s
Iscas Intelectuais
Semana Café Brasil 25/07/20 a 31/07/20
Semana Café Brasil 25/07/20 a 31/07/20
Atividades no Ecossistema Café Brasil de 25/07/20 a 31/07/20

Ver mais

Participe da Semana da Produtividade – 27 a 30/7
Participe da Semana da Produtividade – 27 a 30/7
Quatro aulas gratuitas sobre Produtividade que ...

Ver mais

Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Café Brasil 729 – Cala Boca Zebedeu
Café Brasil 729 – Cala Boca Zebedeu
Se você está feliz porque estão sendo caladas as vozes ...

Ver mais

Café Brasil 728 – Saindo do armário Político
Café Brasil 728 – Saindo do armário Político
Já se sentiu perseguido ou discriminado por conta de ...

Ver mais

Café Brasil 727 – A nova Inquisição
Café Brasil 727 – A nova Inquisição
Houve um tempo em que a censura vinha do Estado ...

Ver mais

Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Nos 14 anos em que produzimos podcasts, esta talvez ...

Ver mais

Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Nos 14 anos em que produzimos podcasts, esta talvez ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 302 – Tenho pressa
Leitura do Cafezinho 302 – Tenho pressa
Hoje as narrativas familiares perderam espaço para uma ...

Ver mais

A real história do Plano Real
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A real história do Plano Real Uma moeda cunhada no consenso democrático Jovens nascidos neste século dificilmente podem compreender o que era viver no Brasil nas últimas duas décadas do século ...

Ver mais

Perdemos Jorge Portugal e nossa capacidade de autodefinição
Jota Fagner
Origens do Brasil
“Esqueci de te falar, o Jorge Portugal deu entrada no Hospital do Estado de Salvador. Está em coma induzido, não está bem não. Acho que deu um problema no coração, que não estava conseguindo ...

Ver mais

Tributo a Celso Furtado
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Celso Furtado: 100 anos “O desejo obstinado de entender o Brasil pressupôs entender por que o país era subdesenvolvido, e, corolário, a mecânica do subdesenvolvimento. ´[…] Autor de cerca ...

Ver mais

A conveniência do comércio eletrônico conquistou os consumidores
Michel Torres
No início de abril, quando o comércio estava quase que totalmente fechado, conversei com um amigo próximo que lidera uma grande rede de lojas de tintas e ele fez uma constatação emblemática: ...

Ver mais

Cafezinho 305 – Rabo e perna 2
Cafezinho 305 – Rabo e perna 2
Bote sua energia em mudar a realidade para outra ...

Ver mais

Cafezinho 304 – (in)Tolerância
Cafezinho 304 – (in)Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Cafezinho 303- O cérebro médio
Cafezinho 303- O cérebro médio
Temas importantes que deveriam estar sendo discutidos, ...

Ver mais

Cafezinho 302 – Tenho pressa
Cafezinho 302 – Tenho pressa
Houve um tempo em que as narrativas eram feitas dentro ...

Ver mais

TRIVIUM CAP.2 – FORMA DA LINGUAGEM (parte 3)

TRIVIUM CAP.2 – FORMA DA LINGUAGEM (parte 3)

Alexandre Gomes -

Pois bem, no texto anterior eu falei sobre a MATÉRIA da palavra – lembra? Que a matéria da linguagem é o seu corpo (SOM); ou seja, palavras. Também falei sobre a FORMA da linguagem, que é a sua ALMA. Ou melhor, seu significado. Portanto, as palavras podem significar tanto INDIVÍDUOS quanto ESSÊNCIAS.

Qual a diferença, então? (entre indivíduo e essência)

INDIVÍDUO é qualquer ser físico que exista. E por físico, digo algo que tenha substância, matéria. Que você possa tocar. Logo, todo ser material que exista (ou tenha existido) é um INDIVÍDUO. Pois esse ser É ELE MESMO E NÃO OUTRO. Se a coisa que vejo é uma pedra, logo não é uma calopsita; que também não pode ser… o Pablo Vittar! – que é outro individuo por si só, diferente de qualquer outro ser.

ESSÊNCIA é aquilo que faz o ENTE (indivíduo) ser o que é, e sem o qual não seria o TIPO que é. Perceba, ESSÊNCIA é aquilo que torna um indivíduo SEMELHANTE aos outros de sua classe. Algo como: tanto um abacateiro como um coqueiro são árvores porque têm raiz, caule e folhas. João e Augusto são homens porque ambos têm o cromossomo Y. Note que há um (ou um conjunto de) elemento comum que agrupa indivíduos distintos, mesmo havendo diferenças evidentes entre eles.

Em resumo, ESSÊNCIA é o conceito abstrato que agrupa INDIVÍDUOS em uma CLASSE.

Já INDIVÍDUO é o ser MATERIAL (e por isso único) que o diferencia de outros indivíduos de sua CLASSE ou ESPÉCIE.

GÊNERO, no caso, é a ampliação da ideia abstrata de ESPÉCIE (ou CLASSE). Ou seja, quando existe um elemento ABSTRATO (essência) comum a duas ou mais espécies, temos um GÊNERO. Exemplo: ANIMAL é um gênero que junta o homem, o cavalo, o peixe e até o caramujo!

Porém, não pode fazer parte do gênero animal um pé de tamarindo, por mais que se goste da fruta.

O caráter ABSTRATO do conceito Gênero é tal, que é IMPOSSÍVEL pintar um retrato de “animal”. Muito menos um quadro de um TIPO ou ESPÉCIE (o mesmo pode ser dito de uma ideia abstrata em si). Por exemplo, ninguém desenha a CLASSE cachorro, o que é possível é desenhar um cão individual: o Scooby-doo, por exemplo. E quando disse antes que não é possível desenhar/pintar uma ideia abstrata em si é por que não existe um símbolo universal que represente o medo. O que temos, no máximo, é a expressão facial de pavor, comum em todos os homens – olhos arregalados, sobrancelhas levantadas e boca aberta.

Notou que para representar uma ideia abstrata, necessitamos de um indivíduo material para exibir um SENTIMENTO? E que essa comunicação foi UNIVERSAL, algo como um SIGNO NATURAL (lembra da lição anterior sobre fumaça ser um sinal natural para fogo?). Ah, importante! Não confunda indivíduo com pessoa, certo? Estamos tratando de ENTES, então um indivíduo pode ser tanto um ser humano, um animal ou um objeto (ou coisa).

Voltando ao tema de hoje… você percebeu que usei várias vezes expressões como “agrupar” e “juntar”? Contudo, tenha muito cuidado para não confundir AGREGADO – que é um ajuntamento aleatório de indivíduos, com ESPÉCIE ou GÊNERO. Para esses dois últimos, é necessário haver um elemento essencial que une tais indivíduos. Já um AGREGADO, é apenas um amontoado, ou segmentação, de algo – ou seja, algo como o conjunto de objetos em uma sala de estar (poltrona, mesa de centro, tapete, abajur, televisor).

Perceba, o termo “mulheres do século XIX” pode parecer uma espécie, mas é só um AGRUPAMENTO! Pois exclui as mulheres de todos os outros séculos! (passados e futuros).

ESPÉCIES ou GÊNEROS SEMPRE significam uma ESSÊNCIA que inclui todos os indivíduos sem distinção de tempo e espaço.

Concluindo os termos deste trecho estudado hoje:

Essência: é o que faz um ENTE ser o que É.

Espécie: é uma CLASSE composta por ENTES (indivíduos) que têm em comum a mesma ESSÊNCIA ESPECÍFICA.

Gênero: é uma CLASSE MAIS AMPLA, composta por duas ou mais espécies DIFERENTES, mas que mesmo assim compartilham uma ESSÊNCIA ESPECÍFICA COMUM.

Agregado: é um grupo que consiste de dois ou mais INDIVÍDUOS, arbitrariamente colocados juntos, sem que haja uma ESSÊNCIA ESPECÍFICA COMUM.

Alguns exemplos pra fixar:

  1. O conjunto árvore e tartaruga pode ser chamado de “seres vivos” [Gênero], mesmo o primeiro item sendo da ESPÉCIE vegetal e o segundo da ESPÉCIE animal;
  2. O conjunto Pablo Vittar e um relógio quebrado é apenas um Agregado de ENTES (INDIVÍDUOS) sem essência específica comum. O cantor é só um humano, e o relógio quebrado um objeto mecânico inanimado que não funciona. É quase impossível encontrar uma característica que os una. Eu poderia forçar a barra e apontar a amplíssima classe dos entes sólidos, para finalmente agrupar Vittar e um relógio quebrado no mesmo GÊNERO.

E eu não vou entrar na discussão da utilidade de um Pablo Vittar ou de um relógio quebrado. Todos sabemos que um relógio quebrado está certo duas vezes por dia!

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes