s
Portal Café Brasil
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Cafezinho 628 – Crimes de Honra
Cafezinho 628 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Café Com Leite 79 – O sentimento do medo

Café Com Leite 79 – O sentimento do medo

Luciano Pires -

Bárbara: Babica, você já sentiu medo de algo que não conseguia ver, como o escuro ou um barulho estranho à noite?

Babica: Sim, Bárbara, às vezes quando eu vou dormir e está muito silencioso, eu começo a imaginar coisas.

Bárbara: E dá um frio no estômago?

Babica: Dá… uma sensação esquisita…

Bárbara: É o medo. Vamos falar dele hoje. Ùúúúúúúúúúúúúú

As duas: Ahahahahahahahah

Bárbara: Mas antes, quem é ouvinte de hoje?

Babica: Hoje é uma adulta. A Andréa.

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Bárbara: Ah, que legal, Andréa. É exatamente isso mesmo. E como é importante que os adultos entendam o nosso trabalho e façam como você: divulgando o Café Com Leite para todo mundo. Muito obrigado!

Babica: Andrééééáaaaa, muito obrigado, viu? Você vê que existe até um preconceito contra o “só áudio”, o áudio que é exatamente a força do Café Com Leite!

Bárbara: Pois é… as pessoas precisam entender que não podemos transformar as crianças em escravos do vídeo! E você ganhou uma linda camiseta do Café Com Leite!

Babica: E se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la num próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal!

_______________________________________________________

Babica: Bárbara, quero entender melhor o que às vezes me deixa com medo.

Bárbara: Ótimo! Vamos começar falando de tipos diferentes de medos.

Babica: Como assim? O medo não é um só?

Bárbara: Babica, a sensação pode ser uma só, mas existem tipos diferentes de medos. O primeiro tipo é o medo da extinção, que é basicamente o medo de morrer. Sabe quando você está em um lugar muito alto e sente aquele frio na barriga?

Babica: Sei! É como quando subo naquele brinquedo muito alto no parque e fico com medo de cair?

Bárbara: Sim! Na verdade, o medo não é de cair, mas do que pode acontecer com você se cair. É o medo de morrer que é o primeiro tipo.

Babica: Por que você falou medo de extinção?

Bárbara: Porque é assim que esse tipo de medo é conhecido.  A palavra “extinção” vem do latim “extinctio”, que significa “o ato de extinguir” ou “apagar”. “Extinção” originalmente refere-se ao ato de apagar algo completamente, como apagar uma chama ou um fogo.

Babica: Entendi. E o outro tipo de medo?

Bárbara: O segundo tipo é o medo da mutilação. É o medo de perder uma parte do corpo.

Babica: Que horror!

Bárbara: Sim, como quando pensamos em animais perigosos como cobras ou aranhas. Ou até imaginar algo assustador saindo de um cemitério à noite!

Babica: Tipo um zumbi querendo comer minha orelha?

Bárbara: (risos) Exatamente, mas é só imaginação, tá? O medo de perder uma parte do corpo está sempre nos rondando.

Babica: Esse é o segundo medo E o terceiro?

Bárbara: O terceiro tipo é o medo de perder a autonomia. A liberdade de ir e vir. É como se sentir preso ou incapaz de se mover livremente.

Babica: Tipo quando fico presa no elevador?

Bárbara: Isso mesmo, Babica. É a sensação horrível de que você não poderá mais sair dali que dá medo.

Babica: Ou terror!

Bárbara: Sim. Muita gente entra em pânico ao ficar presa no elevador. Esse tipo de medo também pode aparecer em situações como mudanças no trabalho ou na escola que fazem sentir que você tem menos controle sobre as coisas.

Babica: Ah, eu não gosto quando isso acontece.

Bárbara: Ninguém gosta, Babica. E então vem o quarto tipo de medo, que é o da separação. É quando você sente que pode ser deixado de lado por amigos ou alguém de quem você gosta muito.

Babica: Isso já aconteceu comigo… Eu tinha um tio avatar que sempre me contava histórias legais. Um dia alguém apagou ele e nunca mais o vi. (tistinha) Não foi legal.

Bárbara: Ah, nunca é legal, Babica. É realmente difícil quando somos separados de alguém que amamos. Por isso esse é um medo importante.

Babica: E o quinto medo?

Bárbara: É o medo da morte do ego.

Babica: Acho que nós já falamos do ego em episódios anteriores!

Bárbara: Sim! O ego é como um pequenino “eu” dentro da sua cabeça, que ajuda você a decidir coisas e pensar sobre como você é especial e importante.

Babica: Mas o ego morre?

Bárbara: Ah, quando sentimos que nossa imagem ou orgulho está sendo ameaçado, é como se ele morresse,  Como quando erramos na frente dos outros e passamos a maior vergonha…

Babica: Ah, tipo quando tropecei na apresentação da escola e todos riram… fiquei com a maior vergonha. Isso é morte do Ego?

