s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

A ética da corrupção

A ética da corrupção

Luciano Pires -

– Pô, Luciano, mas corrupção tem ética?

Claro que tem! Até os traficantes que incendeiam pessoas têm sua ética. A corrupção também tem. Para que ela, a corrupção, funcione, é preciso tomar alguns cuidados, por exemplo:

– Envolver pouca gente no esquema. Quanto mais gente envolvida, maior o risco de que alguém acabe dando com a língua nos dentes. Basta se sentir preterido, traído ou abandonado. Menos gente, menos risco.

– Não conte pra ninguém. Nada de demonstrações de riqueza, de contar vantagem, de exibicionismo. Sempre há algum curioso que vai querer saber como é que você conseguiu essa grana toda.

– Seja legal. Não seja truculento, violento, agressivo, mal educado. Há uma frase que adoro, que diz: aqueles que o temem na sua presença, o odeiam na sua ausência. Na primeira oportunidade vão puxar o tapete! Trate todo mundo bem, seja o sujeito legal.

– Varie os caminhos. Cuidado com os processos muito antigos que, embora funcionem direito, vão assumindo vícios. É conveniente sempre reavaliar os sistemas e processos de roubo, aperfeiçoá-los.

– Mantenha a legalidade em alguns pontos. Por exemplo, se for depositar dinheiro roubado em sua conta, use alguma triangulação, um laranja, uma lavandeira. Quando alguém suspeitar, você repete sem parar: todos os depósitos foram legais. E se perguntarem a origem do dinheiro você diz que isso é problema de quem depositou na sua conta, que você não sabia de nada.

– Pague impostos. Use um pouco do produto do roubo para deixar o leão manso e não desconfiado. E você ainda pode posar de bom cidadão!

– Esquente o dinheiro com coisas nobres. Seja um mecenas, ajude as artes, seja filantrópico, ajude entidades e pessoas necessitadas. Faça como Pablo Escobar, construa uma creche, um campo de futebol ou uma ala do hospital. De novo: no dia que você for preso, dirão: puxa, mas ele é um bom cidadão.

– Não perca a perspectiva. Você está agindo contra a lei, por mais rico, poderoso que se torne, continuará sendo um rato. Se alguém descobrir, você vai ter problemas. Ninguém fica honesto só por ter dinheiro.

– Bote tudo, propriedades, carros, barcos, aviões, em nome de terceiros. Mas cuidado. Aí você cai no item um…

– E se você tem influência política, dê pão ao povo. Muito pão. Faça com que se sintam satisfeitos, assim ninguém vai prestar atenção nos desvios.

– Bem, isso tudo são dicas operacionais do Manual do Bom Corrupto. Ainda não vi a “ética”, Luciano.

Lá vai:

– Não seja guloso. Se você abre a geladeira e come todo o queijo do seu colega, ele saberá disso imediatamente ao notar a ausência do queijo. O truque é comer aos pouquinhos. Uma fatiazinha aqui, outra depois… e ele nem percebe que mais alguém está usufruindo do queijo. A ganância é mortífera para o corrupto.

Entendeu agora? O que aconteceu no Brasil nos últimos anos foi a quebra do código de ética da corrupção. Roubaram demais, além da conta. Roubaram de porta aberta. Envolveram gente demais nos esquemas. Deixaram milhares de pontas soltas. Mostraram sinais de riqueza. Roubaram mesmo quando faltou pão. E se sentiram acima do bem e do mal.

Sujaram tudo. E agora o Moro está tentando limpar.

Mas ele precisa de ajuda.