s
Podcast Café Brasil com Luciano Pires
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 915 – O Homem Brinquedo
Café Brasil 915 – O Homem Brinquedo
A Inteligência Artificial é uma maravilha e está ...

Ver mais

Café Brasil 914 – Os canteiros de Cecília
Café Brasil 914 – Os canteiros de Cecília
Cecília Meireles deixou uma obra que transcende o ...

Ver mais

Café Brasil 913 – Tá ligado?
Café Brasil 913 – Tá ligado?
Na animação da Disney "A Bela e a Fera", de 1991, Bela, ...

Ver mais

Café Brasil 912 – Pobreza e Riqueza revisitado
Café Brasil 912 – Pobreza e Riqueza revisitado
Para que o Brasil estabeleça os requisitos básicos para ...

Ver mais

LíderCast 312 – Renata Silbert
LíderCast 312 – Renata Silbert
No episódio de hoje trazemos Renata Silbert, que tem ...

Ver mais

LíderCast 311 – Gus Erlichmann e Ariel Krok
LíderCast 311 – Gus Erlichmann e Ariel Krok
O episódio de hoje é especial, com dois convidados: Gus ...

Ver mais

LíderCast 310 – Estevan Oliveira
LíderCast 310 – Estevan Oliveira
No episódio de hoje temos Estevan Oliveira, que tem uma ...

Ver mais

LíderCast 309 – Sérgio Siqueira
LíderCast 309 – Sérgio Siqueira
No episódio de hoje temos Sérgio Siqueira, um ouvinte ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Os 30 anos do Plano Real
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Os 30 anos do Plano Real   Paulo Galvão Júnior (*) Luiz Alberto Machado (**)   1. Considerações iniciais É preciso sempre debater os destinos econômicos, sociais e ambientais de nosso ...

Ver mais

Releituras
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Releituras   “Quando um país é capaz de contar com as instituições preservadoras da autonomia individual (Estado de Direito e economia de mercado), de melhorar a qualificação de seus ...

Ver mais

Canadenses ganhadores do Prêmio Nobel de Economia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Visão geral dos economistas canadenses ganhadores do Prêmio Nobel de Economia Paulo Galvão Júnior (*) Luiz Alberto Machado (**) Enquanto o Brasil, com população estimada de 203,0 milhões de ...

Ver mais

Temperatura e Calor
alexsoletto
Iscas Científicas
TEMPERATURA E CALOR Esse texto é baseado no livro de Robert L. Wolke, professor emérito de química da Universidade de São Pittsburg (EUA) “Lo Que Einstein  Le Contó A Su Barbeiro”.   Texto de ...

Ver mais

Cafezinho 613 – Baixe a bola? Eu não!
Cafezinho 613 – Baixe a bola? Eu não!
Pô, Luciano, nessa idade você já devia ter baixado a ...

Ver mais

Cafezinho 612 – Se o Facebook não protege as crianças…
Cafezinho 612 – Se o Facebook não protege as crianças…
Em 2021, Frances Haugen, ex-diretora do Facebook, vazou ...

Ver mais

Cafezinho 611 – O funk no busão
Cafezinho 611 – O funk no busão
Não é difícil comprovar que as pessoas, em geral, estão ...

Ver mais

Cafezinho 610 – Siga Los Pájaros!
Cafezinho 610 – Siga Los Pájaros!
As decisões triviais que tomamos podem ir muito além do ...

Ver mais

Café Brasil 906 – O Espírito Natalino

Café Brasil 906 – O Espírito Natalino

Luciano Pires -

Que tal explorar uma nova fonte de renda e se tornar um empreendedor? Cara: entre assim em 2024. Pra arrebentar! Uma opção acessível é investir como um franqueado da Santa Carga, reconhecida como a melhor microfranquia do mercado. Com um investimento inicial de apenas R$ 19.900, você adquire um totem carregador de celular com uma tela ampla para exibir anúncios em vídeos e notícias em tempo real, além de oferecer acesso à internet via WiFi próprio.

Posicione o seu totem em locais estratégicos, como shoppings, oficinas, padarias ou lojas, e comercialize espaços de anúncios em vídeo para comerciantes locais. A Santa Carga oferece suporte completo e cuida da produção dos vídeos, proporcionando uma fonte estável de renda. Muitos empreendedores já têm vários totens, possibilitando ganhos mensais de mais de R$ 8.000,00 por totem!

E o melhor de tudo é que você não precisa gerenciar estoque, contratar funcionários ou arcar com despesas de aluguel.

Visite santacarga.vip para obter informações detalhadas e mencione lá que você é ouvinte do Café Brasil e do Lídercast e receba um bônus exclusivo de R$1.000,00.

Inicie seu próprio negócio com uma das franquias de crescimento mais rápido no Brasil – Santa Carga. 

“Um Conto de Natal” de Charles Dickens, publicado em 1843, narra a transformação de Ebenezer Scrooge, um homem avarento e egoísta. Na véspera de Natal, Scrooge é alertado por Jacob Marley, seu falecido sócio, sobre um destino trágico devido à sua avareza. Três espíritos visitam Scrooge: o Natal Passado, que  revela momentos de alegria e tristeza; o Natal Presente, que destaca a alegria compartilhada mesmo em condições humildes; e o Natal Futuro, que mostra as consequências sombrias de sua vida atual.

Profundamente impactado, Ebenezer Scrooge, inicialmente avarento e insensível, passa por uma transformação emocional ao reconhecer seus erros, sentir empatia e abraçar a generosidade após as visitas dos espíritos. No final, ele se torna dedicado a fazer o bem durante a temporada de Natal, simbolizando a capacidade de mudança e redenção, conforme destacado na mensagem central do conto de Dickens sobre a importância da bondade e da humanidade.

Quem mudou Scrooge foi o Espírito Natalino, que aparece sempre nesta época do ano, para nos incentivar a sermos alegres, generosos, amáveis e a praticar o perdão. Mas isso tudo vai na contramão das nossas reações naturais ao estresse causado pelas compras de Natal, viagens e interações comuns durante as festas.

É época do espírito Natalino, e vale tentar entender de onde ele vem e porque causa tanta influência em nosso comportamento.

Vamos nessa?

Bom dia, boa tarde, boa noite. Você está no Café Brasil e eu sou o Luciano Pires. Posso entrar?

“Ôrra Lalá! Que sequência de solos de guitarra, né? É de arrepiar, uma injeção de dopamina!

E Luciano, se com oito reais por mês for pra ter mais Café Brasil musical, take my Money! Que é isso?

Tudo o que o senhor disse, sobre a música fazer parte da vida, é isso aí. Eu aprendi a ouvir música pegando os discos dos meus pais escondido, para ouvir rock de verdade, rock da década de 70, 80, e te falar, viu?

No dia do meu casamento não foi difícil escolher nem doce, nem decoração, nem vestido de noiva, difícil foram as músicas, justamente pensando nessa seleção que deveria ser perfeita e foi. A cerimônia católica valorizando o português, músicas católicas de comunidade, vindo pra festa entrando no salão junto com ela ao som de Sutton of Strings, e por ali foi com sequência de Super Cramp, Beatles, Rolling Stones e outras músicas nessa sequência que o Lalá colocou.

Bom pessoal, vida longa aí ao Café Brasil, ao Cafezinho, e obrigado. Certeza que agora muitos assinarão o Café Brasil e que venham aí mais episódios como esse. Um abraço.”

Grande Reinaldo, comentando o Café Brasil 905 – Music and Me e mostrando como valoriza o bom e velho rock´n roll, rarararraa.  Mas o Reinaldo é do interior, então…

“…e só pra completar, como estamos em Goiás, também não pode faltar Leandro e Leonardo, Zezé de Camargo e Luciano, Tonico e Tinoco e um pouco de Chitãozinho e Xororó.

É isso. Isso daí completa também um belo ciclo passando pela maioria das regiões do país. Até”

Raraarararara… Música é música, meu caro. Mas tem de ser música…

O comentário do ouvinte agora é patrocinado pela Livraria Café Brasil, e o Reinaldo ganhou um livro, para enriquecer ainda mais o seu interesse! Será o Noites Tropicais, do Nelson Motta. É um clássico absoluto do jornalismo cultural, é uma viagem pelos tempos felizes da bossa nova, jovem guarda, MPB, tropicalismo, discoteca e rock brasileiro. Escrito por quem viveu tudo isso de perto, como jornalista, testemunha e protagonista de grandes momentos da música brasileira, dos mais dramáticos aos mais divertidos. Cara: esse livro é uma delícia!

Entre em contato conosco pelo WhatsApp 11 96429 4746, para definir a remessa do livro, viu Reinado? Muito obrigado!

E você aí, hein? Que tal virar assinante do Café Brasil? Vá lá em canalcafebrasil.com.br. A gente espera.

Let It Snow
Jule Styne
Sammy Cahn

Oh the weather outside is frightful
But the fire is so delightful
Since we’ve no place to go
Let it snow, let it snow, let it snow

It doesn’t show signs of stopping
And I’ve brought some corn for popping
The lights are turned down low
Let it snow, let it snow, let it snow

When we finally kiss goodnight
How I’ll hate going out in a storm
But if you really hold me tight
All the way home I’ll be warm

The fire is slowly dying
And my dear we’re still goodbying
As long as you love me so
Let it snow, let it snow, let it snow

He doesn’t care if it’s in below
He’s sitting by the fires gloosy glow
He don’t care about the cold and the winds that blow
He just says, let it snow, let it snow, let it snow

Let it snow!

Ooh wee goes the storm
Why should he worry when he’s nice and warm
His girl by his side and the lights turned low
He just says, let it snow, let it snow

I don’t care!

The weather outside is frightful
But that fire is, hmm, delightful
Since we’ve no place to go
Let it snow, let it snow, let it snow

It doesn’t show signs of stopping
And I’ve brought lots of corn for popping
The lights are way down low
So let it snow, let it snow, let it snow

Let it snow!

When we’ve finally say goodnight
How I’ll hate going out in a storm
But if you’ll only hold me tight
All the way home I’ll be warm

The fire is slowly dying
And my dear we’re still goodbying
Long as you love me so
Let it snow, let it snow, let it snow!

Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

Ah o tempo lá fora esta assustador
Mas o fogo está tão delicioso
Desde que não temos um lugar para ir
Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

Essa neve não mostra sinais de parar
E eu comprei milho para pipocas
As luzes estão abaixadas
Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

Quando finalmente nos beijamos, boa noite
Como eu vou odiar sair em uma tempestade
Mas se você realmente me agarrar apertado
Todo o caminho de casa será quente

O fogo está morrendo lentamente
E minha querida, nós continuamos nos despedindo
Enquanto você me ama tanto
Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

Ele não se importa se está em baixo
Ele está sentado ao calor brilhante do fogo
Ele não se importa com o frio e com os ventos que sopram
Ele apenas diz: Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

Deixa nevar!

Ooh pequenino vai pela tempestade
Por que ele poderia se preocupar quando ele está agradável e quente?
Sua garota ao seu lado e as luzes abaixadas
Ele apenas diz, deixa nevar, deixa nevar

Eu não me importo!

O tempo lá fora esta assustador
Mas o fogo está, hmm, delicioso
Desde que não temos um lugar para ir
Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

Essa neve não mostra sinais de parar
E eu comprei muito milho para pipocas
As luzes estão de uma forma abaixadas
Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

Deixa nevar!

Quando nós finalmente dizemos, boa noite
Como eu vou odiar sair em uma tempestade
Mas se você realmente me agarrar apertado
Todo o caminho de casa será quente

O fogo está morrendo lentamente
E minha querida, nós continuamos nos despedindo
Enquanto você me ama tanto
Deixa nevar, deixa nevar, deixa nevar

É ao som do clássico Let It Snow, na voz do insuperável Frank Sinatra, que vamos entrando no espírito…

Houve um tempo em que o Natal era um momento único e ansiosamente esperado pela garotada, e as famílias se reuniam para fazer dessa festa a marca de passagem de um ano para outro, repleta de votos de saúde, sucesso e felicidade. Havia uma intenção de viver as festas pelo que elas traziam de significado e não pelas oportunidades comerciais, que acabaram tomando conta da tradição.

Eu não sei você, mas eu me incomodo de montão com propagandas de bancos, empresas de refrigerantes, seguradoras e magazines usando os símbolos do Natal para dizer: compre, compre, compre!!!!

Tá certo, sempre foi assim, e isso até gerou momentos inesquecíveis:

Quero ver
Paulo Sérgio

Quero ver,
Você não chorar,
Não olhar pra trás,
Nem se arrepender, do que faz,
Quero ver o amor vencer,
Mas se a dor nascer
Você resistir e sorrir…
Se você pode ser assim,
Tão enorme assim, eu vou crer…

Que o Natal existe,
Que ninguém é triste,
Que no mundo há sempre amor,
Bom Natal, um feliz Natal,
Muito amor e paz pra você, pra você.

Mas na verdade, o Natal mudou porque eu cresci. O Lucianinho ficou lá nos anos sessenta…

As crianças utilizam a imaginação de várias maneiras para funcionar socialmente, mentalmente e, mais importante, de forma criativa. A imaginação, o ato ou poder de visualizar algo que não existe, transforma as crianças em pessoas especiais. Expande sua capacidade criativa. A temporada de férias, especificamente o Natal, impacta as crianças de maneira significativa. Por essa razão, a celebração do Natal e a presença fictícia da figura simbólica do Papai Noel, devem permanecer de vital importância na vida das crianças.

As festas são conhecidas como os alicerces das tradições e encontros familiares. Tradições que geralmente começam desde a infância, dão às crianças uma saída para a imaginação, produzindo uma alegria que dura a vida inteira, cara. Eu aposto, quanto vvoê quiser, que você tem em sua memória os melhores natais de sua vida enquanto você era criança, não é?

Tudo começa com a tradição do Papai Noel, que materializa o espírito natalino. Papai Noel é uma mistura do Sinterklaas holandês e do Pai Natal britânico – ambos parecem ter sua origem no santo e bispo São Nicolau de Mira, que era conhecido por dar presentes secretos. São Nicolau era famoso por colocar moedas nos sapatos de outras pessoas. A tradição do Dia de São Nicolau (6 de dezembro) se tornou comum em muitos países. Na véspera da festa, que marca a sua morte, pessoas trocam presentes. O Sinterklaas holandês classifica crianças entre boas e ruins. Ele tem um ajudante chamado Zwarte Piet, que castiga as crianças mal-intencionadas batendo nelas. Ele também sequestra crianças muito ruins em algumas tradições. As crianças deixam feno ou cenoura para o cavalo em seus sapatos perto da lareira, e Sinterklaas deixa moedas de chocolate ou outro símbolo. Além disso, é comum colocar um saco na sala de estar ou fora de casa para guardar presentes para a família. O Papai Natal não tinha nada a ver com presentes. Ele foi originalmente criado como a personificação do bom humor, embora tenha se fundido posteriormente com representações diferente de Papai Noel.

Então começa assim:  temos um personagem que fala de fazer o bem, que presenteia as boas ações, que é um bom velhinho. Uma primeira razão para a força do espírito Natalino.

Aí em as decorações de Natal que apresentam uma segunda forma do espírito natalino. Os dias mais frios e longos do hemisfério norte, são aquecidos pelas luzes e plantas vivas das casas. Tanto literalmente quanto figurativamente, desejamos luz nos dias mais escuros. Os pensamentos das pessoas voltam-se para o calor, a vida e a luz à medida que os dias ficam mais curtos e, às vezes, mais frios, e a terra fica estéril até que o crescimento das plantações possa começar novamente. A luz diminui na escuridão do inverno do hemisfério norte. Portanto, a chegada do Natal é um símbolo de conhecimento, segurança e esperança. As luzes natalinas servem como um farol para aqueles que estão na escuridão e no frio. Fica inevitável ligar a decoração natalina à generosidade e caridade. Esse costume europeu migrou para o Brasil.

Semana passada eu estava em Cuiabá, onde fazia 40 graus na sombra… Passei em frente a um Shopping e lá estava o Papai Noel com sua roupa de neve, as árvores cheias de neve… não faz o menor sentido! Mas virou tradição herdada dos europeus, que trouxeram consigo o espírito natalino.

Então, vejamos… Temos em Papai Noel um guardião moral, um representante da alegria, um doador de presentes e símbolos de segurança e acolhimento. Ele fornece orientações sólidas sobre comportamento em situações específicas, como na temporada de festas. As tradições nos ensinam o que esperar e como nos comportarmos durante esse período do ano. Essas tradições se originam na maior parte do hemisfério norte, onde a colheita termina. Era nessa época do ano que nossos antepassados teriam tempo para visitar outras pessoas e receber visitantes. E sendo este, no hemisfério norte, o período mais escuro e frio do ano, nossos cérebros buscam outras fontes de calor e conforto. Embora esses princípios devam estar presentes em qualquer momento do ano, é o espírito de Natal que os faz aflorar.

Santa Claus is coming to town
J. Fred Coots

Santa Claus Is Coming To Town
You better watch out
You better not cry
You better not pout, I’m tellin’ you why

Santa Claus is coming to town

He’s making a list checking it twice
He’s gonna find out who’s naughty or nice

Santa claus is coming to town

He sees you when you’re sleeping
He knows when you’re awake
He knows if you’ve been bad or good
So be good for goodness sake

Oh! You better watch out! you better not cry
Better not pout, I’m telling you why
Santa claus is coming to town
Santa claus is coming to town

Papai Noel está vindo para a cidade

Melhor você tomar cuidado
Melhor você não chorar
Melhor não fazer beicinho, eu direi por quê

Papai Noel está vindo para a cidade

Ele está fazendo uma lista e a checará duas vezes
Ele irá descobrir quem foi malvado ou bom

Papai noel está vindo para a cidade.

Ele o vê quando você está dormindo
Ele sabe quando você está acordado
Ele sabe se você tem sido bom ou mau
Então seja bonzinho pelo amor de Deus

Ó! Melhor você tomar cuidado! melhor você não chorar
Melhor não fazer beicinho, eu direi por quê
Papai noel está vindo para a cidade
Papai noel está vindo para a cidade

Ah, que delícia cara… Michael Blubé com outro clássico: Santa Claus is coming to town, canção que completa 90 anos em 2024…

Aproveitando a deixa, começaremos 2024 com tudo em minha Mentoria MLA – Master Life Administration, um programa de treinamento contínuo em que reunimos pessoas interessadas em conversar sobre temas voltados ao crescimento pessoal e profissional. No MLA formamos um círculo de honra e confiança entre pessoas que buscam o bem comum.

Há vagas disponíveis, se você se interessa em saber mais, em estar comigo, acesse mundocafebrasil.com e clique no link para saber mais. MLA – Master Life Administration.

E se você é assinante do Café Brasil agora vem o conteúdo extra. Se não é assinante, vamos ao fechamento

Cara, sempre que é hora de manutenção do meu veículo eu tenho aquelas dúvidas de todos nós. Qual é o produto que eu escolho, hein? E como eu não sei muito sobre manutenção de automóveis, sabe o que que eu faço? Eu procuro quem me traz confiança.

Por isso, quando se trata de peças para automóveis, motos e caminhões, eu vou de Nakata, sabe por quê, hein? Porque a Nakata entrega alta performance na reta, na curva, na subida…em qualquer caminho. E principalmente porque não sou só eu que estou falando, não. Pode perguntar para o seu mecânico de confiança.

Amortecedores, componentes de suspensão e direção, certeza que ele vai dizer que a marca é Nakata. Sabe por quê?

Oras: porque é Nakata!

Assine gratuitamente o boletim em nakata.com.br e receba as últimas novidades em seu e-mail.

Tudo azul, tudo Nakata. 

Para muita gente, o período de Natal está muito longe do ideal das reuniões familiares transbordando de presentes e risadas. Pelo contrário, é um período com pelo menos algum tipo de decepção, ansiedade ou mesmo tristeza. E frequentemente acompanhado por uma variedade de fatores estressantes, incluindo álcool, ritmos de sono alterados, aumento dos encargos financeiros e conflitos familiares. As perdas durante o ano, seja a morte de um ente querido ou os contratempos econômicos, são vivenciadas de forma mais aguda durante esse período.

Este aqui em especial, o primeiro Natal verdadeiramente pós-pandemia…

Pois bem. Em minhas pesquisas, encontrei um relato da escritora Nicole Chung, que conta como perdeu o espírito natalino após a morte de seus pais. E como está retomando pouco a pouco. Ouça, talvez você – ou alguém que você conhece – tire proveito.

“O longo inverno pandêmico de 2020 marcou meu primeiro Natal sem ambos os meus pais. Participei dos rituais festivos da família, esperando mais do que acreditando que as delícias previsíveis ofereceriam um tipo de alívio para minha tristeza. Mas ainda me sentia triste o tempo todo, como se estivesse apenas cumprindo os rituais pelo bem dos meus filhos. Pequenas coisas inesperadas, como não receber uma caixa de guloseimas de minha mãe no Dia de São Nicolau, continuavam a machucar. Após um período de isolamento, tivemos a sorte de passar alguns dias com a família do meu marido, mas eu só conseguia pensar no fato de que meus pais perderiam este e todos os futuros feriados, marcos e celebrações.

Surpreendentemente, a parte mais difícil foi ser bombardeada por recordações de Natais passados, lembranças do tempo que meus pais e eu nunca recuperaríamos. Às vezes, eu tentava compartilhar essas memórias com os outros, mas na névoa de uma tristeza intensa, muitas vezes era impossível evocá-las e descrevê-las. Como único membro sobrevivente da família em que eu cresci, não conseguia transmitir completamente como eram os feriados quando eu era jovem, ou exatamente como minha mãe era décadas antes de seus netos a conhecerem. Ou como era a pequena casa onde cresci, decorada para o Natal. Rodeada por pessoas que amava, me senti inesperada e insuportavelmente solitária, percebendo que eu era verdadeiramente a única pessoa que poderia recordar essas e mil outras coisas.

O Natal do ano seguinte foi muito parecido, e eu temia que os feriados sem meus pais sempre trariam esses sentimentos de isolamento e angústia. Mas no ano passado, ao falar com meus filhos sobre o amor abundante de minha mãe por nossas festividades de Natal, e como ela sempre ficava empolgada me vendo abrir os presentes que havia adquirido ao longo do ano, senti um calor real, o impulso de sorrir, ao lado da esperada onda de dor.

Não tenho certeza do que mudou. Não é que a tristeza tenha desaparecido, ou mesmo diminuído significativamente – estou ciente dela todos os dias. Ainda há momentos em que a “celebração” é uma tarefa que devo realizar com dever, não algo que sinto no coração. Mas também sei que carregar certas lembranças sozinha não significa que estou sozinha. Passei a apreciar as lembranças que surgem em feriados, aniversários e datas importantes, deixando-as me fazer companhia mesmo quando trazem tristeza.

Desde o último Natal, dei a mim mesma permissão para comprar pequenos presentes pensando em minha mãe. Não toda vez, mas às vezes, quando vejo algo que eu sei que ela teria adorado, permito-me comprá-lo em vez de apenas sentir um aperto e desejar que pudesse. Guardo alguns desses itens e dou outros de presente, como o pequeno anel de opala que minha filha agora usa. Também comecei a incorporar algumas das tradições favoritas da minha mãe como uma forma de lembrá-la: meus filhos ganharam guloseimas no Dia de São Nicolau, e reservarei um presente único para eles abrirem na noite de Natal. Embora ainda não haja ninguém mais que lembre como eram nossos Natais quando eu era criança, posso contar às minhas filhas o que minha mãe costumava fazer por mim, compartilhando seu espírito festivo incontrolável.

Meus pais parecem mais próximos nesta época do ano porque eu a associo tão fortemente a eles, e isso agora me faz agradecer em vez de me sentir vazia e machucada. Pode ser uma temporada complicada e agridoce, como muitos que enfrentam os feriados após perder um ente querido podem atestar. Mas agora, três anos após perder minha mãe, acho que melhorei no desafio de viver com alegria e tristeza ao mesmo tempo, não esperando mais que uma vença a outra. Afinal, quando minha mãe e meu pai estavam vivos, os fardos que carregavam não desapareciam só porque era Natal. Havia muitos anos em que alguém estava doente ou sem trabalho, com raiva ou com medo; ainda tínhamos nossas perdas e nossas decepções, motivos para lamentar e celebrar.

As festas nunca foram um paraíso para nós, apenas um momento em que escolhíamos ser felizes juntos – ainda mais preciosos, talvez, nos anos em que nossa felicidade foi conquistada com dificuldade.”

É cara. Eu imagino a quantidade de pessoas que enfrentam uma situação parecida com a de Nicole Chung. Espero que aprendam com ela a receber as lembranças de Natal com, como ela disse, “alegria e tristeza ao mesmo tempo, não esperando mais que uma vença a outra.”

Apenas recebendo o espírito natalino de braços abertos e, como Ebenezer Scrooge, deixando-se transformar.

The Christmas Waltz
Jule Styne
Sammy Cahn

Merry Christmas
Merry Christmas
May your every New Year dream come true
Frosted window panes
Candles gleaming inside
Painted candy canes on the tree
Santa’s on his way
He’s filled his sleigh with things
Things for you and for me
It’s that time of year
When the world falls in love
Every song you hear seems to say
Merry Christmas
May your New Year dreams come true
And this song of mine
In three-quarter time
Wishes you and yours
The same thing too
Santa’s on his way
He’s filled his sleigh with things
Pretty things for you and for me
It’s that time of year
When the world falls in love
Every song you hear seems to say
Merry Christmas
May your New Year dreams come true
And this song of mine
In three-quarter time
Wishes you and yours
Everyone
Merry Christmas
Merry Christmas
May your every New Year dream come true

A valsa de Natal

Vidraças da janela congeladas
Velas brilhando lá dentro
Bastões de doces pintados nas árvores

Papai Noel chegando
Seu trenó cheio de coisas
Coisas para você e para mim

É aquela época do ano
Em que o mundo se apaixona
Cada canção ouvida parece dizer
Feliz Natal
Que os seus sonhos de Ano Novo se realizem

E esta canção minha
No compasso de 3/4
Deseja a você e aos seus
A mesma coisa também!

É aquela época do ano
Em que o mundo se apaixona
Cada canção ouvida parece dizer
Feliz Natal
Que os seus sonhos de Ano Novo se realizem

E esta canção minha
No compasso de 3/4
Deseja a você e aos seus
A mesma coisa também!

E é assim, ao som delicioso de Christimas Waltz com uma cantora que vem despontando, chamada Stella Cole, que vamos saindo no embalo natalino. Cara, ninguém mistura Natal com Jazz como os norte americanos…

Então ficamos assim: o espírito natalino é algo com o qual todos devemos nos relacionar, pois fala sobre os direitos e obrigações sociais que temos uns com os outros para manter uma sociedade civilizada.

A força coletiva que dirige e organiza nossa estrutura social é a soma dos indivíduos que nos cercam. Quando a maioria “representa” o espírito natalino, essa força coletiva se fortalece. Seja parte dessa maioria.

Este aqui é o último episódio de 2023. Desejamos a você e aos seus um 2024 nada menos que espetacular. Nós continuaremos por aqui, trabalhando para trazer conteúdo nutritivo que ajude a construir um Brasil e, por que não, um mundo melhor. Feliz Natal!

O Café Brasil é produzido por quatro pessoas. Eu, Luciano Pires, na direção e apresentação, Lalá Moreira na técnica, Ciça Camargo na produção e, é claro, você aí, que completa o ciclo.

De onde veio este programa tem muito, muito, muito, muito mais. E se você gosta do podcast, imagine só uma palestra ao vivo. Comece 2024 chutando o pau da barraca, cara!  Eu já tenho mais de mil e cem no currículo. Conheça os temas que eu abordo em lucianopires.com.br.

Mande um comentário de voz pelo WhatSapp no 11 96429 4746. E também estamos no Telegram, com o grupo Café Brasil.

E para terminar, uma frase do escritor inglês Harlan Miller

“Eu gostaria que pudéssemos colocar um pouco do espírito natalino em frascos para abrir um por mês.”