s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Sobre chutes e previsões

Sobre chutes e previsões

Luciano Pires -

Pô, meu, testemunhar um tsunami ao vivo? Eu não perderia essa de jeito nenhum. Mas antes, uma historinha.

Em 1971 o Clube de Roma, que estuda as  consequencias do crescimento econômico mundial, previu que o crescimento da humanidade seria limitado pelo esgotamento de fontes de energia não-renováveis e de minerais importantes. O cobre, por exemplo. Usando um recurso sofisticado na época – computadores – levantaram a taxa de consumo de cobre nos vinte anos anteriores e projetaram os vinte anos futuros, contemplando as taxas de crescimento econômico esperadas. Conclusão: por volta do ano 2000 as reservas de cobre estariam esgotadas.
O que o Clube de Roma não previu foi que, no final dos anos noventa, o sistema de cabeamento telefônico com fios de cobre passou a ser substituído por fibras óticas, de vidro, muitíssimo mais eficientes. E a matéria-prima para as fibras óticas é o silício. Grosseiramente dizendo: areia, um dos elementos mais abundantes na natureza. E o cobre não acabou.

Os precisos cálculos matemáticos dos especialistas deixaram de fora um detalhe: a engenhosidade do homem, que a cada dia cria novas soluções para velhos problemas.

Lembrei dessa história assistindo uma transmissão ao vivo da CNN que anunciava a chegada de um tsunami ao Havaí, após o terremoto que abalou o Chile no final de Fevereiro de 2010. A câmera mostrava uma bonita praia com as ondas batendo tranquilamente enquanto o locutor dizia que a qualquer minuto o tsunami chegaria. E eu na expectativa. O povo debandou para lugares altos para escapar da onda gigante. E então surgiram mais umas ondinhas e o locutor disse: “os especialistas disseram que já começou”. Agora vem! E assim foi… “Agora vem! Já começou! A qualquer momento”… Até que após mais de uma hora a transmissão foi encerrada. Sem tsunami no Havaí. Um fiasco.

E enquanto isso, no Chile, a história foi diferente. Um tsunami arrasou parte do litoral, sem que os especialistas previssem. Previram no Havaí, não teve. Não previram no Chile, teve.

As interações que envolvem os sistemas econômicos, ambientais e sociais são por demais complexas. Não existem fórmulas prontas. Não existem certezas, apenas dados que os homens juntam para tentar tirar conclusões. Mesmo com milhares de técnicos, computadores, satélites, modelos matemáticos e anos acumulados de conhecimento, os homens falham miseravelmente em suas previsões. Erros e acertos, é assim que funciona a ciência, o que explica o tsunami que não chegou e o cobre que não acabou. O mundo da ciência, apesar da matemática e da física, não é exato. Lida com probabilidades e na maior parte das vezes é surpreendido por um acontecimento novo, uma reação inesperada. Até mesmo pelo gênio dos homens. É no gênio que tira as conclusões da análise dos dados frios que reside o valor da ciência. Onde um medíocre nada vê, um gênio pode ver o futuro.

Portanto, errar continua sendo muito humano. O problema é o que fazer depois do erro. Quem tem cérebro, aprende.Quem não tem, ou o tem a serviço de projetos de poder, projetos comerciais ou ideologias, faz diferente. Mesmo sem conseguir prever a chegada de um tsunami na esquina, continua dizendo que os oceanos vão ficar seis graus mais quentes daqui a cem anos.

Pois é. Quando não dá pra prever, o homem chuta.

Luciano Pires