s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Então... diante dos acontecimentos dos últimos dias eu ...

Ver mais

Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Recebi um convite para participar do podcast Beyond The ...

Ver mais

Café Brasil 924 – Portugal dos Cravos – Revisitado
Café Brasil 924 – Portugal dos Cravos – Revisitado
Lááááááááá em 2007, na pré-história do Café Brasil, ...

Ver mais

Café Brasil 923 – O Corcunda de Notre Dame
Café Brasil 923 – O Corcunda de Notre Dame
"O Corcunda de Notre Dame", obra-prima de Victor Hugo, ...

Ver mais

LíderCast 320 – Alessandra Bottini
LíderCast 320 – Alessandra Bottini
A convidada de hoje é Alessandra Bottini, da 270B, uma ...

Ver mais

LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
No episódio de hoje a revisita a uma conversa que foi ...

Ver mais

LíderCast 319 – Anna Rita Zanier
LíderCast 319 – Anna Rita Zanier
A convidada de hoje é Anna Rita Zanier, italiana há 27 ...

Ver mais

LíderCast 318 – Sidney Kalaes
LíderCast 318 – Sidney Kalaes
Hoje recebemos Sidney Kalaes, franqueador há mais de 30 ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

A tragédia e o princípio da subsidiariedade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A tragédia e o princípio da subsidiariedade “Ações que se limitam às respostas de emergência em situações de crise não são suficiente. Eventos como esse – cada vez mais comuns por ...

Ver mais

Percepções opostas sobre a Argentina
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções opostas sobre a Argentina “A lista de perrengues diários e dramas nacionais é grande, e a inflação, com certeza, é um dos mais complicados. […] A falta de confiança na ...

Ver mais

Economia + Criatividade = Economia Criativa
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Economia + Criatividade = Economia Criativa Já se encontra à disposição no Espaço Democrático, a segunda edição revista, atualizada e ampliada do livro Economia + Criatividade = Economia ...

Ver mais

Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Ao longo dos anos, o Brasil experimentou uma variedade ...

Ver mais

Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
O Brasil está vivenciando duas lamas que revelam muito ...

Ver mais

Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Minhas palestras e cursos sobre liderança abrem assim: ...

Ver mais

Cafezinho 621 – Obrigado por me chamar de ignorante
Cafezinho 621 – Obrigado por me chamar de ignorante
Seja raso. Não sofistique. Ninguém vai entender. E as ...

Ver mais

Café Com Leite 65 – Aprendendo a motivação

Café Com Leite 65 – Aprendendo a motivação

Luciano Pires -

 

Bárbara: Babica, no episódio anterior a gente falou bastante sobre motivação, não foi?

Babica: Foi sim, Bárbara. Eu até fui pesquisar sobre motivação.

Bárbara: Ah, que bom! Então vamos falar sobre isso hoje! Meu nome Bárbara Stock e este é o Café Com Leite, um podcast para famílias com crianças inteligentes e para pais que se importam.

Babica: E eu sou a Babica, o avatar da Bárbara que vive dentro do celular dela! Também estarei aqui com você!

Bárbara: Babica, quem é o ouvinte de hoje?

Babica: Hoje é o Lorenzo

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Bárbara: Lorenzo, que lindo! Cinco aninhos! Mas Não consegui entender qual foi o episódio que ele mais gostou!

Babica: Foi o do Chicken Littel, Bárbara! Ele falou da Fox Lox, a raposa!

Bárbara: Ah, é mesmo! Eu tinha até me esquecido dela!

Babica: Beijoo Lorenzo!!! Você ganhou uma linda camiseta! Entre em contato conosco pra combinarmos o envio. Muito obrigado pela mensagem!

Bárbara: E se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la no próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal!

____________________________________________________

Bárbara: Babica, era uma vez, no reino celestial, uma corrida única que acontecia uma vez por século. O Sol, brilhante e confiante, sempre vencia todas as edições, deixando as estrelas um pouco desanimadas.

Babica: Uma corrida de estrelas?

Bárbara: Sim. Um dia, uma pequena estrela chamada Estelina decidiu que queria mudar isso. Apesar de seu brilho ser muito menor em comparação com o Sol, Estelina tinha uma faísca especial dentro dela. Ela queria provar que mesmo as estrelas menores podiam realizar coisas incríveis.

Babica: Mas o sol é tão poderoso, tem tanto brilho!

Bárbara: Pois é. Mas a notícia da determinação de Estelina se espalhou pelo céu, deixando as outras estrelas curiosas. O grande dia chegou, e todas as estrelas, junto com o imponente Sol, se alinharam para a corrida.

