Artigos Café Brasil
Produtividade Antifrágil
Produtividade Antifrágil
PRODUTIVIDADE ANTIFRÁGIL vem para provocar você a rever ...

Ver mais

Cafezinho Live
Cafezinho Live
Luciano Pires, criador e apresentador dos podcasts Café ...

Ver mais

Me Engana Que Eu Gosto
Me Engana Que Eu Gosto
Me engana que eu gosto: dois meio brasis jamais somarão ...

Ver mais

Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando o Podcast Café Brasil 700!
Tá chegando a hora do Podcast Café Brasil 700!

Ver mais

Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Café Brasil 724 – A Pátria dos bobos felizes
Nos últimos 100 anos, na Alemanha e nos EUA, o ...

Ver mais

Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Café Brasil 723 – O Paradoxo do Dadinho
Pois é... esta semana completo 64 anos de idade. ...

Ver mais

Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Café Brasil 722 – O Poder do Mau
Um Podcast Café Brasil com quase três horas de duração ...

Ver mais

Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Café Brasil 721 – Lake Street Dive
Olha, os dias andam um saco! Todo mundo nervoso, ...

Ver mais

Comunicado sobre o LíderCast
Comunicado sobre o LíderCast
Em função da pandemia e quarentena, a temporada 16 do ...

Ver mais

LíderCast 204 – Marco Bianchi
LíderCast 204 – Marco Bianchi
Humorista, um dos criadores dos Sobrinhos do Athaíde, ...

Ver mais

LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
LíderCast 203 – Marllon Gnocchi
Empreendedor de Vitória, no Espírito Santo, que começa ...

Ver mais

LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
LíderCast 202 – Richard Vasconcelos
Que está à frente da LEO Learning Brasil, uma empresa ...

Ver mais

Sobre Liberdade
Sobre Liberdade
Abri uma das aulas de meu curso Produtividade ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
Minuto da Produtividade 4 – Registre os pensamentos e ideias
A mente da gente é que nem o Windows; está agitando mas ...

Ver mais

Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 – Livre-se do lixo
Minuto da Produtividade 3 - Livre-se do lixo

Ver mais

Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Minuto da Produtividade 2 – Desenvolva sua própria pegada produtiva
Desenvolva a sua própria pegada produtiva!

Ver mais

Revisionismos e intolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Revisionismos e intolerância “Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar ...

Ver mais

Motivos de orgulho
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Motivos de orgulho Numa época repleta de dificuldades, pessimismo e más notícias como a que estamos vivendo em razão da pandemia de coronavírus e suas consequências sanitárias, econômicas, ...

Ver mais

5 ações de marketing para ajudar a superar a crise do coronavírus
Michel Torres
Negócios em todo o mundo estão sentindo os efeitos da pandemia: menos clientes, menor receita e o medo de não ter condições de aguentar esse tempo de prejuízo. Precisamos salvaguardar a saúde e o ...

Ver mais

Brasis
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Brasis  “Quanto tempo um homem deve virar a cabeça, fingindo não ver o que está vendo?” Bob Dylan Minha primeira lembrança pra valer do que vou focalizar neste artigo é de quando li Os dos ...

Ver mais

Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Cafezinho 295 – O Domingão do Faustinho
Estamos assistindo a uma revolução na mídia, meus ...

Ver mais

Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Cafezinho 294 – Vem pra Confraria
Se você vê algum valor em nosso trabalho, acesse ...

Ver mais

Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Cafezinho 293 – Democracia da porta pra fora.
Não coloque a distribuição do seu trabalho nas mãos das ...

Ver mais

Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Cafezinho 292 – A bunda da Daniele
Qual janela você escolheu para ver o mundo?

Ver mais

Terceirização fora de foco

Terceirização fora de foco

Luciano Pires -

Nós brasileiros temos um talento inigualável para entender mal, traduzir mal e aplicar mal conceitos de administração. Foi assim com o “partnership”, que virou “parceria”, com “reengineering”, que virou “reengenharia” e com o “outsourcing” que virou “terceirização”.

Toda essa discussão em função da PL 4330, por exemplo, que regulamenta a terceirização, não trata daquele “outsourcing” que conheci 25 anos atrás, mas de outra coisa. Tem uma matemática nessa discussão rasteira que não fecha. Se o Zé custa para a empresa 100 e, terceirizado, vai custar 80, de onde saíram os 20? Do salário menor que ele receberá? De impostos menores que pagará? Da comida pior que comerá? Dos benefícios que deixará de ter? Das horas a mais que trabalhará? E a conta piora se entre o Zé e a empresa que vai terceirizar, aparecer um intermediário…

Mas essa discussão está fora de foco. Discute-se o que se vê, quando o que interessa é o que não se vê, como diria São Bastiat.

Tomei contato com o tema ” tercerização”depois que Collor arrombou as portas do Brasil para o mundo em 1991 e tivemos que sair atrás de soluções para aumento de competitividade. O ” outsourcing”, traduzido para “terceirização”,  foi uma delas, mas havia regras bem claras. Só valia a pena terceirizar se o terceirizado fosse capaz de fazer o trabalho de forma mais eficiente que a minha empresa. Não era na redução do salário dos funcionários que se buscavam os ganhos, mas na possibilidade de redução da estrutura administrativa das empresas, nos ganhos de produtividade e com a divisão de meus custos fixos com outras empresas.

Exemplo: se eu conseguisse terceirizar 20% da força de trabalho de minha fábrica, poderia ter menos gente nas áreas administrativas, não teria que investir em ferramental e equipamentos que permaneciam parte do tempo ociosos e que, sendo do terceirizado, poderiam ser utilizados para atender a outros clientes. Mas o mais importante: os terceirizados seriam especialistas, focados em suas atividades, com mais conhecimento e experiência do que minha empresa jamais poderia ter, com mais facilidade para decidir investimentos e flexibilidade para atender às demandas.

Conheci situações em que o processo de terceirização ficou mais caro que manter os funcionários contratados, mas os ganhos em eficiência  que o terceirizado proporcionou, e que a mediocridade imediatista não conseguia ver,  tiveram impacto muito maior nos resultados do que a redução na folha salarial, que era a única coisa que a mediocridade imediatista conseguia ver.

A discussão que toma os espaços no Brasil neste momento não é sobre terceirização, é sobre locação de mão de obra, que é outra coisa. Por isso os sindicatos e os progressistas estão tão assanhados. Esse pessoal só enxerga um patrão ganancioso querendo se livrar de todos os torneiros mecânicos, comprando o trabalho deles por um preço vil e os empurrando para as garras de outros patrões mal intencionados, desonestos e exploradores. Isso não é terceirização. E gente mal intencionada, desonesta e exploradora não precisa de terceirização para agir como abutres. Fazem isso de qualquer jeito.

A PL 4330, ao criar mecanismos para garantir os direitos e colocar terceirizador e terceirizado em posição solidária, vem justamente para defender daqueles abutres os trabalhadores que têm sua mão de obra locada.

Mas, de novo, locação de mão de obra não é terceirização.

Terceirização implica em inteligência, inovação, riscos, empreendedorismo, comprometimento e, acima de tudo, numa relação de confiança. Sou a favor da liberação para se terceirizar tudo, se possível até o presidente da empresa, mas essa decisão tem que ser estratégica, focada nos resultados indiretos.

O idiota que, pensando apenas em redução de custos, achar que dá para terceirizar a inteligência, o tesão e a cultura de sua empresa, vai quebrar.

E os abutres têm que ser presos. Para isso nem precisa da PL 4330, bastaria cumprir a lei.

Mas nós brasileiros temos um talento inigualável para entender mal, traduzir mal, aplicar mal…