s
Portal Café Brasil
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Cafezinho 628 – Crimes de Honra
Cafezinho 628 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Café Com Leite 35 – O homem em sociedade

Café Com Leite 35 – O homem em sociedade

Luciano Pires -

Bárbara: Babicaaaaaaa!! Babicaaaaa!!! Corre aqui!!

Babica: Nossa, Bárbara, o que foi?

Bárbara: Babica, nós conseguimos nosso primeiro patrocinador!

(virada de bateria)

Babica: Ah, não brinca assim, Bárbara!

Bárbara: É sério, Babica! E é uma grande empresa!

Babica: Quem é, quem é?

Bárbara: Como vamos começar uma série sobre o Agro, a UPL Agro, uma empresa multinacional de soluções agrícolas presente em mais de 130 países, incluindo o Brasil, aceitou nossa proposta de patrocínio!

Babica: UPL, puxa, que legal! Deixa eu pesquisar aqui! Olha! A UPL Agro é uma das cinco maiores empresas de soluções agrícolas do mundo, com sede na Índia!

Bárbara: Isso mesmo. E a UPL quer transformar a agricultura através de uma rede agrícola aberta que promove um crescimento sustentável para todos. Chama-se OpenAg.

Babica: Ah, e vi aqui que a UPL também procura soluções naturais para combater doenças e pragas, como insetos, fungos e bactérias. Assim as plantas crescem fortes e produzem o necessário para alimentar bilhões de pessoas.

Bárbara: Seja muito bem-vinda, UPL!

Babica: Seja mesmo! E você pode conhecer a UPL no Instagram deles: @uplbr.

 

Café Com Leite 35 – O homem em sociedade

Bárbara: Bom dia, boa tarde, boa noite! Babica, hoje vou deixar para você escolher o assunto que trataremos. E olha quero fazer uma série, hei?

Babica: Ah, que legal! Que nem a dos valores, a do caráter, a do dinheiro?

Bárbara: Isso mesmo! Meu nome é Bárbara Stock e este é o Café Com Leite, um podcast para crianças inteligentes e para pais que se importam.

Babica: E eu sou a Babica, o avatar da Bárbara que vive dentro do celular dela! Também estarei aqui com você!

Bárbara: Olha, o Clube Café Com Leite nasceu para que as pessoas que curtem este podcast, entrem um pouco mais dentro dele.

Babica: No clube vamos publicar análises dos episódios, material complementar e episódios extras. E temos um grupo no Telegram onde as pessoas podem interagir conosco, compartilhar materiais e muito mais.

Bárbara: Mas o mais importante é que ao assinar o Clube Café Com Leite, você ajuda a gente a produzir estes episódios! Venha para podcastcafecomleite.com.br e faça parte do Clube Café Com Leite! Babica, quem é o ouvinte de hoje?

Bárbara: Babica, quem é o ouvinte de hoje?

Babica: Hoje é a Catarina!!

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Bárbara: Que legal, Catarina! Ah, eu fiquei doida pra participar desse acampamento!

Babica: Catarina!!!! Marshmaloww? Hummmmmmmm… olha que delícia! Acampamento com fogueira, de férias, na casa da amiga e com marshmeloww… at, também querooooo!!

Bárbara: Ahahahahahaha… se acalme, Babica! Uma hora dessas a gente faz um como o da Catarina!  Muito bem. A Catarina ganhou uma linda camiseta do Café Com Leite! E se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la no próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal! O Lucas ganhou a dele!

Bárbara: Isso! Se seu áudio for escolhido, você ganha uma camiseta do Café Com Leite!  Vou repetir o whatsap: 11 915670602

SOBE A MÚSICA

Bárbara: Bem, Babica, qual é o tema que você vai escolher desta vez?

Babica: Ah, Bárbara, quero um assunto que é grande e complicado! Quero que você me ajuda a entender o que é essa tal sociedade sobre a qual a gente fala em todos os episódios!

Bárbara: Nossa. Mas esse tema é gigante mesmo!

Babica: Eu não disse?

Bárbara: Bem, vamos lá. Lembra láááá nos primeiros episódios, quando a gente foi explicando que antigamente as pessoas resolviam tudo na pancada, até que apareceram os reis?

Babica: Claro que lembro!

Bárbara: Então, aquilo já era um começo de explicação sobre a tal sociedade. Há muitos milhares de anos atrás…

Babica: Antes de Cristo!

Bárbara: Sim, muito antes de Cristo, as pessoas viviam como nômades, viajando de um lugar para outro em busca de comida e abrigo.

Babica: Nômades?

Bárbara: Sim. Nômades são as pessoas que não tem residência fixa, que nunca se estabelecem em lugar algum. Vivem se deslocando de um lugar para outro.

Babica: Não tem casa, não tem cama, não tem guarda-roupa nem fogão?

Bárbara: Não é bem assim. Hoje em dia elas podem ter quase tudo isso, se morarem, por exemplo, num trailer. Sabe aqueles ônibus que as pessoas transformam em suas casas?

Babica: Tem um super-herói na Marvel chamado Nômade!

Bárbara: Sim. Surgiu quando o Capitão América sofreu uma grande decepção e desistiu de ser um super-herói quando derrotou o Império Secreto. Steve Rogers abandona o manto de Capitão América, mas por pouco tempo. Ele resolve depois retornar como o Nômade: que significa “homem sem nenhum país”. Mas durou pouco. Steve Rogers logo voltou a ser o Capitão América…

Babica: Que interessante! Mas continue contando da sociedade, Bárbara

Bárbara: Então. Com o tempo, as pessoas descobriram que era mais fácil se estabelecer em um lugar fixo e cultivar a terra para obter alimentos. Era mais tranquilo do que viver como caçador, andando de caverna em caverna, sem ter um lugar seu. Assim, eles começaram a trabalhar juntos, compartilhando tarefas e cuidando uns dos outros. Isso os ajudou a sobreviver e a prosperar.

Babica: Então foi assim que as primeiras sociedades foram formadas!

Bárbara: Isso mesmo. E à medida que as sociedades cresciam, as pessoas precisavam de regras para viver juntas de forma pacífica. Essas regras ajudavam a garantir que todos tivessem direitos iguais e pudessem trabalhar e viver juntos de maneira justa. E assim, as primeiras leis foram criadas.

Babica: Entendi. Então, as sociedades são formadas para que as pessoas possam ajudar umas às outras e viver juntas de maneira justa, não é?

Bárbara: Isso mesmo. E conforme as sociedades vão crescendo, as pessoas vão se especializando em várias tarefas, como nós já falamos em episódios anteriores.

Babica: Sim! Uns viram padeiros, outros advogados, outros policiais…

Bárbara: … engenheiros, médicos, professores…

Babica: … podcasters!

Bárbara: Sim! Cada um desempenhando uma função que toda a sociedade precisa.  E assim vão formando setores da economia, que precisam uns dos outros para funcionar corretamente.

Babica: Como assim?

Bárbara: Olha só. O Setor agrícola produz alimentos e outros produtos agrícolas, que são vendidos para outros setores, como o setor de alimentos e bebidas.

O setor de manufatura usa matérias-primas…

Babica: Matérias-primas? Não podem ser matérias-irmãs? Cunhadas?

Bárbara: Ahahahahah não Babica. Matérias-primas são as substâncias brutas, originais com a qual se fabrica os mais variados bens. Por exemplo, o algodão é uma matéria prima a partir das qual vão ser fabricadas as roupas que nós usamos.

Babica: O algodão que vende na farmácia?

Bárbara: Não, Babica. O algodão da farmácia já é um produto fabricado a partir do algodão que é plantado nas fazendas.

Babica: Algodão plantado? Tem pé de algodão?

Bárbara: Sim, Babica. O algodão é uma fibra branca que cresce em volta das sementes de certas plantas. Há muiiiito tempo, cerca de 4 mil anos atrás, inclusive aqui perto do Brasil, no Peru, os homens perceberam que era possível fabricar papeis e tecidos com essas fibras. Foram os árabes que espalharam pelo mundo a cultura do algodão, que na língua deles se chamada Al-quTum.

Babica: Al-quTum?

Bárbara: Sim, Babica. Daí derivou a palavra algodão, o cotton em inglês, coton em francês, cotone em italiano e algodon em espanhol. Em 1792 um norte-amricano chamado Eli Whitney inventou uma máquina para separar as fibras da semente do algodão. Aí esse produto tomou o mundo.

Babica: Aqui no Brasil também?

Bárbara: Sim. Quando o Brasil foi descoberto, os índios já sabiam lidar com o algodão. Mas foi no Maranhão que a produção começou pra valer, por volta de 1760.

Babica: Mas que interessante! Vou querer saber mais!

Bárbara: Ah, pode deixar que assunto é que não falta. Então olha só: o setor agrícola, produz o algodão, certo?

Babica: Certo.

Bárbara: Aí esse algodão é vendido como matéria-prima para o setor da manufatura, das fábricas, que vai transformar o algodão em produtos acabados, como roupas, o algodão da farmácia e até mesmo o dinheiro brasileiro é feito a partir de fibras do algodão.

Babica: Dinheiro? Aquelas notas de papel com aqueles desenhos de bichos?

Bárbara: Isso mesmo. E o setor agrícola também vende outras matérias-primas que serão transformadas em brinquedos, eletrônicos, etc. Esses produtos são vendidos para o setor de varejo.

Babica: Já sei. Varejo é onde estão as lojas, não é?

Bárbara: Isso mesmo. São as lojas que vão fazer as roupas, os brinquedos e os eletrônicos chegarem até você.

Babica: Entendei…

Bárbara: Mas tem também o setor de serviços, onde estão as empresas que não vendem produtos, mas prestam serviços. Por exemplo, os serviços financeiros, onde estão os bancos, de saúde, onde estão os hospitais, de educação, onde estão as escolas, turismo, onde estão a companhias aéreas e os hotéis etc. O setor de serviços depende dos produtos produzidos pelos outros setores, como o setor da manufatura, das fábricas, para funcionar corretamente.

Babica: Deixa ver se entendi. Vou usar a escola, por exemplo. Uma escola está no setor de serviços, certo?

Bárbara: Certo! Elas ensinam as pessoas.

Babica: Mas elas dependem dos produtos vendidos pelo setor do varejo para funcionar, certo?

Bárbara: Certo. A escola precisa comprar material escolar, comida, material de limpeza, lâmpadas e muito mais para poder funcionar.

Babica: Sim. E o setor de varejo precisa do setor de manufatura para poder funcionar, certo?

Bárbara: Certo. É o setor de manufatura que vai fabricar a comida, o material de limpeza, as lâmpadas e outros produtos que a escola vai comprar das lojas.

Babica: Mas o setor da manufatura precisa do setor agrícola para fabricar os produtos, certo?

Bárbara: Certo. É do setor agrícola que virão as frutas, o leite, o mel, o açúcar, a farinha e muito mais, para que a manufatura fabrique os alimentos. É dele que virão os óleos e as fibras para as embalagens de muitos materiais que a escola vai precisar comprar.

Babica: Então se o setor agrícola parar, para a manufatura, para o varejo e param os serviços?

Bárbara: Sim. Mas veja só: esses setores são interdependentes. O setor agrícola precisa comprar as máquinas que a manufatura constrói, as roupas que os agricultores usam, boa parte da comida que eles comem, a eletricidade… Se um desses quatro segmentos parar, a sociedade para.

Babica: Que interessante. O padeiro precisa comprar o leite e a farinha das lojas, que compram das fábricas, que compram dos agricultores. Assim ele pode fazer o pão que o agricultor também vai comer. É tudo amarrado.

Bárbara: Sim, Babica. Essa é a maravilha da sociedade. Lembra que em programas anteriores falamos que houve um tempo em que as pessoas tinham de fazer tudo que consumiam?

Babica: Sim! Tinham de caçar ou plantar sua comida, fazer seu tecido, costurar suas roupas, construir suas ferramentas… Que dureza era aquilo!

Bárbara: Sim. Por isso a união dos homens em sociedade tornou a vida mais fácil, as coisas mais baratas e acessíveis. Proporcionou o desenvolvimento de tecnologias. Já pensou? Se não fosse a sociedade, você não existiria, Babica!

Babica: Eu?

Bárbara: É, ué? Sem a organização da sociedade, como é que alguém ia inventar um celular?

Babica: É mesmo… O celular é feito com matérias-primas e peças que vem do mundo inteiro!

Bárbara: isso mesmo. A tela vem dos Estados Unidos ou da China. O alumínio vem da bauxita, que vem da Austrália ou da China. O potássio que é usado para dar mais resistência ao vidro, vem do Canadá, Russia ou Belarus. Os componentes usam cobre, platina, paládio, prata e tungstênio, que vêm da China, Rússia, México, África do Sul e Chile…

Babica: Ah, você só pode estar pesquisando isso no Google, não é? Deixa eu ver! Olha! O tântalo, um metal muito raro e principal componente dos microcapacitores, só pode ser encontrado no Congo, Ruanda e… adivinha onde mais? … No Brasil!

Bárbara: Tá vendo? Como é que alguém conseguiria fazer um telefone celular se não estivéssemos todos conectados em sociedade?

Babica: Puxa, Bárbara, como essas coisas são complicadas!

Bárbara: Isso é uma maravilha, Babica! Mostra como é poderoso o gênio do ser humano, especialmente quando trabalhamos em conjunto, para criar formas de viver cada vez melhor. E agora você sabe que cada setor é importante para o funcionamento da economia como um todo, não é?

Babica: Sim! E todos eles precisam trabalhar juntos para garantir que haja equilíbrio e crescimento econômico. Se um setor não estiver funcionando direito, isso pode ter um impacto negativo em todos outros setores. E o Brasil para de crescer!

Bárbara:  Exatamente! E isso é ainda mais importante hoje em dia, com a população crescendo e as necessidades das pessoas mudando ao longo do tempo. Mas as raízes da sociedade continuam as mesmas: ajudar uns aos outros e viver juntos de maneira justa e pacífica.

Babica: Olha, Bárbara, achei o máximo entender como a sociedade humana funciona. E fiquei ainda mais encantada com um desses setores…

Bárbara: Qual, Babica?

Babica: Ah, o agrícola! É lá que tudo começa, não é?

Bárbara: Ah, você está querendo saber mais sobre o agronegócio, é?

Babica: Agronegócio?

Bárbara: Sim, Babica. Agronegócio é o setor que cuida da produção de alimentos, bebidas, fibras, agroenergia e demais produtos do setor agropecuário, antes era chamado de setor primário.

Babica: Primário?

Bárbara: Sim, Babica, onde tudo começa.

Texto de apoio sugerido. Agronegócio é um conceito cunhado nos anos 50, nos Estados Unidos da América, que significa sistemas integrados de produção de alimentos, bebidas, fibras, agroenergia e demais produtos do setor agropecuário, antes denominado de setor primário. A agropecuária não está isolada, ela está ligada a um conjunto grande de indústrias e serviços que estão antes da porteira (antes da fazenda), tais como produtoras de fertilizantes, defensivos agrícolas, sementes, máquinas, equipamentos agrícolas e transportes, ou seja, uma indústria de suporte à agricultura e pecuária. Como também está ligada à setores depois da porteira (depois da fazenda), que são responsáveis pelo processamento e distribuição dos produtos finais. Portanto, são diversas cadeias produtivas, ou seja, desde a semente até a mesa do consumidor. Dentro do agronegócio nós temos todos os tipos de produtores, prestadores de serviços e fabricantes, sejam eles pequenos, médios e grandes, ou seja, independentemente da escala de produção.

Fonte: Marcos Jank – Coordenador do Centro Agro Global – Ínsper (depoimento cedido para produção dos vídeos da série da De Olho No Material Escolar & Somos Educação denominada de “Agro no Brasil”).

Babica: Ah, quero saber mais!

Bárbara: então me aguarde…

Babica: Ebaaaaaaaaaaa!

_________________________________________________________

Bárbara: Não esqueça então: se você está gostando deste nosso podcast, se quer que a gente cresça, contribua conosco! Tem várias formas! Quem sabe você nos ajuda a encontrar um patrocinador. Ou então faz uma contribuição pelo nosso PIX, que é o 11915670602

Babica: E tem uma novidade: o CLUBE CAFÉ COM LEITE! Inauguramos um espaço para reunir as pessoas que gostam do nosso conteúdo e que querem que a gente continue! Vá até o podcastcafecomleite.com.br e faça uma assinatura!

Bárbara: Isso mesmo! Pule pra dentro do Café Com Leite! Ajude a gente a continuar! No podcastcafecomleite.combr

Babica: Venha pro Clube Café Com Leite!

_______________________________________________________

Bárbara: Muito bem! Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar de Bárbara que mora no super celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma de super heróis do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e a direção é do Luciano Pires.

E hoje vamos encerrar como o episódio?

Babica: Ah, fui buscar uma frase do cientista Albert Einstein:

“Tudo o que é valioso na sociedade humana depende da oportunidade de desenvolvimento concedida ao indivíduo.”