s
Portal Café Brasil
Henrique Viana
Henrique Viana
O convidado para o LíderCast desta vez é Henrique ...

Ver mais

Deduzir ou induzir
Deduzir ou induzir
Veja a quantidade de gente que induz coisas, ...

Ver mais

Origem da Covid – seguindo as pistas
Origem da Covid – seguindo as pistas
Tradução automática feita pelo Google, de artigo de ...

Ver mais

Palestra Planejamento Antifrágil
Palestra Planejamento Antifrágil
Aproveite o embalo, pois além de ouvir a história, você ...

Ver mais

Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
Café Brasil 787 – Reações ao Cuzão
O Café Brasil anterior, o 786 – O Cuzão, rendeu, viu? ...

Ver mais

Café Brasil 786 – O cuzão.
Café Brasil 786 – O cuzão.
Cara, como é complicada a vida de podcaster, bicho! A ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 784 – Avatar
Café Brasil 784 – Avatar
Se você está achando complicado lidar com ...

Ver mais

Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Café Brasil 785 – LíderCast Leandro Bueno
Sabe quem ajuda este programa chegar até você? É a ...

Ver mais

Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Café Brasil 775 – LíderCast Henrique Viana – Brasil Paralelo
Um papo muito interessante com Henrique Viana, um jovem ...

Ver mais

Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Café Brasil 771 – LíderCast Aurelio Alfieri
Aurélio Alfieri é um educador físico e youtuber, ...

Ver mais

Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
Café Brasil 766 – LíderCast Ilona Becskeházy
E a educação brasileira, como é que vai, hein? Mal, não ...

Ver mais

Café na Panela – Luciana Pires
Café na Panela – Luciana Pires
Episódio piloto do projeto Café na Panela, com Luciana ...

Ver mais

Sem treta
Sem treta
A pessoa diz que gosta, mas não compartilha.

Ver mais

O cachorro de cinco pernas
O cachorro de cinco pernas
Quantas pernas um cachorro tem se você chamar o rabo de ...

Ver mais

Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
Leitura do Cafezinho 304 – (in) Tolerância
A intolerância é muito maior na geração que mais teve ...

Ver mais

Menos Marx, mais Mises
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Menos Marx, mais Mises  “Apesar de ainda ser muito pouco conhecido entre os jovens brasileiros em comparação com Karl Marx, o nome do economista austríaco Ludwig von Mises se tornou um dos ...

Ver mais

Você ‘tem fé’ no Estado democrático de direito?
Gustavo Bertoche
É preciso lançar pontes.
Hoje, num grupo de professores, um velho colega me escreveu que “tem fé” no “Estado democrático de direito” e na “separação dos poderes”. Mas com uma ressalva: ...

Ver mais

Percepções diferentes na macro e na microeconomia
Luiz Alberto Machado
Iscas Econômicas
Percepções diferentes na macro e na microeconomia “Na economia, esperança e fé coexistem com grande pretensão científica e também um desejo profundo de respeitabilidade.” John Kenneth Galbraith ...

Ver mais

Não pode nem rir
Fernando Lopes
Iscas Politicrônicas
Todo mundo (ou quase) viu nas redes sociais e nos grupos de whatsapp; vídeo de uma mulher careca de ares muito sérios discorrendo didaticamente sobre a necessidade de mudarmos nossa forma de ...

Ver mais

Cafezinho 420 – A regra dos 30
Cafezinho 420 – A regra dos 30
Pé quente, cabeça fria, numa boa. Mas cuidado porque ...

Ver mais

Cafezinho 419 – Pau que só dá em Chico.
Cafezinho 419 – Pau que só dá em Chico.
Há quem chame isso de dissonância cognitiva, mas não é. ...

Ver mais

Cafezinho 418 – Na esquina da sua rua.
Cafezinho 418 – Na esquina da sua rua.
Você pode causar um impacto imediato, poderoso e ...

Ver mais

Cafezinho 417 – We are the world
Cafezinho 417 – We are the world
Os esforços tão valiosos dos artistas e de todos que ...

