s
Artigos Café Brasil
Por dentro das Big Techs
Por dentro das Big Techs
Alguma coisa está mudando na cultura do trabalho, e ...

Ver mais

Um pouquinho de história
Um pouquinho de história
Um pouquinho de história só para manter as coisas em ...

Ver mais

Não olhe para cima
Não olhe para cima
Não olhe para cima é uma comédia para ser levada a ...

Ver mais

Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Café Brasil 805 – O Estupro da Mente
Café Brasil 805 – O Estupro da Mente
Muito bem! No episódio passado, eu introduzi o conceito ...

Ver mais

Café Brasil 804 – Psicose de formação em massa
Café Brasil 804 – Psicose de formação em massa
O termo Mass Formation Psychosis, psicose de formação ...

Ver mais

Café Brasil 803 – Enquanto houver sol
Café Brasil 803 – Enquanto houver sol
E aí? Pronto pro ano novo? Tá complicado, é? Muita ...

Ver mais

Café Brasil 802 – A Lei de Lindy
Café Brasil 802 – A Lei de Lindy
Olhe pela janela... o que restará daqui a 100 anos, de ...

Ver mais

LíderCast 227 – Leticia Zamperlini e Cristian Lohbauer
LíderCast 227 – Leticia Zamperlini e Cristian Lohbauer
No programa de hoje temos Leticia Zamperlini e Cristian ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Hoje bato um papo muito interessante com Leandro Bueno, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 5 – Predicáveis: Classificação e Números (parte 4)
Alexandre Gomes
Os PREDICÁVEIS representam a mais completa classificação das relações que podem ser afirmadas DE UM PREDICADO. em relação a um sujeito, TANTO QUANTO as categorias (do ser) são a mais completa ...

Ver mais

Expectativas em relação à China
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Expectativas em relação à China “Embora ainda seja prematuro especular sobre os delineamentos básicos de uma nova e inevitável ordem internacional, a evolução dos acontecimentos parece apontar ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 5 – Formas Proposicionais A E I O (parte 3)
Alexandre Gomes
As distinções apresentadas na lição anterior são as bases da CONCEITUAÇÃO e do MANEJO das proposições. Usando a qualidade, ou tanto a quantidade quanto a modalidade, como base, TODA PROPOSIÇÃO ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 5 – Características das Proposições (parte 2)
Alexandre Gomes
As PROPOSIÇÕES podem ser agrupadas por cinco características; e cada uma dessas se divide em duas classes. As cinco características são: a) referência à realidade, b) quantidade, c) qualidade, d) ...

Ver mais

Cafezinho 457 – Eu não sabia
Cafezinho 457 – Eu não sabia
O jornalista, crítico da mídia e filósofo amador ...

Ver mais

Cafezinho 456 – Humildade na liderança
Cafezinho 456 – Humildade na liderança
Quando você mistura ignorância com arrogância, pitadas ...

Ver mais

Cafezinho 455 – Para pensar direito
Cafezinho 455 – Para pensar direito
George Orwell escreveu: "Se as idéias corrompem a ...

Ver mais

Cafezinho 454 – A tecnologia mata a paciência
Cafezinho 454 – A tecnologia mata a paciência
A vida é curta demais pra gente ficar esperando. Mas ...

Ver mais

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina

Silvio Santos, Zé Celso e o Oficina

Luciano Pires -

O caso Zé Celso, Silvio Santos e o Teatro Oficina. Resumo: o Teatro Oficina foi tombado em meio a terrenos de Silvio Santos. Há 30 anos se arrasta uma briga, pois Silvio tinha um projeto para construir torres de apartamentos nos terrenos, o que era sistematicamente embargado. Enquanto isso, Zé Celso, o eterno diretor do oficina, encabeçava movimentos para a preservação do teatro e para a transformação dos terrenos de Silvio num grande parque municipal.

O vídeo da reunião viralizou, editado, e o que se viu é o que se tornou praxe:simpatizantes de cada lado defendendo/atacando.

Silvio foi chamado de capitalista selvagem, aproveitador, opressor e empreendedor brilhante.

Zé Celso foi chamado de louco, comunista, socialista, esquerda caviar e artista genial.

Doria foi chamado de burocrata, coxinha, fazedor de média.

Bem, não convencido pelas versões editadas, tive a paciência de assistir a todos os 5 vídeos que mostram a reunião promovida pelo Doria para resolver o caso. O que vi:

A reunião começa cheia de ironia de parte a parte. De um lado o empresário Silvio Santos, de olho em seu empreendimento. De outro o artista Zé Celso, de olho em seu sonho. E por longos minutos assistimos a um fascinante embate entre o sonhador que quer que Silvio dê o terreno para o estado e que o estado construa o parque, e Silvio, que quer ter o direito de dispor de seu terreno como quiser.

É um desfile de todos os chavões empresariais, esquerdistas e progressistas que eu conhecia. Tá tudo lá: “quem é rico tem de dar”, “isto não é uma democracia”, “foi golpe”, “pare de sonhar”, “quem paga?”… Este é um vídeo para ser objeto de estudo em qualquer aula de sociologia, antropologia e negócios. E negociação.

Doria, certamente fascinado com o embate entre dois ícones com mais de 80 anos, apenas observa, com toda a paciência do mundo. Na certa esperando que os dois ficassem cansados.

No final, aos poucos, o prefeito com cuidado e educação, vai organizando os pensamentos, construindo uma opção que atenda todos os lados, baixando os arroubos e tentando chamar à razão. Sem mudar o tom da voz, sem ironias, respeitando cada parte. E assim consegue que os dois grupos saiam com a tarefa de desenvolver uma proposta que atenda a todos. Se der certo, o Bixiga ganhará um parque, com grande área cultural, um complexo com estúdios, escritórios e apartamentos e dois velhinhos satisfeitos, cada um com seu brinquedo.

São Paulo ganhará muito.

Eu sei que você já deve estar gritando aí… mas experimente assistir os vídeos. Depois comente.