s
Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

O valor da liberdade

O valor da liberdade

Luciano Pires -

Cena 1: no calor infernal de São Paulo, pifa o ar condicionado de meu carro. Sim, sou coxinha, elite branca, burguês que anda de carro com ar condicionado. Na oficina especializada pergunto quanto tempo leva para arrumar. A resposta, com uma imensa má vontade:

– Ah… um dia e meio só para achar o vazamento. E depois tem que arrumar. É difícil, tem carro que eu nem pego. Tem que deixar aí.

Levo noutro lugar:

– Xi… deve ser a rebimboca da parafuseta. Tem que trocar, o carro fica na oficina três dias, tem que arrancar o painel inteiro. Só de peça dá uns 2,5 mil.

Dei uma carga de gás e fui embora. Com o vazamento.

Cena 2: procuro um serviço de funilaria. Algum ogro abriu a porta do carro e bateu no meu para-lama traseiro, fazendo um dente. Um rápido exame e o comentário, com jeito cansado:

– Sei não, viu?  É chapa dupla, dá um trabalhão, tem que deixar aí para ver…

Tocodente.

Cena 3: em Porto Velho, vou palestrar no grande Teatro Municipal e descubro que nenhuma das exigências técnicas fora atendida. Não tinha o cabo para o laptop, a sala de projeção ficava no fim do mundo… Um horror. Vem o Andrei, responsável pelos equipamentos do teatro:

– Fique calmo que vamos dar um jeito!

E ele praticamente desmonta a estrutura de projeção, até conseguir ajeitar tudo de acordo. Fiquei pasmo. Raríssimas vezes encontrei gente com aquela disposição para fazer acontecer!

Cena 4: Enquanto o Andrei se desdobrava para desmontar o projetor, puxar cabos, etc, chega um sujeito da área de TI da prefeitura, mandado ao local para dar uma assistência. Chega de cara feia, má vontade, perguntando o que tinha pra fazer. Quando digo que estamos verificando, a resposta seca:

– Tem que ver aí, porque meu turno termina em 15 minutos.

Dispensei o sujeito.

Quatro situações nas quais eu tinha um problema para resolver. Em três delas, proficionais (sim! “profissionais” são outra coisa) deram a impressão de superestimar o problema (provavelmente para depois cobrar caro), chutaram prazos irreais ou deixaram claro que estavam ali a contragosto, de má vontade. O único que diante do problema optou por enxergar soluções sem pedir nada em troca, foi o Andrei. Com um baita sorriso no rosto.

E então, enquanto eu aguardava o momento da palestra, um sujeito me conta que coordena um grupo de presidiários que tem licença especial do juiz para trabalhar durante o dia, retornando para dormir no presídio. O Andrei é um deles, cumprindo pena por envolvimento com drogas.

Os três proficionais com emprego fixo, livres para ir e vir, demonstraram nenhum compromisso com a resolução de meus problemas. O presidiário não mediu esforços, não poupou energia e simpatia, assumiu a responsabilidade e deu um jeito de encontrar uma solução.

O natural não seria esperar o contrário?

Mandei um livro de presente para o Andrei. Imaginar que ele está lendo durante a noite, numa cela da prisão lá em Porto Velho, me causa certa angústia e uma certeza.

Só quem perde a liberdade sabe o valor que ela tem.