Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Olha, os dias andam um saco! Todo mundo nervoso, ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

5 ações de marketing para ajudar a superar a crise do coronavírus
Michel Torres
Negócios em todo o mundo estão sentindo os efeitos da pandemia: menos clientes, menor receita e o medo de não ter condições de aguentar esse tempo de prejuízo. Precisamos salvaguardar a saúde e o ...

Ver mais

Brasis
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Brasis  “Quanto tempo um homem deve virar a cabeça, fingindo não ver o que está vendo?” Bob Dylan Minha primeira lembrança pra valer do que vou focalizar neste artigo é de quando li Os dos ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Qual janela você escolheu para ver o mundo?

Ver mais

Cafezinho 291 – Indignite
Cafezinho 291 – Indignite
- Tão pagando bem! Faz o seu e fica quieto!

Ver mais

O Meu Polo Norte

O Meu Polo Norte

Luciano Pires -

Enquanto você lê este texto, estou em Murmansk, na Rússia, a bordo do “Fifty Years of Victory”, o maior navio quebra-gelos do mundo. Um navio nuclear russo. Faço parte de uma turma que terá o privilégio de ir até o Pólo Norte. Não, você leu certo: estou indo para o Pólo Norte, aquele lugar longe de tudo, gelado, inóspito, desabitado, a casa dos ursos polares, que fica no topo do mundo… Terei a oportunidade única de comemorar meu aniversário dentro do círculo polar ártico. Que chique!


Quando comecei a contar para as pessoas que eu ia para o Pólo Norte, a pergunta que mais ouvi foi esta: vai fazer o quê lá? Interessante né? Por que é que todo mundo acha que só vale a pena ir para algum lugar se for para fazer alguma coisa lá? Parafraseando o explorador George Mallory, estou indo para o Pólo Norte porque ele está lá. Ponto. Quero ter essa história para contar. Quero ter a sensação de colocar os pés num lugar onde poucos homens estiveram. Quero fazer uma viagem que custou a vida de centenas de homens que tentaram fazê-la ao longo da história. E pra quê? Pra mim, oras ! E pra depois contar para as pessoas.


Desde que retornei do Everest, em 2001, pesquisei outros destinos que proporcionassem viagens transformadoras. O Kilimanjaro, montanha mais alta da África. O Aconcágua, a mais alta das Américas. No Congo, a montanha dos gorilas. O Vietnan e o Camboja. A Antártica. O Pólo Norte… Lugares instigantes, não é? Cada um deles representando um desafio diferente, uma experiência diferente.


Em 2006 consegui ir ao Aconcágua, numa viagem acidentada mas que valeu cada passo. Depois, vários problemas atrapalharam meus planos para novas viagens. Até que em março de 2008, quando marquei a data para sair da empresa onde trabalhei por 26 anos, a mágica começou… Eu deixaria a segurança do executivo de multinacional para tocar meu próprio negócio, fazendo palestras, cuidando de um site que já virou portal, escrevendo artigos e livros… Era uma nova aventura. Insegura. Incerta. Voltei para casa com uma certa ansiedade e abri meu e-mail. Lá encontrei um prospecto para uma viagem de cerca de 20 dias até o Pólo Norte. Era o momento exato para marcar a transição em minha carreira.


A primeira reação foi: não! Agora não dá! Tenho muitas providências a tomar, coisas para organizar. A segunda foi “por quê não?”… Essa foi a pergunta transformadora. A viagem que parecia um absurdo, um despropósito, repentinamente transformou-se na opção certa para o momento certo.
“Por quê não?”…
Acho que essa é a pergunta mais importante que fazemos ao longo de nossas vidas…


O resultado é que aqui estou mergulhado numa aventura para poucos, realizando mais um sonho que me trará experiências únicas. Passarei pelas trilhas dos antigos exploradores, visitarei o Ártico no verão, verei de perto os efeitos do aquecimento global, conversarei com pessoas do mundo todo, estarei em meio a alguns técnicos e cientistas, filmarei e fotografarei tudo e quando voltar terei um tesouro sem preço: as memórias do Meu Pólo Norte.
Para muita gente isso parece pouco. Mas para mim é o fundamental.


Ah, sim, retornando à questão inicial: a resposta pra quem quer saber por que eu vou pro Pólo Norte é simples.


Porque eu quero.