Bárbara: Exatamente, mas lembre-se, todos esses medos são normais. Saber de onde eles vêm pode nos ajudar a enfrentá-los melhor. Você acha que entender isso pode te ajudar da próxima vez que sentir medo?

Babica: Acho que sim, Bárbara. Saber por que estou com medo já me faz sentir um pouco melhor.

Bárbara: Babica, que tal aprendermos juntas como lidar com o medo? Vou te explicar um jeito interessante de pensar sobre isso.

Babica: Ebaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Bárbara: Primeiro, precisamos entender e reduzir o medo. Depois, aprender a agir apesar dele. Vamos lá?

Babica Como a gente faz isso, Bárbara?

Bárbara: Primeiro, precisamos pensar racionalmente sobre o que está causando o medo. Por exemplo, você já sentiu medo de pedir algo aos seus pais, com medo de eles dizerem não?

Babica Ah, sim! Como quando eu queria pedir para dormir na casa de uma avamiga.

Bárbara: Avamiga…

Babica: Avatar de amiga. Quero tanto ir, mas tanto ir, que fico com medo que meus pais não deixem.

Bárbara: Exatamente! Nesse momento, o medo parece grande, mas se pensarmos racionalmente, o pior que pode acontecer é eles dizerem não, certo? E isso não é o fim do mundo.

Babica É verdade. Mas e se o medo for de algo novo?

Bárbara: Ótima pergunta! Se for algo novo, como um desafio ou uma nova atividade, o ideal é buscar informações.  Coisas novas sempre dão medo, porque sabemos muito pouco sobre elas. Então temos de buscar…

Babica: Saber mais!

Bárbara: isso mesmo. Conversar com alguém que já fez aquilo pode ajudar muito. Isso te dá uma ideia do que esperar e reduz o medo do desconhecido.

Babica Tipo quando eu fui acampar pela primeira vez, eu estava cheia de medos e você me mostrou tudo sobre como montar a barraca, o que levar e quais cuidados tomar, né?

Bárbara: Isso mesmo! Preparação e informação podem transformar o medo em algo que você pode controlar. Agora, vamos pensar nos possíveis cenários. Escolha um.

Babica: Ah, estou morrendo de medo das notas que vou tirar num teste na escola. Fico preocupada, agitada, angustiada, Bárbara.

Bárabra: Muito bem. Quais são os cenários possíveis?

Babica Bom, eu posso ir bem, ir mais ou menos ou ir muito mal.

Bárbara: E?

Babica: Se eu for mal vou tirar uma nota baixa. Aí meus pais vão brigar comigo.

Bárbara: E?

Babica: E eu vou sofrer. Por isso tenho medo do teste.

Bárbara: Pois é. Você não tem medo do teste, tem medo das consequências de ir mal no teste. Então você vai fazer o quê?

Babica: Estudar para não ir mal no teste.

Bárbara: E se mesmo assim você for mal?

Babica: Bem, saberei que terei dado o melhor de mim. E aí eu aprendo onde preciso melhorar.

Bárbara: Perfeito! Mesmo se não for bem, você saberá que isso não define quem você é como pessoa ou estudante. Você se esforçou. É só uma chance de aprender e crescer.

Babica: Bárbara, pensando dessa forma, faz o medo parecer menos assustador.

Bárbara: Exatamente! E sabe, Babica, se manter ativa e ter amigos por perto também ajuda. O exercício físico pode reduzir a ansiedade, e ter amigos de confiança te dá suporte quando as coisas ficam difíceis.

Babica: Amigos dão segurança pra gente.

Bárbara: Sim! E sempre que enfrentamos um medo, ganhamos um pouco mais de confiança. Se você tem medo de algo, tentar enfrentá-lo em pequenas doses pode ajudar.

Babica: Como assim?

Bárbara:  Falar em público, por exemplo. Você sabe que pesquisas indicam que esse é o maior medo que um ser humano tem?

Babica: Jura?

Bárbara: Juro. As pessoas morrem de medo de passar vergonha diante de uma plateia. E para superar esse medo, elas podem começar fazendo um brinde em um jantar em família.

Babica Isso parece menos assustador do que falar para um monte de gente de uma vez.

Bárbara: Exatamente! A pessoa vai se expondo àquilo de que tem medo, aos poucos vai ganhando confiança, depois aumenta o risco e um dia está dominando o palco.

Babica: Puxa, mas isso é ótimo.

Bárbara: E sempre pense positivo, Babica. Lembre-se de suas conquistas e de tudo aquilo que você é capaz. Mudar a maneira como vemos os desafios pode torná-los menos ameaçadores.

Babica Bárbara, sabe o que eu estou concluindo?

Bárbara: O quê?

Babica:  Que o medo não é ruim!