Babica: Já fiquei nervosa. Vou torcer pra Estelina!

Bárbara: Um trombeta tocou, anunciando o início da corrida.

Som da trombeta https://www.youtube.com/watch?v=jeuCP5lTaQI

Bárbara: O Sol, confiante como sempre, partiu rapidamente. Estelina começou devagar,

Babica: Claro! Como é que ia ganhar do sol?

Bárbara: Mas então, algo mágico aconteceu. A cada passo que Estelina dava, seu brilho aumentava, e uma trilha de faíscas douradas iluminava o caminho.

Babica: Nossa!

Bárbara: O Sol estava tão focado em seu próprio brilho que não percebeu a transformação de Estelina. Enquanto ele estava na frente, Estelina continuava a brilhar mais intensamente, e sua luz começou a alcançar o Sol.

Babica: Ai, que agonia!

Bárbara:  A corrida estava chegando ao fim, e o incrível aconteceu, Babica!

Babica: A Estelina ultrapassou o Sol!

Bárbara: A Estelina ultrapassou o sol e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar. O céu se iluminou com um espetáculo de cores, pois todas as estrelas aplaudiram a pequena Estelina.

Babica: Vivaaaaaaaaaaaaaaaaa!!! Mas e o sol?

Bárbara: O Sol, surpreso, se aproximou de Estelina e perguntou: “Como você fez isso? Eu sou muito maior e mais brilhante.”

Estelina sorriu e respondeu: “Não é sobre o tamanho ou o brilho, é sobre a faísca dentro de nós. Quando encontramos nossa verdadeira motivação e a compartilhamos com o mundo, coisas incríveis acontecem.”

Babica: A faísca!

Bárbara: A faísca, Babica. Desde então, a corrida no reino celestial não era apenas uma competição de velocidade, mas também uma celebração da motivação de cada estrela, grande ou pequena.

Babica: Entendi… a verdadeira luz vem de dentro.

Bárbara: Da faísca, que é a motivação.

Babica: Motivação… é ela a tal da faísca?

Bárbara: A palavra “motivação” tem origem no latim. Ela deriva do verbo “movere”, que significa “mover”. No contexto do comportamento humano, “motivação” é uma força interna ou externa que nos faz a agir ou nos comportarmos de uma determinada maneira.

Babica: Ah, então é tipo quando eu quero muito brincar de alguma coisa?

Bárbara: Exatamente! Quando você está motivada, é como se tivesse uma energia extra para fazer algo que gosta. É fácil a gente notar quando estamos motivados.

Babica: Quando temos a faísca. Me dá um exemplo?

Bárbara: Quando os pais dizem que a criança tem de levantar cedo para ir pra escola, o que acontece normalmente?

Babica: Ah, é duro sair da cama tão quentinha… dá uma preguiça!

Babica: E se os pais disserem que é para levantar cedo para ir fazer um passeio no zoológico?

Babica: Ah, aí eu pulo da cama, na hora!

Bárbara: Por quê?

Babica: Porque estou motivada!

Bárbara: Viu só? Saber que ia ao zoológico acendeu a faísca e você se sentiu motivada! A motivação é essa força que aparece dentro da gente e nos empurra para fazer coisas. Existem dois tipos principais: a intrínseca e a extrínseca.

Babica: Intrínseca e extrínseca? Nossa, parece com os nomes daqueles personagens da mitologia que toda hora você traz.

Bárbara: Ahahahahahahah A motivação intrínseca é quando fazemos algo porque gostamos disso, é divertido.

Babica: Mas por que intrínseca?

Bárbara: A palavra “intrínseco” tem origem no latim “intrinsicus,” que significa “interno” ou “que pertence ao interior.” Vem de dentro da gente para fora.

Babica: Ah, entendi. Por isso a outra é “extrínseco”?

Bárbara: Sim, a outra tem “ex”, que vem de “extra”, de fora. Intrínseco é o contrário de extrínseco.

Babica: Motivação intrínseca vem de dentro pra fora, quando fazemos algo só porque gostamos?

Bárbara: Sim. E a motivação extrínseca é quando fazemos algo para conseguir alguma coisa em troca, como uma recompensa.

Babica: Então quando vou jogar meus games, estou usando a motivação intrínseca. E quando estudo para a prova, a extrínseca?

