s
Portal Café Brasil
Corrente pra trás
Corrente pra trás
O que vai a seguir é um capítulo de meu livro ...

Ver mais

O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
O que é um “bom” número de downloads para podcasts?
A Omny Studio, plataforma global na qual publico meus ...

Ver mais

O campeão
O campeão
Morreu Zagallo. Morreu o futebol brasileiro que aprendi ...

Ver mais

O potencial dos microinfluenciadores
O potencial dos microinfluenciadores
O potencial das personalidades digitais para as marcas ...

Ver mais

Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Café Brasil 928 – Preguiça Intelectual
Láááááááá em 2004 eu lancei meu livro Brasileiros ...

Ver mais

Café Brasil 927 – Quando a água baixar
Café Brasil 927 – Quando a água baixar
A história de Frodo Bolseiro em "O Senhor dos Anéis" ...

Ver mais

Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Café Brasil 926 – Definição de Gaúcho – Revisitado
Então... diante dos acontecimentos dos últimos dias eu ...

Ver mais

Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Café Brasil 925 – No Beyond The Cave
Recebi um convite para participar do podcast Beyond The ...

Ver mais

LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
LíderCast 322 – Rodrigo Rezende
Rodrigo Rezende, carioca, empreendedor raiz, um dos ...

Ver mais

LíderCast 321 – Rafael Cortez
LíderCast 321 – Rafael Cortez
Tá no ar o #LC321 O convidado de hoje é Rafael Cortez, ...

Ver mais

LíderCast 320 – Alessandra Bottini
LíderCast 320 – Alessandra Bottini
A convidada de hoje é Alessandra Bottini, da 270B, uma ...

Ver mais

LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
LíderCast Especial – Rodrigo Gurgel – Revisitado
No episódio de hoje a revisita a uma conversa que foi ...

Ver mais

Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda Live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola
Segunda live do Café Com Leite, com Alessandro Loiola, ...

Ver mais

Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live Café Com Leite com Roberto Motta
Live inaugural da série Café Com Leite Na Escola, ...

Ver mais

Café² – Live com Christian Gurtner
Café² – Live com Christian Gurtner
O Café², live eventual que faço com o Christian ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Americanah
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Americanah   “O identitarismo tem duas dimensões, uma dimensão intelectual e uma dimensão política, que estão profundamente articuladas, integradas. A dimensão intelectual é resultado ...

Ver mais

A tragédia e o princípio da subsidiariedade
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
A tragédia e o princípio da subsidiariedade “Ações que se limitam às respostas de emergência em situações de crise não são suficiente. Eventos como esse – cada vez mais comuns por ...

Ver mais

Percepções opostas sobre a Argentina
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções opostas sobre a Argentina “A lista de perrengues diários e dramas nacionais é grande, e a inflação, com certeza, é um dos mais complicados. […] A falta de confiança na ...

Ver mais

Economia + Criatividade = Economia Criativa
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Economia + Criatividade = Economia Criativa Já se encontra à disposição no Espaço Democrático, a segunda edição revista, atualizada e ampliada do livro Economia + Criatividade = Economia ...

Ver mais

Cafezinho 625 – Fake news que matam
Cafezinho 625 – Fake news que matam
Há tempos eu digo que saímos da Sociedade da Informação ...

Ver mais

Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Cafezinho 624 – Desastres não naturais
Ao longo dos anos, o Brasil experimentou uma variedade ...

Ver mais

Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
Cafezinho 623 – Duas lamas, duas tragédias
O Brasil está vivenciando duas lamas que revelam muito ...

Ver mais

Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Cafezinho 622 – Sobre liderança e culhões
Minhas palestras e cursos sobre liderança abrem assim: ...

Ver mais

Café Com Leite 9 – Cobra-kai e o mito da caverna

Café Com Leite 9 – Cobra-kai e o mito da caverna

Luciano Pires -

 

Bárbara: Oiiiiiiii! E o Café Com Leite volta em sua segunda temporada!

Na história do mundo, muitas pessoas se dedicaram a estudar o que é viver a vida, o que é verdade e mentira, como pensamos, como nos relacionamos. A essas pessoas nós chamamos de filósofos, e conhece-los nos ajuda a compreender melhor a vida e nos prepararmos para ela. É sobre os filósofos, que vamos falar hoje.

