s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 799 – Essa tal meritocracia
Café Brasil 799 – Essa tal meritocracia
Meritocracia, meritocracia... meritocracia... como tem ...

Ver mais

Café Brasil 798 – Raciocínios Perigosos – Revisitado
Café Brasil 798 – Raciocínios Perigosos – Revisitado
O Café Brasil de hoje é a releitura de um programa de ...

Ver mais

Café Brasil 797 – ‘Bora pra Retomada – com Lucia Helena Galvão
Café Brasil 797 – ‘Bora pra Retomada – com Lucia Helena Galvão
Tenho feito uma série de lives que chamei de ‘Bora pra ...

Ver mais

Café Brasil 796 – Maiorias Irrelevantes
Café Brasil 796 – Maiorias Irrelevantes
Outro daqueles acidentes estúpidos vitimou mais uma ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 5 – Proposições e sua Expressão Gramatical (parte 1)
Alexandre Gomes
DEFINIÇÕES E DISTINÇÕES Proposição e relação de termos. A proposição AFIRMA uma relação de termos. Em uma estrutura de palavras compostas de: um sujeito, uma cópula e um predicado. Os termos ...

Ver mais

A catástrofe circular da escola brasileira
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A catástrofe circular da nossa escola: temos professores de fraca formação acadêmica, com salários miseráveis. Eles oferecem aos seus alunos pouca cultura e, por isso, não os elevam acima da ...

Ver mais

Quadrinhos em alta
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Quadrinhos em alta Apesar do início com publicações periódicas impressas para públicos específicos, as HQs não se limitam a atender às crianças. Há quadrinhos para adultos, de muita qualidade, em ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Tipos e Regras de Divisão Lógica (parte 7)
Alexandre Gomes
Antes de tratar das regras da divisão lógica – pois pode parecer mais importante saber as regras de divisão que os tipos de divisão – será útil revisar alguns tópicos já tratados para ...

Ver mais

Cafezinho 444 – Congestão mental
Cafezinho 444 – Congestão mental
Quanto de alimento intelectual você consegue entuchar ...

Ver mais

Cafezinho 443 –  O crime nosso de cada dia
Cafezinho 443 –  O crime nosso de cada dia
A sociedade norte americana está doente. E eles somos ...

Ver mais

Cafezinho 442 – Por que cultura é boa?
Cafezinho 442 – Por que cultura é boa?
A cultura é boa porque influencia diretamente a forma ...

Ver mais

Cafezinho 441 – Qual cultura é melhor?
Cafezinho 441 – Qual cultura é melhor?
A baixa cultura faz crescer a bunda, melhorar o ...

Ver mais

O princípio de Eisenhower

O princípio de Eisenhower

Luciano Pires -

“Se o país está em coma, não entendo a insistência no autoengano de achar que a cultura pode se safar, sadia, do desconserto geral que nos abateu. Na teoria (linda!) a prática é outra (dolorida). Sou a favor da ideia de manter a cultura internada no hospital da educação. Depois da possibilidade de alta vamos ver o que pode ser melhor pra ela e pra todos nós, brasileiros”.

Essa é a atriz Regina Duarte falando sobre o anúncio de fusão do Ministério da Cultura com o da Educação.

Dá pra ouvir a gritaria?

Em 1954 o ex-presidente dos EUA Dwight Eisenhower lançou durante um discurso aquilo que ficou conhecido como o “princípio Eisenhower”, ao dizer que “eu tenho dois tipos de problemas: o urgente e o importante. O urgente não é importante e o importante nunca é urgente.”

O que me vem à mente é a imagem da moça chamada Brasil, em coma, com os médicos, enfermeiros e familiares no maior conflito discutindo em que canal a TV deve ficar ligada… Ou que filme ou peça ela deve assistir.

Deixa eu dar uma pausa aqui pra você poder gritar à vontade.

Pronto.

Um dos princípios básicos da gestão envolve a eficácia na aplicação dos recursos e a eficiência na obtenção dos resultados, e talvez o atributo principal seja a capacidade de aplicar nosso tempo primeiro nas coisas que são importantes e só depois nas que são urgentes. Mas para isso precisamos compreender a diferença entre importante e urgente.

Importante é aquilo que nos leva a atingir nossos objetivos, pessoais ou profissionais.

Urgente é aquilo que precisa de atenção imediata e que normalmente está associado a atingir os objetivos de outras pessoas. Como normalmente essa outra pessoa é o chefe, as consequências de não dar atenção ao urgente o tornam importante. E aí vem a inversão.

Mas quando se define o que é urgente e importante para nós, como indivíduos, não é difícil compreender e gerenciar escolhas. O bicho pega quando precisamos definir o que é urgente e o que é importante para uma sociedade com mais de 200 milhões de habitantes. É aí que os conflitos começam, com cada grupo tentando que seu importante se imponha como urgente sobre o importante dos outros. E o que se vê é o Brasil que conhecemos hoje: focando nas atividades urgentes impostas por minorias barulhentas e não nas importantes para a sociedade sair do coma.

O momento é atípico, de crise. Não dá para passar por ele como se tudo continuasse como sempre. Agora é hora de priorizar as ações importantes E urgentes, depois as importantes não urgentes. Em seguida as não importantes, mas urgentes e só depois as não importantes e não urgentes.

Dê uma olhada nas pautas em discussão na mídia. Veja o que ocupa espaço nas televisões, rádios, portais, jornais e mídias sociais e você encontrará questões como reforma da previdência, identidade de gênero, operação Lava Jato, aborto, caos na saúde, legalização da maconha, ministério da cultura, terras para índios, caos na educação, reforma agrária, taxa de juros, maioridade penal, mudanças na economia, combate à corrupção… Tente separar esses temas em importantes e urgentes para vencer este momento crucial do Brasil. Não tenho dúvidas que você verá como perdemos tempo, dinheiro e energia com discussões que só acontecem por absoluta falta de capacidade de priorização.

E aí aparece uma atriz dizendo algo como ”para tudo e sai do coma!”. Depois da alta a gente trata do resto.

Regina Duarte está usando o Princípio de Eisenhower.

É tão óbvio que dói.

Mas a voz dela não pode ser ouvida. Tem gente demais gritando.