s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 936 – Os dois capitais
Café Brasil 936 – Os dois capitais
Em junho de 2015, durante uma cerimônia na Universidade ...

Ver mais

Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
É improvável – embora não impossível – que os ...

Ver mais

Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Durante o mais recente encontro do meu Mastermind MLA – ...

Ver mais

Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
A ilusão de transparência é uma armadilha comum em que ...

Ver mais

LíderCast 329 – Bruno Gonçalves
LíderCast 329 – Bruno Gonçalves
O convidado de hoje é Bruno Gonçalves, um profissional ...

Ver mais

LíderCast 328 – Criss Paiva
LíderCast 328 – Criss Paiva
A convidada de hoje é a Criss Paiva, professora, ...

Ver mais

LíderCast 327 – Pedro Cucco
LíderCast 327 – Pedro Cucco
327 – O convidado de hoje é Pedro Cucco, Diretor na ...

Ver mais

LíderCast 326 – Yuri Trafane
LíderCast 326 – Yuri Trafane
O convidado de hoje é Yuri Trafane, sócio da Ynner ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Rubens Ricupero
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Memórias de um grande protagonista   “Sem as cartas, não seríamos capazes de imaginar o fervor com que sentíamos e pensávamos aos vinte anos. Já quase não se escrevem mais cartas de amor, ...

Ver mais

Vida longa ao Real!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vida longa ao Real!   “A população percebe que é a obrigação de um governo e é um direito do cidadão a preservação do poder de compra da sua renda. E é um dever e uma obrigação do ...

Ver mais

A Lei de Say e a situação fiscal no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Lei de Say e o preocupante quadro fiscal brasileiro   “Uma das medidas essenciais para tirar o governo da rota do endividamento insustentável é a revisão das vinculações de despesas ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Cafezinho 633 – O Debate
Cafezinho 633 – O Debate
A partir do primeiro debate entre Trump e Biden em ...

Ver mais

Cafezinho 632 – A quilha moral
Cafezinho 632 – A quilha moral
Sua identidade não vem de suas afiliações, ou de seus ...

Ver mais

Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
O episódio de hoje foi inspirado num comentário que um ...

Ver mais

Cafezinho 630 – Medo da morte
Cafezinho 630 – Medo da morte
Na reunião do meu Mastermind na semana passada, a ...

Ver mais

Café Com Leite 83 – O sentimento do Amor

Café Com Leite 83 – O sentimento do Amor

Luciano Pires -


Babica: Bárbara, eu estava revendo os episódios sobre sentimentos, parece que a maioria são sentimentos ruins…

Bárbara:  Esse é um ótimo ponto, Babica. Muitas pessoas acham que a maioria dos sentimentos humanos são ruins porque algumas emoções, como tristeza, raiva, medo e frustração, podem ser muito desconfortáveis. Mas existem sentimentos muito bons!

Babica: Eu quero saber de um! O amor!

Bárbara: Ah, Babica, o amor é um sentimento lindo! Mas ele é um sentimento muito especial e complexo. Vamos explorar um pouco mais o que isso significa.

Babica: Ebaaaaaa!!!

Bárbara:  Mas antes, quem é o ouvinte?

Babica: Hoje são três irmãos! A Clarice, a Sabrina e o Augusto!

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Bárbara:  Ahahahahahaha, Clarice, que desafio, hein? Vá ouvindo que de quando em quando vão aparecer novas histórias! Um beijo pra você, pra Sabrina e pro Augusto!

Babica: Três irmãos, que lindos! Clarice, Sabrina e Augusto, um beijão! O Augusto deve ser Gugu, não é? ahahahahahah

Bárbara:  E os três ganharam uma linda camiseta do Café Com Leite. Entrem em contato pra gente mandar pra vocês!

Babica: E se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la num próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal!

_______________________________________________________

Bárbara: Babica, vamos ver se você lembra de alguma animação que fale sobre o poder do amor verdadeiro?

Babica: Ah, é muito fácil, Bárbara! Você está falando de “A Bela e a Fera”, né?

Bárbara: Ahahahahaha, exatamente! Eu adoro essa história. Bela é uma jovem tão corajosa e gentil. Ela se oferece para ser prisioneira da Fera para salvar seu pai!

Babica: Sim, e a Fera, apesar de sua aparência assustadora, tem um coração bom. É incrível como eles desenvolvem uma relação baseada em respeito e compreensão ao longo do filme.

Bárbara: É verdade. É uma bela lição sobre ver além das aparências e valorizar o caráter e a bondade interior. E no final, o amor verdadeiro deles quebra a maldição e transforma a Fera de volta em um príncipe.

Babica: Isso mesmo! É uma história que mostra como o amor pode transformar as pessoas. É por isso que você diz que o amor é um sentimento complexo?

Bárbara: O amor é considerado complexo porque ele pode ser sentido de várias maneiras e por diferentes pessoas em diferentes situações. Por exemplo, há o amor que sentimos por nossos pais, que é um tipo de amor familiar. Há também o amor que sentimos por nossos amigos, que é um amor de amizade. E claro, o amor romântico que sentimos por alguém especial.

Babica: Entendi. Então, o amor pode ser experimentado de muitas formas diferentes.

Bárbara: Sim, Babica. E cada tipo de amor tem suas próprias características. O amor familiar muitas vezes envolve cuidado, proteção e apoio incondicional. O amor de amizade é marcado pela confiança, pelo companheirismo e pela alegria de estar juntos. E o amor romântico pode envolver paixão, admiração e um desejo profundo de estar com a outra pessoa.

Babica: Ah, enquanto você falava eu me lembrava de outro filme, o  “Enrolados”! A história de Rapunzel e Flynn Rider é incrível.

Bárbara: Ah, “Enrolados” é ótimo, Babica! Rapunzel é uma princesa com cabelos mágicos que vive trancada em uma torre, sem conhecer o mundo lá fora.

Babica: Isso mesmo. E quando ela conhece Flynn Rider, um ladrão charmoso, sua vida muda completamente. Eles passam por tantas aventuras juntos!

Bárbara: E ao longo dessas aventuras, eles acabam se apaixonando. É lindo ver como o relacionamento deles cresce com base na confiança e no apoio mútuo.

Babica: Sim, é uma história que mostra como o amor pode ser transformador. Eles começam como estranhos e, através de desafios e descobertas, se tornam um casal forte e unido.

Bárbara: Pois é. O amor é fundamental porque ele é a base dos nossos relacionamentos mais importantes, sabe?

Babica: Mas por quê?

Bárbara: Porque ele nos conecta com outras pessoas, nos dá um senso de pertencimento e segurança, e muitas vezes é uma fonte de grande felicidade e satisfação na vida. Além disso, o amor nos motiva a ser gentis, a cuidar dos outros e a buscar o bem-estar daqueles que amamos.

Babica: Mas de onde vem o amor? Ele parece tão mágico, não é?

Bárbara: Sim, é mágico! Mas também é algo que podemos entender de várias formas. O amor vem de dentro de nós, do nosso coração e da nossa mente. É um sentimento que surge quando nos importamos profundamente com alguém ou algo.

Babica: Mas por que sentimos amor por algumas pessoas e coisas, e não por outras?

Bárbara: O amor pode surgir por várias razões. Às vezes, amamos alguém porque essa pessoa nos faz sentir bem, segura e feliz. Outras vezes, o amor cresce com o tempo, à medida que conhecemos alguém e compartilhamos experiências.

Babica: Entendi. Então, o amor pode ser construído?

Bárbara: Exatamente. O amor pode começar com pequenas coisas, como carinho, respeito e gentileza. À medida que essas ações se repetem, o sentimento de amor cresce e se fortalece. É como plantar uma semente e cuidar dela até que se torne uma árvore grande e forte.

Babica: Que bonito! E como podemos mostrar amor para as pessoas ao nosso redor?

Bárbara: Há muitas maneiras de mostrar amor, Babica. Podemos mostrar amor através de palavras carinhosas, gestos de gentileza, ajuda em momentos difíceis e até mesmo através do tempo que passamos juntos. Pequenas ações, como um abraço, um sorriso ou um elogio, também podem expressar muito amor.

Babica: Isso é tão bonito, Bárbara. Mas às vezes, mostrar amor pode ser difícil, não é?

Bárbara: Sim, Babica, pode ser desafiador, especialmente quando estamos passando por momentos difíceis ou quando temos desentendimentos com aqueles que amamos. Mas é nesses momentos que o amor se torna ainda mais importante. Ele nos ajuda a superar dificuldades, a perdoar e a entender os outros.

Babica: Me dá um exemplo?

Bárbara: Claro! Vamos pensar em uma situação entre pais e filhos. Imagine que uma criança tenha tirado uma nota baixa na escola e está se sentindo muito triste e frustrada. Os pais podem ficar desapontados, mas é nesse momento que o amor deles se torna fundamental.

