s
Iscas Intelectuais
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
É improvável – embora não impossível – que os ...

Ver mais

Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Durante o mais recente encontro do meu Mastermind MLA – ...

Ver mais

Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
A ilusão de transparência é uma armadilha comum em que ...

Ver mais

Café Brasil 932 – Não se renda
Café Brasil 932 – Não se renda
Em "Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith", ...

Ver mais

LíderCast 328 – Criss Paiva
LíderCast 328 – Criss Paiva
A convidada de hoje é a Criss Paiva, professora, ...

Ver mais

LíderCast 327 – Pedro Cucco
LíderCast 327 – Pedro Cucco
327 – O convidado de hoje é Pedro Cucco, Diretor na ...

Ver mais

LíderCast 326 – Yuri Trafane
LíderCast 326 – Yuri Trafane
O convidado de hoje é Yuri Trafane, sócio da Ynner ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Rubens Ricupero
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Memórias de um grande protagonista   “Sem as cartas, não seríamos capazes de imaginar o fervor com que sentíamos e pensávamos aos vinte anos. Já quase não se escrevem mais cartas de amor, ...

Ver mais

Vida longa ao Real!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vida longa ao Real!   “A população percebe que é a obrigação de um governo e é um direito do cidadão a preservação do poder de compra da sua renda. E é um dever e uma obrigação do ...

Ver mais

A Lei de Say e a situação fiscal no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Lei de Say e o preocupante quadro fiscal brasileiro   “Uma das medidas essenciais para tirar o governo da rota do endividamento insustentável é a revisão das vinculações de despesas ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Cafezinho 632 – A quilha moral
Cafezinho 632 – A quilha moral
Sua identidade não vem de suas afiliações, ou de seus ...

Ver mais

Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
O episódio de hoje foi inspirado num comentário que um ...

Ver mais

Cafezinho 630 – Medo da morte
Cafezinho 630 – Medo da morte
Na reunião do meu Mastermind na semana passada, a ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Números reveladores

Números reveladores

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Números reveladores

“Para aumentar a performance de um país, é preciso investir na base, pensar em políticas e estratégias para que os mais vulneráveis aprendam. Não adianta fazer com que os poucos que estão no topo melhorem.”

Ricardo Henriques

(Superintendente do Instituto Unibanco)

No dia 3 de dezembro, vieram a público revelações relevantes sobre dois aspectos de grande interesse para os brasileiros.

Uma dessas revelações refere-se ao desempenho da economia brasileira. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o crescimento do produto interno bruto (PIB) no terceiro trimestre do ano foi de 0,6% e de 1,2% na comparação com o ano de 2018. Tais números foram superiores à maior parte das expectativas e indicam que o País continua apresentando alguma recuperação, insuficiente, porém, até para neutralizar o péssimo desempenho dos anos de 2015 e 2016, em que houve crescimento negativo de 3,5% em cada um deles.  De qualquer maneira, trata-se de um dado positivo e renova as esperanças de um crescimento mais robusto em 2020, cuja estimativa, atualmente, é de 2 a 2,3%.

Outra revelação diz respeito aos resultados da principal avaliação internacional de educação, conhecida como PISA. Realizada a cada três anos pela Organização para o Crescimento e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o exame compara o desempenho de estudantes de 15 anos de 79 países em três áreas do conhecimento: leitura, matemática e ciências. Embora o Brasil tenha apresentado ligeira melhora em relação à avaliação anterior, os dados estão longe de entusiasmar e retratam indicadores que merecem especial atenção, não apenas das autoridades, mas de qualquer pessoa interessada num futuro melhor para o País.

Das conclusões que os resultados do PISA permitem tirar, três me parecem essenciais: (i) repete-se na educação o mesmo quadro de acentuada desigualdade existente no Brasil como um todo, uma vez que o desempenho dos estudantes das regiões sul, sudeste e centro-oeste é muito superior ao dos estudantes das regiões norte e nordeste; (ii) existe também acentuada desigualdade entre o desempenho dos estudantes das escolas privadas e públicas, observando-se, inclusive, que os estudantes de escolas privadas de elite conseguem desempenho equivalente ao de estudantes de países que ostentam as primeiras colocações no ranking; (iii) quando se compara o desempenho do Brasil com o de países que lideram o ranking, percebe-se claramente a diferença com que a educação é tratada, em especial nos anos iniciais, compreendendo a educação infantil e o ensino fundamental, quando o retorno do investimento é mais elevado, como mostram as pesquisas de inúmeros especialistas, incluindo James Heckman, ganhador do Prêmio Nobel de Economia em 2000. Deficiências adquiridas nessas etapas tendem a se reproduzir por toda a vida.

Considerando as revelações do desempenho da economia, representado pelo crescimento do PIB, e do desempenho da educação, representado pelos resultados do PISA, fico com a convicção de que só teremos um desempenho consistente e sustentável do crescimento econômico no longo prazo se melhorarmos significativamente nosso desempenho na educação. Sem isso, estamos condenados a continuar com níveis de crescimento oscilantes e inferiores às necessidades de um país que permanece com níveis alarmantes de desigualdade social e regional.

Iscas para ir mais fundo no assunto

Referências bibliográficas e webgráficas

CAFARDO, Renata; PALHARES, Isabela. Escolas privadas de elite do Brasil superam Finlândia no Pisa; rede pública vai pior do que Peru. O Estado de S. Paulo, 4 de dezembro de 2019. Disponível em https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,escolas-privadas-de-elite-do-brasil-superam-finlandia-no-pisa-rede-publica-vai-pior-do-que-peru,70003112767.

WEINBERG, Monica. James Heckman e a importância da educação infantil. Veja, 22 de setembro de 2017. Disponível em https://veja.abril.com.br/revista-veja/james-heckman-nobel-desafios-primeira-infancia/.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado