Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Os Pedregulhos

Os Pedregulhos

Luciano Pires -

Brasileiro adora crise. Se não está no meio de uma, está especulando quando chegará a próxima. Que por sinal, será a definitiva, a maior de todas, o Juízo Final.

Perguntado sobre como vejo a crise, contei mais uma das muitas histórias da minha viagem ao Campo Base do Everest, que tantas lições me trouxe.

Quando viajei para lá em 2001, tive a precaução de marcar a viagem com um ano de antecedência, assim teria tempo de sobra para me preparar. Todos diziam que a viagem ao Everest era noventa por cento cabeça e que, se eu me preparasse para enfrentar os desconfortos psicológicos, teria grandes chances de ser bem sucedido. Assim, passei um ano fazendo minha cabeça. Quando embarquei para o Nepal eu estava mentalmente preparado para enfrentar uma avalanche de neve ou cair numa fenda sem fundo no gelo. Para tomar um tombo de três mil metros ou enfrentar os guerrilheiros maoístas. Para encarar uma comida que destrói os delicados estômagos ocidentais…

Pois sabe o que aconteceu? Nenhum dos problemas que ocuparam minha mente durante aqueles doze meses aconteceu!

Tinha avalanche? Claro que sim. Mas não iríamos até as áreas de risco. Tinha fendas no gelo? Sim. Mas não chegaríamos até o local onde elas estavam. Era perigoso cair da montanha? Claro! Mas a trilha era cuidadosamente escolhida para minimizar os riscos. Os guerrilheiros maoístas estavam lá? Sim. Mas não na região por onde seguiríamos…

Sabe qual foi o grande problema que quase acabou com minha viagem?

Os toaletes do Everest.

Não sei como é com você, mas eu trato a ida ao banheiro como um momento quase espiritual, de reflexão, relaxamento e contemplação. Quero conforto, iluminação, música e ventilação. Aqueles toaletes do Everest – pequenas casinhas de pedra, com um buraco no chão, sem ventilação, sujas e desconfortáveis – eram um inferno! Dava vontade de ir ao banheiro, mas quando entrava neles não tinha jeito. A vontade passava… Os toaletes do Everest foram o maior e pior problema. Mas me deram uma lição valiosa.

Naqueles doze meses em que fiz a cabeça para os grandes problemas, não dediquei um segundo a pensar nos toaletes. Afinal, tinha tanto problema imenso que “ir ao banheiro” parecia coisa banal…

Quando voltei, contei essa história para um amigo budista que disse:

– Luciano, ninguém tropeça em montanhas. A gente tropeça em pedregulhos…

E então eu respondo como vejo a crise: do jeito que aprendi a ver minha viagem…

O petróleo subiu é? O petróleo caiu? O banco quebrou? Os juros subiram?

Cada um desses grandes acontecimentos está aí, como uma avalanche ou a fenda no gelo ou os guerrilheiros maoístas. Mas temos que continuar a caminhar, não podemos simplesmente voltar para casa, não é?

E daí? O que é que eu posso fazer a respeito? Primeiro tenho que conhecer a trilha. Entender o contexto, as áreas de risco e os problemas que podem acontecer. Depois tenho que montar meu plano. Se tem avalanche aqui, vamos por ali. E por fim botar na cabeça que para vencer a trilha a gente tem que andar sempre, um passinho de cada vez, pequeno, constante, sistemático. Parar não é solução. A gente congela…

Enquanto estamos preocupados com os grandes problemas sobre os quais temos nenhuma influência, a vida está correndo. As oportunidades passando. Enquanto estamos de olho nas montanhas, são os pedregulhos espalhados pelo caminho que vão ameaçar a caminhada.

Contemple as montanhas. Mas tome cuidado com os pedregulhos.