s
Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Brasiliência

Brasiliência

Luciano Pires -

Já ouviu falar em Brasiliência? Acho que não, esse termo não existe, eu inventei. É a junção de “Brasil” com “resiliência”.

Resiliência é a capacidade de recuperação, de se recobrar diante de adversidades, de se adaptar a mudanças. O melhor exemplo é o lutador do UFC que, mesmo recebendo uma saraivada de pancadas, grogue, quase caindo, consegue reagir e nocautear o oponente. Ou aquele seu parente que faliu anos atrás e hoje está de volta aos negócios, bem sucedido.

Quem desenvolve a resiliência tem mais condições de enfrentar desapontamentos, lidar com perdas e se adaptar a mudanças. A “alma” do resiliente é a capacidade de enxergar os obstáculos como componentes críticos do sucesso. O resiliente tem grande senso de controle sobre seu destino, sabe que pode contar com ajuda de outras pessoas quando necessário e toma iniciativa para resolver seus problemas. Atitude positiva, otimismo, habilidade para controlar emoções e receber as críticas e falhas como algo positivo para fazer melhor. O resiliente aprende com os erros.

Isso é resiliência. Vamos à brasiliência.

Em minha palestra A Fórmula da Inovação, quando trato da “proposta de valor”, dou um exemplo perfeito da brasiliência. Faço um exercício com a plateia, mostrando imagens de um resort, provavelmente no Tahiti, com um casal saboreando o café da manhã numa área coberta, dentro do mar, numa piscina natural, transparente… Maravilhosa!

Em seguida mostro a imagem de uma cidade do interior do Brasil, durante uma inundação. A água pela cintura das pessoas, uma tragédia. A imagem mostra uns caras que fizeram uma boia com uma câmara de ar de caminhão, colocaram um guarda sol em cima, uma tábua como mesa, cervejas e… pronto! Baita festa, curtindo o momento. Um contraponto perfeito aos turistas do Tahiti! E então falo da diferença entre expectativa e realidade.

Mas o momento principal é no final da reflexão, quando coloco as duas imagens lado a lado. Na imagem do Tahiti, naquele paraíso, aparecem turistas europeus, sérios, nenhum sorriso! Na imagem do Brasil, no meio da tragédia, todos com copo na mão, sorrisos largos, abraços, a maior diversão. Quase dá para ouvir o samba. E comento:

– Tá vendo porque o Brasil nunca vai quebrar?

O brasileiro inventou a brasiliência, uma singular capacidade de viver tomando porrada e continuar sorrindo.

O brasiliente faz piada das coisas mais trágicas.

O brasiliente confia que um deus ou um santo há de dar um jeito.

O brasiliente deixa para amanhã os problemas mais graves ou complexos.

O brasiliente acredita em promessas, por mais absurdas que pareçam.

O brasiliente não aprende com os erros, os releva. E comete outra vez.

O brasiliente acha que o que é de todos, não é de ninguém.

O brasiliente não tem paciência para fazer contas.

O brasiliente troca tristeza por alegria, seja onde ou como for.

O brasiliente, até por falta de comparação, se conforma com o meia boca, pois “dá pro gasto”.

O brasiliente tem como estratégia de vida, a esperança de que tudo vai melhorar.

E um dia, lá na frente, machucado, maltratado, roubado, esfolado, zonzo, mas vivo, o brasiliente, com um copo de cerveja na mão e um sambinha ao fundo diz: tá vendo como no fim dá tudo certo?

Brasiliência é uma forma de ver a vida, que faz com que as pessoas, mesmo sofrendo, se sintam felizes.

Deveria ser uma baita qualidade.

Mas dói pra caramba.