s
Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Ô Tédio…

Ô Tédio…

Luciano Pires -



Ô TÉDIO…



E a turma da área de comunicação decidiu inovar e criou uma mensagem de espera telefônica diferente. Aproveitando umas propagandas de rádio bem humoradas, fez com que quem ligasse para a empresa, ouvisse uma mensagem alegre, engraçada e diferente daquela musiquinha de crematório que outras empresas escolhem… Resultado?


Alguns diretores da empresa entraram em pânico. Onde já se viu? Uma mensagem alegre e bem humorada para quem liga para uma empresa séria como a nossa? Depois de muita pressão, a mensagem foi retirada do ar e substituída por algo mais… digamos… normal.


Agora, quem liga para a empresa ouve uma mensagem de gente séria…


Essa história me faz lembrar de como é perigoso atender às expectativas de nossos clientes. No caso da chamada telefônica, os diretores não entenderam que os clientes não eram eles, os diretores, mas sim os clientes externos da empresa. E deram vazão a seus preconceitos.


A mensagem telefônica bem humorada foi feita para superar, quebrar, e não simplesmente atender, as expectativas. Quando atendemos expectativas, somos previsíveis. Fazemos o esperado, o “normal”. Falamos o que os outros querem ouvir… Sabe que estratégia é essa?


É a estratégia do cagaço.


É mais seguro fazer o que as pessoas acham que é normal. Isso evita que elas pensem a respeito. Evita o risco de alguém não gostar. É a estratégia da previsibilidade, da aposta só na segurança, Do tédio…


Ser tedioso é transmitir falta de sensibilidade, de garra, de coração. Falta de alma, de tesão, de entusiasmo: cagaço!


Pense bem, ao botar a cabeça no travesseiro para dormir e repassar o seu dia, do que é que você se lembra? Das coisas rotineiras? Ou das coisas que quebraram a rotina?


Garanto que você só vai se lembrar das quebras da rotina. Afinal, como diz Washington Olivetto, “se ninguém se incomoda, todo mundo acha que está tudo correto, tudo certinho, a chance de não acontecer nada é muito grande”.


Vou mais longe. Além de não acontecer nada, a inteligência é deixada de lado. Tudo fica no automático. Seguem-se as regras e o que temos é:


“Você ligou para a empresa tal. Nossa empresa é o máximo. Sua ligação é muito importante para nós. Aguarde que um de nossos colaboradores vai atendê-lo assim que possível”.


É chato, né? Igual a todos os outros, né? Previsível, né?


É. Mas é seguro.


Ô tédio…