s
Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Levi Do Porto

Levi Do Porto

Luciano Pires -

E lá estava eu, na cidade do Porto, em Portugal. Linda, surpreendente. Participei de um evento no prédio da Alfândega, uma área portuária muito antiga que foi revitalizada e transformada em local para eventos. Conversando com os locais, a pergunta óbvia:

– Que idade tem a cidade do Porto?

– Ah, não tenho certeza. Mas parece que já existia algo por aqui 400 anos antes de Cristo…

Olha só: 400 anos antes de Cristo! Quando o Brasil foi descoberto Porto já tinha 1.900 anos! Vi ruazinhas medievais, prédios antigos maravilhosos, tudo reformado, impecável. E para todo lado aquela arquitetura portuguesa típica, dos azulejos, das casas geminadas, das fachadas com janelões e balcões. Ali estão nossas origens. E, também surpreendentemente, hospedei-me num dos hotéis mais modernos que já conheci. Mas o mais interessante aconteceu durante o jantar que se seguiu à palestra que realizei para cerca de 200 pessoas. Um “gajo” vem na minha direção. Não esperei o cumprimento habitual, já soltei a gracinha:

– Diga, ó pá.

– Olá Luciano. Sou brasileiro.

Claro. Tava demorando. Para todo lado existem brasileiros em Portugal. Todos com histórias interessantes. O nome dele é Levi Costa. Paulista do ABC. Quatorze anos atrás, aos 19 anos, Levi pegou um avião apenas com um terninho e uma gravata. Sem dinheiro e sem conhecer ninguém, foi para Portugal, direto para a cidade do Porto. Hospedou-se numa pousadinha no centro da cidade. Era janeiro. Dos quase 30 graus de São Paulo, foi parar nos 5 graus de Portugal. Ficou uma semana sem sair do quarto. Até aventurar-se a procurar um emprego. E começou assim uma história que envolve passar fome, transferir-se para Lisboa, voltar para o Porto, casar com uma portuguesa e conseguir emprego numa revenda de automóveis onde trabalhou por cerca de 6 anos.

– Fui pegando os macetes.

Um dia Levi percebeu que havia atingido o teto. Não havia mais perspectiva de crescimento. Largou o emprego e atirou-se em sua segunda loucura: com o mínimo de capital que tinha, abriu uma loja de automóveis. E hoje tem 30 carros, é figura conhecida na cidade, viaja ao Brasil uma ou duas vezes por ano, comprou um apartamento na cidade de São Paulo e está feliz da vida. Esse é o Levi do Porto. Um sujeito simpático, humilde, batalhador, corajoso e orgulhoso com tudo que conseguiu. Um brasileiro. Como milhares de outros que vivem no exterior e que construíram o futuro a partir do zero. Meu avô fez a mesma coisa, ao inverso. Veio para o Brasil em 1913, aos 15 anos, com uma mão na frente e outra atrás. Ao falecer, com quase 102 anos de idade, tinha construído uma vida exemplar. Do zero. Refleti sobre quais atributos fizeram o Levi do Porto ter sucesso em sua empreitada. Simpatia. Coragem. Dedicação. Vontade de trabalhar. Humildade. Persistência. Inteligência… Essas coisas básicas que quase todos temos. E que deixam nervosos alguns brasileiros que não admitem que o primeiro passo para o sucesso é querer. Mas é claro que não basta querer. Tem que ter sorte. A sorte do Levi do Porto, que nunca optou pela lógica, pelo consenso, pela segurança. Agora, cá entre nós, na história do Levi, quanto você acha que foi sorte e quanto foi trabalho, hein? Eu tenho minha opinião. E para coroar a visita à cidade do Porto fui apresentado a uma poeta portuguesa já falecida, natural daquela cidade: Sophia de Mello Breyner Andresen. Abro o site dela e dou de cara com um poema chamado “Porque”, que por coincidência (ou não?), explica a saga do Levi.


Porque


Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.


Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.


Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.


Viu só? Na poesia de Sophia, a pista para entender o Levi do Porto. Que em Portugal é conhecido como Levi do Brasil, um brasileiro que deu certo.
Pois é… Eles existem.