s
Iscas Intelectuais
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 328 – Crimes de Honra
Cafezinho 328 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

A Lei da Santa Ignorância

A Lei da Santa Ignorância

Filipe Aprigliano - Iscas do Apriga -

Certa vez Thomas Jefferson disse o seguinte:

“O homem que nunca lê jornais está mais bem informado do que quem os lê assiduamente, assim como o homem que nada sabe está mais próximo da virtude do que aquele cujo espírito está repleto de falsidades e erros.”

Eu sempre fui inclinado a concordar com essa frase, mas nos últimos anos ela ganhou um novo status, que eu chamo de Lei da Santa Ignorância. Você que esta aí achando que eu gostaria de promover a desinformação ou a estultice, tenha paciência.

Sou a favor da virtude, do mérito e da verdade. E se você é daqueles que acredita que tudo é relativo, esse texto foi feito com carinho para a sua pessoa.

Vamos começar pelo desafio nível zero. Classifique por gentileza as afirmações abaixo como verdadeiras ou falsas, não vale usar “depende”, e se ficar na dúvida use a sua intuição. Faça esse esforço pelo bem do nosso relacionamento:

  1. a mulher é um animal
  2. a raça é uma característica hereditária
  3. um conservador é uma pessoa egoísta
  4. uma criança tem 5 direitos fundamentais
  5. essa lista está começando a te irritar

Muito bem, tirando o item 5, todos os outros foram meticulosamente selecionados para te fazer sofrer….

  1. É claro que toda mulher é um animal, mas temos que tomar cuidado para falar das mulheres atualmente.
  2. A raça enquanto qualidade física é hereditária, mas e as características culturais da raça? E o que acontece se duas pessoas de raças diferentes tem um filho? Seria um híbrido racial? E que tal o fato de que raça é uma invenção histórica ultrapassada e bastante útil para agenda de alguns?
  3. Um conservador pode sim ser egoísta, mas ele pode ser albino e ter problemas de gastrite também, são coisas do destino que não estão relacionadas.
  4. Eu não sei quantos direitos fundamentais uma criança tem, eu chutei 5, mas se lhe fossem garantidos pelo menos os mesmos direitos de um adulto seria ótimo. Inclusive, a infância também é uma invenção histórica, houve época em que uma criança era apenas uma pessoa em fase de crescimento.

Toda essa brincadeira é porque eu me considero uma experiência sociológica. Meus pais não me criaram numa ilha e nem com lobos como irmãos, mas fizeram algo ainda mais revolucionário, me privaram de televisão e jornal na infância. Dessa forma, eu me acostumei a buscar as informações segundo o meu interesse. Alguns acontecimentos do momento, por exemplo um tsunami, eu podia ficar alguns dias sem saber, até ouvir alguém comentar a respeito.

Isso pode parecer bizarro, mas eu cresci nos anos 80, vocês lembram dos video clipes dessa época? Foram anos bizarros mesmo. Enfim, eu mantive essa mania até hoje, ainda me surpreendo com as notícias de anteontem.

E o qual é a relação da Lei da Santa Ignorância com meu histórico privado? Quando você está acostumado a saber das coisas pelos outros de forma aleatória, acaba aprendendo a dar um desconto e a verificar as informações. E quando eu leio um artigo ou assisto uma matéria no jornal, o nível de credibilidade que o meu subconsciente adota é o mesmo que adotaria para uma pessoa desconhecida na rua.

Você acha que um advogado é uma pessoa tendenciosa, então você precisa conhecer mais jornalistas. A vantagem do advogado é que você sabe quem é o cliente antes dele abrir a boca.

Eu tenho amigos jornalistas, mas a culpa não é deles, o problema é que a grande midia se tornou o fast food do conhecimento, e isso vicia, além de fazer mal a saúde mental, é claro. Eu sou totalmente a favor de uma imprensa parcial, acho que nem existe de outro tipo. É uma pena que ao invés de assumir posições tenhamos que conviver com esse jogo de palavras e símbolos enfadonho e muitas vezes perverso do politicamente correto.

Atualmente eu faço a experiência sociológica inversa, quando eu assisto por acaso um jornal na televisão ou coloco um jornal que peguei na reciclagem para o meu cachorro mijar, eu analiso da seguinte forma: quais são os conceitos fast food que estão contidos nessa matéria?

Hoje mesmo eu assisti uma sobre quem está ganhando com a crise econômica. Quem? É o sapateiro, que estava sem clientes. Agora que as pessoas estão sem dinheiro, preferem recuperar um sapato velho a comprar um novo. Trata-se de uma visão romântica da desgraça, ou seja, alguém perdeu o emprego na industria e na loja de sapatos, mas o sapateiro ganhou um serviço extra, e ainda colaboramos com a conservação da natureza. Que lindo!

Coisas como essa que passam despercebidas e que nos fazem ficar sempre no meio do caminho. É o maldito “tudo é relativo”, que só serve para você desistir de avaliar o que é certo e errado, o que é verdadeiro ou falso.

Não importa o que dizem por aí, imagine que você é um virtuoso que não sabe de nada e construa a sua opinião pela sua experiência e esforço próprios, e não porque a maioria pensa assim. Reconstrua seu conhecimento a partir da ignorância santa em direção ao conhecimento saudável. Chega de burrice fast food!

Obrigado pelo seu tempo. Quem sabe nos falamos de novo?

Ver Todos os artigos de Filipe Aprigliano