s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

A aparente contradição entre desemprego e escassez de mão de obra
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Esclarecendo a aparente contradição entre desemprego e escassez de mão de obra “Antes, as habilidades não eram tão amplas. Hoje, o profissional precisa conhecer e estudar a fundo vários assuntos. ...

Ver mais

Pax Aeterna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Maquiavel é, com alguma freqüência, considerado o primeiro cientista político moderno: nas suas análises, ele teria sido um dos primeiros a rejeitar tanto uma concepção metafísica da natureza ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Cafezinho 432 – O vencedor
Cafezinho 432 – O vencedor
As pessoas não se importam com o que você diz, desde ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

A matriz Carver

A matriz Carver

Luciano Pires -

As manifestações que acontecem pelo Brasil pedindo da melhoria da saúde ao fim do funk alto no busão, explicitam centenas de objetos da insatisfação popular e deixam claro que colocar ordem e resolver as demandas parece ser tarefa impossível.

Para quem conhece planejamento estratégico, parece evidente que a primeira ação a ser tomada é a priorização dos problemas. Não dá para resolver tudo de uma vez, então comecemos pelos mais urgentes e importantes. E para isso vou buscar inspiração nos militares, dando uma sugestão para a nossa Presidente.

Dona Dilma, o Exército dos Estados Unidos tem o que eles chamam de CARVER Matrix, um acrônimo feito a partir das primeiras letras de Criticality, Accessibility, Return (ou Recuperability), Vulnerability, Effect e Recognizability. Em português teríamos o mesmo CARVER, com Criticidade, Acessibilidade, Retorno, Vulnerabilidade, Efeito e Reconhecimento.

Eles analisam os alvos sob o ponto de vista de cada um dos fatores CARVER, dando a eles uma nota de 1 (mais baixo) a 5 (mais alto), dessa forma calculando uma matriz de prioridades. Quanto mais alta for a pontuação CARVER do alvo, mais importante ele se torna. Vamos ver como funciona, sempre considerando que o objetivo final é o bem estar da população:

Criticidade: quão crítico é o problema (alvo) em relação à capacidade de proporcionar o bem estar da população? Projetos que têm baixa criticidade, como plebiscitos, por exemplo, podem ser legais ou fáceis de fazer, mas no final representam muito pouco na capacidade de atingir o objetivo principal.

Acessibilidade: qual o grau de facilidade para atingir o alvo? É um objetivo muito fácil de acessar ou vai precisar de recursos que não temos?

Retorno: qual o impacto na capacidade do inimigo de se recuperar após a destruição do alvo? Qual o retorno que teremos do investimento de recursos aplicado no ataque ao alvo? Se o inimigo se recupera rapidamente, talvez seja perda de tempo atacar.

Vulnerabilidade: qual a vulnerabilidade do alvo? Quanto recurso é necessário para atingi-lo? É caro ou barato destruir aquele alvo?

Efeito: qual a consequência da destruição do alvo? Se atingirmos nosso objetivo, qual a consequência em nossas vidas e na vida dos outros?

Reconhecimento: o alvo pode ser visto com facilidade ou está bem camuflado? É fácil reconhecer os passos necessários para atingi-lo? É algo familiar ou vamos ter que começar do zero?

Dona Dilma, se a senhora tiver tempo, monte uma Matriz Carver e lance nela alguns dos principais motes das manifestações, calculando a pontuação. Faça o exercício lembrando que as notas para cada atributo devem levar em consideração seus objetivos, sua missão, seu propósito: o bem estar da população. No final, a senhora concluirá quais são os alvos mais importantes e que devem ser atacados já.

Mas, por favor, faça isso sozinha. Não peça ajuda ao Mercadante, ou a senhora não vai entender nada. Não peça ajuda ao João Santana ou a senhora só fará promessas. Não peça ajuda ao Lula, ou a senhora só atenderá as prioridades pessoais dele. E, por favor, não peça ajuda ao Guido Mantega. Ele vai errar a conta.

Luciano Pires