Babica: Por quê?

Bárbara: Em vez de apenas expressar desapontamento, eles podem oferecer apoio e compreensão. Eles podem sentar com a criança, ajudar nos estudos, mostrar que acreditam nela e que estão ali para ajudar a melhorar. Esse amor e apoio ajudam a criança a superar a frustração e a encontrar a motivação para tentar novamente.

Babica: Ah, isso faz muito sentido. E entre irmãos e irmãs?

Bárbara: Entre irmãos e irmãs, o amor também é fundamental, especialmente em momentos de conflito. Imagine que dois irmãos tenham brigado por causa de um brinquedo.

Babica: Qual irmão nunca brigou por causa de um brinquedo, né?

Bárbara: Pois é. Eles podem ficar bravos um com o outro, mas o amor entre eles pode ajudar a resolver a situação. Eles aprendem a compartilhar, a pedir desculpas e a perdoar. Esse processo de reconciliação fortalece o vínculo entre eles e ensina a importância da compreensão e do perdão.

Babica: Reconciliação?

Bárbara: Sim. Reconciliação é o processo de resolver um desentendimento ou conflito e voltar a ter harmonia e bom relacionamento entre as pessoas. É quando as partes envolvidas fazem as pazes, se perdoam e voltam a se entender e a se dar bem.

Babica: Como aquela vez que eu briguei com o Nico por causa de uma abanana?

Bárbara: Abanana?

Babica: É. Avatar de banana. Nós brigamos mas depois fizemos as pazes.

Bárbara: Ahahahahah, isso mesmo. Vocês se reconciliaram. Imagine que um filho fez algo errado, como quebrar uma regra importante da casa, e os pais ficaram muito bravos. No começo, pode haver um momento de tensão e desentendimento.

Babica: Cara feia, palavras duras, castigo…

Bárbara: Isso mesmo. Mas, após conversar, o filho pede desculpas sinceras e os pais, compreendendo a situação, o perdoam. Eles discutem o que aconteceu, aprendem com o erro e seguem em frente. Esse processo de pedir desculpas, perdoar e aprender juntos é a reconciliação. É isso que fazem as pessoas que se amam.

Babica: Então, reconciliação é sobre resolver conflitos e voltar a se entender.

Bárbara: Exatamente! Reconciliação é um passo importante em qualquer relacionamento porque mostra que, mesmo após um desentendimento, as pessoas podem aprender a perdoar, a entender o ponto de vista do outro e a seguir em frente juntas. Isso fortalece os laços e ajuda a construir um relacionamento mais saudável e duradouro.

Babica: Então, o amor nos ajuda a lidar com os desafios e a crescer juntos.

Bárbara: Exatamente! O amor é a base que nos permite enfrentar dificuldades, compreender os sentimentos dos outros e construir relacionamentos mais fortes. É especialmente importante nos momentos difíceis, porque é quando mais precisamos de apoio e compreensão. Com amor, conseguimos superar obstáculos e nos tornamos mais resilientes. Lembra dessa palavra? Resiliente?

Babica: Claro que lembro! E o que podemos fazer quando temos dificuldade em mostrar amor?

Bárbara: Quando isso acontece, é útil lembrar o quanto o amor é valioso e o impacto positivo que ele tem nas nossas vidas. Podemos tentar ser pacientes, ouvir com atenção e procurar entender os sentimentos da outra pessoa. Às vezes, um simples pedido de desculpas ou um gesto de reconciliação pode fazer uma grande diferença.

Babica: O amor realmente tem o poder de transformar as nossas vidas.

Bárbara: Sim, Babica. O amor é um dos sentimentos mais poderosos e essenciais que podemos experimentar. Ele nos conecta, nos fortalece e nos inspira a ser melhores.

Babica: Que lindo isso, Bárbara! Espero que esta conversa ajude nossos ouvintes a entenderem melhor o que é o amor e a importância dele!

Bárbara: Ah, mas não acabou, não. Para os assinantes, vamos falar um pouco mais sobre o amor.

______________________________________

Bárbara:  Não esqueça então: os assinantes do Café Com Leite recebem um conteúdo extra no final de cada episódio!

Babica: Isso mesmo! Pule pra dentro do Café Com Leite! Ajude a gente a continuar! No podcastcafecomleite.com.br

Bárbara:  Venha pro Clube Café Com Leite!

_______________________________________________________

Bárbara:  Muito bem! Eu sou a Bárbara:    Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar da Bárbara:    que mora no celular dela.

Bárbara:  Somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e o texto e direção são do Luciano Pires.

E hoje como vamos encerrar o episódio?

Babica: Vou trazer uma frase do escritor William Shakespeare

O amor não se vê com os olhos, mas com o coração.

______________________________________________

Bárbara:  Vamos ao conteúdo extra?

Babica: Vamoooooooooosssss!

Bárbara: Babica, você já percebeu como é fácil dar amor, mas existem pessoas para as quais é difícil aceitar quando alguém dá amor?

Babica: Nossa! Mas quem é que pode não aceitar amor?

Bárbara: Bem, algumas pessoas têm dificuldade em aceitar amor porque, quando eram pequenas, talvez tenham sido ridicularizadas ou ignoradas quando mostravam seus sentimentos. Isso pode fazer com que cresçam com medo de aceitar o amor dos outros.

Babica: Ah, entendi. E o que isso faz com nossos relacionamentos quando crescemos?

Bárbara: Quando crescemos, esses medos podem fazer com que não aceitemos o carinho e a gentileza que outras pessoas nos dão. Mesmo quando elas estão tentando ser legais. Isso pode prejudicar nossos relacionamentos.

Babica: Puxa vida. E o que podemos fazer para melhorar isso?

Bárbara: Precisamos aprender a ouvir as pessoas que amamos sem julgar. Por exemplo, podemos perguntar: “Como você se sente quando eu digo que te amo?” Isso ajuda a entender melhor o que o outro está sentindo.

Babica: Ah, é tão bom ouvir alguém dizer que nos ama!

Bárbara: Devemos ouvir com muita atenção e sem criticar. Se a pessoa tem dificuldade em expressar seu amor, podemos dizer algo como: “Deve ser difícil para você.” Isso faz com que a pessoa se sinta segura e confortável, o que ajuda a abrir o coração.

Babica: Entendi. E o que mais podemos fazer para nos ajudar?

Bárbara: Precisamos parar de buscar a aprovação dos nossos pais o tempo todo e agir mais como adultos. Isso significa assumir a responsabilidade por nossos sentimentos e ações.

Babica: Parece difícil, Bárbara. Existem maneiras diferentes de demonstrar nosso amor para as pessoas que amamos?

Bárbara: Claro que existem. Vou te dar seis dicas simples. A primeira dica é: diga “eu te amo”. Às vezes, só ouvir essas palavras pode fazer alguém se sentir muito especial.

Babica: Isso é fácil de lembrar! Bárbara

Bárbara: O quê, Babica?

Babica: Eu te amo!

Bárbara: Ownnnn eu te amo também, Babica!

Babica: Viu? Nós duas ficamos felizes!

As duas: Ahahahahahah

Babica: E qual é a segunda dica?

Bárbara: A segunda dica é: faça coisas gentis. Pode ser ajudar com uma tarefa, preparar uma refeição ou fazer algo que a outra pessoa goste.

Babica: Ah, eu gosto de ajudar com as tarefas de casa. E a terceira dica?

Bárbara: A terceira dica é: dê abraços e beijos. O contato físico, como abraçar ou dar um beijo na bochecha, mostra que você se importa.

Babica: Na avachecha…

Bárbara: Avatar de bochecha?

Babica: Ahahahahahahah. Eu adoro abraços e beijos! Qual é a quarta dica?

Bárbara: A quarta dica é: ouça com atenção. Quando alguém está falando, preste atenção e mostre que você se importa com o que ela está dizendo.

Babica: Eu vou tentar ouvir melhor meus amigos. E a quinta dica?

Bárbara: A quinta dica é: escreva uma carta ou um bilhete. Deixe uma mensagem carinhosa para a pessoa encontrar. Isso pode fazer o dia dela mais feliz.

Babica: Que ideia legal! Um bilhetinho de amor! Adorei! E a última dica?

Bárbara: A sexta dica é: passe tempo juntos. Fazer coisas divertidas ou passar tempo de qualidade com alguém mostra que você gosta da companhia dela.

Babica: Isso tudo aos poucos vai construindo o amor, não é?

Bárbara: É isso mesmo!

Babica: Adorei todas essas dicas, Bárbara! Vou tentar usar todas elas para mostrar meu amor pelas pessoas que amo.

Bárbara: Isso mesmo, Babica! Pequenos gestos fazem uma grande diferença e mostram o quanto nos importamos com as pessoas ao nosso redor.

Babica: Vamos juntas?

Bárbara: Vamos….

As duas: um, dois, três.. EU TE AMOOOOOOO