s
Artigos Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 792 – Solte o belo!
Café Brasil 792 – Solte o belo!
A beleza existe? Ou é só coisa da nossa cabeça? E se ...

Ver mais

Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Café Brasil 791 – Tempo Perdido
Você certamente já ouviu falar do Complexo de ...

Ver mais

Café Brasil 790 – Don´t be evil
Café Brasil 790 – Don´t be evil
Existe uma preocupação crescente sobre o nível de ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Café Brasil 789 – LíderCast Osvaldo Pimentel – Monetizze
Hoje bato um papo com Osvaldo Pimentel, CEO da ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

O Brasil e o Dia do Professor
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
O Brasil e o Dia do Professor Aulinha de dois mil réis Apesar das frequentes notícias que vêm a público, dando conta do elevado grau de corrupção existente em nosso país, e da terrível ...

Ver mais

Trivium: Capítulo 4 – Definição dos Termos (parte 4)
Alexandre Gomes
  Uma definição torna explícita a INTENSÃO* ou significado de um termo, a essência que este termo representa.   *  você deve ter estranhado a palavra INTENSÃO, imaginando que seria ...

Ver mais

Enquanto isso
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Em setembro do ano passado o STF julgou um processo muito interessante, sobre a propriedade do Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Foi decidido que o palácio pertence ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Cafezinho 430 – A desigualdade nossa de cada dia
Gritaria ideológica em rede social, sustentada em ...

Ver mais

Cafezinho 429 – Minha tribo
Cafezinho 429 – Minha tribo
E no limite, a violência, o xingar, o ofender, o ...

Ver mais

Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
Cafezinho 428 – A cultura da reclamação
O ser humano, naturalmente, só confia em membros de sua ...

Ver mais

Cafezinho 427 – Política e histeria
Cafezinho 427 – Política e histeria
A histeria política é sintoma da perda total do ...

Ver mais

Xerxesando

Xerxesando

Luciano Pires -

XERXESANDO

Estou relendo um livro precioso. Chama-se Ética & Negócios e foi escrito por Julio Lobos. É uma publicação independente, não está à venda em livrarias. Foi publicado em 2003 e nunca esteve tão atual. Julio trata de ética no ambiente empresarial, numa linguagem simples e objetiva. É uma delícia. Lá pelas tantas, encontro uma história saborosa. No ano 480 a.C., o rei persa Xerxes, após ser derrotado pelos gregos, foge em seu navio abarrotado de cortesãos, para a Turquia. No meio do caminho, com o navio açoitado por fortes ventos, o rei ouve o comandante alertar que o peso está excessivo e podem naufragar a qualquer momento. O comandante lança, então, um olhar significativo em direção à comitiva real. O rei entende o recado e faz um discurso:


– Homens da Pérsia, eis o momento de demonstrar o quanto amam o seu rei. Pois é de vocês, ao que tudo indica, que depende a sorte dele.


Um a um, os cortesãos atiram-se ao mar, aliviando o peso do navio, que chega com segurança ao destino. Em terra firme, o rei, satisfeito e já com a cara cheia de vinho, premia o comandante com uma coroa de ouro. Ele salvara a vida do rei! Em seguida Xerxes manda decapitar o comandante, por ter provocado a morte de muitos súditos.


Julio Lobos comenta a história: “Ao sugerir veladamente o sacrifício dos cortesãos, o comandante afasta-se do código ancestral dos humanos, que manda: ´não matarás´. Xerxes é conivente. Mas também é rei – precisa se conservar inocente. Após concordar com a imolação dos cortesãos, joga a culpa no comandante – ´Não falou claramente´; ´Fui usado´; ´Ignorava as conseqüências´… E assim premia-o primeiro por honrar o direito divino – proteger o rei, que é um deus -, e depois o pune por ter induzido a ele, Xerxes, um mero mortal, a desrespeitar o direito humano à vida. Finalmente, deita-se a desfrutar tranqüilamente o sono dos justos.” 


Xerxes, dois mil e quinhentos anos atrás…


Enquanto lia a história, um filme passava na minha cabeça. Nele, eu via personagens muito conhecidos, que freqüentam nossas televisões, jornais e revistas diariamente. Todos vestidos de Xerxes. E outros com a roupa do comandante… Quantas histórias semelhantes você consegue encontrar no nosso Brasil varonil de hoje, hein? Quantos Xerxes conseguiria apontar? E quantos comandantes? Estou me mordendo aqui para não começar a listar os nomes… Se o fizer, as patrulhas e os ideologicamente estressados dirão que sou preconceituoso, que sou de direita ou de esquerda, que sou da elite ou que sou comunista… Então deixo pra você fazê-lo, vamos lá. Releia a historinha e me aponte um Xerxes na política nacional. E outro no futebol. Mais um na justiça. E outro na segurança pública. Um na empresa onde você trabalha! Quem sabe você não é um Xerxes? Talvez não. Pra ser um Xerxes, tem de ter poder, coisa que nem todos têm.


Pois estou tentado a criar o verbo “xerxesar”.


Eu xerxeso, tu xerxesas, ele xerxesa.


Nós xerxesamos, vós xerxesais, eles xerxesam…


Eu xerxesei, tu xerxesaste, ele xerxesou.


Nós xerxesamos, vós xerxesastes, ele xerxesou. 


Que ótimo!



O xerxesador usa seu poder para jogar a responsabilidade nos ombros de um subalterno, que vai arcar com as conseqüências enquanto ele afirma: “eu não sabia de nada”…


Êpa!