s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

A imperfeição do perfeito

A imperfeição do perfeito

Luciano Pires -

Recentemente escrevi um texto falando do Tico e do Teco empresarial: o Transtorno da Incompetência Compulsiva Obsessiva e o Transtorno da Excelência Compulsiva Obsessiva. Dois extremos de um mesmo problema: a incompetência empresarial. O conceito agora faz parte de minha nova palestra “Gente Criativa, Empresas Lucrativas”, na qual exercito algumas reflexões incômodas sobre como – num mundo em transformação – continuamos repetindo processos ultrapassados e comprovadamente ineficientes.

Na palestra monto o gráfico do Tico e Teco, que demonstra como a coisa acontece: toda empresa começa com o Tico, absolutamente incompetente, e vai aos poucos melhorando. Os funcionários vão se familiarizando com os processos, investimentos em equipamentos e pessoas são feitos e as coisas evoluem. Logo a empresa começa a se tornar competente e na busca por mais competitividade, implementa novos procedimentos. Chegam as Isos, QSs, Prêmios da Qualidade e dezenas de sistemas criados para controlar, comandar e garantir a qualidade. Os resultados aparecem! Inebriadas pelo sucesso as lideranças não percebem que atingiram o ponto de equilíbrio e querem mais! Investem em mais gente, mais processos, mais burocracia, controles, controles, controles. Nasce a sociedade da estabilidade, avessa a turbulências, a sustos, a imprevistos. Até chegar ao Teco: de tão excelente a empresa se torna incompetente…

Parece uma loucura, não é? Afinal, excelência e incompetência são incompatíveis! Pois é. Mas “incompatibilidade” é um conceito relativo quando se lida com seres vivos. E o Teco cria vida! Acredite: os processos agigantados e cada vez mais complexos ganham vida própria e a burocracia atinge níveis absurdos, transformando as pessoas em meras engrenagens. É quando surge um fenômeno curioso: torna-se cada vez mais difícil encontrar a raiz dos problemas no emaranhado de responsabilidades, interdependências e burocracia.

O grande sistema super-ultra-mega competente ganha vida própria e passa a se proteger, a se reproduzir, tem dores, tem febre, espirra e tem humores. E o inexplicável acontece: a empresa-símbolo de qualidade despenca com problemas de qualidade.

A saída? O grande escritor Rubem Alves deu a pista: “Rotinas e repetições paralisam o pensamento. Inteligência se alimenta de desafios. Sem desafios ela murcha, encolhe. O conhecimento só se inicia quando o familiar deixa de ser familiar, quando nos espantamos diante de um enigma. É no espanto que o pensamento começa”.  

Rubem está dizendo que se seu trabalho é uma rotina, não existe mais inteligência nele. Se sua vida é uma rotina, não existe mais inteligência nela. E rotina é tudo o que quer nossa sociedade da estabilidade, que não admite o espanto.  

Desenvolvemos a inteligência para criar os processos, mas somos fracos na inteligência para implementar e – principalmente – conduzir os processos. Buscando obsessivamente a estabilidade, tentamos reduzir a complexidade de nossas a vidas a números. Criamos roteiros-padrões perfeitos que entregamos a seres humanos imperfeitos, que não tem capacidade de julgamento e tomada de decisão para perceber as imperfeições do perfeito. 

Gente assim não conduz processos. É conduzida por eles.