s
Portal Café Brasil
Nem tudo se desfaz
Nem tudo se desfaz
Vale muito a pena ver a história da qual somos ...

Ver mais

Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Café Brasil 788 – Love, Janis
Café Brasil 788 – Love, Janis
Janis Joplin era uma garota incompreendida, saiu da ...

Ver mais

Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
O Café Brasil anterior, o 786 – O Cuzão, rendeu, viu? ...

Ver mais

Café Brasil 786 – O cuzão.
Café Brasil 786 – O cuzão.
Cara, como é complicada a vida de podcaster, bicho! A ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Agronegócio, indústria e mudança de mindset
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Agronegócio, indústria e mudança de mindset “Quando adotamos um mindset, ingressamos num novo mundo. Num dos mundos – o das características fixas –, o sucesso consiste em provar que você é ...

Ver mais

Menos Marx, mais Mises
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Menos Marx, mais Mises  “Apesar de ainda ser muito pouco conhecido entre os jovens brasileiros em comparação com Karl Marx, o nome do economista austríaco Ludwig von Mises se tornou um dos ...

Ver mais

Você ‘tem fé’ no Estado democrático de direito?
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Hoje, num grupo de professores, um velho colega me escreveu que “tem fé” no “Estado democrático de direito” e na “separação dos poderes”. Mas com uma ressalva: ...

Ver mais

Percepções diferentes na macro e na microeconomia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções diferentes na macro e na microeconomia “Na economia, esperança e fé coexistem com grande pretensão científica e também um desejo profundo de respeitabilidade.” John Kenneth Galbraith ...

Ver mais

Cafezinho 424 – Desimportância
Cafezinho 424 – Desimportância
Hoje, com todas as facilidades na mão, estamos fugindo ...

Ver mais

Cafezinho 423 – Capital social? Só se der lucro.
Cafezinho 423 – Capital social? Só se der lucro.
Estamos perdendo aquilo que o cientista político e ...

Ver mais

Cafezinho 422 – A política do ódio
Cafezinho 422 – A política do ódio
Não siga a maioria só porque é maioria. Não siga a moda ...

Ver mais

Cafezinho 421 – A normose
Cafezinho 421 – A normose
É confortante saber que somos normais, não é? Pois é. ...

Ver mais

Cangaia de Jegue

Cangaia de Jegue

Luciano Pires -

alt

Autobiografia

A nossa história começa em Jequié, cidade do sudoeste da Bahia, conhecida como Cidade Sol, apelidada carinhosamente assim devido ao calor em demasia que faz nessa região. No início tudo era novidade, uma brincadeira que foi se solidificando ate formar o que todos conhecem hoje como a Banda Cangaia de Jegue.

Em 17 de Agosto de 2002, quatros jovens universitários se reuniram para tocar em uma modesta festa de república. Como na maioria das coisas que dão certo, foi sem pretensão de fazer sucesso e sem ensaiar quase nada que aquele grupo sem nome se apresentou e agradou bastante. No outro dia a repercussão foi mais que positiva, chegou a ser surpreendente. Os comentários entre os amigos de que um grupo de forró pé-de-serra animou bastante a festa “Solterapia”, promovidas por alunos do curso de Fisioterapia da UESB, ecoou pela cidade.

Logo outros convites foram feitos, outras festas estavam aparecendo e ainda não tínhamos escolhido um nome. Apareceram diversas sugestões, uma mais engraçada que a outra. A princípio foi decidido que se chamaria Banda Cangaia, porém este nome já havia sido registrado. Então, para garantir a característica nordestina e manter o nome anterior, tínhamos que completar essa “cangaia”. E nos perguntamos: “Cangaia de que?”. Os componentes do grupo aproveitaram o nome da república em que moravam, a República dos Jegues, para completar o que faltava. Nada representa melhor o sertão que o jegue, assim oficialmente nasceu a banda Cangaia de Jegue.

A primeira formação da banda foi: o vocalista Norberto Curvello na viola, Marcelo Capucho na zabumba, Junior Bomfim no triângulo e Humberto Júnior no baixo.

Desde o inicio criou-se um laço muito forte entre a banda e a cidade de Jequié, reflexo do apoio que a população e amigos deram no inicio da formação. Em homenagem à cidade onde tudo começou, o vocalista Norberto Curvello, fez uma música que traduz todo sentimento por este município que o acolheu e que permitiu a realização deste sonho, que foi “Saudade do Interior”.

Buscando alçar vôos mais altos, em 2004 gravamos o primeiro CD, “Cangaia de Jegue”, com sucessos emplacados na maioria das rádios no interior da Bahia, como “O Beijo Teu”, “De Frente pro Mar”, entre outras.

Em Jequié, o estilo irreverente da banda foi criando fãs e o nome foi tomando peso. Logo estávamos participando de eventos importantes como: o são João de Jequié, o Forró da Margarida, o Forró da Onça, em Jaguaquara e o Forró Coffe, em Itiruçu. Em cada festa, cada evento, a resposta do público nos empolgava bastante e percebíamos que se continuássemos trabalhando com a mesma dedicação alcançaríamos muito além do que havíamos sonhado outrora.

Em seguida, a banda decide sair do interior e ir para a capital baiana, buscando mais oportunidades, o que realmente aconteceu. Desde 2006 a banda está sediada em Salvador.

Após trabalhar bastante o repertorio do primeiro álbum, em 2007 lançamos o segundo CD, “Você Vai Ver”, nome também de uma das faixas, que fez grande sucesso.

Elevamos a banda Cangaia de Jegue a um grau de profissionalismo e dedicação nunca imaginados no inicio desta trajetória. Esse passo rumo à capital nos proporcionou coisas maravilhosas, permitiu que a Cangaia crescesse cada vez mais e fosse reconhecida pelo seu trabalho por outros públicos.

Em dezembro de 2008, a Cangaia de Jegue conseguiu gravar seu primeiro DVD. A festa contou com uma estrutura fantástica e grandes participações como: Wando, as bandas Rastapé, Circuladô de Fulô e o Trio Virgulino, grupo referência no estilo forró pé-de-serra. O lançamento do DVD será realizado em diversos municípios do estado, e a primeira cidade que recebeu esse evento foi Jequié, onde tudo começou, como não poderia deixar de ser.

Um novo CD acabou de ser gravado e será lançado em março de 2010. O repertório passeia por diversos ritmos, e por isso é cantado com diversas participações do cenário musical baiano, como: Júnior do Batifun, Léo Macedo da Estakazero, Marco Leandro do Tio Barnabé e o forrozeiro Adelmário Coelho.

A Banda Cangaia de Jegue hoje tem uma formação um pouco diferente da do início de sua trajetória. Ocorreram alguns desligamentos por motivos profissionais diversos e novas inclusões. Em sua base a banda é composta por: Norberto Curvello (voz e violão), Júnior Bomfim (triângulo), Allê Barbosa (baixo), Clécio Carvalho (acordeon) e Serginho di Boca (bateria), complementados pelos músicos Bruno Valverde (guitarra) e Marcelo Tribal (zabumba e percussão).

Hoje a Cangaia de Jegue tem um show irreverente e inovador, característica que tem chamado muito a atenção da mídia, e que promete muito para o São João desse ano.

http://www.cangaiadejegue.com.br/banda

[youtube]-uIepZ9POfY[/youtube]
[youtube]06AVuFe-ZqQ[/youtube]
[youtube]17hHD6zvj7c[/youtube]