s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Cafezinho 628 – Crimes de Honra
Cafezinho 628 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Percepções opostas sobre a Argentina

Percepções opostas sobre a Argentina

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Percepções opostas sobre a Argentina

“A lista de perrengues diários e dramas nacionais é grande, e a inflação, com certeza, é um dos mais complicados. […] A falta de confiança na moeda nacional fez com que, nas últimas décadas, milhares de pessoas passassem a guardar suas economias em moeda estrangeira, no exterior. Os argentinos em geral não confiam no peso e odeiam bancos.”

Janaína Figueiredo

Tendo por foco a Argentina, vivi duas experiências que me proporcionaram sensações diametralmente opostas. No mesmo dia em que concluí a leitura de ¿Qué pasa, Argentina?, livro de autoria da jornalista brasileira Janaína Figueiredo, que viveu em Buenos Aires por 30 anos como correspondente de O Globo, estive presente à palestra de Diana Mondino, ministra de Relações Exteriores, Comércio Internacional e Culto da Argentina, que assumiu o cargo juntamente com o presidente Javier Milei.

¿Que pasa Argentina? tem por subtítulo história, política, manias e paixões dos nossos hermanos e é um livro agradável. A leitura de seus nove capítulos, o primeiro dos quais escrito com a colaboração do embaixador Marcos Azambuja, profundo conhecedor da realidade daquele país e que costuma dizer que “existem três tipos de países no mundo: os desenvolvidos, os subdesenvolvidos e a Argentina”, permite conhecer razoavelmente a história da Argentina, bem como aspectos peculiares do país e de seu povo, entre os quais: a adoração doentia pelo futebol, com destaque para Diego Maradona e Lionel Messi; a paixão nacional pelo divã que faz com que a Argentina tenha uma das maiores taxas mundiais de frequentadores de psicólogos e psicanalistas; e a alta qualidade do cinema, com referências especiais aos filmes A história oficial e O segredo dos seus olhos (ganhadores do Oscar de melhor filme estrangeiro em 1986 e 2009 respectivamente), e Argentina, 1985, que  conta a história dos promotores que levaram os líderes da ditadura militar argentina a julgamento e que ganhou o Prêmio Globo de Ouro de melhor filme em língua estrangeira de 2023, bem como aos atores Ricardo Darín, Norma Aleandro e Héctor Alterio.

Três coisas, no entanto, chamam realmente a atenção: 1ª) a trajetória descendente da economia argentina, que de um dos países mais desenvolvidos do mundo no começo do século XX  transformou-se num país marcado  por crises sucessivas e pobreza crescente; 2ª) a extraordinária força das várias facções do peronismo no cenário político argentino; e 3ª) o contraste representado pelo sufoco de lá viver para os argentinos, obrigados a enfrentar perrengues diários, e as facilidades e os confortos experimentados pelos estrangeiros.

A autora, que concluiu a redação do livro em 2023, antes, portanto, do início do governo de Javier Milei, passa aos leitores a percepção de um país dominado pela desesperança e pela descrença nas instituições, saudoso da exuberância de um passado cada dia mais distante.

A palestra da ministra Diana Mondino, realizada na FIESP no dia 16 de abril, passou aos presentes uma sensação bastante diferente. Seu pronunciamento foi realista, reconhecendo as enormes dificuldades herdadas pelo governo Milei, mas num tom carregado de otimismo quanto ao futuro, resultante de uma postura corajosa de rever práticas caracterizadas pela corrupção, favorecimentos e enorme regulamentação dos governos passados, em especial no do presidente Alberto Fernández e sua vice-presidente Cristina Kirchner. A ministra enfatizou a eliminação das numerosas restrições à produção e ao comércio vigentes no passado e os esforços para reduzir os gastos públicos e reduzir a inflação, fatores fundamentais para o sucesso da política econômica de Javier Milei no longo prazo.

A percepção dos presentes foi a de que o radar do governo argentino agora está voltado para o futuro. Porém, para que esse futuro se concretize, permitindo a recuperação da economia, da política, da qualidade de vida e, principalmente, da  confiança dos argentinos, será preciso muito trabalho, esforço e coragem para enfrentar os desafios e a resistência de parcela da sociedade, em especial dos que sentem ameaçados os privilégios acumulados nas últimas décadas.

A ministra, que é economista e teve sua competência comprovada em bem-sucedidas experiências atuando no setor privado, causou impressão favorável na plateia, constituída por dirigentes empresariais, jornalistas e acadêmicos.

Resta aguardar para ver se os argentinos poderão voltar a ter orgulho de seu país – e não apenas das conquistas de suas seleções esportivas – ou se retornarão ao passado recente de dificuldades e crises sucessivas.

 

Iscas para ir mais fundo no assunto 

Referências e indicações bibliográficas e webgráficas 

AGUINIS, Marcos. O atroz encanto de ser argentino. Tradução de  Maria Cristina Guimarães Cupertino e Terezinha Martino. São Paulo: Editora Bei, 2002.

_______________ ¡Pobre patria mía!: Panfleto. 9ª ed. Buenos Aires: Sudameris, 2009.

FIGUEIREDO, Janaína. ¿Qué pasa, Argentina?: história, política, manias e paixões dos nossos hermanos. Rio de Janeiro: Globo Livros, 2023.

MACHADO, Luiz Alberto. A aposta dos argentinos. Disponível em https://portalcafebrasil.com.br/a-aposta-dos-argentinos?.

 

Referências cinematográficas

A história oficial

Direção: Luiz Puenzo

Roteiro: Aida Bortnik, Luis Puenzo

Fotografia: Felix Monti

Montagem: Juan Carlos Macias

Música: Atilio Stampone, Maria Elena Walsh

Elenco: Héctor Alterio. Norma Aleandro, Chela Ruiz

Ano de produção: 1985.

 

O segredo dos seus olhos

Direção: Juan José Campanella

Roteiro: Eduardo Sacheri, Juan José Campanella

Elenco: Ricardo Darín, Soledad Villamil, Pablo Rago

Ano de produção: 2008.

 

Argentina, 1985

Direção: Santiago Mitre

Roteiro: Mariano Llinás, Santiago Mitre

Música: Pedro Osuna

Elenco: Ricardo Darín, Peter Lanzani, Claudio da Passano, Alejandra Flechner, Brian Sichel, Norman Briski

Ano de produção: 2022.

 

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado