s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Acabativa: o óbvio para fazer acontecer

Acabativa: o óbvio para fazer acontecer

Luciano Pires -

Em meu penúltimo artigo de 2010 dei início ao que pretendo seja uma série sobre a Acabativa, neologismo que indica a capacidade de fazer acontecer. Uma leitora, a Paula Cristina, me escreveu:

“…vamos colocar pessoas como eu dando conselhos aos outros, ou melhor, repassando. Mas na hora H, fica difícil aplicar o que aprendi durante anos, e entro em pânico. Será que é possível colocar as idéias em prática sem a ajuda de toda esta gente com textos maravilhosos? Quem sabe você formula um lindo texto e destrincha esta questão?”

Vou tentar. Paula, muitas vezes esses “conselhos” que recebemos tratam do “o que fazer” e nos vemos paralisados diante do “como fazer”. Isso acontece com todo mundo… O melhor é desenvolver um método para fazer acontecer. “Método” vem do grego méthodos, que quer dizer “caminho para chegar a um fim”. Ao tomar banho, por exemplo, você prende o cabelo da mesma forma, ensaboa primeiro uma parte do corpo, depois outra, e ao se enxugar segue uma rotina. É seu método.

É por meio de métodos (ou processos) que os objetivos estratégicos pessoais e das empresas são atingidos. Por exemplo, para perder peso os métodos podem ser: tomar remédios, fazer dietas ou praticar exercícios físicos. Para dar suporte a esses métodos, precisamos do conhecimento do médico, da nutricionista e do professor de educação física. E da tecnologia de aparelhos de ginástica, do tênis à esteira computadorizada.

Se dividirmos as providências necessárias para agir e perder peso, acabaremos chegando a um método óbvio:

Primeiro tem que estar clara a necessidade de que TEMOS de perder peso. Se não estivermos convencidos, se não entendermos a razão de perder peso e os benefícios, não vamos nem começar. Portanto, a compreensão da inconveniência que precisa da ação vem em primeiro lugar.

Em seguida temos que descobrir O QUE fazer: perguntando a quem tem ou teve a mesma inconveniência, lendo a respeito, consultando especialistas que dirão o que deve ser feito e até mesmo COMO fazer.

Em seguida, precisamos do conhecimento e da tecnologia para agir. Que dieta fazer? Temos grana pra pagar uma academia? Se não temos, dá pra fazer o exercício em casa? Onde aprender os exercícios?

Depois é preciso definir indicadores que mostrem que estamos no caminho certo: medir o peso todo dia? Fazer um exame de sangue periódico? Determinar a taxa de gordura e acompanhar? Experimentar roupas antigas pra saber se servem? Quem já sentiu o prazer de subir numa balança e descobrir que está um quilo mais leve, sabe do que estou falando. A sensação de vitória desse indicador de sucesso – a balança – é que vai nos motivar a continuar seguindo o método.

Bem, não dá para escrever aqui um tratado, tem que ser aos poucos, mas acho que deu pra dar uma pista: para praticar a acabativa é conveniente desenvolver um método. Convencer-se de que algo tem que ser feito. Buscar conhecimento sobre o que fazer. Desenvolver as tecnologias necessárias para executar. E definir como medir o resultado.

Parece óbvio, não é? E é óbvio.

Mas como é difícil fazer…

Luciano Pires