s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Cafezinho 426 – Quem tem pressa?
Cafezinho 426 – Quem tem pressa?
Hoje as narrativas familiares perderam espaço para uma ...

Ver mais

A Empresinha

A Empresinha

Luciano Pires -

Eu odeio a TIM. Quando cheguei em casa, de volta do réveillon, no dia 4 de janeiro, encontrei um pacote com um celular da TIM, acompanhado de nota fiscal e contrato de venda. Era a segunda vez que isso acontecia. O detalhe é que eu não havia comprado celular nenhum… Imediatamente liguei para a TIM, para devolver o aparelho que não comprei. Fiquei longos minutos ao telefone, sendo jogado de um atendente para outro. Quando o sistema não caía, estava lento. Uma tortura. E depois a ameaça: “esta conversa está sendo gravada”. Lembrei daqueles cartazetes das repartições públicas, que ameaçavam: “é proibido ofender o servidor público”…
Foram horas ao telefone. Horas de tempo, horas de vida. Como se eu não tivesse mais o que fazer com minhas horas. Até que uma atendente abriu um protocolo de cancelamento, me passou o número e me tranqüilizou:

– Vamos mandar retirar o telefone que o senhor não comprou.

Ufa! Mas se ela pode resolver, por que as outras atendentes não puderam?
No dia seguinte recebo ligação da TIM. Uma moça diz que a empresa não aceitará o protocolo de cancelamento, pois eu havia superado o prazo para reclamação, que era de sete dias… O telefone que eu não pedi foi entregue entre o Natal e Ano Novo, quando eu estava viajando. E, quando cheguei de viagem, nove dias haviam se passado. Gritei, esbravejei, ameacei e nada. Pedi que chamassem o supervisor. Não tem. Pedi o gerente. Não tem. Pedi outro atendente:

– Todos são treinados igual.

Pedi o telefone da ouvidoria. Não tem.

– A operadora passou todas as informações. Posso ajudar em mais alguma coisa?

Com o sangue fervendo desliguei o telefone na cara da atendente. No processo, devo ter falado com 12 ou 13 pessoas diferentes. Para cada uma repeti toda a história, o CIC, o RG, enderêço…
Liguei para meu advogado: vamos ao Procon. Ele aconselha a esperar a TIM mandar meu nome para o SPC, assim buscaríamos uma indenização monetária, cerca de 40 salários mínimos. Mas então tive uma idéia. Procurei, entre os 27 mil endereços eletrônicos que recebem meus artigos, os que tinham TIM. Encontrei oito. Mandei um e-mail pedindo ajuda. Dois responderam, solicitando mais dados para encaminhar a reclamação internamente. No dia seguinte recebi um e-mail da responsável pela área de televendas, pedindo desculpas em nome da TIM e dizendo que mandariam retirar o aparelho que eu não comprei. Hoje levaram o dito.
O que ocorreu? Só posso imaginar uma coisa. Os vendedores de telemarketing têm que fechar uma cota mensal. Quando chega o fim do mês e o número não fechou, pegam os dados de algum cliente antigo (meu caso) e fazem a venda à revelia do cliente. Fecham a cota do mês e o cliente que se vire para devolver o telefone que não comprou. A devolução acontece em outra área da TIM e ninguém fica sabendo da malandragem. Vigarice. O sujeito da logística tem que fazer as entregas dentro de um tempo determinado. Se o cliente não está, entrega para a empregada e ele mesmo assina o canhoto da nota. Falsidade ideológica. Os atendentes têm que ouvir os clientes e tentar resolver com aquilo para que são treinados: nos 20% dos problemas que geram 80% das reclamações. Saiu fora, não tem como. E não existe a quem recorrer. Mau atendimento.

Pobre de quem não tem 27 mil leitores…

Aquelas propagandas milionárias constroem uma imagem mentirosa que é destruída pela atendente incompetente e pelo sistema que não funciona. Se a TIM usasse o dinheiro que gasta em propaganda enganosa num atendimento decente, ganharia muito mais. Mas não. Dá mais prestígio ver o filminho engraçadinho na Globo. E ser enganado pela planilha do Gerente de Operações, que mostra que as reclamações caíram 1% no ano que passou, faz parte da comédia corporativa.
Mas eu não vou ficar quieto, não. Você trabalha ou trabalhou na TIM ou outra operadora? Conhece alguém que trabalhou e que possa me contar o que se passa lá dentro? As sacanagens? Escreva-me. Garanto o sigilo.
Quero escrever  um artigo devastador que escancare a incompetência, jogo de interesses, desonestidade e falta de ética dessas empresinhas.

Depois mando um e-mail pra TIM pedindo desculpas.