s
Iscas Intelectuais
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Durante o mais recente encontro do meu Mastermind MLA – ...

Ver mais

Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
A ilusão de transparência é uma armadilha comum em que ...

Ver mais

Café Brasil 932 – Não se renda
Café Brasil 932 – Não se renda
Em "Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith", ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

LíderCast 328 – Criss Paiva
LíderCast 328 – Criss Paiva
A convidada de hoje é a Criss Paiva, professora, ...

Ver mais

LíderCast 327 – Pedro Cucco
LíderCast 327 – Pedro Cucco
327 – O convidado de hoje é Pedro Cucco, Diretor na ...

Ver mais

LíderCast 326 – Yuri Trafane
LíderCast 326 – Yuri Trafane
O convidado de hoje é Yuri Trafane, sócio da Ynner ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Vida longa ao Real!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vida longa ao Real!   “A população percebe que é a obrigação de um governo e é um direito do cidadão a preservação do poder de compra da sua renda. E é um dever e uma obrigação do ...

Ver mais

A Lei de Say e a situação fiscal no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Lei de Say e o preocupante quadro fiscal brasileiro   “Uma das medidas essenciais para tirar o governo da rota do endividamento insustentável é a revisão das vinculações de despesas ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Cafezinho 632 – A quilha moral
Cafezinho 632 – A quilha moral
Sua identidade não vem de suas afiliações, ou de seus ...

Ver mais

Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
O episódio de hoje foi inspirado num comentário que um ...

Ver mais

Cafezinho 630 – Medo da morte
Cafezinho 630 – Medo da morte
Na reunião do meu Mastermind na semana passada, a ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Tributo a Robert Lucas

Tributo a Robert Lucas

Luiz Alberto Machado - Iscas Econômicas -

Tributo a Robert Lucas

 “A teoria de Lucas está na fronteira entre o behaviorismo (estudo do comportamento humano) e a economia, porque lida com as expectativas racionais que as pessoas desenvolvem a partir das informações”

 Carl-Olof Jacobsson 

(Real Academia de Ciências da Suécia)

A ciência econômica está de luto. Faleceu no dia 15 de maio, aos 85 anos, Robert Lucas, um de seus expoentes contemporâneos mais notáveis.

Nascido no estado de Washington, em 1937, Lucas graduou-se em História na Universidade de Chicago em 1959, obtendo seu PhD em Economia pela mesma universidade. Foi professor na Universidade Carnegie-Melon de 1963 a 1974, quando retornou à Universidade de Chicago, onde escreveu seu nome no panteão dos maiores economistas de todos os tempos.

Depois de amplo domínio das ideias keynesianas na formulação das políticas econômicas dos países ocidentais implementadas nas décadas de 1940, 1950 e 1960, a ponto de justificar o uso da expressão “consenso keynesiano”, os anos 1960 assistiram ao acirramento do debate entre os keynesianos e os monetaristas, que, liderados por Milton Friedman, acabaram prevalecendo a partir da década seguinte, favorecidos pela aceleração da inflação no final da década de 1960 e à drástica redução do ritmo de crescimento das economias desenvolvidas no início da década de 1970.

Portanto, como observou o Prof. Benito Salomão, da Universidade Federal de Uberlândia, em artigo publicado pelo Correio Braziliense, o período compreendido entre 1940 e 1960 foi marcado pela predominância de modelos teóricos de natureza keynesiana e monetarista, que são até hoje ensinados nos cursos de graduação. Esses modelos têm a vantagem de serem acessíveis ao público, pois não é difícil compreender que a inflação é uma função direta do volume de moeda em circulação, ou que o PIB guarda relação direta com o gasto público e inversa com a taxa de juros.

Porém, quer naquela época, quer nos dias de hoje, o fato de ser acessível não garante a qualquer modelo teórico a eficácia necessária, mas permite que seja capturado por narrativas políticas desconectadas do interesse coletivo. Aí entra, talvez, o grande mérito de Lucas, que no artigo Econometric Policy Evaluation: a Critique – consagrado na literatura como “Crítica de Lucas” -, publicado em 1976, teceu sofisticada crítica aos modelos então predominantes, promovendo uma revolução na macroeconomia.

Além disso, Lucas incorporou nos modelos teóricos o conceito de expectativas racionais em substituição aos modelos que faziam uso de expectativas estáticas ou do tipo adaptativas. Essa contribuição ficou conhecida como Hipótese (ou Escola) das Expectativas Racionais, também chamada de Escola Novo Clássica  ou Nova Economia Clássica.

A ideia básica da Hipótese das Expectativas Racionais, que valeu a Lucas o Prêmio Nobel de Economia em 1995, é bastante atrativa. Considera que os participantes do mercado não ignoram nem desprezam a informação e as previsões sobre o curso futuro da economia e sobre a atividade econômica. Eles antecipam racionalmente os efeitos das políticas governamentais e reagem no presente de acordo com as expectativas que se formaram.

Quando o nome de Robert Lucas foi anunciado como ganhador do Nobel de Economia, Delfim Netto fez um comentário que aqui reproduzo como tributo ao grande economista: “Poucos economistas terão a honra de serem identificados como criadores de uma ‘escola’. Esse é o destino de Lucas: ser definitivamente associado à criação da Nova Economia Clássica”.

 

Iscas para ir mais fundo no assunto

Referências e indicações bibliográficas 

MACHADO, Luiz Alberto. Viagem pela economia. São Paulo: Scriptum, 2019. 

SALOMÃO, Benito. Regras fiscais, monetárias e a crítica de Lucas. Correio Braziliense, 26.03.2023. Disponível em https://www.correiobraziliense.com.br/opiniao/2023/03/5082965-artigo-regras-fiscais-monetarias-e-a-critica-de-lucas.html.

Ver Todos os artigos de Luiz Alberto Machado