, ooh
Blamin’ it all (I’m blamin’ it all)
On the nights on Broadway (blame it on the nights on Broadway)
Singin’ them love songs (yeah, yeah)
Singin’ them straight to the heart songs (yeah, I’m blamin’ it all)
Blamin’ it all (blamin’ it all)
On the nights on Broadway (blame it on the nights on Broadway)
Singin’ them sweet sounds (oh yeah)
To that crazy, crazy town (yeah)
Blamin’ it all (I’m blamin’ it all)
On the nights on Broadway (blame it on the nights on Broadway)
Singin’ them love songs (yeah, yeah)
Singin’ them straight to the heart songs
Blamin’ it all (I’m blamin’ it all)
On the nights on Broadway (blame it on the nights on Broadway)
Singin’ them sweet sounds (oh yeah yeah)
To that crazy, crazy town (yeah)
Blamin’ it all (I’m blamin’ it all)
On the nights on Broadway (blame it on the nights on Broadway)
Singin’ them love songs (yeah, yeah)
Singin’ them straight to the heart songs
Blamin’ it all (I’m blamin’ it all)
On the nights on Broadway
Singin’ them sweet sounds

É Barry quem conta: “Houve um pedido do Arif Mardin, que era como um tio para nós. Ele foi um grande produtor musical durante a música ‘Nights On Broadway’, para o álbum Main Course. Ele disse: “Algum de vocês pode gritar, gritar em falsete? Nos deem um grito no final.”E ficou assim:

Com os cumprimentos do mago Lalá Moreira você acaba de testemunhar a história. Barry vem fazendo as firulas vocais e de repente começa com seu falsete. Falsete vem do italiano falsetto = “tom falso”. É o registro vocal através do qual o cantor emite – de modo controlado, portanto, não natural, ou seja, “falso” – sons mais agudos que vão além dos da sua faixa de frequência acústica natural

Embora Maurice tivesse se harmonizado em falsete por muitos anos antes, Mardin ficou atordoado com o poder da voz aguda de Barry.

Barry lembra: “Todo mundo falava a mesma coisa: ‘Faça esse falsete de novo, faça esse falsete de novo’. Encontramos um novo som. Eu criei muitas ideias novas para se adequar ao falsete”.

E o tal falsete se tornou uma marca registrada para a música dos Bee Gees a partir de então.

You should be dancing
Adam Marano
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

My baby moves at midnight
Goes right on ’til the dawn
My woman takes me higher
My woman keeps me warm
What you doin’ on your bed on your back? Ah
What you doin’ on your bed on your back? Ah
You should be dancing, yeah
Dancing, yeah
She’s juicy and she’s trouble
She gets it to me good
My woman gives me power
Goes right down to my blood
What you doin’ on your bed on your back? Ah
What you doin’ on your bed on your back? Ah
You should be dancing, yeah
Dancing, yeah
What you doin’ on your bed on your back? Ah
What you doin’ on your bed on your back? Ah
You should be dancing, yeah
Dancing, yeah
My baby moves at midnight
Goes right on ’til the dawn, yeah
My woman takes me higher
My woman keeps me warm
What you doin’ on your bed on your back? Ah
What you doin’ on your bed on your back? Ah
You should be dancing, yeah
Dancing, yeah
What you doin’ on your bed on your back? Ah
What you doin’ on your bed on your back? Ah
You should be dancing, yeah
Dancing, yeah
You should be dancing, yeah

Pronto. Estava pavimentado o caminho para o álbum de 1977 “Saturday Night Fever”, a trilha sonora dos Embalos de Sábado à Noite.

Night fever
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

Listen to the ground
There is movement all around
There is something goin’ down
And I can feel it
On the waves of the air
There is dancin’ out there
It’s somethin’ we can’t share
We can’t steal it
That sweet city woman
She moved through the light
Controlling my mind and my soul
When you reach out for me, yeah
And the feelin’ is right
Then I get night fever, night fever
We know how to do it
Gimme that night fever, night fever
We know how to show it
Here I am
Prayin’ for this moment to last
Livin’ on the music so fine
Borne on the wind
Makin’ it mine
Night fever, night fever
We know how to do it
Gimme that night fever, night fever
We know how to show it
In the heat of our love
Don’t need no help for us to make it
Gimme just enough
To take us to the mornin’
I got fire in my mind
I get higher in my walkin’
And I’m glowin’ in the dark
Give you warnin’
Sweet city woman
She moves through the light
Controlling my mind and my soul
When you reach out for me
And the feelin’ is right
Night fever, night fever
We know how to do it
Gimme that night fever, night fever
We know how to show it
Here I am
Prayin’ for this moment to last
Livin’ on the music so fine
Borne on the wind
Makin’ it mine
Night fever, night fever
We know how to do it
Gimme that night fever, night fever
We know how to show it
Gimme that night fever, night fever
We know how to do it
Gimme that night fever, night fever
We know how to show it
Gimme that night fever, night fever
We know how to do it

Ai que delícia, cara! Essa é Night Fever. E é no álbum Saturday Night Fever que está Staying Alive, que talvez seja o maior sucesso da carreira dos Bee Gees. O que você ouvirá agora é uma gravação bruta de Staying Alive, onde se pode perceber o gênio dos três irmãos, que têm estilos de canto diferentes…

Primeiro é Barry… Depois Robin… E Maurice

Karl Richardson, um engenheiro que trabalhou com os Bee Gees nos anos 70, disse que tentou gravá-los em microfones diferentes, mas sem o mesmo sucesso. Ele comentou que a natureza de suas vozes também se prestava a gravar dessa forma: o canto em falsete de Barry tem vibrato mais lento que o vibrato de Robin. Maurice não tem vibrato, o que ajuda a fundir as duas vozes principais de Barry e Robin.
“Isso te dá uma mistura única, que a princípio pode parecer muito diferente uma da outra, mas você tem que lembrar que eles são irmãos, então eles têm essa coisa do DNA.”
O próprio Maurice disse uma vez: ‘Um de nós está bem, dois de nós é muito bom, mas três de nós juntos, é mágico’.”

Isso é Bee Gees.

Bem, o que aconteceu foi que os Bee Gees se tornaram um fenômeno cultural que ajudou a dar nova vida à disco music.

O álbum Saturday Night Fever vendeu mais de 40 milhões de cópias em todo o mundo e ganhou um Grammy Award de Álbum do Ano. Em 1978 os Bee Gees lançaram oito músicas que alcançaram o número um. Só os Beatles podem reivindicar sucesso a este nível.

Quatro das oito eles gravaram – “How Deep Is Your Love”, “Stayin’ Alive”, “Night Fever” e “Too Much Heaven”. O irmão mais novo Andy Gibb liderou as paradas com “(Love Is) Thicker Than Water” e “Shadow Dancing”, músicas escritas e produzidas por Barry. Além disso, o grupo criou “Grease”, de Frankie Valli, e “If I Can’t Have You”, de Yvonne Elliman.

Um em cada cinquenta dólares na indústria fonográfica foi para produtos dos Bee Gees em 1978. Considerando o tamanho do negócio, é dinheiro que não acaba mais.

Não havia como escapar dos Bee Gees em 1978. Além do sucesso na indústria musical, eles também se tornaram ícones culturais nesse período. Seu senso de moda, que incluía ternos apertados, sapatos de plataforma e cabelos longos, tornou-se sinônimo da era da disco. Sua música também foi destaque em muitos filmes e propagandas de TV, consolidando ainda mais seu status como ícones da cultura pop.

Cara, sempre que é hora de manutenção do meu veículo eu tenho aquelas dúvidas de todos nós. Qual é o produto que eu escolho, hein? E como eu não sei muito sobre manutenção de automóveis, sabe o que que eu faço? Eu procuro quem me traz confiança.

Por isso, quando se trata de peças para automóveis, motos e caminhões, eu vou de Nakata, sabe por quê, hein? Porque a Nakata entrega alta performance na reta, na curva, na subida…em qualquer caminho. E principalmente porque não sou só eu que estou falando, não. Pode perguntar para o seu mecânico de confiança.

Amortecedores, componentes de suspensão e direção, certeza que ele vai dizer que a marca é Nakata. Sabe por quê?

Oras: porque é Nakata!

Assine gratuitamente o boletim em nakata.com.br e receba as últimas novidades em seu e-mail.

Tudo azul, tudo Nakata. 

Barry como compositor principal, Robin como vocalista e Maurice como multi-instrumentista, tinham um processo criativo que era quase mágico. Os irmãos escreviam no estúdio, com Maurice interagindo com os cantores e compositores Robin e Barry. Isso permitiu que os irmãos pudessem combinar os elementos difíceis de uma canção de uma maneira intuitiva. Seu conjunto de vozes transmitia as melodias de forma excepcional, com uma combinação que soava como uma só voz, mas com uma força ainda maior.

Barry Gibb disse numa entrevista: “Com o tempo, identificamos a melodia, nota por nota. Não alteramos a melodia para incluir palavras que gostamos. Religiosamente fazemos com que as palavras se encaixem na melodia que pré-estabelecemos.”

Isso num mundo antes do autotune, que hoje transforma qualquer um em cantor.

Gravar simultaneamente era um desafio porque as três partes vocais haviam se entrelaçado inseparavelmente. Com as três vozes sobrepostas era impossível corrigir uma delas. E isso requer uma habilidade extrema dos cantores.

Hoje em dia, artistas mais jovens podem pedir ao técnico de som para simplesmente limpar ou afinar uma faixa em vez de gravar novamente, mas os Bee Gees fariam até quarenta ou cinquenta takes para garantir que tudo fosse perfeito. E nunca foi por falta de interesse em novas tecnologias. Eles estavam dispostos a estudar e investir em novos avanços, desde que isso não comprometesse sua identidade musical. Eles simplesmente preferiam que tudo fosse feito corretamente e que a musicalidade viesse dos músicos, e não dos técnicos na sala de controle.

More than a woman
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

Oh, girl, I’ve known you very well
I’ve seen you growing every day
I never really looked before
But now you take my breath away
Suddenly you’re in my life
Part of everything I do
You got me working day and night
Just tryin’ to keep a hold on you
Here in your arms I found my paradise
My only chance for happiness
And if I lose you now, I think I would die
Oh, say you’ll always be my baby, we can make it shine
We can take forever, just a minute at a time
More than a woman
More than a woman to me
More than a woman
More than a woman to me
There are stories old and true
Of people so in love like you and me
And I can see myself
Let history repeat itself
Reflecting how I feel for you
Thinking ’bout those people then
I know that in a thousand years
I’d fall in love with you again
This is the only way that we should fly
This is the only way to go
And if I lose your love, I know I would die
Oh, say you’ll always be my baby, we can make it shine
We can take forever, just a minute at a time
More than a woman
More than a woman to me
More than a woman (ooh, my baby)
More than a woman to me

Os Bee Gees entravam no estúdio para maratonas de sessões de composição, trabalhando ideias musicais por horas. Eles gravavam tudo em fitas de áudio com algumas horas de duração. Eles replicavam na fita uma ideia e a mineravam construindo sobre ela em seguida. Um dos produtores afirmou: “No que diz respeito ao processo de composição, nunca vi ninguém fazer isso dessa forma”.

E um dia, veja bem, na minha opinião, os Bee Gees chegaram na canção perfeita.

How Deep Is Your Love é a canção que me inspirou fazer este episódio do Café Brasil. Ela foi parte da trilha sonora daquele Embalos de Sábado à Noite e foi escrita por Barry, Robin e Maurice Gibb. Barry trabalhou a melodia com o tecladista Blue Weaver que, apesar da importância fundamental na melodia, não foi creditado oficialmente como compositor. Weaver conta sua história por trás desta faixa:

“Uma manhã, éramos apenas eu e Barry no estúdio. Ele disse: ‘Toca o acorde mais bonito que você conhece’, e eu apenas toquei, o que aconteceu foi, eu jogava acordes para ele e ele dizia: ‘Não, não esse acorde’, e eu ia alternando acordes e ele dizia, ‘sim, isso é bom’. Então eu tocava outra coisa – às vezes, eu seguia a linha de melodia que ele já tinha e às vezes eu provavelmente o levava para outro lugar.”

Bem, como um presente a todos os que amam os Bee Gees, a sessão de composição dessa canção foi registrada… e eu vou mostrar trechos para você…

Estamos em 1977, no Honky Chateau na França, perto de Paris, um estúdio que deu nome ao álbum de Elton John que trazia Rocket Man, veja só. Imagine comigo: no estúdio está Blue Weaver ao piano e os três irmãos em volta, trabalhando a canção…

É fascinante… vá percebendo como a letra vai evoluindo junto com a canção, assim como a harmonia vocal.

Weaver conta que num momento, a luz do sol entrou pela janela e… pronto…

I know your yes in the morning sun
I feel you touch me in the pouring rain

Eu conheço teus olhos sob o sol da manhã
Eu sinto teu toque em meio à chuva intensa

A letra é linda… continua assim…

E no momento em que você se afasta de mim
Quero te sentir em meus braços novamente

E você vem a mim numa brisa de verão
Mantenha-me aquecido em teu amor,
Então, suavemente você se vai
É você que precisa mostrar
Quão profundo é o seu amor
Quão profundo é o seu amor, quão profundo é o seu amor?

Eu realmente quero entender
Porque estamos vivendo num mundo de tolos
Nos despedaçando
Quando todos deveriam nos deixar ser
Nós pertencemos a você e eu

Eu acredito em você
Você conhece a porta para a minha alma
Você é a luz na minha hora mais profunda e sombria
Você é a minha salvadora quando eu caio

E talvez você não pense que me importo consigo
Quando sabe lá no fundo que realmente eu me importo
E é você quem precisa mostrar
Quão profundo é o seu amor
Quão profundo é o seu amor, quão profundo é o seu amor?

Ah… aquele “you belong to you and me”… quanta gente não se declarou ao longo dos anos com essa canção?

How deep is your love
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

I know your eyes in the morning Sun
I feel you touch me in the pouring rain
And the moment that you wander far from me
I wanna feel you in my arms again

And you come to me on a summer breeze
Keep me warm in your love, then you softly leave
And it’s me you need to show

How deep is your love
How deep is your love, how deep is your love?
I really mean to learn
‘Cause we’re living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me

I believe in you
You know the door to my very soul
You’re the light in my deepest, darkest hour
You’re my saviour when I fall

And you may not think that I care for you
When you know down inside that I really do
And it’s me you need to show

How deep is your love
How deep is your love, how deep is your love?
I really mean to learn
‘Cause we’re living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me

Da da da da da
Da da da da, da da da da da
Da da da da da da da da da
Da da da da da

And you come to me on a summer breeze
Keep me warm in your love and then you softly leave
And it’s me you need to show

How deep is your love
How deep is your love, how deep is your love?
I really mean to learn
‘Cause we’re living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me

Da da da da da

How deep is your love, how deep is your love?
I really mean to learn
‘Cause we’re living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me

Da da da da da

How deep is your love, how deep is your love?
I really mean to learn
‘Cause we’re living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be

Por que eu a considero How Deep Is Your Love a canção perfeita, hein?

Porque ela tem melodia, tem um arranjo espetacular, tem uma letra tocante… e principalmente porque eu a ouvi aos 22 anos de idade, com todo o impacto que Embalos de Sábado à Noite causou. Sacou? Ficou gravada a ferro e fogo em meu coração…

E, claro, tem aquelas vozes mágicas…

https://www.youtube.com/shorts/AKW1YCMsJnA

No final dos anos 80, o engenheiro musical John Merchant começou a trabalhar com os Bee Gees em seu álbum One de 1989. Ao longo dos anos seguintes, ele adquiriu uma compreensão profunda do processo criativo dos Bee Gees. Em particular, ele viu como os irmãos gravavam suas harmonias em conjunto, em vez de separadamente.

John comentou: “A maioria dos artistas grava harmonias vocais gravando uma [parte] de cada vez e depois dando um polimento. [Os Bee Gees] faziam isso às vezes, mas mais frequentemente, os três cantavam juntos em um só microfone e trabalhavam como as harmonias deveriam ser. Sempre juntos.” Esta técnica não era novidade para os irmãos Gibb.

Michel Marie, que trabalhou como assistente de estúdio com os Bee Gees, revelou: “Montei três fones de ouvido e três microfones diferentes quando soube que seriam três para cantar.” Eles me disseram ‘Não, não!’ e me pediram um único microfone e nenhum fone de ouvido. Apenas um pequeno alto-falante perto deles. Eles cantaram juntos, olhando um para o outro, em torno do mesmo microfone. Conheci então o que era o conceito de “cantar bem” após ouvi-los. Eram impecáveis em sincronia e ritmo, mesmo na primeira tomada… Eu não estava acostumado com isso dos cantores franceses!”

How deep is your love foi um hit número três no Reino Unido e na Austrália. Nos Estados Unidos, liderou a Billboard Hot 100, permanecendo no Top 10 por 17 semanas. Passou seis semanas no topo da parada adulta contemporânea dos EUA. Está listada em 27º lugar no All Time Top 100 da Billboard. Ao lado de “Stayin’ Alive” e “Night Fever”, é uma das três faixas do grupo na lista.

“How Deep Is Your Love” ficou em 375º lugar na lista da Rolling Stone das 500 Maiores Canções de Todos os Tempos. Durante uma entrevista dos Bee Gees à revista Billboard em 2001, Barry disse que esta era sua música favorita dos Bee Gees.

Embora nenhum dos irmãos tivesse aprendido a ler música, os ricos arranjos orquestrais ou de metais frequentemente acompanhavam as harmonias marcantes e eles criavam com seus mundos musicais vibrantes. Barry geralmente cantarolava as ideias para os instrumentos, que outros músicos transcreviam e tocavam.

Apesar de seu incrível sucesso, os Bee Gees enfrentaram muitos críticos que os acusaram de serem muito comerciais. Mas seus fãs abraçaram sua música, e sua popularidade cresceu.

A qualidade dos Bee Gees impulsionou o fenômeno Disco, causando enorme impacto na cultura pop, nos penteados, moda, música e modos de consumo. E de olho nesse mercado, muita gente aderiu, trazendo músicas péssimas, que ocuparam todos os espaços da mídia, causando uma overdose de dancing music.

Isso irritou muita gente, que viu o rock, o jazz, o R&B, até mesmo o pop sendo eclipsado por aquele fenômeno. Surgiu então uma reação contra a Disco Music.

Em 12 de julho de 1979, durante um jogo de beisebol entre o Chicago White Sox e o Detroit Tigers no Comiskey Park, em Chicago, aconteceu o “Disco Demolition Night”.

Foi uma promoção de marketing, liderada por um DJ, que saiu do controle. A ideia é que cada pessoa que levasse um disco da Disco Music para ser destruído, ganhasse um ingresso. Apareceu muito mais gente do que ingressos disponíveis, causando um tumulto. Milhares de pessoas invadiram o campo, queimaram discos e causaram danos significativos. A polícia teve que intervir para dispersar a multidão e o segundo jogo foi cancelado. O evento é lembrado como um símbolo do fim da era da música disco nos Estados Unidos. E também o possível fim dos Bee Gees, que estavam no auge da popularidade. Shows foram desmarcados, a crítica que sempre foi implacável com eles caiu em cima e a banda acabou se recolhendo, sem entender muito bem o que acontecera.

Quando perguntado sobre a era disco, Barry diz:

— Fomos sugados pela disco music. Estávamos apenas fazendo os álbuns que amávamos. Na verdade, nem sequer os chamávamos de discothèque. “How deep is your love” não era uma canção disco. Mas você era classificado assim.

Recolhidos, durante um bom tempo, os irmãos escolheram escrever para outras pessoas… Mas eram os BeeGees. Não iam escrever qualquer coisa.

Em 1996 os Bee Gees tinham uma ideia que estavam tentando implementar, mas não conseguiram. Numa sessão de estúdio, tomaram a decisão de fazer uma pausa, e Barry propôs que voltassem para a prancheta na manhã seguinte. Disse que tinha uma outra noção que acreditava que poderia ser proveitosa para tentar.
No dia seguinte, Barry começou a tocar a introdução de uma música. E eles escreveram a canção em tempo real, em apenas uma passagem, três minutos e meio depois que Maurice ouviu e tocou o primeiro acorde. Barry ia cantarolando e Maurice o seguia, mudando de acorde como se soubesse para onde seu irmão estava indo. Eles atuavam de uma maneira que só consegue quem sabe o que o outro está pensando.

O resultado foi nada menos que “Immortality”, o mega sucesso de Celine Dion, que a gravou exatamente como os irmãos compuseram. O que você vai ouvir agora é a versão Demo, com a voz de Barry Gibb e seu falsete:

Ah, claro, aqui é o Café Brasil. Você não ficará sem a versão da Celine Dion…

Immortality
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

So this is who I am
And this is all I know
And I must choose to live
For all that I can give
The spark that makes the power grow

But I will stand for my dream if I can
A symbol of my faith in who I am
But you are my only
And I will follow on the road that lies ahead
And I wont let my heart control my head
But you are my only

We don’t say goodbye
We don’t say goodbye
And I know what I’ve got to be

Immortality
I make my journey through eternity
I keep the memory of you and me inside

Fulfill your destiny
It’s there within the child
My storm will never end
My fate is on the wind
The king of the hearts, the jokers wild

We don’t say goodbye
We don’t say goodbye
I make them all remember me

Cos’ I have found a dream that must come true
Every ounce of me must see it through
But you are my only
I’m sorry I dont have a role for love to play
Hand over my heart, I’ll find my way
And I will make them give to me

Immortality
There is a vision and a fire in me
I’ll keep the memory of you and me inside

We don’t say goodbye
We don’t say goodbye
With all my love for you
And what else we may do

We don’t say goodbye

Cara, só tenho um adjetivo: é angelical.

Os caras eram feras. Escreveram para muitos artistas, como Kenny Rogers e Dolly Parton:

Islands in the stream
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

Baby when I met you there was peace unknown
I set out to get you with a fine tooth comb
I was soft inside
There was something going on
You do something to me that I can’t explain
Hold me closer and I feel no pain
Every beat of my heart
We got something going on
Tender love is blind
It requires a dedication
All this love we feel needs no conversation
We can ride it together, ah ha
Making love with each other , ah ha
Islnds in the stream
That is what we are
No one in between
How can we be wrong
Sail away with me
To another world
And we rely on each other , ah ha
From one lover to another , ah ha
I can’t live without you if the love was gone
Everything is nothing when you got no one
And you walk in the night
Slowly losing sight of the real thing
But that won’t happen to us and we got no doubt
Too deep in love and we got no way out
And the message is clear
This could be the year for the real thing
No more will you cry
Baby I will hurt you never
We start and end as one
In love forever
We can ride it together , ah ha
Making love with each other , ah ha
Islands in the stream
That is what we are
No one in between
How can we be wrong
Sail away with me
To another world
And we rely on each other , ah ha
From one lover to another , ah ha

Barbra Streisand

Woman in love
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

Life is a moment in space
When the dream is gone
It’s a lonelier place
I kiss the morning goodbye
But down inside you know we never know why

The road is narrow and long
When eyes meet eyes
And the feeling is strong
I turn away from the wall
I stumble and fall
But I give you it all

I am a woman in love
And I’d do anything
To get you into my world
And hold you within
It’s a right I defend
Over and over again
What do I do ?

With you eternally mine
In love there is no measure of time
They planned it all at the start
That you and I live in each others heart

We may be oceans away
You feel my love
I hear what you say
No truth is ever a lie
I stumble and fall
But I give you it all

I am a woman in love
And I’m talkin’ to you
I know how you feel
What a woman can do
It’s a right I defend
Over and over again

I am a woman in love
And I’d do anything
To get you into my world
And hold you within
It’s a right I defend
Over and over again

Dionne Warwick

Heartbraker
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

I’ve got to say it and it’s hard for me
You got me crying like I thought I would never be
Love is believing but you let me down
How can I love you when you ain’t around
And I
Get to the morning and you never call
Love should be everything or not at all
And it don’t matter whatever you do
I made a life out of loving you
Only to find that the dream that I follow is dying
I’m crying in the rain
I could be searching my world for a love everlasting
And feeling no pain
When will we meet again?
Why do you have to be a heartbreaker
Is it a lesson that I never knew?
Got to get out of the spell that I’m under
My love for you
Why do you have to be a heartbreaker
When I was being what you want me to be?
Suddenly everything I ever wanted has passed me by
This world may end
Not you and I
My love is stronger than the universe
My soul is cryin’ for you and can not be reversed
You made the rules but you could not see
You made a life out of hurting me
Out of my mind I am held by the power of you love
Tell me when do we try
Why should we say goodbye?
(Why should we say goodbye)
Why do you have to be a heartbreaker? (heart)
Is it a lesson that I never knew?
Got to get out of the spell that I’m under
My love for you
Why do you have to be a heartbreaker
Is it a lesson that I never knew?
Got to get out of the spell that I’m under
My love for you
My love, my love…
Why do you have to be a heartbreaker (heart)
When I was being what you want me to be?
Suddenly everything I ever wanted has passed me by
My love, my love has passed me by…
Why do you have to be a heartbreaker? (heart)
Is it a lesson that I never knew
Got to get out of the spell that I’m under

Frankie Valli

Grease
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

I saw my problems and I’ll see the light
We got a lovin’ thing, we gotta feed it right
There ain’t no danger we can go too far
We start believin’ now that we can be who we are, grease is the word
They think our love is just a growin’ pain
Why don’t they understand? It’s just a cryin’ shame
Their lips are lyin’, only real is real
We stop the fight right now, we got to be what we feel, grease is the word
It’s got a groove, it’s got a meaning
Grease is the time, is the place, is the motion
Grease is the way we are feeling
We take the pressure, and we throw away conventionality, belongs to yesterday
There is a chance that we can make it so far
We start believin’ now that we can be who we are, grease is the word
This is a life of illusion, a life of control
Mixed with confusion – what’re we doin’ here?
We take the pressure, and we throw away conventionality, belongs to yesterday
There is a chance that we can make it so far
We start believin’ now that we can be who we are, grease is the word

Uma das mais deliciosas interpretações de suas canções foi feita por Keith Urban num evento chamado Stayin’ Alive: A Salute To The Music Of The Bee Gees em 2017. Ele interpretou To Love Somebody, com Barry Gibb na primeira fila. E ouça o que ele fez…

To love somebody
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb 

There’s a light
A certain kind of light
That never shone on me
I want my life to be lived with you
Lived with you
There’s a way everybody say
To do each and every little thing
But what does it bring
If I ain’t got you, ain’t got?
You don’t know what it’s like, baby
You don’t know what it’s like
To love somebody
To love somebody
The way I love you
In my brain
I see your face again
I know my frame of mind
You ain’t got to be so blind
And I’m blind, so, so, so blind
I’m a man
Can’t you see what I am?
I live and I breathe for you
But what good does it do
If I ain’t got you, ain’t got? Baby
You don’t know what it’s like, baby
You don’t know what it’s like
To love somebody
To love somebody
The way I love you, oh no, no
You don’t know what it’s like, baby
You don’t know what it’s like
To love somebody
To love somebody
The way I love you
You don’t know what it’s like, baby
You don’t know what it’s like
To love somebody

Como diria o Riobaldo… Meu Jesus Cristinho…

O fim oficial dos Bee Gees aconteceu quando Maurice faleceu em 2003, aos 53 anos depois de sofrer um ataque cardíaco durante uma operação para remover uma obstrução intestinal.

Abalados, Barry e Robin decidiram aposentar o nome do grupo. Seis anos depois, em 2009, eles começaram a fazer planos para uma turnê. Barry e Robin, mas… não deu tempo. Robin Gibb estava com a saúde fragilizada, fora hospitalizado por problemas intestinais várias vezes, e acabou diagnosticado com um câncer que se espalhou do cólon para o fígado.

Robin Gibb morreu em 20 de maio de 2012.

Voices
Maurice Gibb
Robin Gibb
Barry Gibb

Sweet voices calling wild, echoing around this child
Sweet Faith I’ll be joining you but when my story’s over
Dee doo doo doo dah dee doo doo
Doo doo doo dee doo doo doo dee doo dah day
Small secrets in the wind, blowing ’till the end begins
Oh my children stand by me ’till my story’s over
Dee doo doo doo dah dee doo doo
Doo doo doo dee doo doo doo dee doo dah day
If I were you and you were me those voices they would cease to be
They won’t be free to torment me again
But in my bed again last night, those voices spoke of wrong and right
They spoke of darkness and of light
They spoke of weakness and of might
They spoke of people in the snow
And distant places long ago
They spoke of fire and falling rain
Of health and wealth and death and pain
Nah, nah, nah, nah, nah, nah, nah, nah
Sweet voices calling wild, echoing around this child
Sweet Faith I’ll be joining you, when my story’s over
If I were you and you were me those voices they would cease to be
They won’t be free to torment me again
But in my bed again last night those voices spoke of wrong and right
They spoke of darkness and of light
They spoke of weakness and of might
They spoke of people in the snow
And distant places long ago
They spoke of fire and falling rain
Of health and wealth and death and pain
They spoke of people in the snow
And distant places long ago
They spoke of fire and falling rain
Nah, nah, nah, nah, nah, nah, nah, nah