Ver mais

Cida Moreyra

Cida Moreyra

Luciano Pires -

alt
Cida Moreyra

Maria Aparecida Guimarães Campiolo, mais conhecida como Cida Moreyra, é uma cantora, atriz e pianista Brasileira.

Consagrou-se nos palcos brasileiros como Cida Moreira após estrear profissionalmente em 1977 com a peça “A Farsa da Noiva Bombardeada”, de Alcides Nogueira, com direção de Marcio Aurélio e um elenco que contava, dentre outros, com Miguel Magno. Era o grupo de teatro experimental “Pompa e Circunstância”, com o qual Cida fez ainda outro texto de Alcides: “Tide Moreyra e sua Banda de Najas”.

Participou ainda em 1977 do espetáculo “Teatro do Ornitorrinco canta Brecht e Weill”, com Cacá Rosset, Maria Alice Vergueiro e Luiz Roberto Galízia, com os quais ainda trabalharia em 1982 em “Mahagonny Songspiel”, também do dramaturgo alemão.

Integrou o elenco original de “Ópera do Malandro”, adaptação de Chico Buarque de Hollanda para a “Ópera dos Três Vinténs” de Bertolt Brecht, após Chico ter ido ver ao Teatro do Ornitorrinco cantando as parcerias do dramaturgo com Kurt Weill, trabalhando, assim, com Elba Ramalho, Marieta Severo, Ary Fontoura e Emiliano Queiroz, dentre outros. Substituiu Miucha no fim da temporada de “Saltimbancos”, fazendo a personagem da Galinha.

Seu primeiro espetáculo solo foi “Summertime”, no início dos anos 1980, o qual viria a ser seu primeiro registro fonográfico (com grande sucesso de público e crítica). O show, dirigido por José Possi Neto, tratava-se de uma homenagem à cantora Janis Joplin e à sua época, e dentre as canções do repertório estavam “Geni e o Zepelim”, de Chico Buarque e “Gota de Sangue”, de Angela Ro Ro.

Seguiu fazendo espetáculos como “Serpente Rara” e “Arte”, lançou seu segundo disco “Abolerado Blues” e fez na década de 1980 ainda, vários filmes que marcaram a produção de uma geração de cineastas paulistas. Com a trilha sonora de “Estrela Nua”, no entanto, composta por Arrigo Barnabé, recebe um convite para ir, com ele, à Europa, onde passa uma temporada fazendo shows. Quando volta, retoma sua carreira no País.

Em 1986 lança o álbum “Cida Moreyra”, em 1988 o aclamado “Cida Moreyra interpreta Bertolt Brecht”, realizando um sonho de anos. Lançou ainda “Na Trilha do Cinema”, “Cida canta Chico”, “Uma canção pelo ar” e “Angenor” (em tributo ao compositor Cartola), além de participar de discos como “Mensagem” com poemas musicados de Fernando Pessoa, “Essa Chama que não vai Passar”, em tributo à Maysa e “Dolores”, em tributo à Dolores Duran, dentre outros.

Desenvolve inúmeros projetos de pesquisa musical que terminam sempre em espetáculos repletos de cultura e inteligência como “Cabará Bilbao”, “Canções Para Cortar Os Pulsos” (com André Frateschi, uma homenagem a Tom Waits), “Modinhas imperiais”, “Cole Porter”, “Porgy and Bess”, além de outras montagens teatrais como sua participação em “Às Margens Plácidas” com Pod Minoga, por exemplo.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cida_Moreyra

http://www.dicionariompb.com.br/cida-moreira

http://www.mpbnet.com.br/musicos/cida.moreira/

http://cliquemusic.uol.com.br/artistas/ver/cida-moreira

[youtube]1q_4UcTV1tc[/youtube]
[youtube]f4VQ_aJ1-tA[/youtube]
[youtube]_iAtf1vDruQ[/youtube]
[youtube]psok71_iyk4[/youtube]
[youtube]qu7iC2rqJp4[/youtube]
[youtube]Zj_YJ_Qdy-Y[/youtube]