s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 915 – O Homem Brinquedo
Café Brasil 915 – O Homem Brinquedo
A Inteligência Artificial é uma maravilha e está ...

Ver mais

Café Brasil 914 – Os canteiros de Cecília
Café Brasil 914 – Os canteiros de Cecília
Cecília Meireles deixou uma obra que transcende o ...

Ver mais

Café Brasil 913 – Tá ligado?
Café Brasil 913 – Tá ligado?
Na animação da Disney "A Bela e a Fera", de 1991, Bela, ...

Ver mais

Café Brasil 912 – Pobreza e Riqueza revisitado
Café Brasil 912 – Pobreza e Riqueza revisitado
Para que o Brasil estabeleça os requisitos básicos para ...

Ver mais

LíderCast 312 – Renata Silbert
LíderCast 312 – Renata Silbert
No episódio de hoje trazemos Renata Silbert, que tem ...

Ver mais

LíderCast 311 – Gus Erlichmann e Ariel Krok
LíderCast 311 – Gus Erlichmann e Ariel Krok
O episódio de hoje é especial, com dois convidados: Gus ...

Ver mais

LíderCast 310 – Estevan Oliveira
LíderCast 310 – Estevan Oliveira
No episódio de hoje temos Estevan Oliveira, que tem uma ...

Ver mais

LíderCast 309 – Sérgio Siqueira
LíderCast 309 – Sérgio Siqueira
No episódio de hoje temos Sérgio Siqueira, um ouvinte ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Os 30 anos do Plano Real
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Os 30 anos do Plano Real   Paulo Galvão Júnior (*) Luiz Alberto Machado (**)   1. Considerações iniciais É preciso sempre debater os destinos econômicos, sociais e ambientais de nosso ...

Ver mais

Releituras
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Releituras   “Quando um país é capaz de contar com as instituições preservadoras da autonomia individual (Estado de Direito e economia de mercado), de melhorar a qualificação de seus ...

Ver mais

Canadenses ganhadores do Prêmio Nobel de Economia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Visão geral dos economistas canadenses ganhadores do Prêmio Nobel de Economia Paulo Galvão Júnior (*) Luiz Alberto Machado (**) Enquanto o Brasil, com população estimada de 203,0 milhões de ...

Ver mais

Temperatura e Calor
alexsoletto
Iscas Científicas
TEMPERATURA E CALOR Esse texto é baseado no livro de Robert L. Wolke, professor emérito de química da Universidade de São Pittsburg (EUA) “Lo Que Einstein  Le Contó A Su Barbeiro”.   Texto de ...

Ver mais

Cafezinho 613 – Baixe a bola? Eu não!
Cafezinho 613 – Baixe a bola? Eu não!
Pô, Luciano, nessa idade você já devia ter baixado a ...

Ver mais

Cafezinho 612 – Se o Facebook não protege as crianças…
Cafezinho 612 – Se o Facebook não protege as crianças…
Em 2021, Frances Haugen, ex-diretora do Facebook, vazou ...

Ver mais

Cafezinho 611 – O funk no busão
Cafezinho 611 – O funk no busão
Não é difícil comprovar que as pessoas, em geral, estão ...

Ver mais

Cafezinho 610 – Siga Los Pájaros!
Cafezinho 610 – Siga Los Pájaros!
As decisões triviais que tomamos podem ir muito além do ...

Ver mais

Café Com Leite 66 – Matemágica

Café Com Leite 66 – Matemágica

Luciano Pires -

 

Babica: Bárbara, o que é essa tal matemática, com esse monte de números e problemas chatos na escola?

Bárbara: Hahahaha, sei que às vezes pode parecer assim, Babica. Mas a matemática é muito mais legal do que parece. Sabe, a matemática é como uma ferramenta mágica que nos ajuda a entender e resolver coisas no mundo.

Babica: Ferramenta mágica? Sério? Ahhhhm eu adoro mágica!

Bárbara: Então se prepare que hoje vamos falar dessa coisa mágica que é a matemática.

Babica: Ebaaaaaaaaaaaaaaaa

Bárbara: Meu nome Bárbara Stock e este é o Café Com Leite, um podcast para famílias com crianças inteligentes e para pais que se importam.

Babica: E eu sou a Babica, o avatar da Bárbara que vive dentro do celular dela! Também estarei aqui com você!

Bárbara: Babica, quem é o ouvinte de hoje?

Babica: Hoje são o Ricardo e a Maria Luiza

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Bárbara: Raraarararara… olha a curiosidade deles!

Babica: Rararaarrarara é mesmo. Eu acho que todo mundo fica curioso em saber quem é o Senhor A. Então responsa por favor, Senhor A:

Senhor A áudio

Bárbara: Ah, que legal, o Senhor A aqui no Café Com Leite!

Babica: Legal mesmo, ele é tão caprichoso! Edita o nosso podcast com o maior carinho! Um beijo, Senhor A!

Bárbara: Um beijão para ele e para os nossos ouvintes! Ricardo e Maria Luiza, vocês ganharam uma linda camiseta cada um! Entrem em contato conosco pra combinarmos o envio. Muito obrigado pela mensagem!

