s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

A aparente contradição entre desemprego e escassez de mão de obra
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Esclarecendo a aparente contradição entre desemprego e escassez de mão de obra “Antes, as habilidades não eram tão amplas. Hoje, o profissional precisa conhecer e estudar a fundo vários assuntos. ...

Ver mais

Pax Aeterna
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Maquiavel é, com alguma freqüência, considerado o primeiro cientista político moderno: nas suas análises, ele teria sido um dos primeiros a rejeitar tanto uma concepção metafísica da natureza ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Cafezinho 432 – O vencedor
Cafezinho 432 – O vencedor
As pessoas não se importam com o que você diz, desde ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Desconfio

Desconfio

Luciano Pires -

Ando desconfiado. Desconfio do que leio nos jornais. Desconfio do que vejo na TV. Desconfio do que recebo pela internet. Desconfio das estatísticas dos políticos. Desconfio das estatísticas dos economistas. Desconfio do desconto na loja. Desconfio da promoção da empresa de telefonia. Desconfio do brinde no posto de gasolina. Desconfio do vendedor. Desconfio do padre. Desconfio do policial. Desconfio do eletricista. Desconfio da pessoa que me aborda para perguntar as horas. Desconfio de quem defende o governo. Desconfio de quem ataca o governo. Desconfio de quem não gosta de política. Desconfio do técnico do meu time. Desconfio do filme que ganhou o Oscar. Desconfio do vinho que me servem. Pior: desconfio que estou educando meus filhos a desconfiar dos outros.

Tô ficando louco? Velho? Ranzinza? Ou sou apenas um brasileiro deste início de milênio, igualzinho a você?

Meio século de vida me mostrou que confiar cegamente é perigoso, mas a impressão que tenho é que saí do oito pro oitenta! E descobri que não sou dos mais intolerantes. Meus amigos também desconfiam!

Um estudioso norte-americano chamado Robert Putnan escreveu que “uma sociedade caracterizada pela reciprocidade generalizada é mais eficiente que uma sociedade desconfiada”.

Sociedade desconfiada…

Essa é a melhor definição para o momento atual. Diga sinceramente: em quem ou no que você confia?

Você provavelmente vai perceber que a resposta cairá em sua família ou em algum deus. Dificilmente em alguma instituição pública ou privada. Pois houve um tempo em que confiávamos na Justiça . Na polícia. Nos políticos. No professor. No padre. No jornal.

Estamos perdendo aquilo que Robert Putnan definiu como “capital social”. Nos últimos cinquenta anos assistimos à redução do envolvimento cívico e político, dos laços sociais informais, da tolerância e da confiança. Passamos menos tempo com os amigos, frequentamos menos clubes, nos afastamos da política, dedicamos horas e horas à TV e recebemos pela imprensa uma carga diária de catástrofes que nos transformam em indivíduos medrosos, descrentes e desconfiados.

Inspirar confiança, então, passa a ser uma tarefa quase impossível. Integridade e caráter tornam-se elementos-chave.

E pense bem: quais são as demonstrações de integridade e caráter a que você assistiu nos últimos dias? Últimos meses? Últimos anos?

Tá difícil de lembrar?

Por isso desconfio.

Este texto foi escrito em 2006 e publicado em meu livro Nóis…Qui Invertemo As Coisa. Desconfio que nada mudou.

Luciano Pires