s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

O Paradoxo De Valmart

O Paradoxo De Valmart

Luciano Pires -


O PARADOXO DE VALMART

Henry Ford criou em 1909 o conceito de linha de montagem, uma inovação tecnológica revolucionária. Os carros eram colocados sobre esteiras e iam passando pelos operários, que desempenhavam funções específicas. Mas não foi apenas na questão tecnológica que Henry Ford inovou. Ele tinha um ideal empresarial muito interessante, tendo lançado o conceito de responsabilidade social, por exemplo. E sonhava que cada funcionário de sua fábrica ganhasse o suficiente para comprar um automóvel Ford… Ele sabia que precisava criar uma massa crítica de consumidores, a começar por seus colaboradores, numa visão capitalista brilhante, que com o tempo foi esquecida.


Hoje vivemos uma realidade estranha.


Um operário de uma montadora, com família para sustentar, não ganha o suficiente para comprar um veículo zero quilômetro que ajuda a produzir. Mesmo que seja um carro popular. E assim a roda começa a parar.


Nesta nova sociedade capitalista globalizada, estamos vivendo aquilo que batizei de “O Paradoxo de Valmart”. Valmart vem de Wal-Mart, a monumental rede de lojas de conveniência, hoje a maior empresa do mundo, cujos executivos se orgulham de dizer que voam de classe econômica, hospedam-se em hotéis de segunda categoria em quartos duplos e não têm nenhum luxo.


O Paradoxo de Valmart consiste numa dualidade interessante. Rosvaldo, como funcionário de uma indústria, por exemplo, quer salário cada vez maior, mais benefícios, horários de trabalho menores, bônus por produtividade, celular, computador, conforto e um chefe que não encha o saco. Mas, como consumidor dos produtos da mesma indústria, Rosvaldo quer pagar preços cada vez menores, receber benefícios cada vez maiores, serviços agregados, propaganda mais abrangente….


Como empregado, Rosvaldo é um agente de aumento dos custos da empresa. E como cliente, também. Exige cada vez mais, mas quer pagar cada vez menos. Esse é o “Paradoxo de Valmart”.


Se os produtos que Rosvaldo quer não tiverem os preços que ele exige, ele compra de um chinês. E a roda pára de girar…


E as empresas, administradas pela visão de Wall Street, do máximo lucro no menor tempo possível, só sobreviverão ao Paradoxo de Valmart se Rosvaldo abrir mão de uma das pontas. E será na ponta do emprego. Rosvaldo aceitará salário menor, benefícios menores, maior carga de trabalho e chefes pocotós. Se não aceitar, será trocado por alguém que aceita. Alguém mais jovem, menos experiente, com menos autonomia. Mas mais barato.


E Rosvaldo, anestesiado pelo Paradoxo de Valmart, achará normal voar em aviões cada vez mais desconfortáveis, com serviço de bordo que é cada vez pior, mas que cobram baratinho…


E o sonho de Henry Ford terá se transformado num pesadelo.