Bárbara: Sim. Jogar game é pelo prazer, estudar para a prova é para ganhar aprendizado. Com adultos funciona igual. Uma professora, por exemplo, pode ir trabalhar todo dia pelo prazer de ensinar os alunos. Outra pode ir para poder ganhar seu salário e pagar suas contas. E alguns estudos mostram que quando fazemos algo porque gostamos, fazemos melhor e ficamos mais felizes.

Babica: Mas de onde vem essa força?

Bárbara: Boa pergunta! Vamos imaginar que a motivação é como a da Estelina, uma faísca mágica dentro de você.

Babica: A vontade de fazer as coisas.

Bárbara: isso. Essa faísca pode ser acesa por várias coisas legais ao seu redor. Pode ser o seu amor por aprender algo novo, como desenhar ou jogar um jogo.

Babica: Ou tocar bateria!

Virada de bateria

Bárbara: Isso! Às vezes, a motivação vem quando você quer muito alcançar um objetivo, como aprender a tocar bateria. Além disso, quando seus amigos, familiares ou professores apoiam e elogiam você, é como dar um empurrãozinho na sua faísca de motivação.

Babica: Cada pessoa tem sua faísca mágica?

Bárbara: Sim. É única, e ela pode ser alimentada por coisas diferentes. É como ter um superpoder dentro de você que te faz querer fazer coisas incríveis e se sentir feliz!

Babica: Mas por que a motivação é importante?

Bárbara: A motivação é importante porque ela nos ajuda a enfrentar desafios e superar dificuldades. É como um empurrãozinho que nos faz seguir em frente, mesmo quando as coisas estão difíceis. Além disso, ela nos ajuda a alcançar nossos objetivos.

Babica: Muito interessante, Bárbara! E o que podemos fazer para ter mais motivação?

Bárbara: Boa pergunta, Babica! Existem algumas coisas que podemos fazer. Primeiro, é legal descobrir o que você realmente gosta de fazer. Quando fazemos coisas que amamos, a motivação aparece mais facilmente.

Virada de bateria

Bárbara: Ahahahahahah, exatamente! Se tocar bateria deixa você feliz, é uma ótima fonte de motivação.

Sobe a bateria

Bárbara: Outra coisa que pode ajudar é definir metas, objetivos pequenos que queremos atingir.

Babica: Tipo aquele truque para ler livros que a gente falou em episódios anteriores?

Bárbara: Sim! Sua meta pode ser ler um livro inteiro durante o mês. Então, você divide essa meta em objetivos menores, como ler um capítulo a cada dia. Assim, fica mais fácil alcançar a meta grande, porque você sabe exatamente o que fazer a cada dia, como se estivesse montando um quebra-cabeça. E, quando termina o livro, é uma sensação incrível de realização!

Babica: É mesmo! Mas e se eu não me sentir muito motivada?

Bárbara: Se algo não é tão divertido, podemos trabalhar com a motivação extrínseca.

Babica: Como assim?

Bárbara: Sim. Quando entendemos algo, achamos que é importante, e isso se torna parte de nós. Por exemplo, o Matheus está jogando futebol, e isso pode ser difícil às vezes. Não pelo jogo, mas por ter de treinar muito, ter uma dieta especial, se deslocar para os lugares do treino e dos jogos… No começo foi difícil, mas quando ele entendeu que isso tudo o ajudaria a se tornar um bom jogador, ficou motivado. E agora eu tenho que preparar comidas especiais, ele vai aos treinos com vontade, ficou mais motivado.

Babica: Ah, entendi! Como é que os humanos falam mesmo? “Tomou gosto pela coisa”, não é?

Bárbara: Ahahahaha, isso mesmo. E agora a mãe e o pai têm de correr atrás.

Babica: Ahahahahahaha Então a motivação é como um combustível dentro de nós. Se entendermos por que algo é importante, se escolhermos fazer por nossa conta, e se tivermos pessoas legais ao nosso redor, vamos nos sentir muito mais motivadas para fazer coisas incríveis!

Bárbara: Exatamente, Babica! E é muito importante sempre pensar positivamente, mesmo quando as coisas estão difíceis. Focar no lado bom pode te dar um impulso extra.

Babica: A faísca da Estelina!

Bárbara: A faísca da Estelina!

Babica: Virada de bateria.

_________________________________________________

Bárbara: Não esqueça então: agora os assinantes do Café Com Leite recebem um conteúdo extra no final de cada episódio!

Babica: Isso mesmo! Pule pra dentro do Café Com Leite! Ajude a gente a continuar! No canalcafebrasil.com.br

Bárbara: Venha pro Clube Café Com Leite!

_______________________________________________________

Bárbara: Muito bem! Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar de Bárbara que mora no celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e o texto e direção são do Luciano Pires.

E hoje como vamos encerrar o episódio?

Babica: Ah, vou com uma frase de um filósofo chamado Epiteto:

“Não é o que acontece com você, mas como você reage que importa.”

______________________________________________

Bárbara: Vamos ao conteúdo extra?

Babica: Vamooooossssssss. O que tem hoje?

Bárbara: Vamos falar de algumas coisas que nos chateiam e outras que nos ajudam a  ficarmos motivadas?

Babica: Vamoooooooossss

Bárbara: Eu falo uma coisa, você fala outra, tá?

Babica: Tá

 

Bárbara: Esquece essa ideia de tentar me motivar do jeito comum. Tentar me obrigar a curtir algo nunca dá certo. Se eu não gosto, nem recompensas nem ameaças vão mudar isso. Tem que acender aquela faísca.

Babica: O que é que você faz para acender a faísca?

Bárbara: Para acender aquela faísca, você pode mostrar como essa coisa que preciso fazer tem a ver com coisas que eu adoro. Se eu gosto de histórias, por exemplo, a gente pode fazer a atividade de um jeito que tenha a ver com histórias.

Babica: Em vez de querer me controlar, é melhor me ajudar a me divertir, né? Usar recompensas, elogios ou castigos só atrapalha. Me deixe escolher como quero fazer as coisas, me dê essa liberdade.

Bárbara: E como isso funciona?

Babica: Em vez de me controlar com prêmios ou castigos, pode deixar eu escolher a maneira mais divertida de fazer a atividade. Se eu puder explorar e testar as coisas, é bem mais provável que eu ache legal e fique animada.

Bárbara: Isso funciona se você assumir o…

Babica: Compromisso! Me comprometer de que vou fazer!

Bárbara: Me mostre por que a coisa é importante. Se a atividade não é lá muito animada, me explique por que ela é importante. Tipo, praticar um esporte pode ser meio chato, mas se eu entender que isso me ajuda a melhorar, vale a pena.

Babica: E como explicar por que a coisa é importante?

Bárbara: Você pode falar dos benefícios a longo prazo. Se estivermos praticando um esporte, por exemplo, pode contar como isso faz bem pra minha saúde e me deixa bem.

Babica: Me dê liberdade de decisão. Me deixe tomar minhas próprias decisões sempre que der. Se a atividade não envolve saúde ou segurança, me deixe decidir com sua orientação.

Bárbara: E por que isso?

Babica: Se me deixar decidir algumas coisas, eu vou me sentir mais responsável. Pode dar umas opções que tenham a ver com o que a gente quer alcançar com a atividade. Isso é legal!

Bárbara: Me ajude a achar um desafio na medida certa. Não faça eu escolher algo muito fácil ou muito difícil. Achar o equilíbrio certo faz tudo ficar mais divertido. E lembre-se, errar é normal quando estamos aprendendo!

Babica: Achar equilíbrio?

Bárbara: Achar o desafio certo é importante. Se for muito fácil, fica chato; se for muito difícil, dá vontade de desistir. Vamos ajustar a dificuldade aos poucos, conforme eu vou pegando o jeito.

Babica: Relacionamentos bons fazem a gente gostar mais das coisas. Pais que são acolhedores e, ao mesmo tempo, estabelecem limites criam um ambiente que motiva e incentiva o aprendizado.

Bárbara: É por isso que estar com pessoas é importante para motivar a gente. Mas com as pessoas certas!

Babica: Ter um relacionamento legal é mostrar apoio e entender. Se você estiver comigo, comemorando as coisas boas e ajudando quando tá difícil, isso deixa tudo mais gostoso de fazer e aprender.

Babica: Bárbara, entendi que a responsabilidade pela motivação é compartilhada entre a gente e quem orienta a gente.

Bárbara: Sim. Eu, como indivíduo, tenho o papel de encontrar coisas que gosto, descobrir jeitos legais de fazer e tomar decisões. Eu preciso estar aberta à descoberta, experimentação e ao processo de aprendizado.

Babica: E quem me orienta?

Bárbara: Ah, os pais e tutores também são importantes. Eles nos orientam mostrando a importância das coisas, dando liberdade pra gente escolher, mostrando os benefícios que as coisas podem trazer e tendo um relacionamento positivo conosco.

Babica:  É assim que a gente acende a faísca!

Bárbara: É mesmo! Agora vamos botar em prática?

Babica: Vamooooosssss