s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Então... diante dos acontecimentos dos últimos dias eu ...

Ver mais

Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Recebi um convite para participar do podcast Beyond The ...

Ver mais

Café Brasil 924 – Portugal dos Cravos – Revisitado
Café Brasil 924 – Portugal dos Cravos – Revisitado
Lááááááááá em 2007, na pré-história do Café Brasil, ...

Ver mais

Café Brasil 923 – O Corcunda de Notre Dame
Café Brasil 923 – O Corcunda de Notre Dame
"O Corcunda de Notre Dame", obra-prima de Victor Hugo, ...

Ver mais

LíderCast 320 – Alessandra Bottini
LíderCast 320 – Alessandra Bottini
A convidada de hoje é Alessandra Bottini, da 270B, uma ...

Ver mais

LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
No episódio de hoje a revisita a uma conversa que foi ...

Ver mais

LíderCast 319 – Anna Rita Zanier
LíderCast 319 – Anna Rita Zanier
A convidada de hoje é Anna Rita Zanier, italiana há 27 ...

Ver mais

LíderCast 318 – Sidney Kalaes
LíderCast 318 – Sidney Kalaes
Hoje recebemos Sidney Kalaes, franqueador há mais de 30 ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

A tragédia e o princípio da subsidiariedade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A tragédia e o princípio da subsidiariedade “Ações que se limitam às respostas de emergência em situações de crise não são suficiente. Eventos como esse – cada vez mais comuns por ...

Ver mais

Percepções opostas sobre a Argentina
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções opostas sobre a Argentina “A lista de perrengues diários e dramas nacionais é grande, e a inflação, com certeza, é um dos mais complicados. […] A falta de confiança na ...

Ver mais

Economia + Criatividade = Economia Criativa
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Economia + Criatividade = Economia Criativa Já se encontra à disposição no Espaço Democrático, a segunda edição revista, atualizada e ampliada do livro Economia + Criatividade = Economia ...

Ver mais

Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Ao longo dos anos, o Brasil experimentou uma variedade ...

Ver mais

Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
O Brasil está vivenciando duas lamas que revelam muito ...

Ver mais

Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Minhas palestras e cursos sobre liderança abrem assim: ...

Ver mais

Cafezinho 621 – Obrigado por me chamar de ignorante
Cafezinho 621 – Obrigado por me chamar de ignorante
Seja raso. Não sofistique. Ninguém vai entender. E as ...

Ver mais

Café Com Leite 43 – Aprender a ser cético

Café Com Leite 43 – Aprender a ser cético

Luciano Pires -

Café Com Leite 43 – Aprender a ser cético

Bárbara: Bom dia, boa tarde, boa noite! Babica, lembra que falamos da importância de não acreditar e tudo que falam pra gente?

Babica: Ah, Bárbara, como não, lembrar disso? Aliás, o primeiro episódio do Café Com Leite, o Chicken Little, fala disso, né?

Bárbara: Bem lembrado. Hoje vamos falar mais a respeito.

Babica: Ebaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Bárbara: Ahahahahahaha Meu nome é Bárbara Stock e este é o Café Com Leite, um podcast para famílias com crianças inteligentes e para pais que se importam.

Babica: E eu sou a Babica, o avatar da Bárbara que vive dentro do celular dela! Também estarei aqui com você!

Bárbara: Babica, quem é o ouvinte de hoje?

Babica: Hoje é a Maria Antonia!

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Bárbara: Oiiiiiiiiiiii Maria Antonia. Babica, e ela só tem seis aninhos! Não é uma graça?

Babica: Maria Antonia, que legaaaaaaal! Adorei saber que você gosta tanto da gente que nem consegue escolher uma história! Obrigado pela mensagem, viu?

Bárbara: Maria Antonia, entre em contato conosco para receber sua camiseta. E você aí, se gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la no próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal!

Sobe

 

Botar de trila pro BG https://www.youtube.com/watch?v=SbWytJHxoko

Bárbara: Babica, vou usar aqui os estudos de um cientista muito conhecido chamado Carl Sagan.

Babica: Ah, eu conheço ele! Carl Sagan foi um cientista, físico, biólogo, astrônomo, astrofísico, cosmólogo, escritor e divulgador científico!

Bárbara: Isso. Carl Sagan conseguiu, como ninguém, explicar ciência a quem conhece pouco ou nada do assunto. E ele ensinou que é importante ser cético!

Babica: Cético? O que é isso, Bárbara?

Bárbara: Ser cético significa que você não acredita em algo sem antes investigá-lo e entender as provas que suportam esse algo. Um cético é alguém que faz perguntas e busca respostas antes de aceitar algo como verdade.

Babica: Mas por que é importante ser cético?

Bárbara: Ser cético é importante porque nos ajuda a evitar acreditar em coisas que não são verdadeiras. Em vez disso, nos encoraja a sermos curiosos, a fazer perguntas e a procurar respostas baseadas em evidências. Ser cético também nos ajuda a estar preparados para mudar de ideia se novas evidências surgirem.

Babica: Então ser cético é ser questionador, fazer perguntas e buscar evidências antes de aceitar algo como verdade.

Bárbara: isso mesmo. E Carl Sagan criou um conjunto de princípios para ajudar a gente a sermos céticos.

Babica: Conjunto de princípios? Ah, vou querer saber quais são!

Bárbara: Claro, Babica. Vamos a alguns deles!

Sempre que possível, deve haver confirmação independente dos “fatos”. Quando você estiver em conflito com alguém, tente ver as coisas a partir da perspectiva do outro.

Babica: Ah, ele quer dizer que devemos prestar atenção nos argumentos dos outros, não é? Assim não ficamos só com as nossas ideias.

Bárbara: isso mesmo! Quanto mais ideias, mais chance temos de avaliar melhor as coisas. Outro princípio de Carl Sagan diz para não acreditar em algo só porque quer acreditar. Pergunte-se se há evidências para apoiar essa crença.

Babica: Evidências, evidências… mas o que são evidências?

Tocar entre 0:18 e 1:02

Bárbara: Ahahahahahah… tem a música que eu amo, né! Mas evidências são coisas que apontam que algo pode ter acontecido. Por exemplo, você olha pela janela e vê a grama molhada e poças d´água na rua. Isso é evidência de quê?

Babica: De que choveu!

Bárbara: Sim. Mas pode ser que a vizinha tenha regado o gramado, não é? Ou que tenha havido um vazamento de um cano…

Babica: Pode ser também.

Bárbara: Então: evidências não são provas. Evidências dão pistas de que algo pode ter acontecido. Você não deve dizer que choveu, só porque acha que choveu. Tem de buscar evidências. E quando encontrá-las, tem de investigar para ver se se transformam em provas. Só então você tira a sua conclusão.

Babica: Entendi. Se eu olhar a grama molhada e as poças d´água, posso concluir que choveu, mas não tenho certeza.

Bárbara: isso. Você criou uma hipótese. A grama está molhada porque choveu. Agora tem de investigar pra saber se foi isso mesmo. O que nos leva para mais um princípio de Carl Sagan: Sempre que possível, teste as suas ideias por meio de experimentos e observações.

Babica: Mas como é que a gente testa as ideias?

Bárbara: Por meio de experimentos. Por exemplo, se você quer saber se uma planta precisa de água para crescer, você pode plantar duas sementes, regar uma delas e deixar a outra sem água. Ao observar o que acontece com as plantas, você pode descobrir se a água é importante para o crescimento da planta. Testar as suas ideias dessa maneira é uma forma importante de aprender sobre o mundo ao seu redor e descobrir coisas novas!

Babica: Entendi. Tem mais princípios?

Bárbara: Tem. Não deixe as suas crenças pessoais interferirem na interpretação de dados objetivos. Por exemplo, se você acredita que a uva é doce, mas quando experimenta descobre que ela é azeda. Não pode deixar a sua crença de que a uva é doce interfira na sua interpretação do sabor real da fruta. É azeda e acabou, não tem “mas”.

Babica: É importante olhar para as coisas como elas realmente são, e não apenas como nós queremos que elas sejam. É isso?

Bárbara: isso mesmo. O que nos leva para mais um princípio: procure conversar sobre as evidências com gente bem informada de todos os pontos de vista. Seja disposto a mudar de opinião caso haja evidências contrárias àquilo quem você acredita. Você tinha opinião de que a uva era doce. Experimentou, viu que era azeda e mudou de opinião.

Babica: Ué, mas não é assim sempre?

Bárbara: Não, Babica. Tem gente que nunca muda de opinião, não interessa que você mostre as evidências e provas.

Babica: Gente teimosa, né?

Bárbara: Ou burra… Pergunte a si mesma por que você gosta tanto daquela opinião. Compare-a de maneira justa com as alternativas. Veja se consegue encontrar motivos para rejeitá-la. Se você não fizer isso, outros o farão. E isso nos leva para mais um princípio: Respeite a opinião dos outros, mas não aceite a autoridade cega. Pense por si mesmo.

Babica: Pensar por si mesmo!

Bárbara: Isso. Devemos ouvir e respeitar as opiniões dos outros, mesmo que não concordemos com elas. Cada pessoa tem o direito de ter sua própria opinião e é saudável e bom ter diferentes opiniões.

Babica: Por quê?

Bárbara: Porque quando ouvimos opiniões diferentes das nossas, podemos aprender coisas novas, descobrir diferentes pontos de vista e nos tornarmos mais abertos e tolerantes em relação aos outros.

Babica: Entendi. Mas não é pra acreditar em tudo.

Bárbara: Não. É importante não aceitar as coisas sem pensar criticamente nelas, só porque alguém que consideramos uma autoridade está dizendo. Por exemplo, se um professor ou um líder religioso está dizendo algo, é importante ouvir com respeito, mas também pensar sobre o que está sendo dito e se concordamos com isso ou não.

Babica: Duvidar para buscar a verdade?

Bárbara: Isso mesmo! Ser cético, duvidar para buscar a verdade.

Vem então mais um princípio:  Não confunda a verdade com a opinião da maioria. A verdade muitas vezes é minoria no início.

Babica: Puxa, é isso mesmo. Não é porque todo mundo está dizendo que uma coisa é certa ou errada, que essa coisa é certa ou errada.

Bárbara: Exatamente! Tem a história famosa do astrônomo, físico e matemático italiano Galileu Galilei, que quase 400 anos atrás criou a hipótese de que a terra giraria em torno do sol.

Babica: Ué? Mas não gira?

Bárbara: Gira, Babica. Mas naquela época, a maioria achava que era o sol que girava em torno da terra. Galileu foi chamado de louco. Afinal, como entender e usar um conhecimento sobre algo que não dava pra verificar? Ele foi julgado e só não foi para a fogueira, porque disse que estava errado.

Babica: Fogueira?

Bárbara: É. Naquela época, quem não concordava com a maioria era morto!

Babica: Que horror!  Mas ele reconheceu que estava errado?

Bárbara: Reconheceu, porque senão ia ser condenado pela maioria a morrer numa fogueira.

Babica: Nossa!

Bárbara: Mas a história conta que, depois de dizer aos juízes que reconhecia que estava errado, Galileu se retirou dizendo baixinho: mas que a terra se move em torno do sol, se move…

Babica: Ele sempre acreditou em sua hipótese! E estava certo.

Bárbara: Pois é. Só muito tempo depois, quando a ciência conseguiu comprovar que a terra é que gira em torno do sol, que que reconheceram que ele estava certo.

Babica: Durante centenas de anos a maioria estava errada…

Bárbara: Isso mesmo. A maioria estava errada.

O que nos leva para mais um princípio: mais importante do que ganhar uma discussão é aprender algo novo. O tio Luciano sempre fala isso. Ele diz que sempre que a gente entrar numa discussão, devíamos torcer para perder.

Babica: Perder? Como assim? Eu quero ganhar!

Bárbara: Porque se você entrar numa discussão e ganhar, Babica, você sai com a mesma ideia com a qual entrou. Quando você perde você sai com uma ideia nova. Entendeu?

Babica: Entendi. Aprendi algo novo, que é mais importante do que ganhar a discussão.

Bárbara: Isso mesmo.

E tem mais um princípio. Trate as pessoas com gentileza e respeito, independentemente de suas crenças ou opiniões.

Babica: Ah, isso a gente falou na série sobre os valores e o caráter.

Bárbara: Falamos mesmo. Se não houver gentileza e respeito, vai haver grossura e discussão. E aí sai todo mundo tentando ter razão no grito. E a ciência perde seu lugar. Ganha quem gritar mais alto, quem contar mais mentiras convincentes, quem fingir melhor que é o dono da verdade.

Babica: Nossa, e isso tem acontecido muito. Especialmente nas redes sociais, não é?

Bárbara: Ah, é mesmo. Nas áreas de comentários das redes sociais tem muita gente que não é gentil e que não tem respeito pelos outros. Sai logo xingando, ofendendo e humilhando. Sabe onde isso leva, né?

Babica: Leva pra lugar nenhum. Fica chato, agressivo e desmotivador. Ninguém gosta de ficar perto de gente que não respeita os outros.

Bárbara: Isso mesmo. Respeito é fundamental se quisermos viver em paz uns com os outros.

Babica: Mas sempre desconfiados…

Bárbara: Ahahahahaha sempre desconfiados. Babica, você já ouviu a história do Dragão na Garagem?

Babica: Dragão na garagem??? Não! Conta, conta!!!

Bárbara: Ah, essa é para o próximo episódio.

Babica: Ebaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

sobe

Bárbara: Muito bem! Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar de Bárbara que mora no celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A, com texto e direção do Luciano Pires.

E hoje vamos encerrar como o episódio?

Babica: Ah, fui buscar uma frase de Galileu Galilei

Nunca encontrei uma pessoa tão ignorante que não pudesse ter aprendido algo com a sua ignorância.