s
Portal Café Brasil
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Encontro Roberto Motta e Luciano Pires
Roberto Motta e Luciano Pires numa manhã de conversas ...

Ver mais

Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
Café Brasil 931 – Essa tal felicidade
A Declaração de Independência dos Estados Unidos foi um ...

Ver mais

Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Café Brasil 930 – A Escolha de Sofia
Tomar decisões é uma parte essencial do dia a dia, ...

Ver mais

Café Brasil 929 – Desobediência Civil
Café Brasil 929 – Desobediência Civil
O livro "Desobediência Civil" de Henry David Thoreau é ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

LíderCast 325 – Arthur Igreja
LíderCast 325 – Arthur Igreja
O convidado de hoje é Arthur Igreja, autor do ...

Ver mais

LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
LíderCast 324 – Cristiano Corrêa
Hoje trazemos Cristiano Corrêa, um especialista no ...

Ver mais

LíderCast 323 – Sérgio Molina
LíderCast 323 – Sérgio Molina
O convidado de hoje é Sérgio Molina, – atual CEO do ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Protagonismo das economias asiáticas
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Protagonismo das economias asiáticas   “Os eleitores da Índia − muitos deles pobres, com baixa escolaridade e vulneráveis, sendo que um em cada quatro é analfabeto − votaram a favor de ...

Ver mais

Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Criatividade, destruição criativa e inteligência artificial   “O capitalismo é, essencialmente, um processo de mudança econômica (endógena). O capitalismo só pode sobreviver na ...

Ver mais

Inteligência de mercado (Business intelligence)
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A importância da inteligência de mercado[1] Considerações iniciais Este artigo tem por objetivo ressaltar a importância da inteligência de mercado no competitivo mundo contemporâneo, por se ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

Cafezinho 629 – O luto político
Cafezinho 629 – O luto político
E aí? Sofrendo de luto político? Luto político é quando ...

Ver mais

Cafezinho 628 – Crimes de Honra
Cafezinho 628 – Crimes de Honra
A Corte Constitucional da França recentemente declarou ...

Ver mais

Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
Cafezinho 627 – O Pum da Vaca
O físico Richard Feynman tem uma frase ótima: "A ...

Ver mais

Cafezinho 626 – A Globo já era?
Cafezinho 626 – A Globo já era?
A internet mudou tudo. Ela acabou com os ...

Ver mais

Café Com Leite 80 – O sentimento da tristeza

Café Com Leite 80 – O sentimento da tristeza

Luciano Pires -

Bárbara: Babica, você já assistiu ao filme “Divertida Mente”?

Babica: Já! Eu adoro esse filme! É a história da Riley, uma menina de 11 anos que está passando por uma grande mudança em sua vida ao se mudar com a família do interior de Minnesota para a cidade de San Francisco.

Bárbara: Isso mesmo. O filme se concentra nas emoções de Riley, que são personificadas como personagens dentro de sua mente: Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojinho. Lembra da Tristeza, aquela personagem azul que está sempre triste?

Babica: Lembro sim. No começo, ela parecia atrapalhar, mas no final, ajudou muito!

Bárbara: Então vamos aproveitar para falar de tristeza hoje! Mas antes, quem é ouvinte?

Babica: Hoje é a Bianca

COMENTÁRIO DO OUVINTE

Babica: Bárbara, a Bianca me desenhou!

Bárbara: Ahahahahahaha, e ficou linda, Babica!

Babica: Ficou mesmo! (excitada) Bianca, já pensou se a gente consegue ir pra Mato Grosso! Seria sensacional!

Bárbara: Seria mesmo, Bianca. Nós estamos trabalhando agora para levar o Café Com Leite para as escolas. Quem sabe a sua não é uma delas? E olha, você ganhou uma linda camiseta! Entre em contato conosco pra combinar a remessa!

Babica: E se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la num próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal!

_______________________________________________________

Bárbara: Então, Babica, vamos lembrar do Divertida Mente. No começo, parece que a Tristeza só atrapalha, mas depois vemos que ela é muito importante. Quando a Alegria e a Tristeza se perdem no labirinto da mente da Riley, a Tristeza acaba ajudando a Riley a entender seus sentimentos. A Tristeza faz Riley perceber que está sentindo falta da vida antiga, e isso ajuda Riley a conversar com seus pais e se sentir melhor.

Babica: Ah, entendi. Então a Tristeza não é só ruim.