Babica: E se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la no próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal!

____________________________________________________

Babica: Então, Bárbara, me conte como começou a matemática?

Bárbara: Ah, é uma história cheia de descobertas fascinantes! Vamos voltar lá atrás, muito antes de nós duas existirmos.

Babica: Tipo na época da mitologia grega?

Bárbara: Na verdade, ninguém tem certeza de quando ou como ela começou, mas podemos usar nossa imaginação. Por exemplo, imagine que voltamos aos humanos pré-históricos que colhiam frutas para comer. Pensa comigo. Se você e seu amigo pré-histórico juntassem um cesto cheio de frutas, provavelmente concordariam em dividir igualmente, certo?

Babica: Claro, senão seria injusto!

Bárbara: Mas para dividir, primeiro precisariam saber quantas frutas tinham. Isso significa que teriam que contar.

Babica: Mas como contar se eles não sabiam contar?

Bárbara: Pois é… imagine um mundo onde não tem um, dois, três… Na pré-história era assim.

Babica: Então eles tiveram de inventar nomes para medir as coisas. Foi assim que surgiu a contagem e os primeiros números?

Bárbara: Sabe, Babica, a divisão surgiu da necessidade de dividir coisas de maneira justa, como aquela pilha de frutas. Vamos ver exemplos práticos disso na vida diária?

Babica: Vamoooooossssss!

Bárbara: Se você tiver um monte de chocolates e quiser dividir igualmente entre você e seus amigos?

Babica: Ué? Eu conto quantos chocolates tenho e divido pelo número de amigos. Somos três, tem doze chocolates, vai dar quatro para cada um. Mas isso é muito fácil, Bárbara.

Bárbara: Sim, mas agora é que fica interessante. Coloque-se no lugar de um homem das cavernas por apenas um segundo. Como seria dividir as frutinhas?

Babica: Ué? Não sei. Se eles não sabem contar… Bárbara, fica até difícil imaginar isso!

Bárbara: Exatamente! E essas ideias simples que começaram lá atrás com os humanos pré-históricos se desenvolveram ao longo do tempo, levando a coisas mais complicadas, como álgebra, geometria e todas essas áreas incríveis da matemática!

Babica: Uau, a matemática é mesmo útil! E ela está sempre ao nosso redor, ajudando a resolver problemas do dia a dia, não é?

Bárbara: Exatamente! E muitas descobertas matemáticas foram feitas porque eram necessárias, há milhares de anos em diferentes lugares ao mesmo tempo, incluindo China, Índia, Mesopotâmia e Egito.

Babica: Se não fosse assim as pessoas não saberiam contar até hoje! E nós seríamos o quê? Homens das cavernas?

Bárbara: Provavelmente. E você nem existiria…

Babica: Cruz credo! E quem foi que começou com a matemática? Não tem um grego, não?

Bárbara: Ahahahahah A matemática engloba muitos tipos diferentes de estudos, Babica. Por isso a sua descoberta não pode ser atribuída a uma só pessoa. Em vez disso, a matemática se desenvolveu lentamente ao longo de milhares de anos com a ajuda de milhares de pessoas!

Babica: Puxa.

Bárbara: Conforme o tempo passou, as pessoas perceberam que a matemática poderia ajudar em muitas coisas, como medir terras e construir grandes monumentos. Os gregos antigos, por exemplo, adoravam a matemática e deram a ela um lugar especial nas suas vidas.

Babica: Eu não disse que tinha de ter um grego? Toda história antiga tem um grego!

Bárbara: Sabe como os pastores faziam para contar seus rebanhos de cabras, antes de saber a matemática?

Babica: Não faço ideia.

Bárbara: Eles soltavam as cabras pela manhã no campo, e para cada animal, pegavam uma pedrinha e colocavam num saco. Depois de todos soltos, eles sabiam que tinham de ter tantos animais quantas pedrinhas no saco.

Babica: Que espertos!

Bárbara: No final do dia, quando iam recolher o rebanho, os pastores contavam de forma inversa, retirando do saco uma pedrinha para cada animal. Se sobrasse alguma pedrinha, significa quem um animal ficou perdido no campo.

Babica: Mas que espertos mesmo!

Bárbara: Pois é. Mas isso só servia para coisa simples. E foram surgindo diversas maneiras de expressar números. Podiam ser nós em cordas ou marcações feitas em ossos e pedras, variando de uma região para outra. E as pessoas começaram a perceber a necessidade de uma forma universal de representar quantidades, facilitando a comunicação entre diferentes grupos.

Babica: Por isso nasceram os números?

Bárbara: Sim.  E os egípcios foram pioneiros ao desenvolver um sistema numérico.

Babica: Ufa!

Bárbara: Ufa o quê, Babica?

Babica: Vamos falar de egípcios e não de mitologia grega com aqueles nomes esquisitos.

Bárbara: Ah, é?

Babica: Não é?

