s
Iscas Intelectuais
Semana Café Brasil 25/07/20 a 31/07/20
Semana Café Brasil 25/07/20 a 31/07/20
Atividades no Ecossistema Café Brasil de 25/07/20 a 31/07/20

Ver mais

Participe da Semana da Produtividade – 27 a 30/7
Participe da Semana da Produtividade – 27 a 30/7
Quatro aulas gratuitas sobre Produtividade que ...

Ver mais

Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Café Brasil 729 – Cala Boca Zebedeu
Café Brasil 729 – Cala Boca Zebedeu
Se você está feliz porque estão sendo caladas as vozes ...

Ver mais

Café Brasil 728 – Saindo do armário Político
Café Brasil 728 – Saindo do armário Político
Já se sentiu perseguido ou discriminado por conta de ...

Ver mais

Café Brasil 727 – A nova Inquisição
Café Brasil 727 – A nova Inquisição
Houve um tempo em que a censura vinha do Estado ...

Ver mais

Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Nos 14 anos em que produzimos podcasts, esta talvez ...

Ver mais

Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Comunicado Café Brasil e Omnystudio
Nos 14 anos em que produzimos podcasts, esta talvez ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Leitura cafezinho 303 – Cérebro médio
Escolha um tema quente, dê sua opinião e em seguida ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 302 – Tenho pressa
Leitura do Cafezinho 302 – Tenho pressa
Hoje as narrativas familiares perderam espaço para uma ...

Ver mais

A real história do Plano Real
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A real história do Plano Real Uma moeda cunhada no consenso democrático Jovens nascidos neste século dificilmente podem compreender o que era viver no Brasil nas últimas duas décadas do século ...

Ver mais

Perdemos Jorge Portugal e nossa capacidade de autodefinição
Jota Fagner
Origens do Brasil
“Esqueci de te falar, o Jorge Portugal deu entrada no Hospital do Estado de Salvador. Está em coma induzido, não está bem não. Acho que deu um problema no coração, que não estava conseguindo ...

Ver mais

Tributo a Celso Furtado
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Celso Furtado: 100 anos “O desejo obstinado de entender o Brasil pressupôs entender por que o país era subdesenvolvido, e, corolário, a mecânica do subdesenvolvimento. ´[…] Autor de cerca ...

Ver mais

A conveniência do comércio eletrônico conquistou os consumidores
Michel Torres
No início de abril, quando o comércio estava quase que totalmente fechado, conversei com um amigo próximo que lidera uma grande rede de lojas de tintas e ele fez uma constatação emblemática: ...

Ver mais

Cafezinho 305 – Rabo e perna 2
Cafezinho 305 – Rabo e perna 2
Bote sua energia em mudar a realidade para outra ...

Ver mais

Cafezinho 304 – (in)Tolerância
Cafezinho 304 – (in)Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Cafezinho 303- O cérebro médio
Cafezinho 303- O cérebro médio
Temas importantes que deveriam estar sendo discutidos, ...

Ver mais

Cafezinho 302 – Tenho pressa
Cafezinho 302 – Tenho pressa
Houve um tempo em que as narrativas eram feitas dentro ...

Ver mais

Quem te viu, quem te vê…

Quem te viu, quem te vê…

Fernando Lopes - Iscas Politicrônicas -

                 Quem passou as férias sem ver TV ou ler jornal voltou pra casa com a sensação de cruzar acidentalmente um portal da quinta dimensão ou de algum mundo paralelo. As notícias são tão estranhas que parecem fofoca do Chapeleiro Louco.

                 Marta Suplicy atacando seu próprio partido; chamando o governo Dilma de “desastroso” e vários lulistas de covardes, traidores, inimigos, ladrões. É puro oportunismo dela, óbvio… mas espanta pela honestidade, mesmo essa, forçada.

                 Mais? Dilma venceu (por muito pouco) as eleições com promessas que jamais poderia cumprir. Até aí nenhuma novidade; o problema é que ela está fazendo tudo exatamente ao contrário do prometido, e a lulada diz amém. Mas como, ela se tornou uma capitalista de carteirinha? O Brasil mudou tanto em 2 meses?

                 Dilma aterrorizou os eleitores pintando Marina e Aécio como verdadeiros boitatás. Eleitos, entregariam o Brasil aos nazistas-americanos-banqueiros-bruxas-vampiros-zumbis-fascistas. A comida ia sumir dos pratos e tudo seria um inferno. Passados alguns dias da posse, trajando fantasia de capa de botijão de gás (e sua neoamiga Kátia Abreu vestida de pamonha) temos um panorama igual (ou pior) do que ela pintou em caso de vitória de seus oponentes:

                 Aumento de 40% na energia elétrica; a Petrobrás praticamente quebrada, enfrentando uma chuva de ações judiciais aqui e no exterior; promessa da própria presidonta de privatização da Caixa Econômica Federal através de abertura de capital em bolsa de valores; defasagem de 75% na isenção do Imposto de Renda para Pessoa Física; desmonte do Salário Desemprego, que vai atingir 60% dos demitidos daqui pra frente; implosão do FIES, via estrangulamento de repasses mensais às faculdades particulares (e isso depois de assumir com o lema risível de “Pátria Educadora”, visto que o “País sem Miséria” do primeiro mandato conseguiu aumentar a miséria – dados do IBGE).

                 Tá bom procê? Não? Redução de todo o tipo de “Bolsas”, incluindo o famigerado Bolsa-Família, com redução dos pagamentos e impossibilidade de novos beneficiários; dólar a R$ 2,70; ajuste fiscal através de aumento de impostos sem redução de gastos (assim, até o Eike Batista consegue sair do vermelho); alta do juro de financiamento imobiliário, atingindo 70% desse mercado através da CEF; redução de investimentos em Saúde e Educação; banqueiros no comando da Fazenda e do Banco Central (to esperando meu x-tudo desaparecer do prato); fim de 30% das pensões recebidas por morte do cônjuge – o rombo (admitido, pois o real é o triplo) da Previdência alcança R$ 50 bilhões. Ok, algumas medidas são até necessárias… mas foi muita sujeira mentir tanto para os eleitores. Estelionato eleitoral claríssimo. Realmente fizeram o diabo durante as eleições, como prometeram.

                 Finalizando, outra queda do PIB, com estimativa de crescimento em 2015 da ordem de pífio 1%, com o mundo crescendo 3% em média. Os demais emergentes crescem a 7% ou mais.

                 A única verdade vomitada pela presidonta foi o aviso de que este ano será de sacrifício. É tanta cara de pau que nem desculpinha eles usam mais, como a tal crise mundial. Ironicamente (ironia ou justiça?), a classe mais prejudicada pela enxurrada de maldades será justamente a massa menos esclarecida e mais pobre, garantidora da eleição da botijuda. Esse é o prêmio que recebem por acreditar na dupla Pinóquio & Pinóquia, a mais mentirosa que já alcançou a presidência da Banânia.

                 José Dirceu tá inconformado com a ex-cumpanhêra; compungido, em lágrimas, agarrado a uma garrafa de rum cubano e um busto de Stalin, oferece à neo-traidora a música do cumpanhêro Chico Buarque, aquele que defende o comunismo lá do seu apartamento em Paris, às margens do Sena, pago com dólares ganhos no mercado musical capitalista: 

                 Que mundo doido, hein?

Ver Todos os artigos de Fernando Lopes