s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Então... diante dos acontecimentos dos últimos dias eu ...

Ver mais

Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Recebi um convite para participar do podcast Beyond The ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

LíderCast 320 – Alessandra Bottini
LíderCast 320 – Alessandra Bottini
A convidada de hoje é Alessandra Bottini, da 270B, uma ...

Ver mais

LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
No episódio de hoje a revisita a uma conversa que foi ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

A tragédia e o princípio da subsidiariedade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A tragédia e o princípio da subsidiariedade “Ações que se limitam às respostas de emergência em situações de crise não são suficiente. Eventos como esse – cada vez mais comuns por ...

Ver mais

Percepções opostas sobre a Argentina
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções opostas sobre a Argentina “A lista de perrengues diários e dramas nacionais é grande, e a inflação, com certeza, é um dos mais complicados. […] A falta de confiança na ...

Ver mais

Economia + Criatividade = Economia Criativa
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Economia + Criatividade = Economia Criativa Já se encontra à disposição no Espaço Democrático, a segunda edição revista, atualizada e ampliada do livro Economia + Criatividade = Economia ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Ao longo dos anos, o Brasil experimentou uma variedade ...

Ver mais

Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
O Brasil está vivenciando duas lamas que revelam muito ...

Ver mais

Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Minhas palestras e cursos sobre liderança abrem assim: ...

Ver mais

Café Com Leite 15 – O Quarteto Fantástico

Café Com Leite 15 – O Quarteto Fantástico

Luciano Pires -

Bárbara: Bom dia, boa tarde, boa noite! Neste episódio do seu Podcast Café Com Leite, vamos precisar de ajuda.

Babica: Ué? De quem?

Bárbara: Do Quarteto Fantástico, Babica!

Babica: EEeeeeeeeee!

Bárbara: Meu nome é Bárbara Stock e este é o Café Com Leite, um podcast para crianças inteligentes e para pais que se importam.

Babica: E eu sou a Babica, o avatar da Bárbara que vive dentro do celular dela! Também estarei aqui com você! Bárbara, tem mais super heróis hoje?

Bárbara: Tem sim! Mas antes tem um ouvinte, né?

Babica: Sempre! Hoje é a vez do Lucas!

Bárbara: Nossa, quando Lucas ouvindo o Café com leite!

Babica: Ahahahahaha

COMENTÁRIO  DO LUCAS

Bárbara comenta: Oi Lucas! De dourados, que legal! Espero que você esteja estudando, perguntando, colocando em prática sua curiosidade, pra sair da caverna!

Babica: Isso mesmo, Lucas! Muito bom te ouvir, viu? Olha, e você que está nos ouvindo se gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la no próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal, que você mesmo escolherá!

Babica: Isso! O Lucas ganhou uma camiseta do Café Com Leite!  Vou repetir o whatsap: 11 915670602

SOBE A MÚSICA

Babica: Bárbara, eu estou aprendendo muito sobre ética com você, viu?

Bárbara: Ah, que bom!

Babica: Mas eu acho que preciso reforçar alguns pontos. Será que você se importa de retomar umas explicações?

Bábrara: Claro que não me importo, Babica. Na verdade, quanto mais eu explico para você, mais eu aprendo!

Babica: Ah, eu já ouvi falar disso, que a melhor forma de aprender é ensinando outra pessoa!

Bábrara: Ou avatar, né?

Babica: Ahahahahhaah

Bárbara: Então vamos lá.  A ética são princípios que nos permitem determinar o que é certo e errado. Lembra o que são princípios, Babica?

Babica: Lembro! O princípio é um valor que orienta a pessoa a adotar determinado comportamento de acordo com aquilo que lhe diz a voz da sua consciência.

Bárbara: Nossa! Que explicação mais adulta! Você é capaz de dar um exemplo?

Babica: Me recuso a comprar produtos de uma empresa que prejudica o meio ambiente. Isso vai contra meus princípios!

Bárbara: Sensacional! Quer dizer que entre seus princípios existe um que diz: não prejudicar o meio ambiente. Por isso você não aceita comprar de quem prejudica o meio ambiente. É isso mesmo, Babica. Os princípios nos indicam como devemos nos comportar em nosso relacionamento com outras pessoas.

Babica: E com animais!

Bárbara: Claro, até mesmo com animais!

Babica: Até agora não em conformo com o professor Hans importunando os ratinhos…

Bárbara: Ahahahhah, mas você ficou cismada, hein?

Babica: Não posso ver ninguém maltratando bichinhos!

Bábara: Ah, nem eu! E esse é um princípio ético! Uma situação envolve questões éticas quando nossas escolhas podem ajudar ou prejudicar outro ser. Mas também temos obrigações éticas para com nós mesmos.

Babica: Me dê um exemplo, Bárbara!

Bárbara: quando um playboy rico e metido chamado Oliver Queen foi abandonado em uma ilha deserta que ele acreditava ser desabitada, sua única preocupação era sua própria sobrevivência. Quando ele voltou à civilização, usou as habilidades de arco e flecha que havia desenvolvido para se tornar o super-herói Arqueiro Verde, lutando uma guerra contra o crime em nome dos oprimidos. Foi uma obrigação ética consigo mesmo que o transformou por sua experiência na ilha. Ele então abandonou sua busca egoísta pelo prazer e se dedicou-se a ajudar os outros.

Babica: O Arqueiro Verde!

Música do arqueiro verde https://www.youtube.com/watch?v=qj8zhFVBKaY

Bárbara: Isso mesmo! O Arqueiro Verde luta em nome do povo de Star City, enfrentando grandes empresas e políticos corruptos, além de criminosos comuns e vilões superpoderosos.

Babica: E ele também aparece na Liga da Justiça, não é?

Bárbara: É! Aparece de vez em quando. Veja: nossas relações com outras pessoas fazem com que tenhamos obrigações éticas com elas.  Obrigações que variam conforme o tipo de relacionamento que temos com elas: se são nossos pais, irmãos, tios, avós…

Babica: (tristinhas) A família! Puxa, avatares não têm família, Bárbara!

Bárbara: Ah, Babica, mas a gente só está começando! Pode deixar que com o tempo vamos arrumar uma família para você! Aliás, você está fazendo um grande sucesso com os nossos ouvintes, viu?

Babica (excitada): Vi, eu vi! Eles mandam mensagens pra cá! É como se eu tivesse um milhão de amigos!

Bárbara: Isso mesmo! E irmãos, primos…

Babica: Um graaaaaande família!

Bárbara: A família Café com Leite!

Babica: ahahahahahhaha

Bárbara: Mas voltando às obrigações, o que os pais devem aos filhos? Algumas obrigações são óbvias, como alimentar, dar abrigo, segurança, educação e apoio emocional. Mas essas obrigações dependem das circunstâncias.

Babica: Ah, quero um exemplo! De super-herói!

Bárbara: Claro! Veja o caso do cientista Jor-El e sua esposa Lara, que viviam no planeta Krypton. O planeta estava para explodir. Eles então construíram uma nave espacial para salvar seu filho, o bebê Kal-El.  A obrigação moral deles era salvar a vida do filho!

Babica: Eu conheço essa história! A nave com o bebê veio cair aqui na terra!

Bárbara: …. e foi encontrada por Jonathan Kent e Martha Kent, que adotaram aquele bebê, dando-lhe o nome de…

Tema do super homem https://www.youtube.com/watch?v=78N2SP6JFaI

Babica: Clark Kent! O Super Homem!

Bárbara: Isso mesmo! Por causa das circunstâncias, Jonathan e Martha tinham um conjunto diferente de obrigações, comparado aos pais do bebê lá em Krypton. Eles criaram o jovem alienígena como seu próprio filho e deram a ele os valores morais que lhe permitiram se tornar o Super-Homem.

Babica: tam taram, tararararammmm (cantarola tema do Super Homem)

Bárbara: As obrigações dos pais mudam conforme as crianças envelhecem. Quando se tornou adulto, Clark Kent não precisava mais da ajuda de seus pais para se vestir ou usar o banheiro!

Babica: Ah, isso mesmo! As crianças também têm obrigações com seus pais, não é?

Bárbara: Sim! Conforme crescem, as crianças vão assumindo obrigações em suas casas, que vão desde o respeito aos pais até ajudar nas coisas da casa.

Babica: Ah, no mínimo arrumando a bagunça que fazem, né?

Barbara: Ahahahahaa crianças não gostam de arrumar bagunça, Babica! Mas precisam, porque um dia vão crescer e não terão mais mamãe e papai para ajudar. E talvez até tenham de cuidar de suas mães e pais quando eles ficarem velhinhos.

Babica: Mas a gente só tem essas obrigações para com os outros, Bárbara?

Bárbara: Ah, além das obrigações familiares, temos obrigações pessoais, Babica. Que também são influenciadas pela família, pelo lugar onde moramos, pelas coisas que vivemos. E essas obrigações mudam com o tempo.

Babica: Como assim?

Bárbara: É. E até no mundo dos super-heróis é assim.  Quando o Quarteto Fantástico foi introduzido pela primeira vez no início da década de 1960, Sue Storm foi chamada de A Garota Invisível. Seu principal poder era desaparecer e ela era totalmente obediente ao seu namorado e mais tarde marido, o Senhor Fantástico.  Com o tempo, ela mudou seu nome para a Mulher Invisível, que é mais importante, né? E foi reconhecida como o membro mais poderoso do grupo.

Babica: É mesmo! Além de se tornar invisível, a Mulher Invisível pode criar campos de força.  Eu adoro ela!

Bárbara: Sim. Mas mesmo poderosa assim, e com as responsabilidades de super heroína, ela foi a grande responsável por criar os filhos do casal, Franklin e Valéria.

Babica: É sempre assim, né? As mulheres que trabalham fora de casa continuam responsáveis por cuidar dos filhos!  Mais que os homens!

Bárbara: Na maior parte dos casos, continuam, Babica. Mas existem cada vez mais homens que dividem essas obrigações. Mais tarde, na série, surgiu outro sinal de mudança das normas sociais. A Valéria, ainda pré-adolescente, foi reconhecida como sendo um gênio científico igual a seu pai!

Babica: Eeeeeeeeee! Somos nós, mulheres, mostrando nossa força!

Bárbara: Isso. É a sociedade reconhecendo que homens e mulheres têm papeis diferentes, mas importância igual. Um precisa do outro, se quiser vencer os desafios da vida. É assim também com nossas amizades.

Babica: Ah, eu vejo isso muito no Quarteto Fantástico. O sr. Fantástico pode esticar o corpo como borracha, a Susan pode ficar invisível e criar campos de força, O Johnny é o Tocha Humana, que gera e projeta chamas e voa. E o Ben é a Coisa, que parece um mostro super forte. Não poderiam ser mais diferentes, no entanto são amigos que se entendem muito bem.

Bárbara: Mais que amigos, Babica, ali é praticamente uma família. De vez em quando tem umas brigas, mas qual família não tem?

Babica: A minha, ué?

Bábrara: Ahahahahhaa… é que você ainda não tem família, Babica. Deixa a gente começar a criar seus familiares pra você ver se não vão aparecer umas brigas…

Babica: Vixe….

Bárbara:  Bem, mas vamos continuar? A gente falou das obrigações familiares, das obrigações pessoais, mas tem mais…

Babica: Mais obrigações?

Bárbara: Sim. Tem as obrigações legais, que vêm das leis da cidade, do estado e do país em que vivemos.  A obrigação dos pais de cuidar de seus filhos e mantê-los seguros também é uma obrigação legal; as autoridades podem remover os filhos de quem não cuidar bem deles.

Babica: Nossa!

Bárbara: Sim. Numa das histórias do Quarteto Fantástico, as crianças Franklin e Valeria Richards foram tiradas de seus pais! O Serviço de Proteção à Criança achou que a sede do Quarteto Fantástico, que era frequentemente atacada pelos inimigos da equipe, era um ambiente inseguro.

Babica: Também, né? Deve ser tenso ser filho de super-herói!

Bárbara: Ahahahahahaha já pensou ter um pai que voa? Uma mãe que fica invisível?

Babica: Eu, hein? Uma mãe invisível deve ser um terror! Ela ia ficar vendo nossas artes!

Bárbara: Ahahahahahahha… mães visíveis já pegam no pé da gente, imagine invisíveis!

Babica: Né?

Barbara: Ahahahahahah… elas pegam no pé porque nos amam, viu? Mas deixa eu voltar ao tema: Em geral, os super-heróis têm uma relação complicada com a lei. Alguns grupos, como os Vingadores e a Liga da Justiça, são oficialmente reconhecidos pelo governo e têm autoridade para proteger o mundo de ameaças globais.  Mas a maioria dos heróis, são vigilantes: eles trabalham fora da lei e às vezes são perseguidos pela própria polícia ou por outros heróis.

Babica: Ah, eu sempre vejo o Batman tendo problemas com os policiais.

Bárbara: Em Gotham City, Batman ocupa uma espécie de zona cinzenta da lei: ele não está oficialmente autorizado a combater o crime, mas sempre colabora com o comissário de polícia, Jim Gordon.  Tem também Frank Castle, o Justiceiro, que trava uma guerra de um homem só contra o crime desde que criminosos mataram sua família.

Babica: Ah, a história do Frank Castle é tão triste…

Bárbara. Se é, Babica. Como a do Batman. Os dois perderam pessoas que amavam, mortas por criminosos. E por causa dessas histórias tristes, eles estão convencidos de que a lei muitas vezes falha em proteger inocentes. E por isso, acreditam que têm o direito de agir fora da lei em busca da justiça.

Babica: Puxa. Mas se as pessoas normais agirem fora-da-lei, podem ser presas!

Bárbara: Podem mesmo. A maioria das regras legais – a proibição de matar pessoas, por exemplo – vem do entendimento de nossa sociedade de que matar injustificadamente é moralmente errado. Mas como eles são super heróis e as histórias não são reais, eles se permitem agir fora da lei, quebrando e ética.  A ética e a lei estão muito ligadas, Babica.

Babica: Mas você tinha dito que a ética e a lei são coisas diferentes.

Bárbara: E são. As leis nos impedem de prejudicar os outros, mas raramente exigem que ajudemos ativamente outras pessoas.  Além disso, os princípios éticos podem nos obrigar a violar leis que consideramos injustas.

Babica: Leis injustas? Como assim?

Bárbara: Sim, algumas vezes temos de interpretar a lei para evitar injustiças.

Babica: Por exemplo?

Bárbara: Ah, imagine uma mãe que tem dois filhos em casa, e que ela e o marido perderam o emprego e não têm dinheiro para comprar comida. E as crianças ficam sem ter o que comer. Essa mãe, desesperada, rouba um pacote de bolachas no supermercado. A lei diz que ela deve ser presa, não diz?

Babica: Ué, ela roubou, não é?

Bárbara: Ela roubou, mas aí nossos princípios éticos entram em ação: ela não roubou porque é má ou preguiçosa. Roubou porque estava desesperada pois seus filhos estão passando fome. É justo que ela seja presa?

Babica: Puxa vida, eu acho que não…

Bárbara: Pois é… em vez de chama-la de ladra, eu acho que você vai é ficar com pena dela, vai querer ajuda-la a alimentar os filhos. Não vai querer que a lei seja levada ao pé da letra, não é?

Babica: É mesmo. Mas e se todo mundo começar a fazer como ela?

Bárbara: Hummmm… Existe o perigo de que as leis sejam quebradas por razões egoístas em vez de razões moralmente justas, Babica. Se existem leis que consideramos injustas, devemos trabalhar para que elas sejam mudadas e não simplesmente quebra-las. Essa é a complicação da vida em sociedade. Temos leis exatamente para que não aconteçam injustiças, mas às vezes temos de interpretar as leis para não cometer injustiças.

Babica: Ai, que coisa complicada.

Bárbara: Bem, a gente vai falar mais sobre isso em outro programa. Pode ser?

Babica: Claro!

Bárbara: Babica, o que nós aprendemos hoje?

Babica: Ah, aprendemos que a ética são princípios que nos permitem determinar o que é certo e errado. Aprendemos que temos obrigações com nossa família, conosco mesmo e com as leis da sociedade. E aprendemos que precisamos avaliar as coisas que acontecem antes de aplicar a lei.

Bárbara: Isso mesmo. E aprendemos que temos obrigações para com nossos amigos!

Babica: Ah, claro! A regra de ouro, não é?

Bárbara: Ela mesma! Como é?

Babica: Não devemos fazer com os outros aquilo que não desejamos que seja feito conosco.

Bárbara: Muito bem! Não esqueça então: se você está gostando deste nosso podcast, se quer que a gente cresça, contribua conosco! Tem várias formas! Quem sabe você nos ajuda a encontrar um patrocinador. Ou então faz uma contribuição pelo nosso PIX, que é o 11915670602

Babica: É isso mesmo! E mande recados de voz para nós, comentando o programa! Se seu recado for escolhido, vamos publicá-lo no podcast e você ainda vai ganhar uma camiseta de presente, Que tal? Vou repetir o número do whatsapp: 11915670602.

_______________________________________________________

Bárbara: Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar de Bárbara que mora no super celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma de super heróis do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e a direção é do Luciano Pires.

Quem você trouxe para encerrar este episódio, Babica?

Babica: Ah, hoje vou trazer uma frase do Doutor Destino:

Todas as conquistas do mundo não significam nada sem alguém com quem compartilhá-las.