Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Olha, os dias andam um saco! Todo mundo nervoso, ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

5 ações de marketing para ajudar a superar a crise do coronavírus
Michel Torres
Negócios em todo o mundo estão sentindo os efeitos da pandemia: menos clientes, menor receita e o medo de não ter condições de aguentar esse tempo de prejuízo. Precisamos salvaguardar a saúde e o ...

Ver mais

Brasis
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Brasis  “Quanto tempo um homem deve virar a cabeça, fingindo não ver o que está vendo?” Bob Dylan Minha primeira lembrança pra valer do que vou focalizar neste artigo é de quando li Os dos ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Qual janela você escolheu para ver o mundo?

Ver mais

O Dedo De Buda

O Dedo De Buda

Luciano Pires -


O DEDO DE BUDA


Olha só a notícia que recebi por e-mail:


“Há alguns dias os meios de comunicação divulgaram notícias sobre as cerimônias religiosas em torno da chegada do dedo de Buda à Coréia do Sul, local onde ficaria exposto à visitação dos budistas por 42 dias. O pedaço de osso foi descoberto numa câmara escondida do Templo Famen, na China, em 1987, aonde é considerado tesouro de estado. Acreditam os fiéis que se trata do dedo médio da mão esquerda de Sidarta Gautama, fundador do budismo há 2500 anos. O dedo viajou da China até Seul encerrado em cofre de jade, cristal, prata e ferro, escoltado por 108 budistas. Cerca de mil budistas celebraram uma cerimônia de despedida do dedo, no templo Famem de Xian (centro do país) que guarda habitualmente a relíquia.”


Cara, que coisa mais fascinante! Um dedo venerado. Lembrei-me imediatamente das cabeças dos cangaceiros expostas à visitação num museu do nordeste durante anos. Eram objetos de visitação – e até veneração – por milhares de pessoas. Alguns anos atrás, numa catedral em Brugge, na Bélgica, vi um pequeno recipiente venerado, pois dizem conter um pouco do sangue sagrado de Jesus. O cadáver de Lênin está lá na Rússia, exposto num mausoléu para visitação pública. Não sei se é venerado. O pênis do cadáver de Napoleão Bonaparte desapareceu. Roubado talvez por um admirador. E o cadáver inteiro de Eva Perón foi roubado também, ficando pra lá e pra cá na Argentina durante anos, motivo de veneração. No Museu do Ipiranga tem uns cachos de cabelo de um dos dois D. Pedros… E assim vai. O homem encontra formas sempre interessantes de demonstrar sua fé.
Mas quero voltar ao dedo de Buda. Como será que ele perdeu o dedo, hein? Terá sido roubado depois de morto? Ou foi algum acidente de trabalho como o dedo do Lula? Pô! Me ocorreu um pensamento… E se alguém guardou o dedo mindinho do Lula, perdido num torno anos atrás, para transformá-lo em relíquia quando o dono entrasse para a história?
Já imaginou uma procissão com 108 monges petistas levando o dedo de Lula de São Bernardo para Garanhuns? Seria a “Marcha da ´Famiglia´ com o Dedo pela Libertinagem”. A Banda Calypso puxando o corso, com direito a rasantes do Aerolula. Zé Dirceu à frente, seguido por Genoino, Berzoini, Palocci e Silvinho. Numa urna de sisal carregada por um emocionado Delúbio, a relíquia: o dedo de Lula. Todos de vermelho, entoando cânticos. Na verdade jingles compostos por Duda. Cuidando da infra, Valério. Comandando um grupo agitado, Bruno Maranhão. Okamoto teria ido na frente pra pagar umas despesas. Com capuz, Jader Barbalho e Zé Sarney. Uns sujeitos mal encarados distribuiriam uns santinhos esquisitos, verdes e com a cara de Benjamin Franklin. Fechando a procissão, um grupo de penitentes no qual se destacam o professor Luizinho, o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha, o Freud Godoy e, vestindo espetaculares túnicas de Verônica, Ideli Salvati e Marta Suplicy.
Eduardo Suplicy seria a ausência notada. Perdeu a hora.
Fechando o corso, uma gordinha dançando…
E lá, numa janela distante, torcendo para que chova, Bob Jeff.
A caminho de um churrasco preparado por Lorenzetti, a procissão passa pela esplanada dos Ministérios em Brasília, cruzando a Praça dos Três Poderes, onde é vista por um assessor, na sala do Presidente.
– Presidente, presidente, venha ver! Uma procissão! Com um dedo! De quem será? De quem será?
E o presidente, rapidamente enfiando no bolso a mão esquerda:
– Meu que não é. Meu que não é! Não sei de nada, companheiro…