s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

As Repúblicas Do Cagaço

As Repúblicas Do Cagaço

Luciano Pires -

 

AS REPÚBLICAS DO CAGAÇO 


Ontem vi uma matéria sobre a implementação de mais de 100 mudanças no projeto que mandou dois chineses ao espaço. Eles disseram que não querem repetir os problemas que os estadunidenses tiveram nas últimas missões do ônibus espacial.


A primeira reação que tive foi de exclamar “que audácia”. Mas depois pensei mais a respeito. Lembrei-me da enrascada em que os EUA se meteram no Iraque, que parece não ter fim. Depois me lembrei da confusão de New Orleans, que também parece não ter fim. E aqueles escândalos corporativos?


Pois concluí que os EUA são apenas mais dos países que estão naufragados numa epidemia de cagaço. Não tenho dúvidas que se estivéssemos na década de sessenta do milênio passado, esses problemas teriam sido resolvidos em questão de horas. Em 1965 os EUA teriam realizado uma mobilização sem precedentes para resolver o problema de New Orleans. Em 1969, com uma tecnologia pré-histórica, eles colocaram o homem na Lua, sem o medo que os vôos do ônibus espacial hoje trazem.


Sabe a razão?


Aquela era uma época de gente que fazia acontecer. De lideranças que assumiam riscos. De gente treinada para tomar decisões. Aquela era uma época em que os planos eram levados a sério e que cada um tinha consciência do impacto e influência de suas ações sobre o próximo. Aquela era uma época de gente compromissada com a ação.


Hoje o que vemos são estruturas complexas, gente superficial e planos. Planos, planos e mais planos. Todo mundo fazendo planos, apresentando planos, dando-lhes nomes pomposos e depois esperando que os planos se transformem em ação. Como mágica.


São raras as lideranças que assumem riscos. Todo mundo quer livrar o seu. Decisão? Só se for num comitê, onde minha assinatura perca-se em meio a outras dezenas. Assim diluo a responsabilidade.


Fazer acontecer? Só depois que os outros fizerem.


Por isso explode a Challenger. Por isso o Katrina faz o estrago que fez. Por isso os Chineses tem aquela audácia. Por isso os japoneses estão mais uma vez dizimando a indústria automobilística dos EUA.


E sabe da maior? Nós, no Brasil, somos uma cópia piorada dos EUA. Importamos para cá seus sistemas administrativos e os implementamos, numa sociedade que nada tem a ver com a estadunidense.


Estamos criando, aqui também, uma república de cagões. De gente que tem medo de tomar decisão. De infindáveis comitês que permanecem à espera das decisões dos comitês estadunidenses. E surgem planos. Planos, planos e mais planos que, com um trato marqueteiro, são anunciados de forma retumbante e… Nada acontece.


Enquanto isso os Chineses, disciplinados, focados no mesmo objetivo, cientes de suas responsabilidades e comprometidos, colocam dois deles em órbita. E prometem mais.


No mundo de hoje, competitivo e apressado, não vence mais quem tem a melhor tecnologia. Ou os melhores planos. Ou mais velocidade.


Vence quem não é cagão.