s
Iscas Intelectuais
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
Café Brasil 935 – O que faz a sua cabeça?
É improvável – embora não impossível – que os ...

Ver mais

Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Café Brasil 934  – A Arte de Viver
Durante o mais recente encontro do meu Mastermind MLA – ...

Ver mais

Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
Café Brasil 933 – A ilusão de transparência
A ilusão de transparência é uma armadilha comum em que ...

Ver mais

Café Brasil 932 – Não se renda
Café Brasil 932 – Não se renda
Em "Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith", ...

Ver mais

LíderCast 328 – Criss Paiva
LíderCast 328 – Criss Paiva
A convidada de hoje é a Criss Paiva, professora, ...

Ver mais

LíderCast 327 – Pedro Cucco
LíderCast 327 – Pedro Cucco
327 – O convidado de hoje é Pedro Cucco, Diretor na ...

Ver mais

LíderCast 326 – Yuri Trafane
LíderCast 326 – Yuri Trafane
O convidado de hoje é Yuri Trafane, sócio da Ynner ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Rubens Ricupero
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Memórias de um grande protagonista   “Sem as cartas, não seríamos capazes de imaginar o fervor com que sentíamos e pensávamos aos vinte anos. Já quase não se escrevem mais cartas de amor, ...

Ver mais

Vida longa ao Real!
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Vida longa ao Real!   “A população percebe que é a obrigação de um governo e é um direito do cidadão a preservação do poder de compra da sua renda. E é um dever e uma obrigação do ...

Ver mais

A Lei de Say e a situação fiscal no Brasil
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A Lei de Say e o preocupante quadro fiscal brasileiro   “Uma das medidas essenciais para tirar o governo da rota do endividamento insustentável é a revisão das vinculações de despesas ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Cafezinho 632 – A quilha moral
Cafezinho 632 – A quilha moral
Sua identidade não vem de suas afiliações, ou de seus ...

Ver mais

Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
Cafezinho 631 – Quem ousa mudar?
O episódio de hoje foi inspirado num comentário que um ...

Ver mais

Cafezinho 630 – Medo da morte
Cafezinho 630 – Medo da morte
Na reunião do meu Mastermind na semana passada, a ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 5 – Conteúdo Proposicional e Símbolos Gramaticais (parte final)

Trivium: Capítulo 5 – Conteúdo Proposicional e Símbolos Gramaticais (parte final)

Alexandre Gomes - Iscas Conhecimento -

O conteúdo proposicional pode ser simbolizado através de (1) uma frase declarativa simples, (2) de uma frase declarativa complexa, (3) de uma frase declarativa  COMPOSTA, ou ainda, em raras circunstâncias, por meio de (4) uma não frase .

Agora que elenquei uma boa quantidade de possibilidades em que frases são construídas, vou buscar apresentar com exemplos cada tipo, mas de maneira direta, sem muita análise, que acredito que mais atrapalha do que ajuda a compreender o tema.

 

  1. Frase Declarativa Simples: pode simbolizar uma única proposição simples (a), duas ou mais proposições simples (b), ou uma proposição disjuntiva (c) –  tipo de proposição contém dois atributos dos quais um só há de convir ao sujeito

   a) Aquela cadeira pode ser confortável.

Na frase, não há dúvidas sobre essa declaração, nem qualquer outro atributo que pode ser associado ao sujeito “cadeira”. Logo, é uma declaração simples)

b) Este menino é alto

              Este menino é bonito

              Este menino é inteligente

              Sua inteligência é excepcional.

Na frase, três atributos foram associados ao sujeito “este menino”, além dos atributos, e cada oração é simples em si, mesmo a última, que muda o sujeito, nada mais faz que diferenciar apenas aquele atributo da oração anterior. Dessa forma, temos uma sequência de proposições simples nesta frase declarativa simples com várias proposições.

c) Um retângulo ou é quadrado ou é oblongo.

Nesta frase, a estrutura disjuntiva fica evidente. a proposição apresenta dois atributos, e apenas um pode ser associado ao sujeito “retângulo”

 

  1. Frase Declarativa Complexa: pode simbolizar uma única proposição simples (a), duas ou mais proposições simples (b), uma proposição hipotética (c) ou um silogismo (d).

 

a) O gato amarelo que ontem perambulava por nossa garagem foi atropelado.

A oração é definitiva na função, pois chama atenção (especifica, define) para um gato em particular, por conta de uma combinação de características bem específicas encadeadas. Ou seja, trata-se de um gato de cor específica, que passeava por um lugar específico em um período bem determinado, essa complexa combinação de eventos foi necessária para declarar o destino do animal no final da frase.

 

b) Alto e magro, Abraham Lincoln, o primeiro republicano a tornar-se presidente dos EUA, e aquele que editou a Declaração de Emancipação dos Escravos, foi assassinado.

Na frase, há cinco proposições sublinhadas. Todas são ATRIBUTIVAS na função, pois declaram atributos de um indivíduo já designado por um nome próprio. Dessa forma, fica fácil perceber que a frase é uma declaração complexa por conta justamente da sequência de atributos associados ao sujeito da frase 

 

c) Se não chover esta tarde iremos ao bosque.

A hipótese está claramente exposta como uma proposição necessária a ser cumprida para a realização da segunda proposição.

 

d) Dezoito é um número divisível por dois. 

               Todo número divisível por 2 é um número par.

               Logo, dezoito é um número par.

A estrutura de um silogismo é a apresentação de três proposições numa relação que a frase inteira representa uma verdade inegável. Mais sobre a relação silogística no futuro, quando tratarmos do capítulo 7 do livro que estamos estudando.

 

  1. Frase Declarativa Composta: pode simbolizar duas ou mais proposições simples (a) ou uma proposição disjuntiva (b).

a) Os salários são altos, mas os preços também são.

A diferença entre frases declarativas compostas e complexas é que nas frases compostas, as proposições convergem.

 

b) Ou o trem está atrasado ou nós o perdemos.

Também aqui, o que há são duas proposições, e desta vez elas não concordam entre si, nem excluem uma à outra. O que há é um cenário de duas proposições que justificam um fato oculto – no caso, a ausência do trem, sujeito desta frase.

 

  1. Menos que uma Frase (ou não-frase): pode, às vezes, simbolizar uma proposição simples. Por exemplo: “Fogo!”; isto equivale a, e mais idiomático que, “Irrompeu fogo!”. Gritar “Fogo!” é dar um alarme que ou é verdadeiro ou é falso. Isto prova que em tais circunstâncias A PALAVRA É ENTENDIDA COMO UMA PROPOSIÇÃO.

“Fogo!” significando “Atire!” é uma ordem e não simboliza uma proposição.

 

Ver Todos os artigos de Alexandre Gomes