Bárbara: Isso mesmo. A tristeza é uma emoção natural e necessária. Ela nos ajuda a lidar com experiências dolorosas e a encontrar maneiras de seguir em frente. Lembra do episódio sobre a alegria, quando falamos da…

Babica: Serotonina e dopamina!

Bárbara: isso! As substâncias químicas da alegria! Quando algo ruim acontece, nosso cérebro está lidando com substâncias químicas que nos fazem sentir tristes. Isso é uma forma de nos ajudar a entender e lidar com a situação.

Babica: Mas que substâncias são essas?

Bárbara: Ah, são várias, e normalmente trata-se de equilíbrio entre elas. As principais incluem:

Serotonina: Baixos níveis estão associados à depressão e tristeza.

Dopamina: Níveis baixos podem levar à desmotivação e tristeza.

Noradrenalina: Baixos níveis podem estar ligados à depressão e ao estresse.

Cortisol: Altos níveis crônicos, relacionados ao estresse, podem causar tristeza e ansiedade.

Glutamato: Desequilíbrios estão associados a transtornos do humor.

GABA: Baixos níveis podem estar ligados à ansiedade e depressão.

Babica: Puxa vida! Mas as pessoas têm isso tudo dentro do cérebro?

Bárbara: Sim! Essas substâncias são essenciais para regular o humor e emoções; desequilíbrios podem contribuir para tristeza e outros transtornos do humor.

Babica: E por que a gente fica triste?

Bárbara: A tristeza pode aparecer por muitos motivos diferentes. Por exemplo, quando perdemos algo ou alguém importante para nós, quando passamos por mudanças grandes, como mudar de escola, ou quando nos sentimos sozinhos ou incompreendidos. Nosso cérebro responde a essas situações liberando substâncias que nos fazem sentir tristes, para que possamos refletir sobre o que aconteceu e buscar formas de melhorar.

Babica: Ah, Bárbara, eu tenho visto umas coisas que tem me deixado muito triste!

Bárbara: O que, Babica?

Babica: Aquelas enchentes no Rio Grande do Sul. As pessoas estão perdendo suas casas, suas coisas, seus parentes e seus animais!

Bárbara: É verdade, Babica, eu também fiquei muito triste, e já providenciei de mandar várias doações para ajudar as pessoas de lá, sabe?

Babica: Eu acho que é isso que é o mais importante, Bárbara!

Bárbara: Ajudar as pessoas?

Babica: Exercitar aqueles valores sobre os quais a gente sempre fala. Ter empatia pelas pessoas que estão sofrendo, compaixão, cooperação…

Bárbara: Isso mesmo! São nestes momentos que os valores precisam estar presentes! Assim vamos ajudar as pessoas a reconstruir suas casas! Por isso é importante continuar as doações e ajudar como for possível! Vamos juntos reconstruir o Rio Grande do Sul!

Babica: Vamos mesmo! Bárbara, eu vi um poema que o Tio Luciano colocou numa camiseta do Café Brasil. Quero declamar ele aqui.

Bárbara: Claro, Babica.

Babica: Ele adaptou um poema famoso de um poeta gaúcho chamado Mário Quintana. Chama-se Poeminha do Contra.

Essas águas que aí estão

Atravancando o meu caminho

Elas passarão

Eu passarinho

Bárbara: Ahhhhh, que lindo Babica!

Babica: E as vendas dessa camiseta serão revertidas para o Rio Grande do Sul, Bárbara!

Bárbara: E onde a gente acha a camiseta?

Babica: Entre em mundocafebrasil.com e procure o link para a loja de camisetas.

Bárbara: mundocafebrasil.com . Todos Juntos pelo Rio Grande do Sul!

Babica: Ebaaaaaaaaaaaa!!!!

Mas Bárbara, então é normal sentir tristeza?

Bárbara: Com certeza, Babica! Sentir tristeza é uma parte natural da vida. Ela nos ajuda a refletir sobre o que aconteceu e a encontrar maneiras de seguir em frente.

Babica: E a tristeza é uma só?

Bárbara: Não. Existem diferentes tipos de tristeza. Algumas vezes, a tristeza é passageira. É aquela que sentimos quando algo pequeno dá errado no nosso dia. Por exemplo, quando você tira uma nota mais baixa do que esperava em uma prova ou quando seus planos de brincar no parque são cancelados por causa da chuva.

Babica: Ah, entendi. Isso é bem chato, mas depois passa, né?

Bárbara: Exatamente! Essa é uma tristeza que vem e vai, e normalmente conseguimos superar rapidamente fazendo algo que gostamos ou conversando com alguém. Mas também existe uma tristeza mais profunda, que é quando perdemos alguém ou algo que é muito importante para nós.

Babica: Como quando aquele meu avatio foi apagado?

Bárbara: Avatio?

Babaica: É avatar de tio. Lembra que eu falei dele? Ele sumiu… (tristinha)

Bárbara: Isso mesmo. Essa tristeza é mais intensa e pode durar mais tempo. É normal sentir-se assim quando perdemos alguém querido, como um avô, um animal de estimação, ou até mesmo quando um amigo se muda para longe.

Babica: E essa tristeza demora mais para passar?

Bárbara: Sim, pode demorar um pouco mais, e às vezes ela nunca vai embora completamente. Mas com o tempo, aprendemos a lidar com ela e a encontrar maneiras de seguir em frente. E sabe, Babica, sentir essa tristeza profunda também nos mostra o quanto amamos e nos importamos com aquela pessoa ou coisa.

Babica: Então, é como se a tristeza nos ajudasse a lembrar das coisas boas também?

Bárbara: Exatamente! A tristeza nos ajuda a valorizar os momentos bons que tivemos e a entender a importância de nossas conexões. Ela nos faz refletir sobre o que realmente importa na vida. E lembre-se, sempre que você se sentir triste, pode falar comigo ou com alguém que você confia. Falar sobre nossos sentimentos é uma ótima maneira de começar a se sentir melhor.

Babica: E tem como evitar a tristeza?

Bárbara: Evitar completamente a tristeza é difícil, mas podemos aprender a lidar com ela de forma saudável. Fazer coisas que gostamos, conversar com amigos e familiares, e praticar atividades que nos fazem bem são ótimas maneiras de cuidar do nosso bem-estar emocional.  E além de “Divertida Mente”, há também histórias como a da “Pequena Sereia”. Você conhece?

Babica: Conheço! A Ariel fica triste quando não pode viver no mundo dos humanos.

Bárbara: Isso mesmo. A Ariel se sente triste e incompleta no mundo dela, porque deseja algo que está fora do seu alcance. Essa tristeza faz com ela procure uma solução, mesmo que tenha que enfrentar desafios para isso.

Babica: No final, ela encontra uma maneira de se conectar com ambos os mundos e se sente feliz novamente, não é?

Bárbara: É sim.  Isso mostra que a tristeza pode nos motivar a fazer mudanças e buscar o que realmente nos faz feliz.

Babica: Então a tristeza pode ajudar a gente a melhorar as coisas?

Bárbara: Sim, Babica. A tristeza nos ajuda a entender o que é importante para nós e a buscar soluções para nossos problemas. Quando aceitamos a tristeza e a deixamos nos guiar, podemos encontrar novas formas de lidar com nossos sentimentos e melhorar nossas vidas.

Babica: E se a tristeza não passar?

Bárbara: Se a tristeza durar muito tempo e começar a atrapalhar suas atividades diárias, é importante falar com um adulto de confiança, como seus pais ou professores. Eles podem ajudar a encontrar maneiras de lidar com a tristeza e, se necessário, procurar ajuda de um profissional, como um psicólogo.

Babica: E tem alguma coisa que eu possa fazer quando me sinto triste?

Bárbara: Tem sim. Mas nós vamos tratar disso no conteúdo extra para os assinantes.

Babica: Vivaaaaaaaaaaaaa! Fiquei feliz

As duas: ahahahahahahahahha

_________________________________________________

Bárbara: Não esqueça então: os assinantes do Café Com Leite recebem um conteúdo extra no final de cada episódio!

Babica: Isso mesmo! Pule pra dentro do Café Com Leite! Ajude a gente a continuar! No podcastcafecomleite.com.br

Bárbara: Venha pro Clube Café Com Leite!

_______________________________________________________

Bárbara: Muito bem! Eu sou a Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica! O avatar da Bárbara que mora no celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e o texto e direção são do Luciano Pires.

E hoje como vamos encerrar o episódio?

Babica: Vou trazer uma frase de um famoso filosofo chamado Epicuro:

As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.

______________________________________________

Bárbara: Vamos ao conteúdo extra?

Babica: Vamoooooooooosssss! Bárbara, como posso fazer meus amigos se sentirem mais felizes?

Bárbara: Primeiro: Fale sobre seus sentimentos: Conversar com alguém de confiança, como seus pais, um amigo próximo ou até mesmo um professor, pode aliviar o peso da tristeza. Falar sobre o que está te incomodando ajuda a organizar os pensamentos e muitas vezes traz uma nova perspectiva. Às vezes, só o ato de falar já nos faz sentir um pouco melhor.

Babica: É mesmo, Bárbara! Ter alguém de confiança com quem falar sobre nossas angústias é muito importante!

Bárbara: É fundamental! E você, tem alguma dica?

Babica: Tenho. Faça atividades que você gosta: Quando estamos tristes, fazer algo que nos dá prazer pode ajudar a melhorar o humor. Desenhar, brincar, ler um livro ou assistir a um filme favorito são ótimas maneiras de se distrair e se sentir melhor.

Bárbara: Também pode ser legal aprender algo novo, como tocar um instrumento musical ou fazer uma receita nova.

Virada de bateria

Bárbara: Ahahahahaha. Mais uma dica: Pratique exercícios físicos. Movimentar o corpo é uma excelente maneira de liberar endorfinas, que são substâncias que nos fazem sentir bem. Correr, pular, andar de bicicleta ou até mesmo dançar podem ajudar a aliviar a tristeza e trazer uma sensação de bem-estar. Exercícios em grupo, como uma aula de dança ou esportes, também são ótimos para melhorar o humor.

Babica: Isso mesmo! Está triste? Brinque! Outra dica é Escreva sobre o que sente: Colocar seus sentimentos no papel pode ser uma forma poderosa de entender melhor o que está acontecendo dentro de você.

Bárbara: Ah, isso é mágico! Escrever um diário, uma carta (mesmo que você não a envie) ou até mesmo fazer uma lista de coisas que te incomodam pode ajudar a clarear a mente. Você pode também escrever sobre as coisas boas que aconteceram no seu dia, isso pode ajudar a focar no positivo.

Babica: Muito bom! Mais uma dica é Respire fundo. Técnicas de respiração podem ajudar a acalmar a mente e o corpo. Quando você se sentir triste ou ansiosa, tente respirar profundamente. Inspire pelo nariz contando até quatro, segure a respiração por quatro segundos e depois expire lentamente pela boca contando até quatro novamente. Repita isso algumas vezes até se sentir mais calma.

Bárbara: A respiração manda mensagens para o coração. Quando você acalma a respiração, a mensagem é de que as coisas estão bem, sob controle. Muito legal, Babica. E eu tenho mais uma dica.

Babica: Diga lá!

BárbaraEscolha com quem você anda: Rodear-se de pessoas que promovem a alegria e te fazem sentir bem é muito importante. Amigos e familiares que te apoiam e te fazem rir podem ajudar muito a melhorar seu humor.

Babica: Ah, isso é fundamental. Evite pessoas que te deixam para baixo ou te fazem sentir mal consigo mesma. Isso me lembra de outra dica: Pratique a gratidão: Focar nas coisas pelas quais você é grata pode ajudar a mudar sua perspectiva.

Bárbara: Excelente dica, Babica! Tente pensar em três coisas pelas quais você é grata todos os dias. Pode ser algo simples, como ter um amigo legal, comer sua comida favorita ou ter um dia de sol.

Babica: Ah, isso traz uma sensação de bem estar!

Bárbara: Sim. Outra dica importante é Ajude os outros. Fazer algo bom por outra pessoa pode melhorar seu humor. Pode ser algo simples, como ajudar um amigo com a lição de casa, fazer um desenho para um parente ou participar de um projeto de voluntariado.

Babica: E tem uma dica que é muito importante. Cuide de si mesma. Faça algo que te faça sentir bem consigo mesma. Pode ser tomar um banho relaxante, vestir sua roupa favorita, brincar com o cachorro ou passar um tempo na natureza. Cuidar de si mesma é importante para se sentir melhor.

Babica: Bárbara, vou tentar essas dicas na próxima vez que eu me sentir triste!

Bárbara: Ótima ideia, Babica! E lembre-se, é sempre bom falar sobre seus sentimentos com alguém que se importa com você. Sentir tristeza é normal, e saber lidar com ela é uma parte importante do nosso crescimento. E sempre que precisar, estou aqui para ouvir, viu?

Babica: Ebaaaaaaaaaaaaaaaaa