s
Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

O Garimpeiro

O Garimpeiro

Luciano Pires -

Achei! Num sebo, a coleção completa da enciclopédia “Conhecer” que a Editora Abril lançou no final dos anos sessenta. Linda, novinha… Eu não estava procurando, mas foi irresistível. Voltei pra casa com doze volumes mais três “dicionários” e um frio no estômago.

Quando cheguei preparei minha viagem. Sim, a lembrança que eu tenho de minha experiência – aos onze anos de idade – com aquela enciclopédia era de viajar. Pelo tempo e pelo espaço, sem limites de lugares ou assuntos. Afinal, a curiosidade é o atributo mais presente numa criança de onze anos de idade, não é? A Abril Cultural lançou em 1967 a enciclopédia Conhecer em fascículos que eram colecionados até formar um volume da coleção. Então eles lançavam a capa que a gente comprava e levava para um encadernador que nos devolvia um belo livro vermelho sangue com o nome “Conhecer” em dourado. Um mundo de conhecimento com cerca de 4 mil páginas!

Passou a ser rotina aguardar ansioso a chegada do novo fascículo. Que assuntos seriam abordados? E os caras da editora eram espertos, viu?. Num mundo dominado por enfadonhas enciclopédias em preto-e-branco com muito texto e pouquíssimas imagens, a “Conhecer” vinha repleta de ilustrações dramáticas, enormes e coloridas. Cada página virada revelava uma explosão de cores! E o que acontecia então eu relatei no texto “Quirópteros” em meu livro Brasileiros Pocotó:

“Eu tinha 12 anos. E minha professora de Ciências pediu um trabalho escolar sobre Quirópteros: a ordem dos morcegos. Comprei cartolina (lembra-se?). Pincel atômico. Cola Tenaz (a grande novidade que substituía a goma arábica). E mergulhei na minha enciclopédia Conhecer. Para encontrar os Quirópteros, eu navegava pela enciclopédia, passando pela Grécia Antiga. Depois, pela história da Grande Muralha da China. Pelos dinossauros. Por como funciona um navio. Pelos satélites artificiais… Motivado pela curiosidade infinita de criança eu viajava pelas páginas, pelas ilustrações multicoloridas, durante horas. Até achar os tais morcegos. Aí, copiava o texto, recortava revistas, colava na cartolina, e, na segunda- feira, levava aquela coisa amassada para a escola e via a professora examinar e me dar a nota. Era assim o processo. E nunca mais esqueci o que são Quirópteros. Ou como funciona um navio. Ou como morreram os dinossauros…”.

Sem perceber, como um garimpeiro eu estava aos poucos juntando um tesouro que seria fundamental para meu futuro: conhecimento. Cada parada naquelas páginas da Conhecer dava-me uma pepita que eu colocava em meu repertório. Que sorte a minha.

Pois refletindo sobre essa garimpagem e a diferença dos processos de hoje que – após o surgimento da internet e de “São” Google – levaram quase ao infinito nossa capacidade de buscar informações, dei de cara com uma contradição.

A curiosidade daquele garoto só podia ser saciada por ele ter um estoque praticamente ilimitado de… tempo. Eu podia investir o tempo que quisesse em minhas viagens pela enciclopédia. E assim montei meu tesouro.

Hoje, quarenta anos depois, “tempo” passou a ser meu ativo mais escasso. A internet me dá a oportunidade de otimizar meu tempo. Encontro em segundos o que preciso! Sou um garimpeiro supersônico! Que sorte eu tenho! Mas não tenho tempo…

Não posso desviar minha busca dos Quirópteros para mergulhar fundo na vida de um dinossauro colorido. Ou no telescópio Hubble. Ou no Timor Leste. Preciso ir direto ao ponto. Rápido. Sou um garimpeiro supersônico. De superfície. Mergulho no raso, dou uma olhada e volto correndo. O telefone está tocando. Alguém está me esperando…

Minha nova enciclopédia Conhecer está ali, na minha frente, linda.

Esperando que eu tenha tempo pra ela.