Bárbara: Quer que eu diga os nomes de alguns egípcios antigos?

Babica: O quê? São esquisitos também?

Bárbara: Cleópatra.

Babica: Hummm… não é tão estranho.

Bárbara: Tutankâmon.

Babica: Aí ficou estranho.

Bárbara: Ramsés. Akenatón. Imhotel. Nefertiri…

Babica: (muda)

Bárbara: Babica?

Babica: Bárbara, eu não acredito que você achou gente com nomes ainda mais malucos que os gregos!

Bárbara: Ahahahahah,eu não tenho culpa! Na antiguidade era assim!

Babica: Ah, não sei, não.

Bárbara: Na mitologia nórdica tinha Thor, Odin, Loki, Freya, Aegir, Skadi…

Babica: Mas que coisa… Olha, acho melhor voltar para a matemática.

Bárbara: Ahahahahahah. Havia um homem chamado Fibonacci, na Idade Média, que trouxe os números que usamos (1, 2, 3, …) para a Europa. E depois, ao longo dos séculos, muitos matemáticos incríveis como Newton, Leibniz e Euler deram saltos gigantes na matemática.

Babica: Puxa vida.. Não tem João, Maria, Roberto, Mário, Cristina, Bárbara?

Bárbara: Ahahahahah. Cada um deles contribuiu para descobertas importantes, Babica. Newton e Leibniz inventaram o cálculo, que é como a matemática lida com mudanças e movimentos. Euler brilhou com suas fórmulas e descobertas em muitos campos.

Babica: E hoje em dia?

Bárbara: Hoje a matemática continua a evoluir! Ela está por trás de tecnologias incríveis, como os computadores que usamos e os códigos que protegem nossas informações.

Babica: Sem matemática não teria internet?

Bárbara: Sem matemática não teria nada, Babica. Quando você está na cozinha medindo ingredientes para fazer uma torta, isso é matemática. Além disso, a matemática ajuda a gente a entender quanto tempo leva para chegar à escola, a contar seu dinheiro e até mesmo a resolver quebra-cabeças divertidos. É como uma superpoderosa ferramenta que usamos todos os dias para resolver problemas e descobrir coisas interessantes! Ela nos ajuda a entender melhor as coisas ao nosso redor.

Babica: É tipo uma super-heroína!

Bárbara: Exatamente! É uma super-heroína silenciosa, trabalhando nos bastidores para tornar o mundo mais compreensível e cheio de possibilidades.

Babica: Puxa vida, a gente simplesmente não consegue passar um dia sem usar algum tipo de matemática, então?

Bárbara: Não mesmo. Uma pessoa precisa entender de matemática, medidas e frações para cozinhar e assar, por exemplo. Nas receitas, vem escrito: use 200 gramas de farinha, deixe 20 minutos assando, tire um terço do caldo… e assim vai. Sem matemática, ficaria quase impossível cozinhar.

Babica: Também precisamos de matemática para calcular quando devemos sair de casa para chegar a tempo, não é?

Bárbara: Isso mesmo. Os pais calculam direitinho que horas têm de sair de casa para chegar a tempo na escola. Sem matemática, todo mundo chegaria adiantado ou atrasado. E se você for comprar tinta para redecorar as paredes do seu quarto, tem de usar a matemática para calcular quantas latas vai precisar.

Babica: Ah, e o grande desafio, né?

Bárbara: Qual?

Babica: O dinheiro!

Bárbara: Nem me fale, Babica! Saber lidar com dinheiro é uma habilidade incrivelmente importante para os adultos dominarem. É ela que ajuda a fazer orçamento, economizar e até mesmo tomar decisões importantes, como mudar de carreira ou comprar uma casa.

Babica: Puxa, fica impossível imaginar uma vida sem matemática!

Bárbara: E essa é apenas uma parte da história dela. A matemática continua a surpreender e desafiar as mentes curiosas, como a sua!

Babica: Mal posso esperar para usar a matemática quando for dividir as avalachas com o Nico!

Bárbara: Avalachas?

Babica: É. Avatar de bolachas!

Bárbara: Biscoitos, Babica.

Babica: Biscoito? É bolacha, Bárbara!

Bárbara: É biscoito!

Babica: (ficando irritada) Bo-la-cha!

Bárbara: Bis-coi-to!

Babica: Bom, avalachas ou aviscoitos, você entendeu!

As duas: ahahahahahahahah

____________________________________________________________

Bárbara: Não esqueça então: agora os assinantes do Café Com Leite recebem um conteúdo extra no final de cada episódio!

Babica: Isso mesmo! Pule pra dentro do Café Com Leite! Ajude a gente a continuar! No canalcafebrasil.com.br

Bárbara: Venha pro Clube Café Com Leite!

_______________________________________________________

Bárbara: Muito bem! Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar de Bárbara que mora no celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e o texto e direção são do Luciano Pires.

E hoje como vamos encerrar o episódio?

Babica: Ah, vou com uma frase de um grande físico chamado Albert Einstein

A Matemática não mente. Mente quem faz mau uso dela.