s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

A Cartilha

A Cartilha

Luciano Pires -

 A CARTILHA

por Luciano Pires

Não canso de me surpreender com a criatividade que nossos conterrâneos revelam nos momentos mais inesperados. Agora foi a tal Cartilha do Politicamente Correto, editada para evitar que usemos termos, digamos, ofensivos a diversas categorias de pessoas. Ela quer derrubar preconceitos.


Pela cartilha, não poderemos mais chamar um mau motorista de barbeiro, pois é ofensivo aos profissionais do corte de cabelo. Dizer que “a coisa está preta”, nem pensar. Homossexuais só poderão ser “entendidos”.



“Comunista” é termo banido, pois remete às vítimas do regime militar.



“Negão”, “neguinha” e outras formas de apontar a diferença de cor de pele, estarão banidos. E por aí vai.



Lula ficou indignado. Não poderá mais chamar seus colegas de “peões”.



Pois eu acho a idéia da Cartilha excelente. E acho reconfortante saber que temos gente preocupada em recolocar nos trilhos nosso idioma tão maltratado e mal utilizado. Em vez de criticar , deveríamos incentivar a iniciativa. Mas desde que seja feita uma pequena mudança.



Em vez de termos “politicamente corretos” a cartilha vai tratar de “moralmente corretos”.



Vamos recolocar as coisas em seu devido lugar. Ninguém mais vai poder dizer “violência, impunidade, vereador, deputado, assessor parlamentar, fraudador do INSS, imposto, corrupção, comissão, traição, nepotismo, marqueteiro, voto….” e outros termos, impunemente.



Esses termos só poderão ser usados no contexto moralmente correto, quando indicarem uma função moralmente correta.



“Vereador”, “deputado” e “senador”, por exemplo, só poderão ser usados para designar os políticos que representam e trabalham em favor de suas comunidades. Os aproveitadores, hipócritas e coronéis não podem usar.



“Comissão” só pode ser usado para designar quantias pagas como retribuição a serviços prestados com honestidade e mérito.



“Impunidade” só servirá como atributo negativo, jamais como direito adquirido por quem tem poder ou é amigo de quem tem poder.



“Imposto” só pode designar taxas cobradas oferecer serviços essenciais.



Já pensou uma cartilha dessas? Devolvendo aos brasileiros a capacidade de indignar-se? De perceber a diferença entre o certo e o errado, o moral e o imoral? Deixando claros os limites entre direitos e deveres? Entre público e privado?



Ah, mas numa cartilha assim, eles não pensam. Nas cabeças confusas que hoje definem os rumos de nosso Brasil, política vem sempre em primeiro.



Moral é apenas um detalhe.