Essa maravilha chama-se Voices… e a voz principal é de Robin Gibb…

Barry Gibb, aos 77 anos, é único membro restante dos Bee Gees. Continua ativo, se apresentando pelo mundo afora. E pensar em sua vida nos leva a imaginar que roleta russa ela foi…

Barry perdeu três irmãos mais novos. Andy — o mais jovem, que foi lançado como artista solo sob sua tutela e que lutou contra o vício em drogas — se foi primeiro, em 1988, aos 30 anos, de miocardite. Maurice faleceu em 2003, Robin em 2012. Três baques duríssimos em sua vida, que Barry considera extraordinária.

Os Bee Gees alcançaram muitos marcos em sua carreira, lançaram 22 álbuns de estúdio, 2 ao vivo, 10 compilações, 5 trilhas sonoras, venderam mais de 220 milhões de discos em todo o mundo. Entraram para o Rock and Roll Hall of Fame e conquistaram cinco prêmios Grammy.

Apesar de todo o sucesso, a vida dos três irmãos foi como começou: acidentada, problemática, com separações e reencontros, mas sempre, sempre, com um amor profundo os unindo. Hoje em dia, quando perguntado sobre seus irmãos, Barry diz, sempre emocionado:

https://www.youtube.com/shorts/k5SB_Rkmyfo

“Hoje, quando eu penso sobre tudo, penso sobre como as coisas começaram. Nós tínhamos um sonho, e pensamos: com o que é que nós ficaremos famosos? Acabou que foi como compositores. E acho que tudo que nós decidimos fazer, nós fizemos, contra todas as probabilidades.
Eu não consigo me conformar com o fato de que eles não estão mais por aqui. Nunca consegui m conformar. Estou sempre tentando aliviar, imaginando como é que o Robin pensaria, como o Maurice pensaria e como o Andy… Essa sensação nunca me abandona.
E o que eu queria ter dito antes, é que eu preferia tê-los todos de volta aqui… e nenhum sucesso”

Bem, eu queria encerrar esta viagem em alto estilo e procurei um bocado até encontrar… Quero convidar você para um momento muito especial…

Vamos para Fort Lauderdale, na Flórida, em 22 de Abril de 2022.

O show é de Jacob Collier, a canção é How Deep Is Your Love, e a plateia… bem, apenas ouça…

Ufa… que tal, hein? Achei que essa versão com o Jacob Collier seria a melhor maneira para levar ao fechamento deste episódio 900 do Café Brasil. Novecentos, meu! Um brinde a você, a nós, a todos os artistas que, como os Bee Gees, fazem nossas vidas melhores.

E é ao som dos brasileiros Mateus Asato e Nelson Faria que eu quero encerrar o Café Brasil 900 homenageando os Bee Gees.

Que viagem! A música dos Bee Gees música transcende gerações e inspira artistas. Suas canções nos acompanham em momentos especiais, e sua influência é claramente vista em artistas contemporâneos. Os Bee Gees não foram apenas uma banda, mas uma fonte de inspiração e conforto. Sua música nos ensinou a dançar, a sonhar e a amar, e continuará a ressoar em nossos corações.

Eu sei. E este episódio aqui foi feito pra vocês. Muito obrigado.

O Café Brasil é produzido por quatro pessoas. Eu, Luciano Pires, na direção e apresentação, Lalá Moreira na técnica, Ciça Camargo na produção e, é claro, você aí, que completa o ciclo.

Agora, cara, nós vamos para o episódio 1000.

De onde veio este programa tem muito mais. E se você gosta do podcast, imagine uma palestra ao vivo. E eu já tenho mais de mil e cem  no currículo. Conheça os temas que eu abordo no mundocafebrasil.com.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. E olha, os comentários agora ganham um livro, hein? E também estamos no Telegram, com o grupo Café Brasil.

E para terminar, uma frase de Barry Gibb:

“Agora, quando as pessoas me veem na rua, elas apontam para o céu.”