s
Portal Café Brasil
Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Palestra Planejamento Antifrágil
Palestra Planejamento Antifrágil
Aproveite o embalo, pois além de ouvir a história, você ...

Ver mais

Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
O Café Brasil anterior, o 786 – O Cuzão, rendeu, viu? ...

Ver mais

Café Brasil 786 – O cuzão.
Café Brasil 786 – O cuzão.
Cara, como é complicada a vida de podcaster, bicho! A ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 784 – Avatar
Café Brasil 784 – Avatar
Se você está achando complicado lidar com ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Menos Marx, mais Mises
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Menos Marx, mais Mises  “Apesar de ainda ser muito pouco conhecido entre os jovens brasileiros em comparação com Karl Marx, o nome do economista austríaco Ludwig von Mises se tornou um dos ...

Ver mais

Você ‘tem fé’ no Estado democrático de direito?
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Hoje, num grupo de professores, um velho colega me escreveu que “tem fé” no “Estado democrático de direito” e na “separação dos poderes”. Mas com uma ressalva: ...

Ver mais

Percepções diferentes na macro e na microeconomia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções diferentes na macro e na microeconomia “Na economia, esperança e fé coexistem com grande pretensão científica e também um desejo profundo de respeitabilidade.” John Kenneth Galbraith ...

Ver mais

Não pode nem rir
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Todo mundo (ou quase) viu nas redes sociais e nos grupos de whatsapp; vídeo de uma mulher careca de ares muito sérios discorrendo didaticamente sobre a necessidade de mudarmos nossa forma de ...

Ver mais

Cafezinho 421 – A normose
Cafezinho 421 – A normose
É confortante saber que somos normais, não é? Pois é. ...

Ver mais

Cafezinho 420 – A regra dos 30
Cafezinho 420 – A regra dos 30
Pé quente, cabeça fria, numa boa. Mas cuidado porque ...

Ver mais

Cafezinho 419 – Pau que só dá em Chico.
Cafezinho 419 – Pau que só dá em Chico.
Há quem chame isso de dissonância cognitiva, mas não é. ...

Ver mais

Cafezinho 418 – Na esquina da sua rua.
Cafezinho 418 – Na esquina da sua rua.
Você pode causar um impacto imediato, poderoso e ...

Ver mais

Atílio Versuti

Atílio Versuti

Luciano Pires -

Compositor. Trabalhou como pintor de placas e cartazes. Iniciou a carreira artística na década de 1970. Sua primeira composição gravada foi “A porteira”, com Luis de Castro, registrada em LP Beverly pela dupla Zilo e Zalo.

Em 1978, duas composições suas foram gravadas pelo grupo Companheiros da Lua no LP “Degraus da vida”, do selo Califórnia: “Obsessão” e “Meu sertão chora comigo”, ambas em parceria com Paulo Santos. No mesmo ano, a dupla Lourenço e Lourival gravou “Palhaço do teu amor”, parceria com Luis de Castro, no LP “Novo caminho”, da Chantecler, e a dupla Tião Carreiro e Paraíso gravou “Minha terra, minha infância”, com Luis de Castro e Tião Carreiro, no LP “Tá do jeito que eu queria”, pela gravadora Caboclo/Continental. Dois anos depois, a dupla Liu e Leu gravou “Volta do caminheiro” no LP “Sementinha”.

Ainda nesse ano, compôs com Jeca Mineiro a guarânia “Fuscão Preto”, que seria seu maior sucesso, lançada pelo trio Os Gladiadores. O hit alcançou uma vendagem de 100 mil cópias e seria gravada no mesmo ano pela dupla Zé Tapera e Teodoro.

Em 1981, quatro composições foram gravadas pela dupla Tião do Norte e Coitelinho, no LP “Filho do pecado” pelo selo Brasil Rural: “A filha do capataz”, com Mariel, “Paixão do luar”, com Coitelinho, “Filho do pecado”, com Mariel, e “Resposta”, com Jeca Mineiro. Nesse ano, “Nunca vi um amor assim”, com Jeca Mineiro, foi gravada pela dupla Valdecy e Celita, no LP “Homenagem a Goiás” do selo Cartaz. Essa mesma música foi gravada no mesmo período, pelo Trio Parada Sertaneja, juntamente com “Nossa felicidade”, também com Jeca Mineiro.

Também em 1981, a música “Fuscão preto” foi gravada pelas duplas Gilberto e Gilmar e Nestor e Nestorzinho, e pelo Trio Parada Dura. Ainda naquele ano, teve a música “Meu sabiá”, com Jeca Mineiro, gravada pelo cantor Compadre Moreira, pela gravadora Tocantins.

Em 1982, “Fuscão preto” alcançou a consagração nacional ao ser gravada por Almir Rogério que vendeu 700 mil cópias, conhecendo ainda no mesmo ano, registros por parte de André Ricardo, Poly, Irmãs Castro, Celinho da Sanfona, Trio Arizona, entre outros.

Em 1983, foi lançado o filme “Fuscão preto” com as presenças de Almir Rogério atuando ao lado da apresentadora Xuxa Meneghel, então em começo de carreira. No mesmo ano, “Fuscão preto” foi gravada pelo grupo de rock Magazine.

Em 1984, outra parceria com Jeca Mineiro foi gravada: “Quem não arrisca não petisca (Sai água da minha boca)” pela dupla João Seresta e Cantador no LP “Saudade de carreiro”, da gravadora Continental.

Em 1985, a dupla Chico Viola e Rancho Alegre gravou “Documentos sertanejos”, com Chico Viola, que deu nome ao LP lançado pela dupla, além de “Os dez mandamentos”, com Chico Viola, “Fofoqueiro”, com Mariel, e “Vaidosa”, com Rancho Alegre.

Em 1991, “Quem não arrisca não petisca”, com Jeca Mineiro, foi gravada pela dupla Barreira e Dino Bueno no LP “Os caboclões” da gravadora Chororó. Em 1995, “O Pinto Piou”, com Mariel e Ney Vilela, foi gravada pelo Trio Lanute no LP “Delirando de amor”, da gravadora Chororó. Seu principal parceiro foi Jeca Mineiro com quem compôs “Fuscão preto”, composição que o imortalizou na história da música popular brasileira. Em 1997, a gravação de “Fuscão preto” na voz do Duo Ciriema foi relançada pela BMG no CD da série “Luar do sertão” dedicada aquela dupla.

www.dicionariompb.com.br/atilio-versuti