Iscas Intelectuais
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

É o que temos pra hoje

É o que temos pra hoje

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

                            Argumentos voam dos dois lados, mas não adianta fugir à realidade: A imensa maioria da população brasileira quer a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Fim de papo. E o argumento dessa maioria é de uma simplicidade acaciana; não dá pra permitir mais que assassinos, estupradores, bandidos sádicos de 17 anos e 11 meses de idade cometam tais crimes com a plena ciência de que absolutamente nada lhes acontecerá. Alguns riem quando são detidos; sabem da impunidade etária, e que depois de muito pouco tempo estarão de novo nas ruas, prontos para todo tipo de bandidagem; São nossos 007 tupiniquins… têm licença para matar. O máximo que um monstro desses recebe como “castigo” são três anos de internação numa Fundação Casa. Depois, rua e ficha limpíssima. Pode isso, Arnaldo?

                            Para alguns, não só pode como deve continuar exatamente assim – impunidade absoluta para criminosos menores de 18. Isso é inaceitável na maioria dos demais países – inclusive em Cuba, paraíso dos paladinos de araque, defensores dos menores bandidos, onde a maioridade é alcançada aos 16 anos… se bem que nada disso importa naquela ditadura, onde a Justiça é aquilo que os ditadores Castro desejarem.

                            A redução da maioridade é necessária; bandidos perigosos não podem permanecer intocáveis em razão de alguns dias a contar da data do nascimento. Já os que defendem a manutenção se dedicam a verdadeiras ginásticas mentais para defender o indefensável, tentando explicar a quadratura do círculo. Vejamos:

Reduzir a maioridade penal não resolve o problema da criminalidade”. Claro que não resolve; ninguém disse que resolverá. Mas vai impedir que monstros desse tipo continuem cometendo crimes. Não há solução mágica para criminalidade, há sim a luta contra ela. E é condenando essa gente que se faz justiça.

Reduzir a maioridade penal vai aumentar a criminalidade”. Só rindo. Num país que tem a lei seca mais rígida do mundo, onde comer um bombom com licor e dirigir é mais grave que vários crimes, que tem uma lei de desarmamento enfiada goela abaixo da população honesta, impedindo o cidadão de se defender, onde todos os bandidos se armam até os dentes, e a violência no trânsito mata 60 mil/ano, e os assassinatos por arma de fogo são da ordem de 40 mil/ano… só rindo mesmo. Na Inglaterra, por exemplo, a maioridade penal é alcançada aos 12 anos e a reincidência gira em torno de 8%. Aqui, a maioridade vem aos 18 e a reincidência ultrapassa 80%. Quem está errado, eles ou nós?

A pobre criança vai sair pior do que entrou; cadeia é escola do crime e não reabilita ninguém”. Que pérola… se prender piora, deveríamos soltar todos os presos, sem exceção! Revoguem o código penal de uma vez!

Menos de 0,1% dos crimes são cometidos por menores”. Pura mentira. Não há estatísticas sobre idade dos criminosos nos dados colhidos no ato do cometimento do crime. Isso só é feito posteriormente, e esses dados, os verdadeiros, nuncas são considerados pelos abnegados defensores de bandidos menores de idade.

Faltam vagas nas prisões, que ficarão ainda mais cheias”. Não, péra; se os menores criminosos são tão poucos como eles mesmos afirmam, porque se preocupam com vagas? Além disso, as prisões para os menores serão separadas dos adultos.

                            Qualquer aluno do 2º ano de direito sabe que a pena tem três funções: Punir o criminoso, retirá-lo da sociedade por um tempo para impedi-lo de continuar no crime e, se possível, reabilitá-lo para que não volte a delinquir. Reabilitação é apenas UMA dessas razões. Ironia suprema: a esquerda sempre defende mais e mais estado, mandando em tudo e decidindo tudo… mas quando o estado falha na reabilitação dos presos, prefere mantê-los na rua, e que o povo se dane com o problema. É a cara do leninismo.

                            Aliás, é o pacote completo: Tratam o fumante como um monstro sanguinário, e o menor assassino como um anjo de candura; impedem o cidadão honesto de ter uma arma para se defender, mas deixam os bandidos com arsenal completo, de fuzis a granadas; tomar meio gole de cerveja e dirigir é um horror sem nome, mas defendem a liberação das drogas – inclusive para os mesmos menores com os quais tanto se preocupam. O lulismo fez de nós um País de ilusão, uma terra fictícia, onde o marketing e os discursos artificiais rendem mais que a realidade, essa ingrata.

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes