Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Mudei de ideia

Mudei de ideia

Luciano Pires -

Em minha palestra Geração T, comento que a humanidade sempre se desenvolveu em tribos. Fazer parte de uma tribo é um exercício de cooperação e solidariedade, além de dar aquela sensação de pertencimento, de segurança e de compartilhamento de um propósito com gente que pensa como a gente. E isso é bom!

O que mantém uma tribo coesa é o compartilhamento de crenças e  valores, muitos dos quais adquirimos não por uma análise racional, mas por simplesmente copiar o que os outros fazem e como pensam. E é exatamente essa conformidade de linha de pensamento que faz com que acreditemos em certas coisas sem nem mesmo uma avaliação racional. O resultado? O falso consenso, quando superestimamos a quantidade de pessoas que pensam como nós.

Claro! Se eu passo minha vida dentro de minha tribo, rodeado de gente que pensa como eu, é natural que eu ache que a verdade da minha tribo é a definitiva. Com as mídias sociais, então, atingimos o estado da arte do falso consenso. O Google e o Facebook, por exemplo, trabalham com algoritmos, programações que seguem uma receita para que tarefas sejam realizadas. Por meio desses algoritmos eles “aprendem” quem eu sou, do que gosto, o que quero, e passam a expor para mim aquilo que possa ser de meu interesse. Assim sou bombardeado diariamente de notícias e fatos identificados com minha visão de mundo. O Facebook mostra para mim mais que uma tribo, um mundo onde todos pensam parecido comigo. Daí a imaginar que esse é o mundo real, que minhas ideias, e só elas, é que valem, é um pulo.

Surge então o viés de confirmação: acabo até mesmo inconscientemente me rodeando de notícias, opiniões, pessoas e ideias que confirmem aquilo que eu acho que é o certo. E não sou exposto a ideias e opiniões contrárias às minhas. Na verdade, passo a combate-las.

O resultado? Polarização. Os debates tendem a ter apenas um lado, o que faz com que as pessoas reforcem cada vez mais seus credos numa mesma direção, e a tribos, agarradas a suas visões extremas, tornam-se selvagemente defensoras de suas verdades, ressentidas, odiosas, vingativas.  E você, como indivíduo, fica prontinho para ser chocado.

– Cara, mas todo mundo ia votar na Hillary!

– Meu, mas o Dória não tinha a menor chance!

– Como assim, foram a favor do Brexit?

Meu caro, minha cara, “todo mundo” não existe. O que existe é “minha tribo”. E muitas outras tribos. Aquele jornalista sabido está defendendo as ideias da tribo dele. Aquele professor, fala da tribo dele. Aquela empresária, fala da tribo dela. O religioso, fala da tribo dele. Nenhum deles fala por ou para “todo mundo”. Falam para “seus mundos”.

Eu, aqui, escrevo para minha tribo!

Isso é ruim? De maneira alguma. A única forma de construir uma sociedade melhor é começando por mim e depois com meus companheiros de tribo, questionando nossas crenças e mostrando que existe vida inteligente lá fora.

Muito bem, meus votos para 2017 é que você diga muitas vezes ao longo do ano uma frase mágica:

-Mudei de ideia.

Sabe o que isso significará? Que você está atento para o que acontece além de sua tribo. Que você terá aprendido valores de outras tribos. Que terá aumentado seu repertório. Que terá ficado mais rico.

Simples, né?

Feliz 2017.