s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Café Brasil 793 – LíderCast Antônio Chaker
Hoje bato um papo com Antônio Chaker, que é o ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Regras de Definição (parte 5)
Alexandre Gomes
  Para cumprir a função de DEFINIÇÃO, esta deve atender alguns requisitos. Do contrário, será apenas enrolação ou retórica vazia. Os requisitos são: 1. CONVERSÍVEL em relação ao sujeito, à ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Cafezinho 432 – O vencedor
Cafezinho 432 – O vencedor
As pessoas não se importam com o que você diz, desde ...

Ver mais

Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Cafezinho 431 – Sobre Egosidade
Descobri o que acontece com aquela gente enfática, que ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

#tutorial paraentenderopost

#tutorial paraentenderopost

Luciano Pires -

Publico sempre textos polêmicos no Facebook, que recebem muitos comentários, vários deles demonstrando que a pessoa não entendeu o que estava escrito. Chega a ser assustador. Então decidi publicar outra daquelas obviedades que podem ajudar um ou outro aí a entender o que lê, vê ou ouve. Vamos lá.

1. Procure saber um pouco sobre o autor. Quem é ele? Qual sua formação e influências? Que ideias e pontos de vista ele defende? De onde ele veio? Onde publica seus escritos? Ele tem Facebook? Entre na página e procure quem ele curte. Ele tem Twitter? Entre lá e veja principalmente o que ele retuíta. São pistas importantíssimas para ajudar a interpretar o texto.

2 . Procure entender para quem o texto foi escrito. Para homens? Mulheres? Jovens? Velhos? Pobres? Ricos? Esquerdistas? Direitistas? Conservadores? Cumpanheros? Isso ajuda imensamente a compreender as intenções do autor.

3. Se possível, verifique em que contexto o texto foi escrito. Foi por alguém que acaba de testemunhar um conflito entre a polícia e manifestantes e tomou um bordoada? Foi pelo jornalista que acaba de ser demitido do emprego por uma opinião mal dada? Ou alguém que acaba de perder uma eleição? Quem sabe alguém que estava na cena de um atentado terrorista? O contexto dá pistas preciosas sobre o estado psicológico e as intenções do autor.

4. Leia o texto pelo menos duas vezes. Primeiro observe o conteúdo, depois analise a forma como o autor desenvolveu o texto. Um ponto de exclamação, uma palavra entre aspas, uma quebra de ritmo podem significar que você está diante de uma ironia, que quer dizer exatamente o oposto do que está escrito. Assim você não paga o mico de criticar uma opinião com a qual você concorda.

5. O mesmo foco na forma deve ser aplicado ao texto como um todo. Como os parágrafos se relacionam? Houve uma quebra de ritmo? Um parágrafo que contradiz o anterior? Hummm… Será que esse idota está se contradizendo? Ou ele está olhando por um ângulo que eu não percebi? Se o escritor não for apenas ruim, essas relações entre os parágrafos também tem uma razão de ser.

6. Qual é a ideia mais importante em cada parágrafo? Ou em cada bloco de parágrafos? Mantenha-a em perspectiva.

7. Opa! Você se deparou com uma pergunta! Será que compreendeu a questão? Cuidado, um erro de interpretação da pergunta mudará completamente sua percepção do texto e a culpa será sua e não do autor!

8. O texto está no Facebook ou outro local que permite comentários de leitores? Se está, há grandes chances de ser um texto escrito de primeira, sem revisões, sem grandes cuidados com estilo, apenas um registro rápido de alguma ideia que depois será elaborado. Aproveite e leia os comentários dos leitores! O mesmo vale para os vídeos do Youtube e qualquer tipo de mídia social. Muitas vezes os comentários trazem interpretações sob pontos de vista muito diferentes dos seus que complementam o texto ou elucidam uma questão.

9. “O primeiro dever da inteligência é duvidar dela mesma” disse Albert Einstein. Duvide de sua inteligência. Sempre. Talvez aquele autor que, embora sem conhecer direito, você está prestes a ofender, seja mais inteligente que você. Ao fazer um comentário ácido ou uma gracinha você estará apenas fazendo papel de idiota.

10. Lembre-se: sempre que você encontrar algo que o satisfaça, compartilhe.

Putz… É tão óbvio que até me dá vergonha.