Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Pré-sal, pós-xisto

Pré-sal, pós-xisto

Luciano Pires -

Em minha palestra SustentHABILIDADE, comento que em 1971 o Clube de Roma, que estuda as consequências da expansão econômica mundial, previu que o crescimento da humanidade seria limitado pelo esgotamento de minerais importantes e de fontes de energia não renováveis. O cobre, por exemplo. Usando um recurso sofisticado na época – computadores! – levantaram a taxa de consumo de cobre nos vinte anos anteriores e projetaram os vinte anos futuros, contemplando as taxas de crescimento econômico esperadas. Conclusão: trinta anos depois, por volta do ano 2000, as reservas de cobre estariam esgotadas!

O que o Clube de Roma não previu foi que no final dos anos noventa o sistema de cabeamento telefônico com fios de cobre passaria a ser substituído por fibras óticas, de vidro, muitíssimo mais eficientes. A matéria prima para as fibras óticas é o silício, grosseiramente dizendo, areia, um dos elementos mais abundantes na natureza. O consumo caiu drasticamente e o cobre não acabou. Os precisos cálculos matemáticos dos especialistas deixaram de fora um detalhe: a engenhosidade do homem, que a cada dia cria novas soluções para velhos problemas.

Mesmo com milhares de técnicos, computadores, satélites, modelos matemáticos e anos acumulados de conhecimento, falhamos miseravelmente em nossas previsões, pois as interações que envolvem os sistemas econômicos, ambientais e sociais são por demais complexas, não existem fórmulas prontas. Não existem certezas, apenas dados que os homens juntam para tentar tirar conclusões. Erros e acertos, é assim que funciona o mundo da ciência, que não é exato, lida com probabilidades e na maior parte das vezes é surpreendido por um acontecimento novo, uma reação inesperada, uma descoberta. É no gênio que tira as conclusões da análise dos dados frios que reside nossa esperança. Onde um medíocre nada vê, um gênio pode ver o futuro.

Me lembrei dessa história ao ler matéria recente sobre avanços tecnológicos nas operações de prospecção e perfuração que permitiram a exploração mais profunda de camadas rochosas que contêm o gás de xisto nos EUA. O resultado foi a descoberta de reservas imensas de gás natural, que podem mudar a balança global da geração de energia. O gás natural pode substituir o gás liquefeito de petróleo (GLP), o carvão nas usinas elétricas, a gasolina e o diesel. Nos EUA, calcula-se que se 500 mil caminhões mudarem para gás natural, o consumo de petróleo cairá quase meio milhão de barris por dia, ou 5% das importações de petróleo deles.

O gás de xisto é apenas um exemplo de avanço tecnológico que pode mudar a história da humanidade. Um avanço que até recentemente desconhecíamos.

Por causa dos gênios, tenho esperança no futuro da humanidade.

Mas há gênios e gênios. Um gênio do marketing político, por exemplo, pega uma informação como a do gás de xisto e a transforma numa grande ferramenta política. Grita aos quatro cantos que o paraíso nos espera por conta de uma descoberta fabulosa que trará, num futuro incerto, riqueza e prosperidade. Cria esperanças, ganha votos. Quando esse movimento tem bases sólidas e confiáveis, abre-se uma avenida para o progresso. Mas quando é apenas oportunismo político, cria-se a falsa esperança numa solução incerta, inviável ou simplesmente inexistente. E quando o resultado for cobrado, os milagreiros já estarão em outra…

E aí aquela pulga atrás da orelha começa a se mexer… E o pré-sal, hein? Enquanto estamos discutindo como repartir o dinheiro que ainda não existe, os norte-americanos estão trabalhando para mudar a matriz energética mundial, atropelando o petróleo. E eles não costumam brincar em serviço.

O pré-sal resistirá ao pós-xisto? Ou serão apenas promessas?

Luciano Pires