s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Cafezinho 619 – Don´t make stupid people famous
Cafezinho 619 – Don´t make stupid people famous
As pessoas que realmente fazem diferença na sua vida ...

Ver mais

Café Brasil 921 – A Praça e a torre
Café Brasil 921 – A Praça e a torre
O livro "A Praça e a Torre: Redes, Hierarquias e a Luta ...

Ver mais

Café Brasil 920 – No Caravelas
Café Brasil 920 – No Caravelas
O Caravelas Podcast foi criado pelo advogado e ...

Ver mais

Café Brasil 919 – Muito Além do Jardim
Café Brasil 919 – Muito Além do Jardim
Neste episódio, a partir de um filme delicioso, uma ...

Ver mais

LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 2
LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 2
Segunda parte da entrevista realizada com o ex-ministro ...

Ver mais

LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 1
LíderCast Especial Ozires Silva – Parte 1
Seguindo na missão de trazer de volta alguns dos ...

Ver mais

LíderCast 316 – Gustavo Succi
LíderCast 316 – Gustavo Succi
No episódio de hoje temos Gustavo Succi, que é o CEO da ...

Ver mais

LíderCast 315 – Marina Helena
LíderCast 315 – Marina Helena
Hoje temos como convidada Marina Helena, pré-candidata ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Daniel Kahneman, a economia e a psicologia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Daniel Kahneman, a economia e a psicologia   “O trabalho de Kahneman é realmente monumental na história do pensamento”. Steven Pinker (Entrevista em 2014 ao jornal The Guardian) ...

Ver mais

Oppenheimer e a Bomba
alexsoletto
Iscas Científicas
  Texto de Alex Soletto   “Agora me tornei a Morte, o destruidor dos mundos” (frase do livro hindu Bhagavad Gita)   A frase foi repetida por Oppenheimer após o teste da ...

Ver mais

G20
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Esclarecendo o que é o G20          Katherine Buso    Luiz A. Machado  Paulo Galvão Jr. 1. Considerações iniciais O presente artigo analisa os principais indicadores econômicos do Grupo dos Vinte ...

Ver mais

Talentos, tecnologia, tesouros e tolerância
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Talentos, tecnologia, tesouros e tolerância “É a relação entre quem tem a força das ideias e quem tem o poder da força que permite progredir no tempo e no espaço na cidade, de forma ...

Ver mais

Cafezinho 618 – Uma descoberta no Polo Norte
Cafezinho 618 – Uma descoberta no Polo Norte
Em 2008 eu embarquei numa viagem até o Polo Norte, que ...

Ver mais

Cafezinho 917 – Mais pedras no lago
Cafezinho 917 – Mais pedras no lago
Já devíamos ter percebido que a colaboração e a união ...

Ver mais

Cafezinho 616 –  Bem-vindo, seu Caos
Cafezinho 616 –  Bem-vindo, seu Caos
Vivemos numa era de caos. Não se trata mais de planejar ...

Ver mais

Cafezinho 615 – Esquerda e direita
Cafezinho 615 – Esquerda e direita
Ser verdadeiramente racional significa estar aberto a ...

Ver mais

Café Com Leite 73 – Mentiras outra vez

Café Com Leite 73 – Mentiras outra vez

Luciano Pires -

Babica: Bárbara, nós dissemos que íamos falar mais sobre as mentiras nossas de cada dia.

Bárbara: Dissemos mesmo, e vamos fazer isso. Esse assunto é muito importante.

Babica: Eu fiquei assustada com a quantidade de mentiras que as pessoas contam!

Bárbara: Pois é. E de tanto conviver com a mentira, ela pode se tornar algo comum e aceitável.

Babica: Muito tenso isso.

Bárbara: Muuuuuuito tenso. Meu nome Bárbara Stock e este é o Café Com Leite, um podcast para famílias com crianças inteligentes e para pais que se importam.

Babica: E eu sou a Babica, o avatar da Bárbara que vive dentro do celular dela! Também estarei aqui com você!

Bárbara: Babica, quem é o ouvinte de hoje?

Babica: Hoje são a Julia e o Matheus!

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Bárbara: Ahahahahaha Julia e Matheus com a mamãe! Com cinco e seis anos, falando do episódio do Menino e o Lobo!

Babica: E a Julia e o Matheus entenderam direitinho a mensagem: quem conta muita mentira acaba mal. As pessoas deixam de confiar!

Bárbara: Beijooooossss Julia e Matheus!!! Vocês ganharam uma linda camiseta cada um! Entrem em contato conosco!

Babica: E se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la no próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal!

_______________________________________________________

Bárbara: Então, Babica, você ficou incomodada com aquela ideia de que contar uma mentira às vezes pode parecer a coisa certa a fazer, não ficou?

Babica: Fiquei, sim. Para mim, mentir é sempre errado.

Bárbara: Pois é. Mas algumas pessoas acham que, em certas situações difíceis, uma mentira pode ser a melhor resposta.

Babica: Tipo quando?

Bárbara: Ah, nós demos um exemplo no episódio passado, com o avatar mau que queria bater no Nico, lembra? Você mentiu para o avatar para proteger o Nico.

Babica: Eu lembro disso. Mas tem mais exemplos?

Bárbara: Tem. Imagine que seus amigos preparam uma festa-surpresa para você e você descobre, mas finge todo o tempo que não sabe de nada, para que todos fiquem felizes e contentes com a surpresa. É uma mentirinha do bem.

Babica: Entendi. Ah, uma vez o Nico me trouxe uma avajaca de presente.

Bárbara: Avajaca?

Babica: É. Avatar de jaca. Eu odeio avajaca! Mas para não magoar o Nico, eu disse que adorava e agradeci o presente. Que nem fiz com o seu vestido. Ele ficou todo feliz!

Bárbara: Tá vendo? Uma mentirinha do bem, pra deixar seu amigo feliz.

Babica: É. Mas não deu certo.

Bárbara: Por que?

Babica: Bárbara, eu tive de comer a avajaca na frente dele! Bleaarghhh! Ele viu minha careta e percebeu que eu estava mentindo!

As duas: ahahahahahhahaha

Bárbara: Tá vendo? Toda mentira traz uma consequência. Às vezes pode dar muito errado.

Babica: Então! Por isso é sempre errado mentir!

Bárbara: Sim. Mas algumas pessoas acham que, em certos casos, a honestidade perfeita pode não ser tão importante quanto valores como compaixão, respeito e justiça. Como o caso da avajaca.

Babica: Você pode explicar melhor?

Bárbara: Posso. Digamos que você tem uma amiga que acabou de fazer um bolo de chocolate e está muito animada para compartilhar com todos na escola. Mas você experimenta o bolo e percebe que não está tão gostoso quanto os bolos que ela costuma fazer.

Babica: A honestidade perfeita seria dizer exatamente o que eu penso sobre o bolo, como “O bolo está ruim”, não é?

Bárbara: Isso mesmo. Mas pensar nos valores de compaixão, respeito e justiça pode fazer você levar em consideração os sentimentos da sua amiga.

Babica: Aí em vez de ser totalmente honesta sobre não ter gostado do bolo, eu escolho ser gentil e compassiva.

Bárbara: Isso mesmo. Você pode dizer algo como: “Amiga, eu realmente aprecio o esforço que você colocou no bolo, mas acho que ele pode ficar ainda mais gostoso se adicionarmos mais chocolate na próxima vez.”

Babica: Neste caso, em vez de dizer que não gostei do bolo, serei gentil e considerarei os sentimentos dela.

Bárbara: Isso é compaixão.

Babica: Mas o bolo continua ruim.

Bárbara: Sim, palavras não mudam o bolo. Mas você pode escolher ser mais assertiva.

Babica: Assertiva?

Bárbara: Sim. Ser assertivo significa expressar seus pensamentos, sentimentos e necessidades de uma forma calma, respeitosa e clara. É como falar com as pessoas de uma maneira em que elas entendam o que você quer dizer, mas sem ser rude ou agressivo.

Babica: Em vez de “Seu bolo está horrível”, dizer algo como “Acho que as pessoas vão estranhar o gosto?”

Bárbara: Ahahahahah… você está dando voltas, mas é isso mesmo. Dizer na cara “seu bolo está horrível”, pode ser ofensivo. Ser assertivo é ser honesto, mas de uma maneira gentil.

Babica: assertivo…

Bárbara: Ser assertivo também significa não ter medo de dizer “não” quando algo não é certo para você, e também não ter medo de pedir ajuda quando precisa. É uma forma de se comunicar de maneira firme, mas respeitosa, para que as pessoas possam entender seus sentimentos e pensamentos, entendeu?

Babica: Entendi. Vou mostrar respeito pelo esforço que ela colocou no bolo, e sugerir uma melhoria para o futuro.

Bárbara: Sim.

Babica: Isso pode ser mais importante do que ser totalmente honesta sobre não ter gostado do bolo. Minha amiga vai gostar da minha honestidade, sem ficar magoada comigo.

Bárbara: Isso mesmo. Em certos casos, é bom equilibrar a honestidade com outros valores importantes para cuidar dos sentimentos das pessoas ao nosso redor.

Babica: Entendi.

Bárbara: Quando mentimos, interferimos na capacidade de escolha das outras pessoas, Babica.

Babica: Como assim?

Bárbara: Aquele avatar que colocou no Nico a culpa de quebrar o avavaso interferiu na escolha do dono do avavaso, que puniu o Nico, lembra?

Babica: Lembro.

Bárbara: Se você quer ser muito honesta, isso significa sempre falar a verdade, mesmo quando é difícil. Se eu perguntar se você gostou da minha roupa nova e você não gostou muito, ser honesto seria dizer algo gentil, mas verdadeiro, como “Acho que essa roupa não está valorizando sua beleza,”

Babica: E você acha que isso engana alguém, Bárbara? É que nem dizer que aquele avatar é simpático. É um jeito de não dizer que ele é feio…

Bárbara: Ahahahahahahah… pois é, mas você está sendo gentil sem mentir, entendeu?

Babica: Mais ou menos. Mas e se a mentira for para ajudar alguém?

Bárbara: Boa pergunta! Já vimos anteriormente que em alguns casos a mentira que ajuda a alcançar outra virtude, como a compaixão, pode ser aceitável.

Babica: Por exemplo?

Bárbara: Vamos imaginar que o Nico está se sentindo muito triste porque perdeu um jogo importante. Você sabe que contar a verdade para ele, tipo “Você não jogou bem”, pode machucar ainda mais os sentimentos dele.

Babica: Ah, eu sei. O Nico é muito sensível…

Bárbara: Nesse caso, a ética da virtude sugere que você pode escolher contar uma pequena “mentirinha boa” para fazer o Nico se sentir melhor. Por exemplo, você poderia dizer algo como “Tá tudo bem, Nico! Às vezes, até os super-heróis têm dias difíceis, mas tenho certeza de que você vai brilhar no próximo jogo!”

Babica: Uma mentirinha para ele se sentir bem. Em vez de ser honesta, usei a compaixão?

Bárbara: Isso. Você colocou a compaixão à frente da honestidade, pensando nos sentimentos do Nico e tentando animá-lo. Isso significa que, mesmo que a verdade completa não seja dita, a intenção é ajudar e fazer com que seu amiguinho se sinta melhor.

Babica: Puxa, entendi. E até achei bonito isso.

Bárbara: Essa é a ética utilitarista, Babica, que diz que a moralidade de uma mentira é determinada pelo equilíbrio entre os benefícios e malefícios de suas consequências.

Babica: Como é que é?

Bárbara:  Se mentir aumentar o benefício ou diminuir o malefício, pode ser moralmente aceitável. Por exemplo, mentir para trazer esperança a alguém que está muito deprimido.

Babica: Mas isso não pode causar problemas?

Bárbara: É aí que os críticos entram, Babica. Eles dizem que as pessoas frequentemente acham que suas mentiras não vão causar problemas. E acabam causando desconfiança e problemas na sociedade. Alguns acham que tolerar mentiras pelo “bem maior” pode levar a problemas sérios.

Babica: Nossa, mas isso é muito complicado, Bárbara.

Bárbara: É mesmo, Babica. Por isso, muitas pessoas acham que é importante pensar nas consequências éticas antes de contar uma mentira. A mentira pode ser útil, pode ser necessária às vezes, mas não podemos nos tornar mentirosos. Você já sabe o que acontece se as pessoas passarem a julgar que você é mentirosa, não é?

Babica: Sei sim. Vai ser como o Menino e o Lobo lá. Acho que mentir não é legal, mas talvez, às vezes, seja difícil escolher o que fazer. Então eu prefiro ser honesta.

Bárbara: Essa é uma ótima perspectiva, Babica. Ser honesta é sempre uma boa escolha.

Babica: Vou falar pro Nico que ele joga mal.

Bárbara: Babica!

As duas: ahahahahahahah

_________________________________________________

Bárbara: Não esqueça então: os assinantes do Café Com Leite recebem um conteúdo extra no final de cada episódio!

Babica: Isso mesmo! Pule pra dentro do Café Com Leite! Ajude a gente a continuar! No podcastcafecomleite.com.br

Bárbara: Venha pro Clube Café Com Leite!

_______________________________________________________

Bárbara: Muito bem! Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar da Bárbara que mora no celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e o texto e direção são do Luciano Pires.

E hoje como vamos encerrar o episódio?

Babica: Vou trazer uma frase do grande Chico Xavier:

A verdade que fere é pior do que a mentira que consola.