Meu nome é Bárbara Stock e você está no Café Com Leite, um podcast feito para jovens que querem aprender a pensar

Babica: E eu sou a Babica, o avatar da Bárbara que vive dentro do celular dela! Também estarei aqui com você! Bárbara, antes de começar o assunto de hoje, eu quero falar uma coisinha!

Bárbara: claro, Babica! O microfone é todo seu!

Babica: Ah, eu estou muuuuito feliz de estar aqui para a segunda temporada do Café Com Leite. Olha, o retorno que nós tivemos com um monte de mensagens de ouvintes, foi emocionante!

Bárbara: nem me diga!

Babica: então! Ficamos muito felizes pois as pessoas entenderam o que nós queremos levar assuntos sérios para o público jovem e proporcionar uma conversa interessante em família.

Bárbara: muito bem lembrado, Babica! E parece que estamos conseguindo! Ouça só:

COMENTÁRIO DE OUVINTE MARCELO DE BAURU

Bárbara comenta

Babica: Marcelo e Catarina, que delícia esse comentário! As crianças estão se interessando muito pelos episódios. E as mensagens de pais ouvindo juntos com os filhos estão chegando aos montes! Obrigado pela participação!

Bárbara: Se você gostou do nosso Café com Leite, mande uma mensagem de voz para nós no whatsapp 11915670602. Se sua mensagem for escolhida, vamos publicá-la no próximo episódio e você ganhará uma camiseta muito legal, que você mesmo escolherá!

Babica: Isso! O Marcelo e Catarina ganharam uma camiseta do Café Com Leite! Viu que legal, Bárbara? Estamos no caminho certo! Vou repetir o whatsap: 11 915670602

Bárbara: E eu quero reforçar um pedido que fizemos no final da primeira temporada. Nós somos uma iniciativa independente e precisamos da sua ajuda e de todos os ouvintes. Por isso fizemos aquele financiamento coletivo para levantar recursos para esta segunda temporada. E a terceira. E a quarta!

Babica: Foi lindo, Bárbara, várias pessoas contribuíram! Mas a gente ficou bem longe da meta.

Bárbara: ficamos. O que conseguimos dá para fazer o básico, mas uma porção de ideias ficaram para depois. Por isso quero reforçar: a gente tem um PIX, que é a forma que você pode contribuir pra gente continuar e criar novidades bem legais. Quer dizer qual é, Babica?

Babica: claro! É o mesmo do whatsapp: 11915670602. Vou repetir bem devagar: 11915670602

SOBE A MÚSICA

Bárbara: Babica, hoje vou contar uma história muito interessante, criada por um filósofo chamado Platão, que viveu na Grécia, mais ou menos 2500 anos atrás.

Babica: filósofo? O que é um filósofo, Bárbara?

Bárbara: Ah, boa pergunta, Babica. Esse termo “filósofo” vem do grego antigo e quer dizer “alguém que ama o conhecimento.” O filósofo é a pessoa que procura o significado da vida e a natureza da realidade, do conhecimento e da sociedade.

Babica: Nossa, Bárbara, que coisa difícil de entender!

Bárbara: ahahahahah… é complicado mesmo, Babica. O filósofo não é como um padeiro que faz pão. Ou um cantor que faz shows. Ele é alguém que estuda algumas das questões mais básicas sobre a vida humana. Por exemplo, o que as pessoas podem realmente saber sobre a vida? Ou se somos basicamente bons ou maus. Muitos filósofos ao longo da história explicaram para nós coisas importantes e nos ajudaram a entender como o mundo funciona.

Babica: ainda continuo em dúvida…

Bárbara: vou tentar ser mais didática. Você sabe o seriado Cobra Kai?

Babica: claro que eu sei, Bárbara! Eu amo o Daniel-San e aquelas lutas de Karatê!

Bárbara: isso mesmo. Você reparou que todo o tempo eles se referem ao Senhor Miyagi?

Babica: Sim! É um velhinho, né?

Bárbara: Mais que um velhinho… é um mestre. Ele ensinou muito para o Daniel, não só sobre como lutar Karatê, mas como viver a vida. Por exemplo, ele dizia que “Tudo bem perder para o adversário. Não deve perder para o medo!” Você tem de enfrentar seus medos para poder superá-los. A confiança vem depois que você supera os problemas. Do que é que você tem medo, Babica?

Babica: Ah, de ficar sem bateria.

Bárbara: ahahahahahahah a bateria pra tocar na banda?

Babica: Claro que não, né? (tristinha) Essa eu ainda nem tenho! Tô falando a bateria do celular! De ficar sem energia!

Bárbara: aaaahhhh, claro, né? Você é um avatar que mora num celular, sem bateria você não existe! Mas não pode deixar esse medo paralisar você. Por exemplo, com medo de acabar a bateria, você pode querer falar pouco, diminuir o brilho da tela, não ficar navegando para todo lado…

Babica: (falando pesarosa) fico mesmo…

Bárbara: então. É mais inteligente enfrentar esse medo. Em vez de ficar apavorada com a falta de bateria, o que você faz para que ela não acabe?

Babica: ah, eu fico sempre lembrando você de carregar o celular!

Bárbara: Já me fez comprar até uma bateria externa!

Babica: ahahahahah

Bárbara: Você tomou providências para superar o seu medo, Babica! Voltando ao Senhor Miyagi do Cobra-Kai: “Tudo bem perder para o adversário. Não deve perder para o medo!” foi o que ele disse. Depois que você supera seus medos, você ganha confiança, aprende como fazer para sair bem das situações. Terá evoluído.

Babica: entendi. Mas por que você está me contando isso?

Bárbara: tcham tcham tcham tchaaaaaammmmm! O sr. Miyagi filosofou, Babica! Ele pensou sobre a vida, chegou a uma conclusão e filosofou: “não tem problema perder para um adversário, você não pode é perder para o medo.” Entendeu? Ele pensou muito sobre o assunto e chegou a essa conclusão, que nos ensina como enfrentar a vida.

Babica: ah, então é isso que o filósofo faz?

Bárbara: é isso também, mas acho que é suficiente para você entender! Posso falar do filósofo chamado Platão?

Babica: ele também lutava karatê?

Bárbara: ahahahahahaha, não! Platão viveu na Grécia há 2500 anos, muito antes do Karatê ser criado! Vamos lá.  Platão, foi um filósofo e matemático grego que viveu entre os anos 428 e 347 A.C. Junto a seu mentor Sócrates e seu pupilo Aristóteles, construiu as fundações do que chamamos hoje de fi-lo-so-fia.

Babica: Bárbara, o que é “AC”?

Bárbara: Hiiiii. Babica, é uma explicação comprida. Vou resumir aqui e num outro programa a gente detalha, tá?

Babica: Tá.

Bárbara: O calendário que usamos em grande parte do mundo começa a contagem há 2022 anos, quando Jesus Cristo nasceu. Tudo que aconteceu antes de 2022 anos atrás, é AC: antes de Cristo. O que aconteceu desde que Cristo nasceu, é DC: depois de Cristo.

Babica: Ah, entendi, é uma forma de medir o tempo… Mas Bárbara, o que é mentor e pupilo?

Bárbara: Mentor é um mestre, é alguém que tem conhecimento e que orienta outras pessoas. Pupilo é o aluno desse mestre. O outro filósofo, Sócrates, foi o mestre de Platão, e Aristóteles foi aluno de Platão.

Babica: entendi. Sócrates foi o mestre de Platão e Platão foi o mestre de Aristóteles…

Bárbara: E Aristóteles é um mestre para todos nós! Uma das obras principais de Platão chama-se A REPÚBLICA. É um conjunto de dez livros onde ele escreveu diálogos tendo como personagem principal, Sócrates. Nesse conjunto de livros, Platão trata de Justiça e de Política. E no sétimo livro, Platão criou uma metáfora chamada O Mito da Caverna!

Babica: Ah, metáfora você já explicou o que é! Vou até repetir o que você disse: “Metáfora é um jeito de falar, quando a gente transfere o nome de uma coisa para outra, fazendo uma comparação. Por exemplo, se eu disser que você é uma flor, estou usando a flor como metáfora. Não quero dizer que você é uma planta, mas que é bonita, cheirosa e graciosa como uma flor.”

Bárbara: Babica, estou impressionada! Como você aprende rápido!

Babica: ah, Bárbara, eu tenho uma ajudazinha da memória do celular, né?

Bárbara: ahahahahahahhaa e do Google, né? Tô achando que ser um avatar é muito vantajoso!

Continuando: para descrever a situação geral em que se encontra a humanidade, Platão imaginou uma situação que ganhou o nome de Mito da Caverna. Ele fez uma metáfora usando uma caverna para mostrar como nós estamos sem enxergar a verdade.

Babica: Como assim, Bárbara?

Bárbara: Imagine uma caverna grande que tem uma entrada enooorme, por onde passa a luz do sol. As pessoas que estão dentro da caverna não conseguem ver o lado de fora. Só veem as sombras que são projetadas na parece.

Platão então imaginou que os homens eram presos desde a infância no fundo da caverna, por correntes que os obrigavam a olhar sempre a parede em frente. Nessa parede eles viam a projeção de sombras das coisas que aconteciam fora da caverna.

Babica: Não entendi…

Bárbara: É simples.  Se alguém carregando um vaso passasse pela frente da entrada da caverna, sua sombra seria projetada na parece para a qual as pessoas estavam viradas. Era só isso que as pessoas conseguiam ver, pois estava acorrentadas de costas para a entrada da caverna.

Babica: Mas Bárbara, por que essas pessoas estavam acorrentadas lá? Eram criminosas?

Bárbara: Não, Babica. Lembra que isto é uma metáfora? Não importa a razão de estarem acorrentadas, mas o que acontecia com elas. O único contato que elas tinham com o mundo fora da caverna eram as sombras projetadas na parede.

Babica: coitados!

Bárbara: Pois é. E o Platão dizia que era exatamente assim que a humanidade vivia: pensando que as sombras eram a realidade, ignorando o que realmente se passava no mundo lá fora.

Babica: Hummmm… essa é a metáfora. Platão quis dizer que nós vivemos como se, em vez de olhar para as coisas que acontecem no mundo, olhamos para as sombras delas projetadas na parede.

Bárbara: Isso mesmo. É uma metáfora sobre como a gente não sabe da verdade das coisas que acontecem no mundo. Mas espera que vai ficar muito legal a história.

Se alguém pudesse se libertar das correntes e sair da caverna, a primeira coisa seria o impacto da luz do sol. A pessoa ficaria ofuscada, sem nada ver por causa de tanta luz. Mas conforme fosse se acostumando à luz, começaria a ver as formas, os contornos, os objetos. Quando estivesse adaptada, veria um outro mundo com luzes, cores, movimentos, formas e sons que ela desconhecia. O jumento que ela só conhecia pela sombra, agora seria um animal, ela veria a cor, os detalhes, ouviria os ruídos. Tudo que ela só viu como sombra, agora estava claro.

Com isso, a pessoa deixaria para trás a ignorância. Teria diante de si o universo da ciência, do conhecimento.

Babica: Enquanto isso, os outros ficavam lá dentro da caverna, pensando que o mundo eram as sombras…

Bárbara: Isso mesmo. Seria como se a pessoa que saiu da caverna, tivesse acordado. Se for curiosa e questionadora, a pessoa começa a ter uma visão muito mais correta, a definir os objetos até atingir o conhecimento. E o conhecimento não se limita a apenas entender os objetos. O conhecimento significa entender os conceitos morais que orientam a sociedade, como o belo, o bem e a justiça. Aquelas coisas que não dá para medir, tá ligada?

Babica: Tô ligada!

Bárbara: Babica, você entendeu então? Essa história da caverna não existe de verdade, foi só um jeito do Platão mostrar o que acontece com que não estuda. A pessoa se mantém preso no seu mundinho, só sabe das coisas muito superficialmente, sem sair para ver como elas são de verdade.

Babica: entendi sim. Eu já estava preocupada com aquele povo preso na caverna…

Bárbara: Com a metáfora do Mito da Caverna, Platão quis demonstrar algumas coisas.

Primeiro, que é difícil, doloroso chegar ao conhecimento. É preciso estudar, fazer sacrifícios para escapar das correntes que nos mantém presos na ignorância e encontrar a saída da caverna.

Babica: Ah, olha o que eu entendi do Mito da Caverna de Platão. Existem dois mundos: o que a gente consegue ver e o que a gente consegue entender. O visível e o inteligível. Preso na caverna da ignorância, a gente só consegue ver as sombras. Quando saímos da caverna da ignorância, conseguimos ver as coisas e entender como o mundo funciona.

Bárbara: isso mesmo, Babica. Infelizmente muita gente vive como se estivesse presa no interior da caverna, iludida, achando que a realidade são as sombras. Esse é o mundo onde é fácil ficar, basta se conformar com as correntes que nos prendem a ele. A gente acaba se adaptando e vivendo o resto da vida ali.

Babica: Que horror!

Bárbara: pois é, Babica. O mundo visível é comandado pelos sentidos, pelo olhar, pelo tato, pelo gosto. A gente só aceita aquilo que é possível ser sentido na carne, medido, tocado, comparado… É o mundo do homem comum, do homem médio.

Já o mundo inteligível é muito mais complicado. É o mundo da inteligência, da razão, do homem curioso que busca entender o mundo em que vive. É o mundo do sábio. E é para poucos…

Babica: É o mundo do Senhor Miyagi!

Bárbara: Sim, e é para esse mundo que ele vai levando o Daniel-San com seus ensinamentos. Mas vai ficar melhor ainda… quando quem saiu da caverna voltar pra dentro dela…

Babica: (entusiasmada) E contar o que viu lá fora!

Bárbara: isso mesmo! Mas isso é conversa para o próximo episódio!

Babica: aaaahhhhhhh.

Bárbara: Ahahahahaha.. ficou com gostinho de quero mais? Isso é muito bom! E quer lembrar para você, ouvinte: mande um recado em áudio dizendo o que você achou deste programa!

Babica: Se seu recado for escolhido, vamos publicá-lo no podcast e você ainda vai ganhar uma camiseta de presente, Que tal? Vou repetir o número do whatsapp: 11915670602.

____________________________________________________

Bárbara: Então… lembra que no final da primeira temporada a gente lançou aquele desafio da MBAkids? Pedindo que as crianças mandassem mensagens para nós, para concorrer a uma bolsa para o curso de empreendedorismo?

Babica: Claro que lembro! Chegaram diversas mensagens!

Babica: A MBAKids ofereceu o programa empreendedor 4.0 que é uma trilha de iniciação aos negócios pra gente sortear para um ouvinte do Café Com Leite, olha que legal!

Bárbara: Sim! É um curso on-line, que pode ser feito de qualquer lugar. O módulo tem introdução aos negócios e educação financeira, e dura oito meses! É um curso que vai ajudar a fazer do ganhador um empreendedor!

A MBAKids ofereceu uma bolsa de estudos dando um curso desse gratuitamente para algum ouvinte que nos mandasse uma mensagem dizendo por que quer fazer o curso. E a gente escolheu duas das mensagens mais legais. Vamos mostra-las agora. Preste atenção. Você é que vai dizer qual dos dois merece ganhar o curso:

Babica: Primeiro o Lucas….

Babica: Agora a Ana Beatriz….

Bárbara: Que legal! Parabéns, Lucas e Ana Beatriz. Agora queremos que você mande uma mensagem dizendo quem merece ganhar a bolsa da MBAKids: o Lucas ou a Ana Beatriz. Mande para whatsapp: 11915670602

Babica: Isso! 11 915670602

Bárbara: Além do Brasil, a MBA Kids está presente em 5 países da Europa, sendo destaque mundial no desenvolvimento da mentalidade empreendedora para crianças e adolescentes e no ensino de liderança construtiva. Acesse @mabakids no Instagram.

_______________________________________________________

Bárbara: Muito bem! Meu nome é Bárbara Stock…

Babica: E eu sou a Babica, o avatar de Bárbara que mora no celular dela.

Bárbara: somos suas companheiras neste Café Com Leite, que é feito com muito carinho pela turma do Podcast Café Brasil. A edição é do Senhor A e a direção é do Luciano Pires.

E pra começar a segunda temporada com o pé direito, quem você trouxe, Babica?

Babica: Ah, claro que eu só poderia trazer ele mesmo, Platão.

Tente mover o mundo – o primeiro passo será mover a si mesmo.