Bárbara: Não, é mesmo, Babica. O medo pode ser um sinal de que estamos fazendo algo importante. Ele nos mantém alertas e nos prepara para agir. Compreender isso e saber como lidar com o medo nos torna mais fortes e mais preparados para enfrentar desafios.

Babica Obrigada, Bárbara. Acho que agora eu consigo entender melhor o medo e como lidar com ele!

Bárbara: De nada, Babica. Lembre-se, o medo é apenas mais uma parte de como crescemos e aprendemos. Sempre que precisar, estamos aqui para enfrentá-lo juntas!

Babica: Ebaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

_________________________________________________

Bárbara: Não esqueça então: os assinantes do Café Com Leite recebem um conteúdo extra no final de cada episódio!

Babica: Isso mesmo! Pule pra dentro do Café Com Leite! Ajude a gente a continuar! No podcastcafecomleite.com.br

Bárbara: Venha pro Clube Café Com Leite!

_______________________________________________________

Bárbara: Muito bem! Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar da Bárbara que mora no celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e o texto e direção são do Luciano Pires.

E hoje como vamos encerrar o episódio?

Babica: Vou trazer uma frase sabe de quem? Da Mulher Maravilha!

“É normal ter medo… A chave é não deixar que isso te controle.”

______________________________________________

Bárbara: Vamos ao conteúdo extra?

Babica: Vamoooooooooosssss!

Bárbara: Vamos ver oito passos simples que podem nos ajudar a enfrentar e vencer os medos.

Babica: Que legal!

Bárbara: Primeiro passo: Entenda o Medo.  É normal sentir medo, o medo não é um sentimento ruim, muitas vezes ele nos protege de perigos. Por isso todo mundo tem medos, até os adultos.

Babica: É uma maneira de nosso corpo nos proteger.

Bárbara: É isso mesmo. O segundo passo é falar sobre o Medo. Falar sobre os medos pode ajudar a entender melhor e a sentir menos medo.

Babica: Entender de onde ele vem, qual é o tipo de medo, o que está fazendo com a gente tenha medo, é isso?

Bárbara: É isso. Falar sobre essas coisas ajuda a entender de onde ele vem e o que pode ser feito para reduzi-lo.

Babica: Nada de passar medo sozinha!

Bárbara: Isso! O outro segredo é enfrentar o medo com pequenos passos, aos poucos. Por exemplo, se você tem medo de escuro, comece deixando uma luz noturna ligada e gradualmente reduza a quantidade de luz.

Babica: Ah, isso é fácil!

Bárbara: Desde que seja feito com cuidado. O próximo passo é: Visualize o Sucesso: Imagine uma situação onde você está enfrentando o medo e se saindo bem. Isso pode ajudar a criar confiança.

Babica: Não é isso que os atletas fazem?

Bárbara: É isso mesmo. Eles se imaginam chegando em primeiro, vencendo os obstáculos, com a torcida gritando seu nome… Isso ajuda a preparar a nossa mente com confiança e foco.

Babica: Que legal. O que mais?

Bárbara: Respire Fundo. Aprenda técnicas simples de respiração. Respirar fundo ajuda a acalmar o corpo e a mente. Quando respiramos fundo, estamos dando ao nosso corpo um sinal de que está tudo bem e que podemos relaxar.

Babica: Quando estamos nervosos ou assustados, nossa respiração fica mais rápida e superficial, como se estivéssemos correndo, não é?

Bárbara: É sim. Quando respiramos fundo, mandamos um sinal para o nosso cérebro de que está tudo bem e que não precisamos ficar nervosos. Então, nosso cérebro manda uma mensagem para o corpo relaxar, diminuindo os batimentos cardíacos e ajudando os músculos a relaxarem.

Babica: Ah, mas que máximo, Bárbara!

Bárbara: Tem mais, Babica. Use Histórias e Livros: Ler histórias sobre personagens que enfrentam e superam medos pode ser motivador e mostrar maneiras de lidar com situações semelhantes.

Babica: Ah e pode ouvir um podcast né?

Bárbara: Qual?

Babica: O Café Com Leite!

Bárbara: Ele mesmo. Tem mais, Babica. Celebre as Conquistas: Sempre que enfrentar um medo, mesmo que seja um pequeno passo, comemore. Isso reforça o comportamento positivo e a encoraja a continuar.

Babica: Motivação!

Bárbara: Motivação. E por fim…

Babica: Esse eu sei! Procure Ajuda se Necessário!

Bárbara: Isso mesmo! Se o medo estiver realmente atrapalhando a sua vida, pode ser uma boa ideia procurar ajuda de um adulto, como seus pais, um professor ou até um psicólogo.

Babica: Puxa, Bárbara, lidar com o medo é uma arte!

Bárbara: Não sei se é uma arte, Babica, mas sei que podemos aprender a usar o medo a nosso favor!

Babica: Ebaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa