s
Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 726 – Gently Weeps
Café Brasil 726 – Gently Weeps
Olha, algumas canções são tão sagradas que eu me sinto ...

Ver mais

Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Café Brasil 725 – A revolução da mídia
Estamos protagonizando uma revolução nas mídias, com ...

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Isolamento social, ideologia e privilégio de classe
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
A linguagem é dialética. Para apreender toda a extensão do que é dito, é preciso captar não só o seu significado explícito, mas também o que se oculta. Todos sabemos: em período de pandemia, é ...

Ver mais

Polêmica indesejável
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Polêmica indesejável “Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.” José Ortega y Gasset A aprovação do marco regulatório do saneamento pelo Senado, no dia 24 de ...

Ver mais

O fenômeno da fraude acadêmica no Brasil
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Existe um fenômeno curioso na cultura brasileira: a falsificação de credenciais acadêmicas. A mentira do novo ex-ministro da Educação, Carlos Decotelli, que afirma ter concluído um doutorado que ...

Ver mais

Pandemia ou misantropia?
Filipe Aprigliano
Iscas do Apriga
Mais importante que defender a sua opinião, é defender o direito de livre expressão e escolha.

Ver mais

Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Cafezinho 298 – Jogando luz sobre a incerteza
Os dias de incertezas que hoje vivemos, estão repletos ...

Ver mais

Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Cafezinho 297 – Empatia Positiva
Empatia positiva. Saborear a sensação boa do outro não ...

Ver mais

Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Cafezinho 296 – Conhecimento ao seu alcance
Se você tem acesso a informações que outras pessoas não ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Quando um não quer.

Quando um não quer.

Luciano Pires -

Você já deve estar cansado de saber que a área de comentários das mídias sociais é o portal do inferno, não é? Xingamentos, bate-bocas, demonstrações de intolerância, uma vitrine para a ignorância, que levou Umberto Eco a dizer, em 2015:

“As mídias sociais deram o direito à fala a legiões de imbecis que, anteriormente, falavam só no bar, depois de uma taça de vinho, sem causar dano à coletividade. Diziam imediatamente a eles para calar a boca, enquanto agora eles têm o mesmo direito à fala que um ganhador do Prêmio Nobel”

Quando todos falam o que querem, o potencial para confrontos e conflitos é infinito. Eu tenho uma página com mais de 200 curtidores no Facebook, e ali publico uma coisa mortífera chamada… opinião. No começo eu chegava a responder a comentários, mas depois parei. Não dá, consome um tempo imenso que eu deveria dedicar àquilo que faço melhor: escrever e gravar podcasts e palestrar. Prefiro fazer as provocações e assistir aos debates.

Mas esta semana aconteceu algo didático.

Fiz uma postagem (https://www.facebook.com/luciano.pires/posts/792188160935394) reproduzindo um artigo que trata das mentiras que a imprensa fala sobre Donald Trump, dizendo:

– Vá vendo aí como fazem você de trouxa.

Uma leitora respondeu assim:

Katharina: E o que garante que tudo que você lê é verdade? O que te faz acreditar que você está imune?

O comentário  me pareceu uma clara provocação. Ela estava dizendo que eu “me acho”, que dei a entender que sou imune a ser enganado, embora eu não tenha dito nada disso. O “você é trouxa” é minha forma de provocar o leitor. Tem uma ferroada aí que dói, tira a pessoa da pasmaceira.

Uma coisa que me deixa particularmente irritado é quando as pessoas comentam dizendo “você disse isso”, ou “ você quis dizer aquilo”. Fico puto. A frase certa é “eu entendi que você disse isso”, ou “entendi que você quis dizer aquilo”. Notou a diferença? Você reconhece a possibilidade de ter entendido errado.

Minha primeira reação foi responder com uma típica patada facebooqueana tipo :

Onde foi que eu escrevi que sou imune? Você precisa aprender a interpretar textos.

Esse tipo de resposta eu sei que reação traria. Preferi deixar a questão descansar um pouco para responder de forma mais positiva. Voltei ao post umas duas ou três vezes, até responder assim:

Luciano: Nada. Eu sou só mais um trouxa, Katharina.

Respondi com uma dose de ironia, sem ataca-la, apenas me colocando na mesma posição dela e desarmando os espíritos. A resposta foi assim:

Katharina: É como me sinto. Em todos os aspectos.

Pronto. Não havia mais enfrentamento, apenas a manifestação de nossa vulnerabilidade. Dei o próximo passo, oferecendo alguma dica:

Luciano:  Katharina,  assista isto: https://www.youtube.com/watch?v=x-9EW-BKtBM&t=7s 002 – A teoria dos 4 Rês. 

Ela respondeu assim:

Katharina:  Vou assistir, sim. Obrigada pela atenção.

Passados alguns minutos, novo comentário após assistir o vídeo:

Katharina:  Filtrar as informações e olhar tudo com desconfiança. Tem que ser um exercício diário para evitar que aceitemos tudo como verdades absolutas. O problema é somos bombardeados por uma carga cavalar de informações provenientes de todos os veículos de comunicação, muitos dos quais são partidários defendendo seus interesses próprios. Muitas vezes, motivados por a nossa ideologia, selecionamos apenas as informações que coadunam com os nossos próprios interesses e descartamos aquelas que contradizem ou confrontam as nossas convicções. Nesse caso, nos tornamos vítimas em potenciais de informações distorcidas. Adorei o vídeo, muito obrigada pela atenção.

Pronto. O que tinha potencial para se transformar num confronto, acabou numa amável troca de comentários com um agradecimento sincero no final.

É assim que deveria ser nas mídias sociais, em vez de xingar ou enfrentar, cada um contribuindo para construir uma espiral de distribuição de conteúdo, de crescimento, movida pela gentileza.

Como faço isso? Ora, apenas sigo o que ouvi de meus pais durante minha infância:

– Quando um não quer, dois não brigam.

Que bobagem, não é?

É. Experimente.